Barcelona-Real Madrid - Se eu fosse o juiz



Por: Carlos Alberto Alves

jornalistaalves@bol.com.br
Facebook
https://www.facebook.com/carlosalberto.alvessilva.9


Barcelona - Real Madrid e vice-versa são sempre "mathcs" apetecidos e que, por norma, e no caso de televisionados, prendem os teleespetadores até ao derradeiro momento. Neste domingo, em Camp Nou, Barcelona, os grandes rivais defrontaram-se para a primeira mão da Supertaça Espanhola, jogo que terminou com a vitória dos madrilistas por 3-1, com 0-0 ao intervalo. Porém, um jogo que teve como protagonista um juiz (sem insígnias da FIFA) sem categoria para um jogo de tamanha envergadura. No meu entender, erros crassos, começando pela grande penalidade assinalada a favor do Barcelona. Não houve falta do goleiro do Real sobre Luiz Soares. Depois, já com o resultado em 2-1 e com Cristiano Ronaldo em campo, o juiz "amarelou" o português por uma falta que considerou mais dura. Até aqui, tudo bem. Cristiano Ronaldo que tinha apontado o segundo golo do Real Madrid. Em outro lance em que protagonizou o CR7 dentro da área, este cai em luta com um defensor do Barcelona. E tudo começou com um encosta-encosta. Só que o defesa do Barcelona foi mais forte, provocando a queda do português. O árbitro entendeu simulação e exibiu o segundo amarelo ao CR7 e a consequente expulsão que originou "mosquitos-por-cordas" com CR7 a dar toque nas costas do juiz. Ora, não houve grande penalidade a favor do Real Madrid (aqui o juiz bem) e nem simulação do CR7 (aqui errou feio o juiz). Consequência de tudo isto: o Real ficou com 10 jogadores, mas, mesmo assim, apontou um terceiro golo (1-3). Depois, e analisada a súmula do juiz (e por certo também as imagens), o Comité de Disciplina da Federação Espanhola puniu Cristiano Ronaldo com cinco jogos de suspensão, ou seja, um pela acumulação dos dois amarelos e os outros quatro pela atitude que o jogador tomou em relação ao juiz. Um lance em que, repetimos, não existiu grande penalidade nem tampouco simulação do astro-mór do Real Madrid. Portanto, demasiados erros crassos de um juiz sem categoria.

Hoje, em Madrid, pelas 18 horas de Brasilia, os dois times voltam a defrontar-se. O Real entre com uma vantagem de dois golos, esperando-se, por outro lado, a presença de um juiz com categoria para este segundo jogo entre catalãs e madrilistas, para mais que o Barcelona tudo fará para reverter a desvantagem do primeiro jogo.


Em suma, se eu fosse o árbitro, não tinha assinalado a grande penalidade contra o Real, tinha seguido o mesmo critério deste juiz em questão de não assinalar castigo máximo contra o Barcelona e, obviamente, não entenderia por simulação a queda do CR7 no encosta-encosta com o defesa do "Barça" que, apenas, foi mais forte.

1. - Grande penalidade mal assinalada contra o Real Madrid.
2. - Bem o juiz ao não assinalar grande penalidade contra o Barcelona.
3. - Muito mal o juiz ao entender que CR7 simulou o castigo máximo. Segundo amarelo e a consequente expulsão do português.

NOTA - Também estou em desacordo com aquele gesto de Cristiano Ronaldo ao dar um empurrãozinho nas costas dos juiz, atitude que lhe custou mais quatro jogos de castigo.

Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Atualmente com site próprio (http://jornalistacarlosalbertoalves.blogspot.com) e contribuidor diário no Portal Splish Splash e no site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. jornalistaalves@bol.com.br

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário