Humor Oito motivos para aderir ao método hipopressivo no pós-parto | Portal Splish Splash

Oito motivos para aderir ao método hipopressivo no pós-parto

Exercício hipopressivo exemplo-foto: Luciana Melnik

Conheça os benefícios da técnica de fisioterapia e fitness que ajuda as mamães a ficarem mais saudáveis e em forma depois da gestação

A gravidez é uma fase de grandes mudanças no corpo da mulher, ocorrem alterações hormonais, na postura e, na anatomia, o que mais muda é o abdômen.

Devido a essas transformações corporais, o desejo da maioria das mulheres após o parto é voltar o quanto antes a forma original e ser capaz de se reconhecer diante do espelho.

Para ficar em forma e regularizar outros aspectos fundamentais para a recuperação adequada e completa depois da gestação, as mulheres podem contar com um ótimo aliado, o método hipopressivo.  Um programa que recupera o tônus abdominal e do assoalho pélvico.

A origem do método hipopressivo, criado nos anos 80 pelo fisioterapeuta belga, Marcel Caufriez, foi a recuperação uroginecológica das mulheres após o parto, devido ao fato das técnicas hipopressivas cumprirem todos os objetivos fisioterapêuticos do tratamento global das mulheres após dar à luz. Portanto, o método é um sistema de reabilitação fisioterapêutico que se estendeu posteriormente para o fitness. As técnicas hipopressivas na terapia fisioterapêutica englobam a Ginástica Abdominal Hipopresiva, a Aspiração Diafragmática e Técnicas de Transferência Tensional.

A Ginástica Abdominal Hipopressiva (GAH), tem como objetivo recuperar a postura da mulher, tonificar sua musculatura abdominal e do assoalho pélvico, bem como, proporcionar uma prevenção adequada de possíveis hérnias vaginais (prolapsos) e incontinência urinária.

Já a Aspiração Diafragmática, provoca a elevação das vísceras pélvicas e um aumento rápido e significativo do fluxo venoso e linfático, que tem um efeito muito positivo sobre os sintomas de desconforto perineal que podem ser causados por ptose pélvica, ou dispareunias profundas geradas pela congestão pélvica após o parto.

E, finalmente, as Técnicas de Transferência Tensional permitirão um relaxamento mais específico das estruturas musculares e aponeuróticas hipertensas, após o processo de gravidez e parto, tais como diafragma torácico e músculos da cadeia posterior.

A fisioterapeuta espanhola Laura Núñez Luna, profesora titular do conceito terapêutico Caufriez, esclarece quais são os benefícios das técnicas hipopressivas no período pós-parto:


Exercício hipopressivo exemplo-foto: Luciana Melnik

- Normalizam a postura

Com a gravidez, uma modificação postural progressiva é produzida no corpo da mulher para compensar o aumento de volume abdominal. Essa mudança na posição do centro de gravidade, se mantém na maioria das mães após o nascimento, causando alterações na estática visceral, no tônus da musculatura abdomino-pélvica e o aparecimento de dor lombar ou pélvica. Pesquisa realizada pelo Dr. Marcel Caufriez, constatou que a implementação de um programa de treinamento hipopressivo por 10 semanas com apenas 1 hora por semana, apresenta melhorias posturais significativas como: alongamento vertebral, aumento da flexibilidade da coluna vertebral, bem como um aumento da força dos músculos paravertebrais superficiais.

- Tonificam a faixa abdominal

A musculatura da cintura abdominal sofre uma forte distensão durante a gravidez devido ao crescimento do útero e do bebê. Através dos hipopressivos vamos restaurar o tônus abdominal e, esse aumento do tônus está diretamente relacionado com a redução do perímetro da cintura. Além disso, a reprogramação tônica dos músculos abdominais que conseguimos com a prática dos exercícios hipopressivos, nos ajuda a resolver a diástase funcional do reto do abdômen.

Exercício hipopressivo exemplo-foto: Luciana Melnik

- Tonificar o assoalho pélvico

O aumento significativo na pressão e as alterações hormonais que ocorrem durante a gravidez acarretam em hipotonia de base e / ou carga do assoalho pélvico. A aplicação de um programa de ginástica hipopressiva a longo prazo (seis meses em média) leva a uma tonificação significativa do períneo, aumentando em média 58% do tônus.

- Melhora a vascularização
A maior retenção de líquidos nos tecidos, o aumento do volume sanguíneo e da pressão que exerce o útero sobre os vasos sanguíneos, são os responsáveis pelas doenças mais comuns da gestante: o surgimento de varizes, hemorroidas e edemas nos membros inferiores e na pélvis. Com a prática de técnicas hipopressivas, especialmente a aspiração diafragmática, vai haver uma diminuição da pressão dentro do espaço abdominal manométrico, gerando um aumento rápido no fluxo sanguíneo e o retorno venoso da pélvis e membros inferiores. Assim, melhoramos os sintomas de origem vascular em mulheres após o parto, reduzindo a sensação de desconforto, peso e fadiga.

Exercício hipopressivo exemplo-foto: Luciana Melnik

- Melhorar a gestão da pressão abdominal ao esforço.

Dependendo das características individuais de cada pessoa, tais como o tônus postural do diafragma torácico, o tônus dos músculos abdominais, e até mesmo a resistência das vias aéreas superiores durante a inspiração ou expiração, será maior ou menor a variação de pressão abdominal ao esforço. Os hipopressivos tonificam os músculos abdominais e normalizam as tensões dos músculos respiratórios, como o diafragma torácico, com isso, a longo prazo a mulher fará um melhor controle da pressão abdominal em suas atividades diárias, como por exemplo, ao carregar seu bebê , ao levantar o carrinho, etc., sendo este fato um fator preventivo de hérnias anatômicas, especialmente de hérnias vaginais muito frequentes após o parto.

- Prevenir a incontinência urinária de esforço (I.U.E.)
Todas as lesões musculares, nervosas e conjuntivas que ocorrem após o parto no nível perineal são responsáveis pelo aparecimento de problemas funcionais e orgânicos como incontinência urinária de esforço.

Estudos mostram que 23% das pacientes apresentam sintomas de IUE após o parto.

Na maioria das mulheres esses sintomas tendem a aparecer mais a longo prazo devido a soma das lesões obstétricas com outros fatores de risco como: ganho de peso, envelhecimento, outra gravidez, etc.

Com a prática hipopressiva, podemos ativar os músculos tônicos abdominais e pélvicos e inibir o diafragma torácico, evitando fatores de risco relacionados à incontinência urinária de esforço.

 - Ajuda a mulher a redescobrir seu corpo, sentindo-se melhor consigo mesma

Aumenta a autoconfiança por vários motivos: porque o fato de praticar uma atividade física após o parto ajuda a reduzir o estresse, a ansiedade e outras alterações emocionais. Porque o aumento do tônus da musculatura abdominal e a diminuição da circunferência da cintura que alcançamos com um programa hipopressivo, apresenta mudanças físicas positivas nas mulheres, o que contribui para que se reencontrem com seu corpo pós-gravidez. E por último, porque as melhorias posturais determinam em grande parte a nossa aparência; tornando-a mais magra e mais alta.


- Melhorar a vida sexual após o parto

Perda do desejo sexual, dor durante os relacionamentos, diminuição do prazer e a dificuldade em atingir o orgasmo, são algumas das queixas mais frequentes no período após o parto. Inúmeras causas justificam estes sintomas: fadiga, baixa autoestima da mãe devido a alterações físicas experimentadas por seu corpo, alterações hormonais, possíveis cicatrizes do canal de nascimento, secura vaginal, abertura vaginal vulvar após o parto, etc. O método hipopressivo, diminui as queixas sexuais, pois aumenta o tônus dos músculos perineais, ajuda a restaurar o fechamento vaginal, melhora a vascularização da pelve e ajuda a mãe a ficar melhor com seu corpo e consigo mesma.

Apesar de todas as razões para incluir as técnicas hipopressivas no tratamento terapêutico ou no programa de fitness após o parto, Claudia Dutkiewcz, lembra que é importante ter sempre em mente que os exercícios são complexos e exigem o controle por um profissional treinado no método hipopressivo Marcel Caufriez, pois o sucesso das técnicas está ligado à correta execução das posturas.

Pensando em capacitar cada vez mais profissionais no método, a fisioterapeuta formada em Master Expert Hipopressiva, Cláudia Dutkiewcz, representante oficial de Marcel Caufriez no Brasil, já tem programado para agosto a vinda do Caufriez para o Brasil para ministrar cursos.

Sobre Marcel Caufriez

Marcel Caufriez é um fisioterapeuta belga reconhecido mundialmente por ser um dos fundadores da Reeducação Uroginecológica na Bélgica e no Canadá.

Doutor em Ciências da Motricidade e Readaptação pela Universidade Livre de Bruxelas.

Criou o Conceito Terapêutico Marcel Caufriez que representa um modelo de abordagem terapêutica das disfunções somáticas, neurovegetativas e emocionais, em particular nas mulheres. Conceito que engloba diversos métodos de sua autoria como: Neuromiostática Visceral, Fisiosexologia, Periparto e Método Hipopressivo.

Condecorado com vários prêmios por seu trabalho de pesquisa e ensino, Marcel está envolvido com a Fisioterapia Uroginecológica e a educação para profissionais de saúde e esportes há mais de 45 anos.
Acesse: www.caufriezconcept.com
Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplicada e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário