Entenda por que gerenciar a pressão alta é fundamental para a saúde dos rins

Fotocomposição com medidor de tensão.


Uma das funções dos rins é regular a pressão arterial pelo aumento ou pela diminuição do volume sanguíneo. Mas a hipertensão descontrolada pode causar sobrecarga do trabalho renal, aumentando o risco de falência dos rins

São Paulo – Setembro/2022 - Muita gente não sabe, mas a pressão alta é um problema que não afeta apenas o coração. O rim, responsável por filtrar o sangue, é um órgão que pode sofrer consequências da hipertensão arterial. “Uma das funções dos rins é regular a pressão arterial pelo aumento ou diminuição do volume sanguíneo. Quando a pressão cai e o fluxo sanguíneo diminui, os rins secretam substâncias que atuam para fazer a pressão aumentar até o valor normal. A longo prazo, a hipertensão descontrolada pode levar a uma sobrecarga no funcionamento desse órgão, que pode culminar com a disfunção renal crônica ou falência renal. Por isso, é fundamental adotar meios de controlar o aumento da pressão”, explica a médica nefrologista Dra. Caroline Reigada*, especialista em Medicina Intensiva pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira.

De acordo com a nefrologista, os rins e o sistema circulatório dependem um do outro para uma boa saúde. “Os rins ajudam a filtrar resíduos e fluidos extras do sangue, usando muitos vasos sanguíneos. Quando os vasos sanguíneos são danificados, os néfrons que filtram o sangue não recebem o oxigênio e os nutrientes de que precisam para funcionar bem. É por isso que a pressão alta é a primeira principal causa de insuficiência renal”, explica a médica.

Com o tempo, a hipertensão arterial prejudica os vasos sanguíneos renais. “Os néfrons nos rins são supridos com uma densa rede de vasos sanguíneos e altos volumes de fluxo sanguíneo através deles. Com o tempo, a pressão alta descontrolada pode fazer com que as artérias ao redor dos rins se estreitem, enfraqueçam ou endureçam. Essas artérias danificadas não são capazes de fornecer sangue suficiente ao tecido renal”, diz a médica. Artérias renais danificadas não filtram bem o sangue. Os rins têm néfrons pequenos, semelhantes a dedos, que filtram o sangue. “Cada néfron recebe seu suprimento sanguíneo através de minúsculos capilares semelhantes a cabelos, o menor de todos os vasos sanguíneos. Quando as artérias são danificadas, os néfrons não recebem o oxigênio e os nutrientes essenciais. Em seguida, os rins perdem a capacidade de filtrar o sangue e regular os fluidos, hormônios, ácidos e sais no corpo. Além disso, os rins danificados não regulam a pressão arterial. Rins saudáveis respondem a um hormônio chamado aldosterona, que é produzido nas glândulas suprarrenais, para ajudar o corpo a regular a pressão arterial. Danos nos rins e pressão alta descontrolada contribuem para uma espiral negativa. À medida que mais artérias ficam bloqueadas e param de funcionar, os rins eventualmente falham”, destaca a médica Dra. Caroline Reigada.

A Dra. Caroline enfatiza que a insuficiência renal devido à pressão alta é um processo cumulativo que pode levar anos para se desenvolver. “Mas você pode limitar seu risco gerenciando sua pressão arterial. É importante ficar claro que esse cuidado é um compromisso para toda a vida. O paciente deve ter uma dieta bem equilibrada com baixo teor de sal, limitar álcool, ter um consumo adequado de água, praticar atividade física regularmente, gerenciar o estresse, manter um peso saudável, parar de fumar, tomar seus medicamentos corretamente e trabalhar em conjunto com o seu médico”, finaliza a médica nefrologista.

                                                                        💢💢💢

*DRA. CAROLINE REIGADA: Médica nefrologista formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro, com residência médica na Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e residência em Nefrologia no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Especialista em Medicina Intensiva pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira, a médica participa periodicamente de cursos e congressos, além de ter publicado uma série de trabalhos científicos premiados. Participou do curso “The Brigham Renal Board Review Course” em Harvard. Integra o corpo clínico de hospitais como São Luiz, Beneficência Portuguesa de São Paulo e Hospital Alemão Oswaldo Cruz. Instagram: @dracaroline.reigada.nefro

 

Também pode ler:
Tags

Enviar um comentário

0 Comentários
* Gostou do que leu, viu e/ou ouviu? Então, para completar, só falta o seu comentário. Se não gostou, comente também. O autor agradece.

buttons=(OK!) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !