Claudio Nucci apresenta novo álbum em show no Teatro Rival Petrobras.


No dia 15,quinta-feira, o cantor e compositor Cláudio Nucci, que participou da primeira formação do Boca Livre, lança o CD “Integridade”, retornando aos álbuns autorais. O trabalho traz dez faixas inéditas compostas por Nucci em parceria com o poeta Felipe Cerquize e retoma a tradição das grandes canções passando por ritmos como o samba e a bossa. Além das novidades, Nucci vai cantar sucessos de carreira, como “Sapato velho”, que marcou toda uma geração.

No palco, ele é acompanhado por Chico Cabral e Rafael Lorga (Percussões); Rômulo Gomes (baixo), Renato Anesi (violão tenor, cavaco, bandolim) e Marcelo Cebukin (sopros).

O cantor, compositor e violonista Claudio Nucci retorna aos álbuns autorais com o lançamento de “Integridade”. Com dez faixas inéditas compostas por Nucci em parceria com o poeta e letrista Felipe Cerquize, o trabalho retoma a tradição das grandes canções passando por ritmos como o samba e a bossa. O álbum é independente e chega às plataformas digitais em 01 de março. O lançamento do CD acontece no dia 15 de março, no Rio de Janeiro, com show no Teatro Rival Petrobras, no centro da cidade.

Na apresentação, não faltarão grandes sucessos da carreira de Nucci,como “Sapato Velho” e “Toada”. Assumindo voz e violão, ele será acompanhado por grandes músicos e nomes de destaque da nova geração: além de Anesi (violão tenor, cavaco, bandolim), a banda do show será formada por Chico Cabral e Rafael Lorga (Percussões); Rômulo Gomes (baixo) e Marcelo Cebukin (sopros).

Primeiro trabalho com composições inéditas de Nucci desde “Casa da Lua Cheia” ( lançado em 1999 e reeditado digitalmente em 2016), o álbum “Integridade” conta com as participações especiais de Antonio Adolfo, Lenine,  Moyseis Marques, Vicente Nucci, Renato Anesi, Zélia Duncan e Roberto Menescal - que também assina a composição melódica da faixa Olhos d’Água.

Cerquize aparece também nos vocais da faixa Integridade. A canção batiza o álbum e traz nos versos “Fatos riscam a integridade / E os sonhos que são de verdade / transformam-se em pesadelos”, segundo Nucci, a inspiração para falar sobre a busca por esse ideal de Integridade mesmo diante da efemeridade e falibilidade humanas.

O álbum segue com o samba-choro “Conselhos” (com participação de Renato Anesi no violão Tenor), o samba lento “Sempre Só” (com a participação de Lenine, e que também evoca uma atmosfera jazzy com o solo de sax barítono de Marcelo Cebukin),”Olhos d&rs quo;Água” (composta pela dupla em parceria com Roberto Menescal, que também assina a guitarra), “Sentimentos” (com interpretação de Vicente Nucci), “Certeza” (com Antonio Adolfo no piano trazendo uma pegada latina), “Desafio” (com participação especial de Renato Anesi no bandolim) , “Descarada” (um samba com molejo bem carioca e participação de Moyseis Marques), “Reencontro” (com as participações de Dri Gonçalves, Vittória Braun e Rafael Lorga nos vocais), e culmina em “Rio de Março”, uma ode ao Rio de Janeiro com participação de Zélia Duncan. Seguindo a vocação das composições positivas de Nucci, a canção traz os inspirados e atuais versos “Assim é nossa cidade / meio livre, meio grade / Entre a mentira e a verdade”, fechando o álbum com o coro “Rio de Janeiro, Rio degenerou /Rio de Janeiro, Rio regenera!”.

Sobre os artistas

Claudio Nucci é compositor, intérprete, violonista e produtor musical. Um dos fundadores do quarteto vocal Boca Livre,em 1978, Nucci iniciou sua carreira solo em 1980. Como compositor, teve suas canções interpretadas por diversos nomes da MPB como Eliane Elias, Emílio Santiago, Nana Caymmi, Roupa Nova e Zizi Possi. Como intérprete convidado, esteve em projetos de artistas como Chico Buarque, Edu Lobo, Guinga, entre outros. Participou do premiado projeto de Sergio Mendes “Brasileiro”, ganhador do Grammy de "Melhor Álbum de World Music" (1993). De volta ao Boca Livre entr e 2001 e 2003, integrou o projeto Mundo, de Rubén Blades, ganhador do Grammy de Best World Music (2003). Com a Banda ZIL, criada em 1988, se prepara para lançar o DVD ao vivo pelos 30 anos do grupo ainda esse ano.

Felipe Cerquize é poeta, compositor e escritor. Lançou os álbuns “Minas Real” (2012, com produção de Nucci) e “Léguas” (1999). É autor da série de livros “Pelos caminhos da Estrada Real”, que traz relatos históricos, turísticos e fotográficos sobre a Estrada Real, circuito que atravessa Minas, São Paulo e Rio. Como melodista e letrista, também assina composições em parceria co m artistas como Ana Terra, Fernando Brant, George Israel, Luhli, Luiz Carlos Sá, M& aacute;rcio Borges, Murilo Antunes, Nilson Chaves, Philippe Baden Powell, Roberto Menescal, Sérgio Ricardo e Tavito.

SERVIÇO:
Artista: Claudio Nucci - Show de lançamento do álbum Integridade - parcerias com Felipe Cerquize
Teatro Rival Petrobras
Da 15 de março, de  2018,  às 19h30
Endereço: Rua Álvaro Alvim, 33 - Cinelândia - Rio de Janeiro
Telefone:  (21) 2240-4469
Ingressos à venda na bilheteria do local e pelo site www.eventim.com.br
Valor: R$ 50 a inteira e R$25 meia-entrada
Classificação: 16 anos
Lotação: 400 lugares
Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplicada e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário