Retrospecto - Roberto Carlos (12)




QUARTO A a Z SOBRE O REI ROBERTO CARLOS

 Autor: Carlos Alberto Alves


Por: Carlos Alberto Alves
jornalistaalves@bol.com.br
Facebook
https://www.facebook.com/carlosalberto.alvessilva.9
Este é o quarto A a Z que preparei sobre o Rei Roberto Carlos. Quantos já foram feitos por outros?
A – ASSESSORIA – Nos últimos seis anos muito se escreveu sobre o Rei. Óbvio para quem acompanhou sabe o muito que temos feito em prol e divulgação de Roberto Carlos. E, felizmente, não faltaram gestos de solidariedade para com a minha pessoa, provindas de fãs e de pessoas que têm admiração pelo Roberto.
B – BRINCADEIRAS – Brincadeiras de sexo. Presente a sexóloga Laura Muller. A dado passo, Roberto Carlos fez sua segunda pergunta: se o piercing no clitóris tem a função de ajudar a mulher a chegar ao orgasmo. “Algumas dizem que sim, outras que não. E tudo isso eu vi numa matéria”, brincou de novo. A sexóloga disse que o piercing nas áreas íntimas não é recomendado porque pode causar infecções.
C – O CARA – Não faltou no show o hit mais recente de Roberto Carlos. Empolgante. Essa é, efetivamente, a música sobre o cara que toda a mulher quer. Também, em muitos casos, o cara que todo o homem tenta ser. E já muitos dizem em situações diferentes, “Esse Cara Sou Eu”.
D – DINHEIRO – HELENA ANDRADE – Porque uma pessoa é rica e famosa, não é obrigada a doar dinheiro para o Nordeste, Somália e mais e mais. E o Bolsa Família é programa do Governo para ajudar aos de extrema pobreza.
Concordo que cada qual faz do seu dinheiro o que bem entende.
E - EDUARDO – Eduardo Lages, o “outro lado” de Roberto Carlos é um gentlemen de se lhe tirar o chapéu. Amigo, humilde e compreensível. É sempre uma figura que não passamos ao lado, pelo seu carisma profissional e, também, pelo seu elevado grau de caráter. Um amigo de contar e que merece dos fãs o máximo de carinho. No comando da orquestra ele também é Rei. É, ao cabo, um dos catedráticos músicos deste país.
F – FUNARI – VIVIANI FUNARI - Natal de 2000 – 40 pontos de ibope; Natal de 2013 – 28 pontos de ibope. Realmente, só os fieis acompanham Roberto Carlos. Pela lei natural da vida, a tendência será a baixa acelerada.
G – GOSTAR – Eugénio Cunha com toda a factualidade: Quem não gosta do Roberto Carlos, não gosta de romantismo. E esta, heim!!
H – HISTÓRIA – A história de Roberto será contada em livro a ser publicado brevemente. Sobre esta questiúncula, Roberto Carlos foi peremptório ao afirmar que (sic) “ninguém vai contar minha história melhor do que eu”. Acreditamos que sim. E ele sabe a forma em como contar tudo o que o rodeou ao longo destes seus 72 anos (quase 73) de idade.
I – IGNIZ – Igniz Souza – Gosto de algumas músicas do cara, mas ele com certeza devia ter parado antes daquela aberração de “esse cara sou eu”. Foi a música mais brega que apareceu nos últimos tempos. Porre total.
J – JOSÉ – José Hewlett – Mesmo o Roberto com 100 anos ainda assim ele não iria parar de cantar. Duvido que, nos próximos 200 anos, apareça outro RC. Impossível.
Este José é um homem de grande fé. UM robertocarlístico dos sete costados.
K – KILOGRAMAS – Kilogramas de quê? Não se podia imaginar o que quer que fosse, para mais num cruzeiro desta natureza. Mas kilogramas eram referentes às rosas vermelhas que o Rei distribuiu nos shows englobados no evento. Ao certo não se sabe o número exato de quilos. Estava pesadinho, disso não temos a menor dúvida.
L - LAMBORGHINI – Carros, iates, mulheres, é com o Rei. Roberto Carlos chegou a Santos em Lamborghini e foi recebido entusiasticamente. No cruzeiro, naturalmente, a mesma histeria dos fãs. Para muitos, o sempre apetecido VIVE LE ROI!
M – MARTINS – LÚCIO MARTINS – Este senhor só pensa em ganhar dinheiro dos idosos. Se tiver compromisso social, iria fazer shows gratuitos em cidade do interior da Paraíba.
Resposta de Ângela Maria Todai: As pessoas usam este espaço para destilar seus venenos... Velho (aqui neste país velho é lixo), LAMBE BOTAS DA DITADURA (não sabe o que está falando, porque ele ajudou muita gente que estava exilada, quem conhece a música “Debaixo dos Caracóis” sabe do que estou falando. Neste país, quem é rico tem obrigação de fazer shows no interior da Paraíba, ora, ora, a inveja mata.
