Erasmo Carlos retorna a Porto Alegre acompanhado de sua guitarra

Tremendão volta a Porto Alegre. (Foto: Gilda Midani)
Erasmo Carlos retorna a Porto Alegre

O Sul


Com mais de cem milhões de discos vendidos, Erasmo Carlos não para. O Tremendão já tem datas confirmadas para voltar ao Rio Grande do Sul neste ano apresentando seus maiores e melhores sucessos. Com realização da Opus Promoções, o músico fará show no Teatro Feevale, em Novo Hamburgo, dia 3 de novembro; e no Teatro do Bourbon Country, em Porto Alegre, no dia 4. Os ingressos já estão à venda. Confira o serviço completo abaixo.

Acompanhado de sua guitarra, o músico subirá ao palco com a banda formada pelo maestro José Lourenço (piano e teclado), Pedro Dias (baixo), Luiz Lopes(guitarra e violão) e Rike Frainer (bateria). Além de estar na estrada com as apresentações, Erasmo ainda segue acompanhando o filme Minha Fama de Mau, prestes a ser lançado, com Chay Suede interpretando o cantor, e acaba de fazer uma participação em Paraíso Perdido, novo longa-metragem da cineasta Monique Gardenberg, em que o artista vive o dono de uma antiga boate.

Erasmo Carlos 

Na Tijuca, Zona Norte do Rio de Janeiro, o garoto Erasmo Esteves cresceu cercado por elementos que tornariam sua identidade musical singular. Já adolescente, fez destacar sua personalidade no meio de um bando de fãs de rock´n´roll e bossa nova que se reunia no hoje famoso Bar Divino, na Rua do Matoso. Tim Maia e Jorge Ben, ambos maníacos por música, faziam parte dessa turma. Logo depois, conheceu o capixaba aspirante a cantor Roberto Carlos, quando concerto de Bill Haley no ginásio do Maracanãzinho. Aquela visão do herói do rock americano em solo brasileiro abriu a mente de Erasmo: de volta ao bairro, formou os Snakes com os dissidentes de outro grupo local, os Sputniks – que encerraram atividades após lendária briga entre dois de seus integrantes, Roberto Carlos e Tim Maia.

O grupo vocal de Erasmo estrelou algumas aventuras no underground do mercado musical, até ser contratado pela gravadora pernambucana Mocambo como “concorrentes” dos Golden Boys.

Sem seu conjunto e sem a perspectiva de gravação como artista solo, Erasmo foi arranjar trabalho como assistente do apresentador e produtor Carlos Imperial – por intermédio de quem viria a tornar-se crooner do grupo Renato & Seus Blue Caps, em 1962.

Ao mesmo tempo, Erasmo – já com o nome artístico Erasmo Carlos – tornou-se versionista para diversos artistas. Isso, somado ao sucesso de suas parcerias com Roberto, o levou no final de 1964 até a gravadora RGE (mais direcionada à MPB e ao samba), para ser o nome do selo no já disputado mercado do iê-iê-iê. O pop-rock brasileiro, que começara com o rock´n´roll dos anos 50 e havia passado pelo twist do início dos anos 60, chegava ao iê-iê-iê naquele 1964 como um reflexo comportamental local à beatlemania.

A Jovem Guarda agrupou as influências do pop britânico e ganhou popularidade definitiva a partir de setembro de 1965 – quando a TV Record estreou o programa Jovem Guarda. Apresentado por Roberto, Erasmo e Wanderléa em São Paulo por três anos seguidos, o programa deu visibilidade para que Erasmo e Roberto se tornassem os principais nomes e também compositores da Jovem Guarda, com talento de sobra para garantir material de qualidade até para os colegas.

No início dos anos 70, a gravadora formou um elenco invejável de MPBistas e lá Erasmo deixaria gravados discos que bem mesclaram suas raízes roqueiras com as tendências da MPB.

Após trabalhar mais esporadicamente durante a década de 90 (quando regravou antigos sucessos, participou de homenagens à Jovem Guarda e de discos-tributos vários), em 2001, completou 60 anos e lançou seu 22º disco, Pra Falar de Amor. O show desse álbum foi lançado depois em CD e DVD: Erasmo Ao Vivo. No final de 2002, os 40 anos de carreira de Erasmo foram comemorados com o lançamento da caixa Mesmo Que Seja Eu – contendo toda a sua discografia no período 1971-1988, recheada de material bônus raro e inédito. No ano seguinte, ao final do 10º Prêmio Multishow de Música, Erasmo foi o grande homenageado da noite – com um prêmio especial pelo conjunto da obra.

Sua discografia teve continuidade em 2004 com Santa Música, só com material inédito e nos coroando em 2007 com Erasmo Carlos Convida II reunindo feras da MPB em torno de sua obra.

Em 2011, lançou o álbum Sexo seguindo a trilogia, com participações nas composições de Arnaldo Antunes, Adriana Calcanhoto, Chico Amaral, Nelson Mota e Frejat nas guitarras. No mesmo ano, foi premiado como melhor compositor pela APCA, indicado como melhor show pelo jornal O Globo, melhor capa nos últimos 25 anos pela Folha de SP, considerado como um dos melhores álbuns de 2011 e “Roupa Suja” entre as melhores músicas pela tradicional revista de música Rolling Stone.

Em 2014, ainda lançou o álbum de inéditas Gigante Gentil, por onde passou em turnê pelo Teatro Feevale, em Novo Hamburgo, e pelo Teatro do Bourbon Country, em Porto Alegre, no mesmo ano. Em 2015, Erasmo recebeu o Prêmio Grammy Latino de Melhor Disco de Rock por esse trabalho. No mesmo ano, lançou o CD e DVD ao vivo Meus Lados B.

SERVIÇO:

Erasmo Carlos
Duração: 90 minutos
Classificação etária: Livre

Novo Hamburgo
Dia 3 de novembro
Sexta-feira, às 21h
Teatro Feevale (ERS-239 – Campus II da Universidade Feevale)

Porto Alegre
Dia 4 de novembro
Sábado, às 21h
Teatro do Bourbon Country (Av. Túlio de Rose, 80 / 2º andar – Shopping Bourbon Country)

In
http://www.osul.com.br/
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário