CANTANDO ADMONT - ensemble vocal de música antiga e música contemporânea | CCB 30/6




CANTANDO ADMONT

CCB . 30 junho . quinta-feira . 21h00 . Pequeno Auditório


Cantando Admont
Maestrina Cordula Bürgi
Cantores
Friederike Kühl, Anna Piroli, Elina Viluma – Helling, Liz Irvine, Mariko Kageyama,
Helena Sorokina, Suyoung Ham, Sebastian Taschner, Bernd Lambauer, Matias Bocchio,
Marcell Attila Krokovay e Ulfried Staber

Programa
Beat Furrer (n. 1954)
A sei voci, para seis vozes
Olivier Messiaen (1908-1992)
Cinq Réchants, para doze vozes
Intervalo
Miguel Azguime (n. 1960)
Language building, para doze vozes – ESTREIA MUNDIAL
[encomenda da Miso Music Portugal financiada pela
Ernst von Siemens Music Foundation]
Beat Furrer (n. 1954)
Herbst, para doze vozes

Concerto integrado no programa das Festas de Lisboa 2022
Com o apoio do Conselho de Artes Suíço Pro Helvetia.

O extraordinário ensemble vocal austríaco Cantando Admont, especialista de música antiga e de música contemporânea, dispensa certamente apresentações e traz-nos para este concerto no Centro Cultural de Belém um programa construído a partir da incontornável obra de Olivier Messiaen, Cinq Réchants (de 1948 com textos do próprio compositor, entre o francês e uma língua inventada para enaltecer feiticeiros e feiticeiras da cultura mítica europeia: Tristão e Isolda, Ariana, Orfeu, Merlin, etc.), para, justamente, explorar as afinidades eletivas entre o grande mestre francês e os compositores Beat Furrer e Miguel Azguime.

De Beat Furrer, figura proeminente da composição da atualidade, ouviremos duas obras à cappella, Herbst (de 2015 com textos de Lucretius) e A Sei Voci (de 2017 com textos de Claudio Monteverdi provenientes de L’Orfeo e Coro delle Baccanti). Com esta última obra, Furrer liga-se a Messiaen num cruzamento de linguagens míticas e híbridas, onde o semântico e o fonético se confundem, e aqui vamos encontrar a obra de Miguel Azguime, expressamente composta para o ensemble Cantando Admont e que terá neste concerto a sua estreia absoluta. Nesta obra, com textos do próprio compositor, o título Language Building (2020) dá-nos a pista suficiente para podermos acompanhar a exploração que Azguime vem conduzindo há muitos anos nas relações entre música e texto, ou melhor, «texto enquanto música e música enquanto texto», através da escrita de um texto multilingue (em português, francês, inglês e alemão), que, em parte, já é a própria música, e no qual o compositor procurou propriedades fonéticas comuns as estas quatro línguas, a fim de construir frases sobrepostas homófonas mas de significados diferentes.
Jakub Szczypa

O ensemble Cantando Admont foi fundado por cantores dedicados, sob a direção de Cordula Bürgi, conscientes da necessidade de dar um novo impulso à criação contemporânea de música vocal e com o desejo de fazer florescer novamente o rico repertório da música medieval, renascentista e barroca. Com entusiasmo e grande empenho, o ensemble pretende reavivar a riqueza da herança vocal histórica na criação contemporânea.

Os Cantando Admont estão firmemente convencidos de que somente através de um trabalho profundo sobre o repertório do passado pode a criação contemporânea florescer novamente e se libertar dos confins da especialização.

O Cantando Admont está sediado em Graz, onde estabeleceu o objetivo de desenvolver uma nova tradição de concertos com uma série de palestras e concertos a solo.
Tags

Enviar um comentário

0 Comentários
* Gostou do que leu, viu e/ou ouviu? Então, para completar, só falta o seu comentário. Se não gostou, comente também. O autor agradece.

buttons=(OK!) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !