ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

6/03/2011

Crónica dos bons-velhos-tempos



Uma noite em que “estive na Lua”




Por: Carlos Alberto Alves
jornalistaalves@hotmail.com 
Portal Splish Splash


Já escrevi, ao longo da minha carreira, muitas estórias sobre os outros, sobretudo nas deslocações em que acompanhava grupos, nomeadamente de futebol e outras modalidades, não esquecendo também política, teatro e por aí fora. Quiçá, em alguns momentos, escrevi coisas descabeladas, é possível, assumo isso com toda a frontalidade.

 
Mas também, neste percurso, sou um homem que registra historinhas interessantes, algumas delas, inclusive, cheguei a contar em Portugal e agora aqui no Brasil, quer no Postal do Brasil quer no atual genérico.

Ora, no meu baú, no caso pessoal, ainda guardo acontecimentos verídicos, mas nada a roçar o tragicómico, penso eu. Numa bela noite de sexta-feira, do ano de 1984 (estava eu com 41 anos de idade), após ter saído do jornal, encontrei-me com uma amiga minha de longa data e, ato contínuo, decidimos que a “noite seria nossa”. Tudo bem. Quando partíamos para o local escolhido (primeiro ao nosso Bar das Letras e, depois, para a “doçura da noite”), Lisboa foi assolada por um temporal, com chuvas torrenciais. Depois de estar no bem-bom, de nada me apercebi, ou seja, o que acontecia no exterior perante desusado dilúvio. Ligamos os respectivos motores e foi uma noite em que viajamos para a Lua. Viagem tranqüila, recheada de episódios interessantes, como, por exemplo, uma tenaz luta de corpo-a-corpo – ainda hoje não sei quem ganhou o “combate”...

No sábado, recordo, tinha uma reportagem marcada para as 16 horas, em Almada. Levantei cedo porque, nessa sexta-feira, de manhã, tinha deixado uns óculos para arranjar num oculista nas Portas de Santo Antão, bem pertinho da sede do Sport Lisboa e Benfica. Quando desci à rua, deparei com uma enorme azáfama, bombeiros por todo o lado, pessoas tirando água das suas casas e lojas comerciais, enfim, um pandemónio. Interroguei-me: Senhor Deus, o que aconteceu por aqui? Passei pela Avenida da Liberdade e também era o caos. É óbvio que eu estava com uma cara de quem não tinha dormido. Pudera! Viajar numa aeronave daquelas não dava para dormir.

Quando cheguei ao oculista, o funcionário olhou muito para o meu rosto (ainda pensei: será que este tipo é pane... – no Brasil aplica-se o termo de veado -?) e eu passei-lhe o comprovativo da loja para levantar os óculos. Mas, antes, questionei as pessoas que lá se encontravam: o que aconteceu por aqui? O proprietário do estabelecimento respondeu: o senhor não estava em Lisboa? Conheço a sua cara, não é jornalista? Sim sou, estava em Lisboa, mas pelas 20 horas de ontem, sensivelmente, parti a “caminho da Lua”. O homem ficou desconfiado da minha brincadeira, mas sempre foi adiantando que a chuva abundante só começou uma hora depois, isto é, cerca das 21. Voltei a atalhar: então eu tive sorte em ter “partido para a Lua” uma hora mais cedo. O homem era curioso: mas o senhor está com os olhos muito negros, que aconteceu? Tive que ser elegante: sabe amigo, com o bate-bate (descompressão do ar e coisa e tal), fui lançado contra a “parede da aeronave”. Um dos tais acidentes do percurso, que até são saborosos. É por isso, porque estou neste estado, que necessito dos meus óculos.

Na despedida, ainda lancei um sorriso e disse ao jovem que me atendeu: só espero que o meu apartamento não tenha metido água.

Mas que noite de dilúvio foi aquela sem que eu desse por isso. Como é bom, nessas alturas, ter... “uma boa aeronave para ir à Lua”.

NOTA FINAL – Como já não há tabus (penso eu), nada de especial o conteúdo desta matéria, acessível a maiores de 10 anos. Quer dizer, cinematograficamente falando, “um filme para todos”. Com ou sem dilúvio.

------------------------
Oferta do Admin. do Splish Splash para o Carlos Alberto.


1 comentário:

  1. Amigo Carlos Alberto:
    Na foto, com alguns pormenores da Rua de Santo Antão, em vez de colocar a antiga sede do Benfica optei por colocar a foto da casa "Ginja sem Rival" onde eu sou cliente assíduo sempre que vou à capital tratar de assuntos.
    Abraços
    Ah! Espero que goste do vídeo que escolhi. Andei no Youtube à procura de um vídeo na lua mas não encontrei. Por isso, esse foi o melhor que pude arranjar. Que tal?

    ResponderEliminar

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil