Retrospecto – Roberto Carlos (20)




Por: Carlos Alberto Alves
jornalistaalves@bol.com.br
Facebook
https://www.facebook.com/carlosalberto.alvessilva.9
Um texto de Vera Lúcia Trindade Ferreira
De Mato Grosso do Sul, outra incondicional fã de Roberto Carlos que, inclusivamente, já trouxemos à estampa. Mas, pesquisando no meu arquivo pessoal, encontrei este texto de Vera Lúcia Trindade Ferreira, bastante interessante e revelador do que ela sente pelo rei Roberto Carlos.
“Hoje senti saudades das minhas coisas do Roberto Carlos e então, cheguei bem perto e trouxe de volta todos os meus sonhos de infância; me lembrei de quando não dormia nas noites de sábado para domingo porque tinha, na Rádio Record, um programa que começa à meia noite e se chamava: "O Baile do Eli Correa!”. Tocava tudo de bom e o melhor é que sempre começava com Roberto Carlos. Era muito bom e assim era a minha diversão na adolescência. Não podia sair de casa, nem ir à festas, nem passar das 22 horas na rua. Na verdade, sair de casa, nem pensar. Naquela época funcionava a Vara da Infância e da Juventude. Não havia toda essa evolução e comunicação de hoje. Nunca pensei que um dia eu fosse estar assim, como estou hoje, diante do maior meio de comunicação de todos os tempos: 'A Internet!' Naquela época, quando muito, se escrevia cartas, telegramas ou ia até o posto telefónico, contava o dinheiro e pedia uma ligação de, no máximo, 05 minutos. Mas o melhor é que tudo tinha um sabor diferente. Sentimentos eram reais; amizades sinceras e duradouras; carinho e respeito; saudades ainda se sentia quando se estava longe de alguém que amávamos. Como é bom saber que tudo isso existiu e como me sinto orgulhosa de ter feito parte de tudo isso. Até as canções causavam emoções fortes em nossas vidas e muitas delas ainda toca em meu coração. Quem não tem saudades do que é bom? Quem nunca teve um amor verdadeiro? Quem não tem lembranças e quem não sente saudades de alguém? Eu agradeço a Deus por ter me dado o privilégio de ter tido grandes amigos como você, Eliane Maria, Solange Borges, Rosinha, Sueli e muitas outras de mais de trinta anos. Obrigada por existirem em minha vida. Que Deus abençoe cada um de vocês!”.
Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário