Assista na TV Brasil neste sábado (17) - Leo Jaime, Áurea Martins e Eduardo Escorel

Áurea Martins com o pianista e compositor Cristóvão Bastos 
 
Reencontro musical
Áurea Martins é a atração do programa Cena Musical deste sábado (1
7)


 
Alba Bittencourt
Portal Splish Splash

Cantora se apresenta com o pianista e compositor Cristóvão Bastos no espetáculo "A Voz"

A cantora Áurea Martins é o destaque da segunda edição do programa Cena Musical que a TV Brasil exibe neste sábado (17), às 20h30. A artista apresenta o show "A Voz" gravado este ano no Espaço Cultural BNDES com o pianista e compositor Cristóvão Bastos.



Amigos de longa data, os artistas já dividiram o palco em alguns eventos no passado, mas foi só em 2016 que a dupla concretizou o sonho de promover um espetáculo completo. No show, Áurea Martins e Cristóvão Bastos mostram arranjos do pianista com repertório que inclui "Linda Flor", "Insensatez", "O que é Amar" e "Tempo Feliz" entre outras composições.


A dupla interpreta obras de compositores como Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Johnny Alf, Baden Powell, Wilson Batista, Jacob do Bandolim, Hermínio Bello de Carvalho, Dorival Caymmi, Haroldo Barbosa, Paulinho da Viola e Candeia, além de parcerias de Cristóvão com Paulo César Pinheiro e Chico Buarque.

Essa edição do programa Cena Musical é dirigida por Waldecir de Oliveira.

Sobre a atração musical
O programa Cena Musical volta à programação da TV Brasil em 2017 com grandes performances inéditas gravadas no Espaço Cultural do BNDES. A produção apresenta show de diversos gêneros com personalidades da cena artística. Nas próximas semanas, o Cena Musical mostra shows de atrações como Nicolas Krassik, Leo Gandelman e João Sabiá.

SERVIÇO:
Cena Musical – Áurea Martins – sábado (17), às 20h30, na TV Brasil

BRock: o rock brasileiro da débaca de 80


Leo Jaime canta seu repertório de rock no Todas as Bossas deste sábado (17)
Versátil músico toca sucessos da carreira em show exclusivo no estúdio da emissora

Considerado um dos expoentes do rock brasileiro dos anos 1980, o chamado BRock, Leo Jaime é a atração do programa Todas as Bossas que a TV Brasil apresenta neste sábado (17), às 21h30.

No show exclusivo, gravado no estúdio da emissora, no Rio de Janeiro, o artista resgata sucessos como "A fórmula do amor", "Sônia", "Rock Estrela" e "A vida não presta", canções que ainda hoje tocam no rádio e na cabeça dos fãs.


Com mais de 30 anos de carreira, o versátil artista marca presença nos palcos, na televisão e no cinema em diversas frentes. Radicado no Rio, o goiano Leo Jaime é compositor, cantor, apresentador, ator e jornalista. Intenso, está sempre com um projeto novo e dizendo o que pensa.

Desde o início da sua trajetória artística à frente da banda João Penca e Seus Miquinhos Amestrados, Leo fez da irreverência uma marca registrada. O seu rock é inspirado na New Wave e na Jovem Guarda, traz letras engraçadas, mas, também, românticas, e faz parte da memória afetiva e da trilha sonora de toda uma geração.

Sobre a atração musical

Apresentado pela jornalista e atriz Karina Cardoso, o programa Todas as Bossas é um janela para diversos estilos musicais na TV Brasil. Dirigida por Waldecir de Oliveira, a atração traz a cada nova edição um show que contempla a variedade de cantos, ritmos e sotaques do repertório brasileiro.

A proposta da faixa é exatamente apresentar um panorama sobre a diversidade de gêneros que formam a cena da música no país: da MPB ao axé, do samba ao rock, do romântico ao experimental.

SERVIÇO:
Todas as Bossas – Leo Jaime – sábado (17), às 21h30, na TV Brasil
Todas as Bossas – Leo Jaime – terça (20), às 23h30, na TV Brasil

50 anos de sétima arte

Eduardo Escorel comenta o documentário "Imagens do Estado Novo" na TV Brasil

Diretor bate um papo com Natália Lage sobre passagens de sua carreira e comenta novo filme



A apresentadora Natália Lage entrevista o cineasta Eduardo Escorel no programa Revista do Cinema Brasileiro deste sábado (17), às 23, na TV Brasil. No estúdio da atração, o diretor conta sua trajetória na sétima arte, ainda no início do Cinema Novo como montador, produtor, roteirista, editor e assistente de direção.

Escorel também aborda os trabalhos mais recentes como o filme "Imagens do Estado Novo", documentário sobre o período da ditadura Vargas. O longa, que tem quase quatro horas de duração, foi agraciado com Menção Honrosa no Festival "É Tudo Verdade".


A produção documental apresenta minuciosa pesquisa e rico material iconográfico. A proposta é debater a República, o Estado Novo e os golpes que, ao longo da História, têm ameaçado a democracia brasileira.

Premiado em diversos festivais ao longo dos mais de 50 anos de carreira, o cineasta tem dezenas de produções em sua filmografia. Como editor, por exemplo, fez parte da equipe de clássicos da sétima arte.


Cineasta Eduardo Escorel
 
Nessa função, participou de filmes como "Terra em Transe" (1967) e "O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro" (1969), de Glauber Rocha; "Macunaíma", de Joaquim Pedro de Andrade; "São Bernardo" (1971) e "Eles não usam black-tie", de Leon Hirszman; e "Cabra marcado para morrer", de "Eduardo Coutinho.

Outras matérias do programa

 
A edição inédita do Revista do Cinema Brasileiro visita o set da comédia "Solteira Quase Surtando", de Caco Souza. O filme nasceu de um encontro entre a produtora Meire Fernandes e a atriz e roteirista Mina Nercessian, que pela primeira vez roda um longa no Brasil. A trama conta a história de uma mulher que precisa rapidamente encontrar um marido que queira ter filhos num curto período de tempo que tem para ser mãe.

O programa também traz uma conversa com a produtora Karine Emerich e a diretora Mirela Kruel sobre o filme "Na Minha Sopa Não", todo produzido por mulheres. Com uma temática feminina, o filme apresenta uma narrativa sobre se envolver ou não na briga de um casal.

O Revista ainda bate um papo com o diretor Marcelo Reis e a pesquisadora Patrícia Vieira que falam sobre o sinal de trânsito, como lugar e tempo de encontros na cidade. O diretor Sergio Andrade e a produtora Ana Alice de Moraes comentam o filme "Antes o Tempo Não Acabava", história de um índio da periferia de Manaus enfrentando a vida na cidade grande.

No quadro Memória, Natalia Lage relembra o filme "Yndio do Brasil", do diretor Silvio Back, que faz uma leitura contemporânea das atrocidades vividas pelos índios ao longo da história. O diretor mato-grossense Giovani Barros apresenta o curta "A Vez de Matar A Vez de Morrer", inspirado nos Westerns Americanos, produção que faz uma leitura da vida no Centro-Oeste Brasileiro.

SERVIÇO:
Revista do Cinema Brasileiro – Eduardo Escorel – sábado (17), às 23h, na TV Brasil

Série documental sabatina presidentes de clubes da terceira divisão

Serie C Portuguesa estádio do Caninde
 
Produção da Raccord discute a realidade de sete times que disputaram a competição

Os presidentes de sete equipes que disputaram a terceira divisão do Campeonato Brasileiro são os entrevistados do sexto inédito episódio da produção documental Série C, neste sábado (17), às 12h30, na TV Brasil.
Os dirigentes dos times visitados pela equipe do programa comentam suas expectativas e anseios. Também discutem modelos de gestão que utilizam para administrar os clubes.

A produção ainda conversa sobre os desafios de gerenciar clubes de futebol com outras personalidades do meio esportivo como gestores, jornalistas e torcedores que expõem suas opiniões sobre o tema.


Serie C Salgueiro estádio do clube pernambucano.
 
A produção documental Série C mostra curiosidades sobre a rotina de trabalho de sete equipes do futebol brasileiro: Águia de Marabá (Pará), Juventude (Rio Grande do Sul), Cuiabá (Mato Grosso), Fortaleza (Ceará), Madureira (Rio de Janeiro), Portuguesa (São Paulo) e Salgueiro (Pernambuco).


Sobre a produção
Produzida especialmente para a TV Brasil pela Raccord Produções em 2015, a atração inédita revela curiosidades sobre a rotina de jogadores e torcedores de sete clubes da Série C em sete municípios brasileiros.

Em 13 episódios de 26 minutos, a produção registra a situaçao dos estádios usados pelas equipes, entrevista presidentes e técnicos dos times e aponta uma realidade bem distante do glamour dos clubes que estão na primeira divisão do Campeonato Brasileiro.

Durante três meses, em 2015, o diretor Samir Abujamra e sua equipe acompanharam a dura realidade dos times que disputaram o acesso para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro de Futebol.

Nenhuma dessas equipes retratados em Série C conseguiu sair da terceira divisão em 2015, quando foi gravada a produção. E mais: Águia de Marabá e Madureira foram dois dos times rebaixados para a Série D.

SERVIÇO:
Série C – sábado (17), às 12h30, na TV Brasil
 

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário