Estúdio Bijari completa 20 anos com exposição retrospectiva que inaugura a nova galeria Anti-Pop


   “Resistência” de 2012 que estará na mostra retrospectiva do Bijari]

“Arquivo Bijari 1997-2017” apresenta desde peças gráficas para lambe-lambe, projeções em larga escala, videomapping, intervenções urbanas, videodança, entre outras obras


São Paulo, novembro de 2017 – No dia 2 de dezembro, sábado, às 12h, a nova galeria Anti-Pop vai receber a exposição “Arquivo Bijari 1997-2017”, que marca o aniversário de 20 anos do coletivo de artistas Bijari. Nesta exposição, que ficará aberta até 3 de fevereiro, o público poderá conhecer trabalhos emblemáticos da produção artística do grupo, além de obras inéditas. Com curadoria dos próprios artistas, a exposição celebra projetos que ajudaram a discutir e a propor reflexões sobre as dinâmicas urbanas. “É consenso entre nós quais são os projetos mais interessantes, as imagens mais fortes e as ações que ainda repercutem. Os trabalhos que ainda ecoam e permitem ser revistos com um frescor, mesmo 15, 20 anos depois, são aqueles que escolhemos mostrar nessa retrospectiva e que nos representam melhor como grupo”, explica Maurício Brandão, um dos seis artistas do Bijari. 


A exposição “Arquivo Bijari 1997-2017” apresenta desde peças gráficas para lambe-lambe, projeções em larga escala, videomapping, intervenções urbanas, videodança, além dos projetos para arquiteturas táticas e trabalhos desenvolvidos ao longo dos últimos anos com outros coletivos artísticos e comunidades urbanas. É o caso dos projetos “Zona de Ação”, cujas intervenções refletem sobre o processo de renovação urbana do Largo da Batata e revisita as primeiras ações do projeto “Realidade Transversa”, que retratava o cotidiano dos trabalhadores urbanos informais e os convidavam para protagonizarem performances em exposições de arte. 


Entre os destaques da retrospectiva está “Galinha”, de 2002, vídeo em que uma galinha é solta em lugares com distintos perfis socioculturais, como o Largo da Batata em São Paulo e o calçadão em frente ao Shopping Center Iguatemi. As reações das pessoas e da galinha são registradas pelo grupo. Este projeto foi reeditado em Cuba para a 8ª Bienal de Havana, em 2003. 


Um dos projetos mais conhecidos do Bijari, o Praças (Im)possíveis, também estará na exposição. O grupo criou bicicletas adaptadas que se transformam em praças articuláveis, cujos espaços temporários de convivência e desaceleração se confrontam com a brutalidade dos territórios viários onde se instalam de forma nômade.


O Estúdio Bijari ainda realizou as intervenções da série “Natureza Urbana” em veículos abandonados nas ruas de São Paulo, transformando-os em jardins, trincheiras verdes que brotam da lataria recortada de carros, caçambas e ônibus inutilizados. Um destes veículos ocupará a fachada da Galeria Anti-Pop. O nome do novo espaço é uma referência à primeira série de intervenções gráficas criadas pelo Bijari, que se expandiu para sets de live-images exibidos em grandes festivais de música eletrônica no começo dos anos 2000. A Galeria Anti-Pop será aberta para veiculação de projetos, conversas e exposições de artes. 

Os 20 anos do Bijari 
Formado por estudantes da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP nos anos 90, o grupo iniciou os trabalhos com foco em design gráfico e cenografia em um espaço na rua Bijari, no Butantã, zona Oeste da capital. De lá para cá foi expandindo sua atuação e hoje desenvolve projetos em motion graphics, cenografia, realidade virtual e produção de vídeos em formatos e escalas não convencionais. O grupo é formado por especialistas em diferentes áreas, entre artistas, arquitetos, designers, planejadores e videomakers e possui uma plataforma comercial consolidada em paralelo ao trabalho autoral, sendo ela, em grande medida, que permite uma independência no modo de pensar e produzir os trabalhos de arte. 


O Biajri conta com trabalhos expostos na Kollective Kreativitat em Kassel-Alemanha, em 2006, La Normalidad/Ex-Argentina no Palais de Glace, Buenos Aires, em 2006, MDE11 em Medellin, Colombia, em 2011 e na Creative Time em Nova York, em 2012. Atualmente o grupo está com a obra “Contando con Nosotros” na LA/LA Pacific Standard Time em Los Angeles até o próximo dia 10 de dezembro. 


O Bijari vem explorando diferentes linguagens visuais e práticas artísticas que se instalam nas frestas entre os espaços institucionalizados da arte e o espaço comum das cidades. Essa opção sublinha a intenção do grupo por (re)afirmar a responsabilidade da atuação do artista num campo expandindo, onde as subjetividades estéticas se mesclam necessariamente ao engajamento social e (micro)político.

Exposição “Arquivo Bijari 1997- 2017” – Galeria Anti-Pop 
Local: Galeria Anti-Pop – Rua Padre João Gonçalves, 81, Pinheiros – (11) 3815-7729
Abertura: 2 de dezembro, sábado, meio-dia
Período expositivo: de 2 de dezembro a 3 de fevereiro de 2018 
Horário: de segunda a sexta-feira, das 11 às 18 horas, e aos sábados das 12 às 19 horas (é necessário tocar o interfone para atendimento). 
Entre os dias 23 de dezembro e 2 de janeiro de 2018 a galeria estará fechada para visitação.
Entrada gratuita 

Sobre o Bijari 
Núcleo de criação em artes visuais e multimídia composto por um time de profissionais como artistas visuais, arquitetos, cenógrafos, designers, planejadores, diretores de vídeo e de arte. Bijari existe desde 1998 e possui um trabalho de pesquisa calcado na convergência entre arte, design e tecnologia, e tem como objeto de interesse as narrativas, poéticas e conflitos que moldam e dão vida à paisagem urbana, seja para a criação conceitual de suas obras públicas ou entregas para o mercado de entretenimento multimídia brasileiro. Mais informações em www.bijari.com.br.
Alda Jesus

Sobre a autora

Alda Jesus - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário