Zambujo com distinção de melhor artista ao vivo no Brasil


Depois de 2016 ter sido o ano de António Zambujo, 2017 começa da melhor forma para o músico bejense pois entra no primeiro mês do ano com terceira platina, obtida com o álbum de homenagem a Chico Buarque “Até Pensei que Fosse Minha” e com a distinção de melhor artista ao vivo no Brasil.

Recorde-se que em 2016, António Zambujo fez 28 concertos nos coliseus de Lisboa e Porto, em parceria com Miguel Araújo, chegou à dupla platina com “Rua da Emenda”, percorreu muitos quilómetros fora do país: passou pela Holanda, Bélgica, França, Espanha, EUA, Brasil, Letónia e Suíça e estreou-se em Inglaterra, em Londres, numa Union Chapel completamente esgotada. Ao todo foram 113 concertos que o músico português deu no espaço de um ano, acabando por se destacar não apenas em Portugal mas no plano internacional. O Jornal "El País" descreveu-o como "Homem de uma voz extraordinária, António Zambujo tornou-se no grande renovador da música portuguesa". Sobre o novo álbum de tributo a Chico Buarque, "Le Monde" salienta "o requinte, a elegante sensualidade e a grande classe" com que o músico português homenageou a lenda da MPB.

Neste mês de janeiro, António Zambujo retoma a digressão internacional, atuando em países como a Alemanha, Japão, Suíça ou o Irão. A apresentação do novo espetáculo "Até Pensei Que Fosse Minha" - álbum que conta com a colaboração do próprio Chico Buarque no tema "Joana Francesa", da cantora Roberta Sá em "Sem Fantasia" e da fadista Carminho no tema "O Meu Amor" -, terá início com dois concertos já esgotados a 1 e 2 de Março, na Gulbenkian, em Lisboa.

          

in-http://www.vozdaplanicie.pt
Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário