Alvaro Guillermo, gestor e criador do projeto "Encontros Criativos", vence o iF Social Impact Prize, um dos maiores prêmios de design mundial

Envolvidos no projeto
Divulgação

Ação entre Eco fábrica Criativa da Prefeitura da Cidade de Santos e Club Design Litoral Paulista recebe o prêmio iF DESIGN SOCIAL IMPACT PRIZE

Mesa criada no projeto
Divulgação

Após passar por centenas de projetos, chegando a 5 finalistas, o projeto Encontros Criativos da EcoFábrica Criativa Santos, criado por  Alvaro Guillermo, vence um dos principais prêmios do mundo.

Projeto foi criado para capacitar jovens em Marcenaria Ecológica utilizando material reciclável recolhido pelo serviço de limpeza de recicláveis Cata-Treco. Esses jovens, junto aos profissionais de design, criaram, com "lixo" recolhido das ruas, mobiliários, bancos, mesas, entre outros, hoje vendidos em lojas parceiras do Club Desgin Litoral Paulista, com renda revertida ao projeto.

“Este projeto tem diversos aspectos que permitem sua sustentabilidade e que diversos atores possam participar. No mundo contemporâneo Cooperar, Compartilhar, COhabitar, Coexistir, são requisitos essenciais para viver em paz e alcançar um mundo melhor.” Comenta Alvaro.

Banco criado no projeto
Divulgação

Resumo do Projeto:

Infelizmente muitas pessoas ainda descartam de forma inadequada materiais e produtos de madeira, que vão parar na rua e locais públicos, denegrindo estes espaços. Em consequência por exemplo, entopem os canais e bocas de lobo.
A Prefeitura de Santos com o Cata-treco passa pela cidade recolhendo estes descartes.
O material de madeira é levado até a EcoFábrica onde é selecionado, limpo e organizado por tipo e qualidades.
Este material é utilizado para fins educativos, os alunos aprendem a utilizar os instrumentos e máquinas e tipos de madeiras. Também é apresentado a importância do descarte adequado e ecologicamente correto.
A EcoFábrica tem instrumentos e máquinas simples, para que os alunos aprendam a fazer coisas com equipamentos que eles possam adquirir e iniciar posteriormente uma profissão num espaço simples, da casa, comunitário. Mas também tem condições de iniciarem em fábricas como ajudantes. Os profissionais de arquitetura e interiores podem desta forma também passar a fazer uso destes profissionais em suas obras.
Os profissionais selecionados do Club Design visitam as instalações, conhecem os alunos e selecionam destas madeiras descartadas o material necessário para a confecção de seu produto.
O objeto desenhado por estes profissionais também segue critérios coerentes de execução com o nível de conhecimento que estes alunos têm durante o curso e com os equipamentos disponíveis na EcoFábrica. E com pequenas dimensões a fim de possam servir como uma peça destaque dentro da decoração.
Estes objetos são apresentados à curadoria que junto com o Professor passa a acompanhar todos o processo de confecção, apurando e lapidando o mesmo a fim de obter o produto pronto no tempo que os alunos têm de aula.
Os profissionais são convidados a acompanhar a produção conforme as etapas de execução se desenrolam. Até o momento final onde há uma aprovação de todos os envolvidos, profissionais autores, alunos executores, professor e curador.
Todas as etapas são registradas. O depoimento da etapa final encontra-se registrado em vídeos e será disponibilizado à sociedade nas redes sociais.
Os produtos são apresentados ao público numa exposição aberta, com sugestão preços de venda. A arrecadação destas vendas retorna para a EcoFábrica para reposição de instrumentos e insumos que são muito consumidos (lixas, cola, pregos, entre outros).
Os produtos que não forem adquiridos durante a exposição seguem para as lojas do Club Design, que além de promoverem o projeto, poderão vender estes objetos ao consumidor final, com a ciência de se tratar de peça única de um projeto social bem amplo. Consumo consciente e correto por preço justo. Desta forma, as lojas também conscientizam os clientes do descarte correto.
Todo o projeto está apresentado no Anuário 2017 do Club Design, um livro de luxo de distribuição gratuita e dirigida ao público que está adquirindo ou reformando imóveis.

Encontros Criativos na EcoFábrica

Alvaro Guillermo
Celina Gemmer

Gosto de desafios, principalmente aqueles mais complexos que envolvem bastante pessoas.
Esta parceria da Prefeitura de Santos com o Club Design foi um projeto dessa natureza, que traz um resultado evidente, visível e que carrega uma forte dose de felicidade, necessária nos projetos sociais.
Acreditar que podemos ajudar a fazer um mundo melhor e uma sociedade mais justa não é utopia. Precisamos entender que para mudar o status é necessário fazer, participar e se envolver. “A utopia serve para isso, para nos fazer caminhar” (Galeano), mas precisamos caminhar e criar sendas para que outros venham depois.
Sempre soube que este projeto daria certo, porque conheço os envolvidos. São pessoas de bem, corretas, que também se movem por ideais e que querem cuidar da cidade. Detodos os que conversei recebi um sorriso largo e uma resposta curta: pode contar comigo. O que me animou ainda mais.
Animar vem de Anima, no Latim, alma.
Este é um projeto animado, os objetos criados são animados, os alunos estavam animados.Este é um projeto com alma, a alma brasileira de quem junta pedaços e faz algo novo e criativo.
É um projeto caro – caritas no Latim –, também no sentido mais amplo, algo de valor que é importante. É caro para mim, é uma caridade com os outros.
Trabalhamos a matéria descartada, desconsiderada e incorreta.
Trabalhamos com alma.
Criamos algo de valor, importante e com alma.
Estamos todos animados e felizes.

Alvaro Guillermo
Curador
Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário