Como as empresas devem escolher benefícios para os colaboradores?



Especialista da ValeCard dá 6 dicas para que o RH tome as decisões corretas

                                                                                                                                 

Alda Jesus
Portal Splish Splash

Um dos fatores que influencia diretamente no desempenho de um colaborador dentro de uma empresa é o benefício ofertado pela empresa. Pesquisas realizadas mostram que, além de manter o colaborador mais feliz e motivado, o que faz com que produza mais, a procura por um novo emprego ou a manutenção do atual dependem bastante das quantidades de benefício.

E como as empresas devem escolher os benefícios para seus colaboradores? Para o Gerente de Produto Benefício da ValeCard, Diego Battistella, alguns fatores devem ser levados em consideração. “O gestor deve partir sempre do princípio da retenção e atração aliado à valorização do colaborador”. Confira 6 dicas preparadas pelo especialista e que devem ser levadas em consideração para a escolha correta dos benefícios:

1. Pesquise a solidez do fornecedor

Essa etapa deve iniciar o processo. Pesquise fornecedores de confiança e que passem credibilidade. Caso contrário, a empresa pode ter problemas e gerar atritos com os colaboradores. “O que seria um benefício vira um problema e uma grande dor de cabeça para o gestor” – afirma Diego.

2. Avalie a rede credenciada

Esse é um outro fator que pode gerar desgaste. Não adianta oferecer um benefício que a rede de estabelecimentos não atende as necessidades dos colaboradores. Uma dica que ajuda é avaliar, por exemplo, se o benefício é aceito em uma rede de varejo que possui muitas filiais na cidade ou também uma rede para consumo local para compras próximo de casa.

3. Negocie as condições comerciais

É importante que o gestor avalie taxas e prazos e negocie com o fornecedor do benefício. Evidentemente, quantos mais colaboradores dentro de uma empresa, maior o poder de negociação para o gestor alcançar preços melhores.

4. Facilidade de comunicação com o fornecedor do benefício

A comunicação entre o fornecedor e o RH deve ser ágil e prática, assim como pelo usuário. Imagine o constrangimento de um colaborador se ele chegar no varejo e tiver algum problema para efetuar o pagamento por conta de alguma falha do fornecedor? Por isso os canais devem estar sempre a disposição. E o usuário deve ter a liberdade de fazer contato diretamente, via um 0800, por exemplo, com o fornecedor.

5. Existência de benefícios agregados para o empregador

E se os empregadores tiverem acesso a palestras e treinamentos que tenham ligação como os cartões selecionados? Além de um treinamento que explique as funcionalidades e melhor uso dos benefícios, é possível organizar ainda, por exemplo, uma palestra interna com um especialista convidado sobre vida saudável e os perigos da automedicação com relação ao cartão farmácia. O conhecimento pode ser compartilhado inclusive posteriormente com outros colaboradores.

6. Avalie benefícios para o usuário do cartão

Oferecer uma rede de descontos e brindes para os colaboradores é uma forma de agregar mais benefícios para eles. Investir em ações desse tipo vai ajudar os colaboradores a fazer melhor uso dos cartões. Imagine que durante, por exemplo, o outubro Rosa, todas as mulheres terão direito a um desconto na compra de medicamentos em uma drogaria credenciada?
Alda Jesus

Sobre a autora

Alda Jesus - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Comentários

1 comentários :

  1. Leiam o artigo. É muito útil. Obrigada por nos ajudar a todos.

    ResponderEliminar