O Trio Pietá lança single 'COM OS PÉS NO FUTURO' dia 26, no Teatro Rival Petrobras

Trio Pietá - Crédito: Alexandre Kubrusly

Depois do sucesso do primeiro CD “Leve o que quiser”, o trio Pietá prepara o segundo trabalho incorporando a guitarra elétrica nos arranjos. No show do dia 26, quinta-feira, às 21h, o grupo vai lançar o single “Com os pés no futuro”, do genial Manduka, compositor e artista plástico de grande relevância no cenário musical brasileiro do final do século 20.


Pietá
Depois do elogiado primeiro disco “Leve o que quiser”, Pietá se prepara para lançar material inédito depois de dois anos. O single escolhido para essa nova fase da banda será da música “Com os pés no futuro”, canção do genial Manduka, compositor e artista plástico de grande relevância no cenário musical brasileiro do final XX, parceiro de Dominguinhos, Geraldo Vandré, Fagner, entre outros, e filho do poeta amazonense Thiago de Mello.

A gravação da faixa aponta os novos caminhos que o Pietá seguirá no próximo disco, previsto para 2018, com a incorporação, pela primeira vez, da guitarra elétrica nos arranjos. O show de lançamento do single, além das já conhecidas canções do primeiro álbum, que teve participação do Chico César, apresentará ainda canções inéditas que estarão no próximo trabalho, entre elas, a primeira parceria de Rafael Lorga e Frederico Demarca, que junto com Juliana Linhares, formam a trinca base da banda. Nesse show, o trio será acompanhado ainda de Marcelo Cebukin nos sopros, Ayran Nicodemo no violinho , Pablo Arruda, no baixo e participação de Elisio Freitas na guitarra.

O DISCO
Indo na direção contrária das experimentações eletrônicas tão exploradas por artistas contemporâneos, “Leve O Que Quiser” – financiado coletivamente por quase 350 fãs do grupo – se destaca pelo apuro estético das harmonias e dos arranjos do trio, trazendo provocações rítmicas e melódicas ao longo de suas dez faixas. Ancorados no canto de Juliana Linhares, cantora e atriz apontada como uma das grandes vozes da nova geração, a banda conjuga a tradição e o popular em dez composições próprias. Frederico Demarca – compositor já gravado por Paula Santoro, Marília Schanuell, Daíra Sabóia – assina seis das nove canções do disco, dentre elas uma faixa oculta ao fim do repertório, a única não interpretada por Juliana. Ora sozinho, ora em parceria com nomes como Marcelo Fedrá, Renato Frazão e Thiago Thiago de Mello, o jovem compositor percorre momentos distintos do cancioneiro popular com a soltura e a força de um estreante. Já Rafael Lorga – violonista e percussionista que já tocou com Danilo Caymmi, Zé Renato, e que integrou a banda de Claudio Nucci – é responsável por outras três composições, todas em parceria com Elvis Marlon e Elisa Ottoni.

As trocas e encontros norteiam o álbum. Chico César gravou voz na faixa que dá nome ao disco, travando delicioso papo com Juliana Linhares. Já Carlos Malta esteve presente em “Justino”, e Claudio Nucci emprestou voz e violão em “Matador”. Além das participações especiais, o disco foi todo gravado com o suporte dos sopros de Joana Queiroz e Marcelo Cebukin, o contrabaixo de Marcelo Muller, o violino de Ayran Nicodemos e as percussões de Renato Paquet. A festa se completa num coro coletivo entre amigos: são de Julia Vargas, Chico Chico, Geraldo Junior, Natasha Llerena, Juliana Sinimbú , Andre Muato, Gabriel Povoas as vozes que finalizam “A Vingança de Cunhã”. A potência do trio ganha ainda frequências e timbres que compõem uma gama sonora particular e complexa. A cozinha é de pandeiros, cajons, congas e contrabaixo.

Clarinetes, saxofones, flautas e pífanos são sopros presentes e intensos ao longo da audição. É possível perceber ainda uma frequente conversa do violão de Frederico Demarca com a rabeca de Beto Lemos e o violino de Ayran Nicodemo. Um trabalho corajoso, de longas introduções e sessões instrumentais e letras que passeiam por temáticas que contam o Brasil, seja pelo viés regional e folclórico, seja pelo político, onde o amor é tratado de forma delicada, ora quase ingênuo, ora amadurecido. Futuro e passado se intercalam como lugares de esperança e de segurança, dialogando com o que musicalmente o disco, por fim, propõe: um olhar para o agora, ancorado na tradição, mas com o futuro nas mãos.

SERVIÇO
Data: 26/10/2017 – Quinta-feira
Local: Teatro Rival Petrobras
Endereço: Rua Álvaro Alvim, 33/37
Horário: 21h
Abertura dos portões: 20h
Ingresso: R$ 40,00
Classificação etária: 18 anos. Menores de 18 anos entram acompanhados dos pais ou responsáveis.
BILHETERIA OFICIAL – SEM COBRANÇA DE TAXA DE CONVENIÊNCIA
Bilheteria do Teatro Rival
Rua Álvaro Alvim, 33/37
Terça a sexta-feira das 13h às 21h
Sábados e Feriados das 16h às 22h
Apenas venda e retirada de ingressos para os eventos do Teatro Rival.

Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário