ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

7/16/2008

Tripas à moda do Porto, carago!



Por: Armindo Guimarães
Facebook
https://www.facebook.com/armindo.guimaraes



Por causa do famoso libro que nunca escrebi, a trágico-comédia “A bingança da mulher dos tremoços”, aconteceu que num se falou da bingança da mulher, mas sim dos tremoços, após o que uma bisitante do blog sugeriu que falássemos sobre o mais típico prato da cidade do Porto, as “Tripas à moda do Porto”. É o que aqui proponho, porém, com uma breve história sobre as origens de tam afamada receita.

A Antiga, Mui Nobre, Sempre Leal e Inbicta Cidade do Porto, também cognominada de Cidade da Birgem, desempenhou um papel de grande relebo na época dos Descobrimentos. Muitas som as passagens descritas que demonstram a bondade, uniom e determinaçom deste pobo ribeirinho, e é numa dessas demonstrações que surge o cognome de Tripeiros, conhecidos pela sua sui generis pronuncia trocando os v pelos b (bermelho, em vez de vermelho) e os ão pelo om (atençom em vez de atenção), isto já para não falarmos da expressão
“carago” que quase sempre empregam em qualquer diálogo, como por exemplo: “Entom, pá!? Deixa-te de paleio e passa mas é à receita das tripas. Tou lixado, contigo, carago!". Segundo reza a história o nome de Tripeiros probem de 1415, altura em que o pobo ofereceu toda a carne que possuía para alimentar os expedicionários que partiram para a conquista de Ceuta, sob o comando do Infante Dom Henrique.Uma bez feita a oferenda, os que ficaram em terra apenas tiberam as tripas para alimento. Criaram-se assim as "tripas à moda do Porto", apreciadas e conhecidas em toda a parte mas que conseguiram preserbar a tradiçom e um pouco de história de uma naçom.

Resta acrescentar que o autor destas linhas é tripeiro de gema e por isso escrebeu estas linhas tal qual fala, ou seja, à moda do Porto. A malta da Inbicta é do carago!

Ingredientes: para 4 pessoas

- 600g de tripa ou dobrada- 1/2 momzinha de bitela (ou de boi)- 100g de presunto- 1/2 perna de frango- 100g de orelha de porco- 100g de toucinho entremeado- 80g de chouriço de carne- 80g de salpicom- 80g de chouriço de sangue- 4 dl de feijom branco- 1 cenoura- 1/2 dl de azeite- 1 dente de alho- 1 cebola- 1 raminho de cheiros- 1 dl de binho branco- 2 colheres de polpa de tomate- sal e pimenta- cominhos- salsa picada,- piripiri q.b.- 300g de arroz.

Confeçom:

De béspera ponha o feijom de molho, limpe e labe muito bem a dobrada e momzinhas, escalde e coza, temperando com pedacinhos de cenoura, uma cebola pequena com dois crabinhos espetados e alguns grãos de pimenta.

Normalmente a momzinha coze primeiro que a dobrada, retirando-se logo que esteja cozida. No próprio dia põe-se o feijom branco a cozer com a cenoura cortada em pedacinhos.

Coze-se também o frango, a orelha de porco, o presunto e os enchidos (excepto o chouriço de carne), retirando para fora os elementos que forem ficando cozidos. Escolha e corte também em pedacinhos a dobrada e as momzinhas. Faça um refogado com azeite, o alho, e a cebola picados e o raminho de cheiros.

Quando começar a alourar junte o binho branco, a polpa de tomate, o chouriço de carne e o toucinho e um pouco de caldo onde cozeu a dobrada (ou caldo de cozer as carnes) passado por passador. Ferbe lentamente cerca de 45 minutos. Junte a dobrada e as moms, retire o chouriço de carne e o toucinho magro, deixe apurar cerca de 15 minutos acrescentando caldo se for preciso. Junte o feijom adicionando mais um pouco de caldo ou água do feijom, se for necessário. Deixe ferber mais 10 ou 15 minutos, rectifique de sal, pimenta e piripiri (facultatibo), misture uma pitada de cominhos, mexendo com cuidado. Sirba em trabessa ou outro recipiente, espalhando por cima a orelha cortada em tirinhas finas, o presunto e o frango desfiados, rodelas de salpicom e fatias de toucinho. Polbilhe com salsa picada. À parte sirba o arroz de manteiga seco, feito no forno coberto com rodelas de chouriço de sangue e de carne.

Bebida recomendada: binho berde tinto.

Bom apetite, carago!
Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

15 comentários:

  1. Nobre colega Armindo,

    O meu prato preferido é o que tenha bacalhau. Agora a bebida sem dúvida é o vinho tinto.

    Um braço,

    ResponderEliminar
  2. Esssa história dos tripeiros, sempre achei interessante, desde quando o Mindo nos falou do seu conto " A Malta Invícta é do Carago", deixa-nos curiosos a saber mais um pouco desse povo das ribeirinhas, onde o nosso nobre escritor é originário.

    " As Tripas à Moda do Porto ", deve ser mesmo um prato delicioso, pois os pratos que conheço, onde estão presente as vísceras ou o intestino de animais, são pratos deliciossos. Parabéns e obrigada pela receita.

