Como ir? Que horas chegar? O que levar? Prepare-se para o Lollapalooza

O Palco Skol, o principal do Lollapalooza Brasil 2017
Renata Nogueira e Mariane Zendron
Do UOL, em São Paulo

A sexta edição do Lollapalooza Brasil 2017 acontece neste sábado (25) e domingo (26) no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Passarão pelos quatro palcos do evento atrações como Metallica, The Strokes, Rancid, The xx, The Weeknd e Duran Duran.

Serão 11 horas ininterruptas de música no primeiro dia e 10 horas, no segundo. Isso tudo ao ar livre, com risco de sol e chuva, e num local que é 18 km distante da Praça da Sé, ponto central da capital paulista.

Para curtir com qualidade os dois dias de festival, não basta comprar o ingresso e curtir. É preciso ter um planejamento mínimo para voltar para casa seco, alimentado e feliz com a sequência de shows.

O UOL visitou o Autódromo de Interlagos nesta quinta-feira (23) e acompanhou parte da montagem do Lolla. Então lá vão as principais dicas:

Abertura dos portões:

11h (shows iniciam 12h05 no sábado e 12h no domingo)

Como chegar e como ir embora:

O Autódromo de Interlagos não é definitivamente o local de mais fácil acesso em São Paulo. No entanto, há opções viáveis para chegar até lá.

TREM - Uma das melhores opções de transporte. Para chegar de trem é só pegar a linha 9 – Esmeralda e desembarcar na estação Autódromo, que fica aberta até 01h no sábado e 00h no domingo. No local, monitores auxiliam os fãs. O portão mais próximo é o 9, e na hora de ir embora, é possível sair pelo portão 9 ou G. Dica de sucesso: Compre os bilhetes da ida e da volta com antecedência. Evite filas.

ÔNIBUS - A SPTrans possui diversas linhas que te levam ao Autódromo de Interlagos. Verifique no site www.sptrans.com.br as opções. Na hora de ir embora, além dos ônibus noturnos, teremos uma linha especial de ônibus com destino ao Terminal Santo Amaro, localizado na Av. Jacinto Júlio (próx. ao portão 09), que funcionará das 21h à 01h no sábado e das 20h à 00h no domingo.

TÁXI OU UBER – Se você vai de táxi ou uber, pode descer próximo aos portões D, M, 7 e 8. Na hora de ir embora, serão montados pontos especiais de táxi nesses portões para facilitar a volta pra casa.

CARRO - A saída é feita pelo portão G, mas somente para quem adquiriu este serviço no site da Tickets For Fun. A venda foi realizada até o dia 22 de março e custou R$ 100. Ou seja, se você não comprou a mordomia, melhor nem tirar o carro da garagem.

LOLLA TRANSFER - É um serviço de traslado de IDA e VOLTA ao festival, com saída no ponto de encontro no Hotel Sheraton WTC com destino ao Autódromo de Interlagos. Tickets também foram vendidos até o dia 22 de março.

O que vestir:

Segundo previsão do Climatempo, o festival deve ocorrer sem exageros de temperatura, nem para o frio e nem para o calor. A semana de sol e tempo seco que São Paulo está vivendo deve manter o gramado e todo o ambiente de Interlagos seco.

Para o sábado, a previsão é de sol o dia todo. Há uma possibilidade de pancadas de chuva no fim da tarde e começo da noite, mas a chance é baixa. Mesmo assim vale levar um casaco amarrado na cintura ou dentro da mochila, já que o ambiente do autódromo é descampado e, mesmo com o calor durante o dia, tem bastante correntes de vento e a tendência é que a temperatura baixe a partir das 17h. 

No domingo, a previsão é de temperaturas elevadas, com a tarde quente e algumas nuvens, mas sem expectativa de chuva. Ou seja, invista no protetor solar, boné e óculos de sol. 

Apesar das chances baixas de chuva, vale ir com o sapato fechado para evitar pisões e também acidentes com formigueiros nas áreas de gramado. Roupas leves sempre combinam com festival, mas não esqueça a blusa de frio para quando o sol se por. E, claro, nada de salto alto. Você terá que andar bastante entre um palco e outro.

Onde e como comer:
Caixas para recarga da pulseira Axe Lolla Cashless. Os guichês aceitarão dinheiro e cartão

Uma das áreas de alimentação do Lollapalooza 2017 conta com mesinhas no estilo piquenique

A Lolla Cashless é a grande novidade desta edição. A tecnologia da pulseira servirá tanto como ingresso de entrada para o festival quanto como moeda a ser usada para consumir comidas e bebidas lá dentro. A conta é mais simples do que nas outras edições que ainda não contavam com a inovação. Um crédito vale R$ 1.

O ideal é seguir as instruções da organização e chegar com a sua pulseira já carregada de créditos, o que é possível fazer com antecedência via internet. Os preços dos alimentos e mercadorias foram divulgados antes no site oficial do evento para ajudar na conta, mas caixas espalhados em todo o evento aceitarão dinheiro e cartões para recarregar o acessório. Caso sobre uma graninha, será possível pegar reembolso.

Caso você não queira gastar além do ingresso, ainda é possível levar frutas cortadas embaladas em saco plástico, industrializados fechados, como pacotes de salgadinho, copos de água fechados e barras de cereal.

Quem estiver a fim de bater um prato quente, o evento traz novamente o Chef’Stage, uma área coberta em que 13 chefes oferecem refeições. Uma costela de porco do chef Henrique Fogaça, por exemplo, sai por R$ 25. Já o hambúrguer vegetariano do chef Adriano José de Souza sai por R$ 24. O pão de mel desmontado da Bike Maria Bombom sai por R$ 6 e o pote de brownie da Misses Brownie sai por R$ 10. 

Além da área, outros 20 foodtrucks estarão espalhados pelo autódromo para atender o público. Uma batata frita do Batatalhão sai por R$ 15. Já o milkshake da My Oh My sai por R$ 15. Dá para comer também um espeto de queijo coalho por R$ 8 nos pontos fixos do evento. 

Pode levar criança?

Neste ano o festival perdeu seu espaço infantil, o Kidspalooza, que tinha brinquedos e atrações voltadas para os pequenos e existia desde a primeira edição aqui, em 2012.

As crianças maiores de 5 anos, no entanto, seguem sendo bem-vindas ao festival. De 5 a 10 anos elas não pagam entrada se quiserem acompanhar os pais ou responsáveis. De 10 a 14 anos pagam o mesmo valor de um adulto e só entram acompanhadas.

Com o sistema Tag a Kid, você pode identificar o seu filho gratuitamente nos portões de acesso ao festival ou na tenda da central de informações, o que facilita a localização caso vocês se separem acidentalmente.
A partir dos 15 anos, os adolescentes já podem curtir o festival por conta própria.

Para curtir (além da música):
Os frequentadores do palco Axe poderão se jogar de uma plataforma de uma altura de 8, 10 ou 14 m

O Lolla perdeu a roda-gigante e ganhou o Kamikaze, brinquedo radical que dá um giro de 360º

Uma mudança que deve ser notada por quem já frequentava o Lolla nos últimos anos é a ausência da roda-gigante. No lugar dela, entra o Kamikaze, um brinquedo mais radical que dá um giro de 360 graus posicionado no alto do palco Onix. 

O espaço patrocinado pela Chevrolet ainda contará com uma área relax com balanços com vista para o palco, além de maquiadores e tatuadores embelezando o público.

No palco Skol, onde se apresentam Metallica no sábado e The Strokes no domingo, a marca preparou uma plataforma com bar e paredes que imitam muros em ruínas onde os frequentadores poderão grafitar as enquanto bebem uma cerveja.

Outra atração radical estará instalada no meio da galera que estiver curtindo os shows do palco Axe. Os frequentadores poderão se jogar de uma plataforma de uma altura de 8, 10 ou 14 metros em um colchão de ar enquanto são fotografados em sequência. "Se Joga" é o nome da brincadeira, restrita a maiores de 18 anos com até 100 kg.

Um Tatoo Truck dentro do Lolla Market vai oferecer tatuagens por preços promocionais de R$ 100 e R$ 200 feitas por artistas de dois estúdios paulistanos. Quem quiser já ir se preparando pode conferir os desenhos que serão oferecidos no Instagram @lollatattoo.

O que não levar:

Fique atento para os itens que devem ficar de fora para não ter que deixar pertences na porta do festival:

• Garrafas, latas, bebidas
• Utensílios de armazenagem
• Embalagens rígidas com tampa
• Capacetes
• Cadeiras ou bancos
• Armas de fogo e armas brancas
• Objetos pontiagudos, cortantes e/ou perfurantes
• Fogos de artifício
• Objetos de vidro
• Câmeras fotográficas ou filmadoras profissionais ou com lente destacável.
• Cartazes feitos com papelão grosso e/ou fixados a madeiras, canudos rígidos, etc.
• Animais - exceto cães guias identificados e acompanhados de portadores de deficiência visual.
• Bastão para tirar foto.
• Substâncias inflamáveis, corrosivas.

In:https://musica.uol.com.br



Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário