O universo do Pequeno Príncipe ganha o palco do teatro do Centro Cultural de Mogi das Cruzes - SP

A peça é musicada com um álbum gravado no Estúdio Municipal de Áudio e Música 
(Foto: Divulgação)
‘O Pequeno Príncipe no Planeta Água’ é atração no Vasques

LUCAS MELONI

O universo do Pequeno Príncipe ganha o palco do teatro do Centro Cultural de Mogi das Cruzes, na região central, a partir das 11 horas deste domingo (29). Na produção “O Pequeno Príncipe no Planeta Água”, o garoto, idealizado pelo escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, vem ao Brasil e enfrenta os problemas sociais comuns a milhões de brasileiros. A peça tem músicas de álbum gravado no Estúdio Municipal de Áudio e Música (Emam) e tem uma função pedagógica. Novas produções estão em fase de criação.

O trabalho é do grupo teatral Tearts Produções e foi baseado no livro conhecido pelo mundo. A diretora do espetáculo, Jamile Bensivenga Miguel, explica que os mogianos poderão conferir uma releitura de um clássico. “A gente traz o Pequeno Príncipe para o Brasil e para todos os problemas comuns aos moradores do País. É uma característica dele o amor, então, a gente mostra de que forma o amor, o respeito e o carinho podem mudar a sua casa, sua cidade, seu Estado e seu País”, disse ao Caderno A.

No decorrer da peça, são cantadas cinco músicas. Elas foram gravadas no Emam porque o grupo venceu um edital para gravação de projetos no ano passado. O álbum acabou de ficar pronto. A encenação é parte do Festival de Verão marca o lançamento oficial da obra.

Em paralelo, o coletivo teatral está em cartaz, por diferentes cidades do Estado, com as peças “A Cigarra e a Formiga” – releitura da fábula do francês Jean de La Fonteine -, “Palhaço Sonhador” e “Brasileirinho”, esta última mostra a história de vida do maestro e compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos.

Além de Mogi, o Tearts tem apresentações programadas de produções próprias em Barueri e São Paulo (teatro da Universidade de Mogi das Cruzes – UMC-, na Lapa / Villa Lobos), em abril, e Guarulhos, em maio.

A diretora explica que a ideia do projeto é pedagógico. “A gente passa as fichas dos espetáculos para a direção dos colégios e para os professores antes das encenações. Desta forma, eles podem avaliar o que é tratado no palco e como conseguem alinhar com o conteúdo previsto para sala de aula”, explicou. Jamile divide com Eduardo Fonseca a direção de “O Pequeno Príncipe”. Solange Gonçalves é a psicóloga, que estabelece as diretrizes educacionais das produções, e a produtora cultural do coletivo.


O Centro Cultural fica na Praça Mosenhor Roque Pinto de Barros, 360, próximo à Catedral de Santana. A entrada é gratuita. É preciso chegar com uma hora de antecedência para garantir ingresso.

Novas produções

Estão no forno duas novas peças do grupo Tearts. O coletivo teatral de Mogi deve trabalhar, ainda neste primeiro semestre, com um espetáculo chamado “O Folclore”, que trata das riquezas folclóricas nacionais, sempre ressaltando as belezas naturais do Brasil e suas relações com as culturas locais. Outro roteiro que está em fase de criação, ainda sem nome definido, vai falar a respeito dos valores e costumes para as crianças e vai tocar num ponto delicado: a gravidez na adolescência. “A peça vai mostrar os riscos disso para as crianças e adolescentes e estimular o diálogo e a prevenção”, concluiu Jamile.

In
odiariodemogi
http://odiariodemogi.com.br/o-pequeno-principe-no-planeta-agua-e-atracao-no-vasques-2/

Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário