ÀS QUARTAS - FEIRAS - Da "mágica do computador"





Por: Carlos Alberto Alves
jornalistaalves@bol.com.br
Facebook
https://www.facebook.com/carlosalberto.alvessilva.9
Carlos Eduardo com este comentário registado:
Ano de 1987, cheguei ao escritório da Alameda Santos em São Paulo, grupo ROBERTO CARLOS, por volta das 16 horas, Roberto estava iniciando uma reunião com seu contador a respeito de suas concessionarias de veículos a Horizonte, a Horizonte Caminhões e a Auto Europa. Fazia parte dessa reunião o senhor Reinaldo, contador, tesoureiro de Roberto.  A reunião foi encerrada por volta das 17 h 45. Roberto me chama em sua sala, com sofás brancos, carpete azul Royal, o piano de meia cauda branco e, quando entro, Roberto me abraça e me diz "como vai meu irmão Carlos Eduardo, de Sorocaba. Ali ele pediu gentilmente às suas cozinheiras que nos preparasse um lanche muito saboroso, não podendo faltar suco de laranja, fruta essa preferida de Roberto. Ficamos ali até às 22 horas num bate-papo muito fraterno.
Eu já ia me despedindo para retornar na minha cidade Sorocaba, quando Roberto, gentilmente, disse-me: “bicho você vai jantar comigo". Eu respondi, mas vai ficar tarde par eu retornar a Sorocaba. Roberto prontamente disse, “não voltas hoje, vais para o hotel, vou já mandar reservar-lhe uma suíte”. Nessa época, Roberto se hospedava no Brasilton Hotel. Logo na saída da garagem, Roberto viu um mendigo deitado na calçada, pediu ao motorista, que me entregasse uma quantia razoável em dinheiro e que eu entregasse ao mendigo. Não satisfeito, ao passarmos por uma lanchonete, Roberto pediu que eu descesse do seu Landau (na época ano 81 placas RC 000I)) e que fosse comprar rapidamente um salgado e pão e levasse ao mendigo, o que prontamente atendi. Fomos a um restaurante que lhe era de costume, jantamos na cozinha, pois o restaurante estava cheio e, consequentemente, Roberto não conseguia jantar por volta de uma e meia da madrugada.  Chegamos ao hotel, eu o acompanhei até à suíte presidencial onde ele se hospedava e fui para a minha que ficava ao lado. Por volta das 12 horas acordamos, almoçamos juntos, e Roberto pediu então ao seu motorista que me levasse até Sorocaba em minha residência. Mais uma demonstração de amizade e fraternidade entre Roberto e eu.
Carlos Alberto Alves

Sobre o autor

Carlos Alberto Alves - Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Colabora semanalmente no programa Rádio Face, da Rádio Ratel, dos Açores. Leia Mais sobre o autor...

Compartilhar Google Plus
    Deixe o seu comentário

0 comentários :

Enviar um comentário