N – NEGAÇÃO – Roberto Carlos e seu staff são humanos e também erram. E digo errar sem maldade. Acontece que no Terra e no G1 muita gente comentou isto no que concerne ao Cruzeiro Emoções em Alto Mar. Houve comentários descabelados, uma autêntica negação. Criticar sim, mas com equilíbrio e responsabilidade. Ofender já é muito diferente.
O – ORQUÍDEA RC – Esta será, por ora, a orquídea RC “Sempre falei que sonho em fazer uma canção de amor da melhor forma, da forma mais linda, mais lírica, mais tudo. Às vezes penso que posso já ter feito, mas, se fiz, quero fazer ainda mais. Meu sonho é sempre fazer mais do que já fiz. Estou tentando. E chego lá”.
P – PASSOS – Leonan Passos: Nada contra o RC. Tem umas letras de música dele que são lindas. Mas vou falar que o verdadeiro Rei é Jesus. Aí eu concordo com Rei do pop Michael Jakson. Rei do futebol Pelé, Rei do brega Reginaldo Rossi e Rei do rock Elvis Presley. O RC é Rei de que pelo amor de Deus? Só se for Rei da terceira idade elitizada. Porque minha avó deixou de ser fã depois que se tocou que pobre não tem direito a ir a um show dele. Pronto falei, concluiu Leonan.
Q – QUERELAS - Muitas são as querelas em torno do Rei, mas tudo no bom sentido. E de querelas, aconteceu mais estas no Cruzeiro Emoções em Alto Mar. “Foi na cadeira roxa, uma das cores de que não gosta, que ele permaneceu sentado por quase duas horas. Roberto contou que vem superando outros traumas: voltou a comer carne e acredita que em breve conseguirá cantar “Quero Que Vá Tudo Para o Inferno”, música que marcou sua carreira e que o TOC tirou do repertório. “Acho que logo, logo vou cantar essa canção”, afirmou “Talvez neste ano”.
R – ROSAS – As tão almejadas rosas vermelhas que o Rei arremessa para o público, sempre aglomerado na beira do palco para, claro está, desespero dos seguranças. E há sempre brigas (não violentas, sublinhe-se) por uma rosa que, por vezes, passa de mão em mão. É o agarra-agarra.
S – SILVIO – Silvio Roberto Maciel Freire afirma que só ele pode contar a própria história. E com uma pitada de humor conclui: história com “h” ou estória com “e”? E aí Roberto?
T – TRISTE - Triste eu pelo fato de, nos meus 50 anos de carreira, a completar no dia 10 de março próximo, a Assessoria de Imprensa de Roberto Carlos me ter barrado para a coletiva. Fazia parte do meu projeto de comemorações, mas, infelizmente, foi o que todos já conhecem. Resta a meia-satisfação de ter recebido muitos apoios de solidariedade, ao cabo de todos aqueles que conhecem o meu perfil e quanto eu tenho escrito sobre Roberto Carlos nos últimos quatro anos.
U – UVAS – Será verdade que uma passageira, à hora da refeição, queria uvas para a sobremesa, mas o seu pedido não foi satisfeito. O garçom informou que, de fruta, tinha morangos, logo a passageira respondeu: “prefiro logo à noite receber uma rosa do Rei, é da mesma cor”. E deu mesmo para rir.
V – VANDERLI – Vanderli José Rabelo – Este sim, foi, é, e será o maior compositor que já passou por estas terras, com o auxílio em algumas composições do seu amigo Erasmo Carlos.Não sou obrigado, em relação a outras, ouvir porcaria. Letras de palavrão e de mensagens de marginais. Este Vanderli pegou forte, acrescento.
X – XEXÉO – Atacou diretamente o Rei na sua coluna no jornal GLOBO. Infelizmente, a Assessoria do Rei não se pronunciou. Ficou muda e quieta. Fomos nós por 2-3 vezes que rebatemos as afirmações deste colunista da GLOBO. Não tínhamos que o fazer, mas a consideração pelo Roberto falou mais alto. Depois, levamos o “pagamento” da sua Assessoria de Imprensa ao seremos “barrado” para a coletiva Cruzeiro Emoções em Alto Mar, o que aconteceu pela segunda vez consecutiva.
Y – YESTERDAY – De novo Yesterday. No Cruzeiro Roberto Carlos anunciou um show em Las Vegas. Será que ainda vamos ter Roberto Carlos a cantar Yesterday para os “camones” – e não só -? A ver vamos...
Z – ZARPOU NÃO – Foi mesmo falso alarme. O navio parou porque foi anunciado que um passageiro se tinha lançado à água. Nada disso aconteceu. Ninguém zarpou do navio. Estes falsos alarmes por vezes acontecem. Não deviam, mas...
Carlos Alberto Alves

Sobre o autor

Carlos Alberto Alves - Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Colabora semanalmente no programa Rádio Face, da Rádio Ratel, dos Açores. Leia Mais sobre o autor...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário