Obstrução nasal: entenda a importância da avaliação otorrinolaringológica

Do Texto: a obstrução nasal pode ocasionar uma má qualidade no sono, cansaço ao acordar e perda de vontade a atividades físicas, além de dificuldade de...

Pintura com narizes.


Problema pode ser causado por processos alérgicos infecciosos ou distúrbios estruturais, alerta especialista do Hospital Paulista

A congestão nasal, ou “nariz entupido”, acontece quando a mucosa nasal fica inchada ou edemaciada (que se forma edema), acumulando secreção e dificultando a respiração. E respirar é uma função fisiológica tão importante que o menor obstáculo que dificulte o fluxo do ar pelas vias aéreas superiores provoca desconforto.

Conforme o Dr. João Marcos Piva, Otorrinolaringologista do Hospital Paulista, a obstrução nasal pode ser provocada por processos alérgicos, infecciosos virais e bacterianos, como uma gripe ou um resfriado, por exemplo. Mas também pode ter causas como infecção dos seios paranasais (sinusite) e distúrbios estruturais, como desvio do septo, adenoide (carne esponjosa), presença de pólipos ou ainda tumores no nariz.

“No caso da sinusite aguda, por exemplo, é uma característica comum haver secreção com pus e muco. Às vezes, pode acontecer de haver um odor ou gosto metálico na boca, dor facial ou dor de cabeça, além de vermelhidão ou sensibilidade nas bochechas ou acima das sobrancelhas”, destaca o especialista. Neste caso, em geral, apenas o exame clínico é suficiente. No entanto, a tomografia computadorizada sempre é recomendada para uma melhor precisão e diagnóstico da patologia de rinossinusite.

Os sintomas da rinite alérgica também são comuns ocorrer em certas estações do ano, como espirro, coriza, olhos lacrimejando e coceira.

Para além do desconforto, Dr. Piva pondera que a obstrução nasal pode ocasionar uma má qualidade no sono, cansaço ao acordar e perda de vontade a atividades físicas, além de dificuldade de concentração e memória em razão da respiração pela boca.

Nesse sentido, Dr. Piva recomenda que, diante da apresentação de obstrução nasal persistente ou com frequência, um otorrinolaringologista deve ser procurado para uma melhor investigação, através de exames por vídeo endoscópio e de imagens, como tomografia, ressonância e, assim, um tratamento individualizado e preciso para cada paciente.

Descongestionantes

Pessoas que usam descongestionantes nasais tópicos (uso no local) por mais de 3 dias, frequentemente, sentem congestão de rebote quando os efeitos do fármaco desaparecem. As pessoas continuam usando o descongestionante em um círculo vicioso de congestão persistente, causando piora. Essa situação, também chamada de rinite medicamentosa, pode persistir por algum tempo e as pessoas podem interpretá-la como uma continuação do problema original, em vez de uma consequência do tratamento.

“Nós não devemos fazer uso de descongestionantes nasais. Apesar de uma desobstrução imediata, ele possui um efeito muito danoso ao coração, podendo, a médio e longo prazo, provocar arritmias e pressão alta, entre outras patologias”, alerta Dr. Piva.

Nas crianças, os descongestionantes devem ser utilizados com muito critério, pois as substâncias do medicamento, muitas vezes, podem provocar depressão do sistema cardiorrespiratório e óbito.

                                                         💊💢💊

Sobre o Hospital Paulista de Otorrinolaringologia
Fundado em 1974, o Hospital Paulista de Otorrinolaringologia, possui mais de 40 anos de tradição no atendimento especializado em ouvido, nariz e garganta e durante sua trajetória, ampliou sua competência para outros segmentos, com destaque para Fonoaudiologia, Alergia Respiratória e Imunologia, Distúrbios do Sono, procedimentos para Cirurgia Cérvico-Facial, bem como Buco Maxilo Facial.
Em localização privilegiada, a 300 metros da estação Hospital São Paulo (linha 5-Lilás) e a 800 metros da estação Santa Cruz (linha 1-Azul/linha 5-Lilás), possui 42 leitos, UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 10 salas cirúrgicas, realizando em média, mensalmente, 500 cirurgias, 7.500 consultas no ambulatório e pronto-socorro e, aproximadamente, 1.500 exames especializados.
Referência em seu segmento e com alta resolutividade, conta com um completo Centro de Medicina Diagnóstica em Otorrinolaringologia, assim como um Ambulatório de Olfato e Paladar, especializado no diagnóstico e tratamento de pacientes com perda total ou parcial dos sentidos. Dispõe de profissionais de alta capacidade oferecendo excelentes condições de suporte especializado 24 horas por dia.

 

Também pode ler:
Tags

Enviar um comentário

0 Comentários
* Gostou do que leu, viu e/ou ouviu? Então, para completar, só falta o seu comentário. Se não gostou, comente também. O autor agradece.

buttons=(OK!) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !