Mundial de Clubes - Sexto título para o Real Madrid



Como era de esperar, Grémio de Porto Alegre (Vencedor da Libertadores) e Real Madrid (Vencedor da Liga dos Campeões) ficaram apurados para a final do Campeonato Mundial de Clubes, depois de ultrapassarem os respectivos adversários nas meias-finais e ambos com resultado tangencial, 1-0 e 2-1, respectivamente. De resto, a final que se perspectivava, muito embora o Grémio tenha ido para a prorrogação, ao invés do Real Madrid que, no entanto, apontou o golo da vitória bem perto do final da partida, mau grado o facto dos “merengues” terem levado quatro bolas ao ferro da baliza do Al Jazira, beneficiarem de 26 escanteios e, também, uma grande diferença em termos de posse de bola. Mas o futebol é fértil em surpresas e o Al Jazira, apesar de inferior e dominado em todo o jogo, chegou ao intervalo a vencer por 1-0 para gáudio dos seus prosélitos que acreditavam num maior cometimento. Porém, o Al Jazira ficou pela metade desse mesmo cometimento.

O JOGO REAL MADRID – GRÉMIO -  O Grémio entrou no jogo com tranquilidade e com o condão de fazer pressão em termos de marcações, sobretudo na chamada zona nevrálgica, um dos pontos fortes dos madrilistas. Aliás, o meio-campo do Real Madrid uma máquina de produzir um futebol de qualidade. De resto, a serenidade do Grémio foi, por outro lado, um importante trunfo da formação de Porto Alegre. Mas foi notório que o Real Madrid começava a tomar conta do jogo, empurrando os gremistas para terrenos mais recuados, o que não significou, porém, que não encetasse iniciativas de contra-ataques, evidentemente a espaços, uma vez que o Real Madrid não permitia veleidades e estava sempre, ofensivamente, com os olhos postos na baliza do Grémio que, por sua vez, denotava dificuldades para armar o seu futebol. Quer isto dizer era contínuo o pendor atacante dos madrilistas em buscas do golo. Em suma, dificuldades acrescidas para o Grémio para chegar junto da área de jurisdição da defensiva "merengue", com o goleiro a passar uma tarde tranquila. Só um pequeno susto num livre de longe que, mesmo assim, levava força e passou acima da barra transversal. Edilson foi o protagonista do remate.

O SEGUNDO TEMPO -  O Real reentrou com a mesma disposição atacante e, aos 54 minutos, na transformação de um livre direto Cristiano Ronaldo aplicou uma "bomba" que furou a barreira gremista e, inevitavelmente, o goleiro do Grémio só viu a bola no fundo da rede. Um golo que já se avizinhava desde o primeiro-tempo. O CR7 até agora o melhor marcador do mundial de clubes, para além de outras competições. Sempre ele a procurar o golo. Depois um golo anulado ao CR7 por impedimento do Benzema. Temos dúvidas. E, mais tarde, Modric leva a bola ao poste. A sequência lógica da pressão atacante do Real Madrid, cujo domínio durante os 90 minutos é (foi) inquestionável. O Grémio viu o Real Madrid jogar. Real que conquistou o seu sexto título mundial.


Cristiano Ronaldo autor do golo da vitória do Real Madrid
                                              

Carlos Alberto Alves

Sobre o autor

Carlos Alberto Alves - Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Colabora semanalmente no programa Rádio Face, da Rádio Ratel, dos Açores. Leia Mais sobre o autor...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário