Com presença de Secretário da ONU, startup brasileira ligada à biodiversidade é lançada no México



VBIO inicia o funcionamento de sua inovadora plataforma on-line, que permite a interação entre empresas e projetos socioambientais



Armindo Guimarães
Redação Portal Splish Splash
Fotos Divulgação/VBIO 

São Paulo, dezembro de 2016 - Mais de 80 pessoas acompanharam o lançamento oficial da VBIO, realizado nesta segunda-feira (5), em Cancún (México), durante a 13ª edição da Conference of the Parties (COP) - o maior evento global voltado a medidas de apoio à biodiversidade. Estiveram presentes representantes de organizações como L’Oréal, Natura, Reservas Votorantim, Instituto Beraca e Instituto Ecológica, entre outras. A apresentação também foi acompanhada por Rafael de Sá Marques, diretor do Conselho de Gestão do Patrimônio Genético (CGen), além do brasileiro Bráulio Ferreira Dias, Secretário da Convenção Sobre Diversidade Biológica das Nações Unidas.

Francine Leal Franco e Paulo Zanardi Jr., os idealizadores da startup, comandaram uma mesa redonda na qual foi possível esclarecer os principais pontos sobre a iniciativa. O nome VBIO une as palavras “Vitrine” e “Biodiversidade”, evidenciando sua proposta: funcionar como uma plataforma on-line programada para apresentar projetos socioambientais a empresas que precisam se adequar à nova lei sobre o uso de ativos naturais da biodiversidade.

“Além das empresas, a apresentação também contou a presença de alguns dos proponentes de projetos socioambientais, todos já inseridos na plataforma. Não poderíamos começar de maneira melhor, com um debate em alto nível sobre as demandas da biodiversidade no Brasil e no mundo”, declara Francine.

A plataforma já está disponível na internet – pelo site www.vbio.eco.br – com a lista de projetos registrados e tutoriais para as organizações que desejam fazer parte da vitrine. As iniciativas apoiadas contemplam diversas regiões brasileiras, como a Mata do Uru (Paraná), a nascente do Rio Taquarussu (Tocantins), o Vale do Ribeira (São Paulo) e um projeto de desenvolvimento local, na Amazônia, entre outras.

“A VBIO entra em funcionamento com mais de 10 projetos projetos disponíveis, de pequena e grande escala. Notamos um grande interesse da iniciativa privada não apenas pela repartição de benefícios, mas pelo interesse do setor no engajamento da biodiversidade com os negócios, afinal, não faltam trabalhos incríveis no Brasil”, comenta Paulo.

A Lei da Biodiversidade

Com a Lei 13.123/2015, que entrou em vigor no final de novembro de 2015, as companhias que utilizam matérias-primas naturais - originárias de ativos naturais - devem destinar 0,75% da receita a projetos que beneficiem o meio ambiente e as comunidades onde atuam. O governo, como alternativa, também prevê que as empresas repassem 1% dos proventos a um fundo nacional, ainda em fase de construção.

Tanto a iniciativa privada quanto os proponentes de projetos socioambientais terão benefícios com o uso da VBIO. Ao disponibilizar uma extensa rede de contatos, ela auxiliará empresas a reduzir o custo operacional da busca por projetos para realização de suas repartições de benefícios. Já as ONGs e outros empreendimentos de viés social ou ecológico poderão contar com a visibilidade de uma “vitrine” única, que impulsionará a captação de recursos para suas ações.

Francine Leal Franco e Paulo Zanardi coordenam a startup, que ainda conta com uma equipe técnica especializada, responsável por analisar todos os projetos submetidos à vitrine. Os dois sócios, também administradores da consultoria GSS Sustentabilidade e Bioinovação, possuem vasta experiência em processos de repartição de benefícios, com foco especial para o desenvolvimento de comunidades,  proteção da biodiversidade e o combate às mudanças climáticas.

Além do lançamento da VBIO, o evento contemplou a apresentação de um estudo inédito sobre a legislação internacional de acesso a recursos genéticos e repartição de benefícios em comparação com a legislação brasileira, realizado pela GSS Sustentabilidade e Bioinovação em parceria com a Natura e a Confederação Nacional da Indústria - CNI. Nesta oportunidade o Diretor do Conselho Nacional do Patrimônio Genético e do Conhecimento Tradicional Associado – CGen, Rafael de Sá Marques, apresentou as oportunidades que  a nova legislação abre para negócios no Brasil. A plataforma VBIO é uma grande aliada para que as repartições de benefícios sejam exemplo concreto dos objetivos da Convenção sobre Diversidade Biológica.
Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário