São João – Eu, Roberto e o outro do carago







Por: Carlos Alberto Alves
jornalistaalves@bol.com.br
Facebook
https://www.facebook.com/carlosalberto.alvessilva.9



Quando estava no exército e as coisas não corriam como queria, dizia “hoje está um dia cão”. Pois, nesta véspera de São João acordei com os “pés de fora”, levantei mal humorado e, como tal, nas horas seguintes, nada mudou. Portanto, eu estava naquele “dia cão”. Foi então que decidi ligar para o Roberto. Do outro lado da linha, a governante respondeu-me que ele estava nos estúdios. Como também tenho esse contato, liguei de novo e o Roberto, ao ter conhecimento de quem se tratava, atendeu com a tão peculiar frase “é bicho o que temos de novo?”. Disse-lhe que hoje era daqueles dias que só uma viagem me faria bem e expliquei-lhe aquela história do “dia cão”. Roberto, também com aquele espírito de humor que se lhe reconhece, mandou esta: “cuidado que eu não quero ser mordido”. Umas gargalhadas e lá fui diretamente ao assunto. Roberto, hoje é véspera de São João, como vai ser a tua noite? Roberto deu uma daquelas pequenas risadas e sempre foi adiantando: “nada de especial, a não ser que apareça algo que me interesse”. Foi aí que eu entrei em ação mais do que direta: o teu avião tem capacidade para chegar a Portugal? Roberto “claro que sim, mas só com pouca gente, mas qual o teu interesse em saber?”. Ora, pois, pois, estava pensando sairmos agora diretamente para o Porto e lá passávamos o São João com aquele teu amigo que sempre te ligava, ou seja, os tais telefonemas misteriosos. Roberto: “estou desiludido com esse tal que vocês chamam do carago, atendendo ao facto que parou de me telefonar. Eu gostava tanto desse gajo, sublinhou”. Sabe, Roberto, ele agora anda muito ocupado com as suas borboletas, já tem uma coleção enorme. Roberto atalhou: “querem ver que foi aquela borboleta que há dias num show caiu e pousou no meu violão? Sabendo que o gajo também é ilusionista, já acredito em tudo em função de tanta nova tecnologia, que também deve ter chegado a esses mágicos”. Roberto fez mais uma pausa e me surpreendeu: “cara vamos mesmo ao Porto ao São João, pois quero dar uma martelada na careca desse gajo do carago. Passo por João Pessoa e te pego. Vai ser uma viagem apertada, mas lá chegaremos a tempo, para mais que o São João do Porto se prolonga pela noite dentro”. Combinado, Roberto. Mas quero te dizer que, nesse gajo do carago, eu vou dar três fortes marteladas na careca. Mas sabe Roberto que é dos carecas que elas gostam mais. Roberto: ora, pois, pois... Eu entendo vocês, portugas”.

                                                              
Carlos Alberto Alves

Sobre o autor

Carlos Alberto Alves - Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Colabora semanalmente no programa Rádio Face, da Rádio Ratel, dos Açores. Leia Mais sobre o autor...

Compartilhar Google Plus
    Comentários

1 comentários :

  1. eheheheh Já nem sei qual é o mais satírico, se o Zé da Pipa, se o CAA, qual deles o melhor, sempre a cortar na casaca. E desta vez com o beneplácito do NMQT. Estão todos fetios, é claro! Uns gajos do carago!!!

    ResponderEliminar