Maioria dos agendamentos de consultas online é feita aos finais de semana e por mulheres, segundo levantamento


Além de marcar consultas, aplicativos permitem também acompanhamento de doenças crônicas como diabetes e hipertensão e reduzem custos administrativos

Mulheres são as que mais usam agendamento online: 66% contra 34% dos homens
 
 
Alba Bittencourt
Portal Splish Splash


O sistema de saúde está cada vez mais digitalizado e informatizado. Uma pesquisa feita em 2015 pela Accenture, empresa global de consultoria de gestão e TI, mostrou que 66% dos sistemas de saúde norte-americanos oferecerão autoagendamento digital até o final de 2019.

No Brasil, a tendência é a mesma. Um levantamento feito pelo BoaConsulta – aplicativo que auxilia na busca por profissionais de saúde em sua região e no agendamento online – mostra que quase meio milhão de consultas já foram agendadas na plataforma. A pesquisa mostrou ainda que cerca de 17% das pessoas que marcam uma consulta pelo computador não comparecem à clínica ou ao hospital. Esse número cai para menos de 10% quando as consultas são agendadas pelo celular.

Atendimento personalizado e redução de custos

“Além da facilidade e praticidade de marcar uma consulta sem ter que sair de casa ou ficar em espera pelo telefone, a tecnologia melhora muito a relação médico-paciente porque permite um atendimento cada vez mais personalizado, com atualizações constantes. Para os médicos, os aplicativos de saúde permitem um monitoramento cada vez mais próximo de pessoas com doenças crônicas como diabetes e hipertensão, por exemplo. Já para os pacientes, permite aumentar o engajamento com sua própria saúde porque disponibiliza seu registro eletrônico, informações importantes e anotações de seus médicos”, explica Anis Mitri, cardiologista e CEO do CECAM – rede de clínicas de saúde.

No caso das doenças crônicas, como obesidade, hipertensão, tabagismo, entre outras, o aplicativo é uma espécie de “agenda” para o paciente, no qual ele recebe – no próprio celular – lembretes, de retornos ou exames, e notificações importantes para o controle diário que essas doenças exigem. Esta “ajuda” da tecnologia, além de melhorar a saúde do paciente, também reduz o sinistro do plano de saúde, o que, consequentemente, diminui mensalidades e custos desnecessários.

Agendamento online e comportamento de pacientes

O aplicativo permite também que os pacientes possam dar elogios, sugestões ou críticas com maior facilidade, o que ajuda na melhoria do atendimento. “Sem o aplicativo seria quase impossível saber que 89% dos pacientes consideram o atendimento bom ou ótimo e que 11% consideram ruim ou péssimo. Com este canal de comunicação, temos a possibilidade de saber o motivo da insatisfação e criar planos de melhoria”, ressalta Mitri.

O especialista conta que depois que aderiu à tecnologia em suas clínicas, além de melhorar a qualidade do atendimento, tratamento e acompanhamento da saúde de seus pacientes, também consegue monitorar o comportamento dos usuários do aplicativo da clínica: “Sabemos que a maioria dos agendamentos são feitos aos sábados na hora do almoço, aos domingos à noite e às segundas na parte da manhã. A taxa de cancelamento das consultas agendadas pela internet também é mensurável: 30% dos cancelamentos no CECAM são feitos pelos pacientes, enquanto 12% são feitos pela própria clínica – ou porque o plano dele não cobre a consulta ou porque o agendamento foi feito na especialidade errada”.
Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário