'Dois Irmãos', a próxima minissérie da Globo

Zana (Juliana Paes), Yaqub (Lorenzo Rocha) e Omar (Enrico Rocha) em cena de Dois Irmãos. 
Rivalidade entre gêmeos é mote da trama

Obras clássicas na tela dos brasileiros

A partir da estreia da minissérie Dois Irmãos, hoje, na Globo, o Vida & Arte discute as adaptações literárias para a TV e seu impacto junto ao público

 
João Gabriel Tréz

Com níveis de leitura longe do ideal, o Brasil tem a televisão como um meio de estímulo ao consumo ou pelo menos à visibilidade de obras literárias. Fonte de informação e entretenimento, a teledramaturgia apostou, ao longo dos anos, em diversas adaptações de obras literárias. A mais recente é a minissérie Dois Irmãos, baseada na obra do escritor amazonense Milton Hatoum, que estreia hoje à noite, na Globo, depois da novela A Lei do Amor. A obra, que vendeu cerca de 160 mil exemplares, acompanha os conflitos entre irmãos gêmeos e as relações deles com a família.

Poder da TV

Dados de 2016 da pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, do Instituto Pró-Livro, revelam que, apesar do crescimento no número de leitores no País (de 50%, em 2011, para 56% em 2016), a diversidade de leituras não é alta, assim como a média de livros lidos. Enquanto isso, dados também do ano passado do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que quase 98% dos domicílios brasileiros possuem aparelhos televisivos em casa. Neste contexto, iniciativas que interligam as linguagens literária e dramatúrgica são discutidas por especialistas.

Mauro Alencar, doutor em Teledramaturgia Brasileira e Latino-Americana pela Universidade de São Paulo (USP), ressalta que o papel das adaptações mudou ao longo do tempo. “Nas décadas de 1950 e 1960, as adaptações serviam para suprir a falta de mão de obra de escritores especializados na linguagem televisiva e também para atrair o público para o novo veículo, a televisão”, aponta. “Da década de 1970 em diante, eram argamassa para a modernização e industrialização do gênero. É nesse ponto que entram os altos investimentos da Globo ao reinaugurar o horário das seis, em 1975, com adaptações de clássicos como A Moreninha e A Escrava Isaura, após o sucesso de Gabriela às dez da noite”, lembra Mauro.

“Assista a Esse Livro”

A partir do lançamento de Dois Irmãos, a Globo vem trabalhando no projeto “Assista a Esse Livro”, que propõe estimular a leitura no Brasil. A iniciativa envolve, além da produção das adaptações, debates e a disponibilização em formato digital de novas edições de livros já adaptados, nas quais o leitor terá acesso a vídeos com cenas de suas respectivas adaptações. O professor do Departamento de Ciências da Informação da Universidade Federal do Ceará, Márcio Assumpção, apesar de ver o projeto com ressalvas, acredita que o impacto junto ao público é positivo.



“O fato de exibir uma série baseada em literatura não quer dizer que as pessoas estariam lendo a obra. Se funcionasse, as obras de Jorge Amado seriam muito lidas, por exemplo”, pondera. “Considerando o projeto como o que ele é, uma estratégia, a gente tem a possibilidade de alargamento cultural. O importante é que as pessoas convivam com e consumam coisas de qualidade”.

Para Mauro, o impacto positivo vai além, sendo uma via de mão dupla entre a literatura e a televisão. “Isso agrega um rico conteúdo à narrativa televisiva, mostrando um diálogo entre as mídias, o que é muito bom para nós, leitores e telespectadores de uma boa  história”, finaliza.

SAIBA MAIS

Dois Irmãos na TV

Para a TV, a obra de Milton Hatoum ganhou adaptação de Maria Camargo e direção artística de Luiz Fernando Carvalho. Dividida em dez capítulos, a minissérie tem no elenco Cauã Reymond, Eliane Giardini, Antônio Callonmi, Juliana Paes e Antonio Fagundes. A trama narra a relação tumultuada entre os gêmeos Omar e Yaqub, numa família de origem libanesa que vive em Manaus (AM). A minissérie vai ao ar logo após a novela A Lei do Amor .

In 
opovo
------------------
Dois Irmãos: a história de amor de Halim e Zana

 

Dois Irmãos: conheça a história da minissérie  
 
Compartilhar Google Plus
    Comentários

1 comentários :

  1. Pena que não estou no Brasil para ver mas deve ser sensacional. Obrigada querida amiga Alba pela indicação. Letty Maria Impelizieri.

    ResponderEliminar