    Aqui no Ceará, temos pratos deliciosos como a tripa de porco torradina feito torresmo com farinha de mandioca, muito gostoso para acompanhar uma cervejinha gelada. Temos outros pratos feito com as tripas e o estômago do carneiro ou bode, a famosa " Buchada ", delicioso prato tipicamente do inerior, mas que hoje já é vendido nos restaurantes da Capital e ainda a panelada de boi ou a dobradinha chamada por alguns, que de tão gostosa, come-se até dize chega!

    Mindo, se quizer, depois envio a receita, para postar no Blog, pra quem interessar. Ó Mindo...gostei de saver, que iremos ter outras receitas que birão por aí, de pratos savorosos de sua cidade ou de seu país.

    Gostei da troca do "b" pelo "v" e vice-versa, deixando a matéria mais interessante e sempre vens tu, com essas de humor, mostrando sempre seu lado cômico, para dar um sabor melhor a tudo quanto escreves.
    Adorei!!!!!

    Muitos beijos de sua amiga de sempre!!!

    Mazé Silva.

    ResponderEliminar
  3. Olá Armindo!

    Gostei da historia dos tripeiros, gostei da receita. Meio parecida com a dobradinha, que eu adoro. Só que aqui em casa ninguém gosta...
    Se quiser comer dobradinha só fora ...
    Não disse que esse blog ia acabar tento um cunho culinário?
    Ótimo:receitas,o bom humor e a inteligência do amigo Armindo, precisa mais?
    Ah! Sim! O contato com os amigos!
    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Padrinho, tu és porreiro pá!!!!!!!
    Que receita genial, minha mãe vai adorar!!!!
    Lembra mnesmo a nossa "dobradinha com feijão branco"uma delicia!!! Mas tem que saber fazer, senão....Rsrsrsrs
    Você é demais mesmo, tá ficando "delicioso"este seu blog, rsrsrs
    Beijos azuisssssss famintos!!!

    ResponderEliminar
  5. Nobre Marley!

    Não és só tu que gostas de bacalhau, pois eu também gosto.

    E tem mais! Um dos pratos favoritos do nosso mais que tudo é o bacalhau com batatas a murro.

    Abração

    ResponderEliminar
  6. Oi, Mazé!

    Como vai você?

    Os portuenses têm a Ribeira e não as ribeirinhas e trocam o v pelo b, só, e não vice-versa.

    Me ande aí suas receitas desses pratos deliciosos de seu Ceará, tá legal?

    Um beijo

    ResponderEliminar
  7. Sãozinha, minha afilhada:

    Gostei de saber que gostaste da receita.

    Beijos azuis e brancos

    ResponderEliminar
  8. Olá, Guta!

    É mesmo como dizes. Este blog está virando uma especialidade em culinária.

    eheheheheh

    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Meu amigo Mindo, desculpa a troca das letrinhas, pois é tão engraçado que até fiquei desatenta a tal detalhe. Ehehehe.

    Obrigada, e concordo quando muitas vezes me diz, que é melhor escrever pouco e dizer muito, do que falar muito e não dizer nada.

    Depois enviarei as receitas do Ceará com todo prazer.

    Beijos da sua amiga que te adora.

    Mazé Silva.

    ResponderEliminar
  10. Armindo,

    Vou evitar vir a seu blog em horas de almoço porque esses pratos que você, por vezes, apresenta aqui dão água na boca e tentações ao estômago

    Blog Música do Brasil
    www.everaldofarias.blogspot.com

    Um forte abraço!

    ResponderEliminar
  11. Por fim chegaram as Tripas à moda do Porto. Já pensava que não vinham mas pelos vistos o dono deste blog é um cozinheiro de alto gabarito.
    A história já a conhecia mas contada com o sotaque do Porto tornou as Tripas ainda mais deliciosas e genuínas.
    E o binno berde tinto também fica aqui a matar.
    Uma vez mais os meus parabéns pelo blog, pelas receitas e agora ficarei à espera das "francezinhas".

    ResponderEliminar
  12. Olá, Everaldo!

    Essa de deixares de vir aqui durante a hora de almoço, está demais!

    eheheheheh

    Abração

    ResponderEliminar
  13. Esmeralda:

    Na verdade, nem por sombras sou um cozinheiro de alto gabarito, pois que cozinhar é coisa que nunca aprendi. Também não sou o que se costuma chamar um bom garfo, pois que como pouco. Digamos que gosto de pouco e bom.

    Quanto às "Francezinhas", vamos ver. Só de falar nelas...

    ResponderEliminar
  14. LILIAN HAHN MARIANO DA ROCHA31 de julho de 2008 às 05:39

    ARMINDO

    ADOREI A RECEITA
    MAS ACHO
    MELHOR
    IR ATÉ AI
    PARA EXPERIMENTAR

    ME AGUARDE

    LILIAN

    SANTA MARIA - RS

    ResponderEliminar
  15. Olá, Lilian!

    Gostei de saber que adoraste a receita do mais conhecido prato tipico da cidade do Porto.
    Um dia que visites a Cidade Invicta, não esqueças que antes ou depois de tão saboroso prato, tens como aperitivo ou digestivo o mundialmente consagrado Vinho do Porto que alegra a alma e faz bem ao coração.

    eheheheheh

    Grande abraço

    ResponderEliminar

MÚSICA LUSÓFONA

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil