ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

7/30/2020

Splish Splash aproximou Renato Barros de Roberto Carlos

A história de Renato e seus Blue Caps com Roberto Carlos começou bem antes da Jovem Guarda.


A história de Renato e seus Blue Caps com Roberto Carlos começou bem antes da Jovem Guarda.



Por: Carlos Marley

O trem da eternidade partiu no dia 28 de julho de 2020, levando em um dos seus vagões Renato Cosme Vieira de Barros, um dos expoentes da Jovem Guarda, nascido no Rio de Janeiro em 27 de setembro de 1943.

Renato foi o criador, vocalista e guitarrista da banda Renato e seus Blue Caps e também compositor de vários sucessos gravados por inúmeros artistas, dentre eles Roberto Carlos, que gravou cinco de suas canções: “O Feio” (1965), “Você não serve pra mim” (1967), “Não há dinheiro que pague” (1968), “Maior que o meu amor” (1970) e “Você não sabe o que vai perder” (1971). Com exceção da primeira que fez em parceria com Getúlio Côrtes as demais são apenas de sua autoria.

A banda Renato e Seus Blue Caps começou a fazer sucesso gravando versões, sobretudo de canções dos Beatles. Na década de sessenta, embalou a juventude, juntamente com Roberto Carlos e eram grandes vendedores de discos. Suas canções eram muito cantadas e estava sempre disputando os primeiros lugares. Na formação original de Renato e seus Blue Caps também faziam parte os irmãos Paulo César e Edson Barros (Ed Wilson), que saiu em 1963, dando lugar a Erasmo Carlos, que teve passagem efêmera.

A história de Renato e seus Blue Caps com Roberto Carlos começou bem antes da Jovem Guarda. Em 1963, o grupo recebeu o convite de Roberto para participar da gravação da canção Splish Splash (Bobby Darin/Jean Murray), versão em português de Erasmo Carlos. Foi o primeiro sucesso do futuro rei Roberto Carlos. Depois dessa participação foi convidado para fazer parte do elenco da CBS, gravadora de Roberto Carlos. Dai em diante passou a tocar em discos de estrelas da CBS, incluindo Roberto Carlos. Junto com membros de outras bandas participou dos discos de Roberto Carlos de 1965 a 1970.

Na canção “Festa de Arromba” (1965), os autores Roberto e Erasmo Carlos homenagearam a banda, citando a banda na letra: “... Renato e seus Blue Caps/ Tocavam na piscina...”.

Com mudanças na formação, Renato e seus Blue Caps continuaram na estrada todos esses anos e Renato dizia que sua banda era uma das mais longevas do mundo na seara do rock. “As seis décadas no palco autorizaram que em 2019 reivindicasse entrar para o “Guiness Book”, o livro dos recordes”.

A saudade que ficou do ídolo da Jovem Guarda Renato Barros, a minha homenagem.


Roberto Carlos – Splish Splash

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo