ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

5/05/2020

O que fazer para evitar o estresse financeiro durante a pandemia


A pandemia de coronavírus impõe o isolamento social como uma das medidas mais efetivas contra a disseminação do vírus. E o isolamento causa bastante pânico e estresse, principalmente, o estresse financeiro em trabalhadores informais e autônomos que não estão podendo trabalhar por conta da pandemia.

Em tempos de crise como esse, a economia fica instável, o desemprego tende a aumentar e empresas podem falir. Essa instabilidade do mercado gera muito estresse financeiro e todos nós temos o desafio de controlar o estresse financeiro. Ver as contas chegando e não ter dinheiro para pagar afeta a nossa mente, acabando com a nossa tranquilidade. 

A falta de dinheiro tira o sono de qualquer pessoa. A maioria dos brasileiros que tem como objetivo financeiro simples, o ato de pagar suas contas fica desesperado por não ter como honrar os compromissos. Muitas funções, principalmente de trabalhos informais, não podem ser exercidas de casa, o que dificulta a obtenção de renda por parte dos trabalhadores.

Uma queda brusca de renda e as contas chegando no início do mês geram o que chamamos de estresse financeiro. O estresse pode afetar a nossa saúde física e mental e em tempos de pandemia, é preciso saber como enfrentar esse problema e se manter tranquilo. 

Para se ter uma ideia de como honrar as contas do mês é importante para os brasileiros, vamos mostrar os dados de uma pesquisa realizada pelo ISMA-BR (International Stress Management Association do Brasil) em 2019. De acordo com o estudo, 78% dos entrevistados afirma que a instabilidade financeira é a principal causa de ansiedade e preocupação. 

Quais são os riscos do estresse financeiro? 

Segundo a psicóloga Ana Maria Rossi, presidente da ISMA-BR, os problemas financeiros podem levar ao estresse e interferem diretamente em nossa autoestima e discernimento mental. Rossi ainda aponta que o estresse financeiro é capaz de levar pessoa a depressão, e em casos mais graves, a uma tentativa de suicídio. 

O estresse financeiro ainda possui uma característica, ele pode acabar se tornado uma doença crônica. Isso acontece porque diferente de tarefas de trabalho, dívidas nem sempre podem ser solucionadas de uma hora para outra e isso faz com que as pessoas se deprimam mais e mais com a situação. 

Em tempos de pandemia, onde devemos nos manter reclusos para evitar a contaminação e a disseminação do coronavírus podem elevar o estresse financeiro ao nível mais extremo. Esse problema tem a capacidade de afetar o nosso sono, o nosso apetite, levar a prática de vícios e aumentar consideravelmente a nossa ansiedade. 

Como lidar com o estresse financeiro em meio a uma pandemia? 

Não é fácil deixar de honrar os compromissos, muitas pessoas acabam sendo abatidos rapidamente pela tristeza de não terem como pagar suas contas em dia. E o problema ainda aumenta quando a pessoa vê dívidas aumentando, recebe ligações de cobrança e tem seu nome inscrito no SPC e Serasa.

Para lhe ajudar a se cuidar e evitar os prejuízos causados por esse problema, vamos listar abaixo algumas dicas para lidar com o estresse financeiro em épocas de isolamento social por conta da pandemia de coronavírus:

Entenda que você não está sozinho! 

O primeiro passo para que o estresse financeiro perca força e não afete nossa saúde é entender que não estamos sozinhos. As pessoas devem compreender que podem contar com a ajuda de amigos e familiares, mesmo que a distância. Também é possível contar com ajuda psicológica gratuita virtualmente, prestadas por psicólogos formados. 

Saber que não estamos sozinhos em situações difíceis como esta pode ajudar a manter o nosso equilíbrio emocional. Assim podemos nos manter mais tranquilo e contar a ajuda de pessoas queridas e profissionais que querem o nosso bem. Isso nos ajudar a combater o estresse e a evitar o abatimento profundo causado pelo estresse. 

Identifique a causa do problema 

Outra forma de enfrentar o estresse financeiro é encontrar a causa do problema. Em situações como essa, não podemos ficar pensando apenas no problema, e sim pensar em soluções. E para pensar em soluções é preciso encontrar a origem do problema. Identifique a causa do seu endividamento. 

O que fez suas dívidas aumentarem durante a pandemia? Você teve de parar de trabalhar e perdeu toda a sua renda por conta da epidemia? Você já não estava conseguindo arcar com dívidas antigas antes que a pandemia começasse? É preciso entender o problema para enfrentá-lo.

Procure ajuda para solucionar o problema 

Agora que você já sabe o motivo, você deve buscar ajuda para solucionar o problema. De início entre em contato com seu banco para tentar renegociar empréstimos e financiamentos. Assim, você pode adiar o pagamento de parcelas destas dívidas, conseguindo um alívio no seu orçamento mensal durante a pandemia. 

Você também pode buscar ajuda do governo. Caso, você seja um trabalhador informal, peça o auxílio emergencial de R$ 600, esse valor é baixo, mas pode ajudar a pagar contas triviais e cestas básicas para que você e sua família continuem tendo o básico para sobreviver neste período. 

Outra solução é encontrar uma nova forma de exercer o seu trabalho em casa ou mesmo adotar outra função que possa ser exercida em home office para que sua renda não diminua tanto durante a pandemia de coronavírus.

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo