ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

4/16/2019

Sérgio Moro é entrevistado na estreia do programa Impressões nesta terça (16/4) na TV Brasil

Impressões_Sergio_Moro_Credito_Divulgação_TV_Brasil

"Estado precisa retomar controle dos presídios", diz Ministro da Justiça e Segurança Pública

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou que o Estado precisa retomar o controle dos presídios e pôr fim ao domínio das facções nas penitenciárias em entrevista à jornalista Roseann Kennedy na estreia do programa Impressões que vai ao ar nesta terça (16), às 23h, na TV Brasil.

"Isso significa, muitas vezes, ampliar o sistema carcerário, mas também reformar as prisões já existentes. Significa investimentos. Existe um problema de crise fiscal, mas nós temos que tentar resolver", afirmou Moro.

Moro ressaltou que a criminalidade não se resolve da noite para o dia e destacou que o Ministério está agindo em várias frentes. Uma das medidas é a elaboração de um projeto piloto que será implementado em cinco cidades e deve começar no segundo semestre deste ano. O trabalho envolverá a coordenação de esforços da União, estados e municípios. Contará com a atuação da Força Nacional e integrará ação policial e políticas sociais e urbanísticas no enfrentamento ao crime.

"Tem a famosa frase que o melhor policial é um poste de luz. Então você vai numa área degradada e olha, qual é problema ali? Não é simplesmente tirar o criminoso violento da rua. Isso é importante. Mas a gente precisa, também, restaurar áreas que estejam degradadas, pensar em políticas educacionais específicas", pontuou.

O ministro defendeu a política adotada nos presídios federais e sobre a rejeição em algumas unidades da federação para abrigar essas instalações disse que "há um certo temor, muitas vezes irracional", pois o preso está dentro da prisão, está controlado. Ele lembrou, ainda, que "vivemos num país único e é preciso que todos cooperem".

Sérgio Moro disse esperar que o Congresso vote até o fim deste ano o pacote anticrime e admitiu a possibilidade de aprimoramento da matéria durante as discussões. "É natural que dentro do Congresso haja um tempo de deliberação. Haja possibilidade de aprovação total ou rejeição parcial", disse.

Embora defenda que sua atuação no Ministério seja técnica, Moro sabe que agora também precisa fazer articulação política e diz que não há problema nisso. "Não tem nada negativo de ter a necessidade de conversar, de dialogar, de convencer, de ouvir bastante, pra implementação dessas políticas públicas. Isso eu acho algo natural", avaliou o ministro.

Ele revelou estar gostando da proatividade no Executivo e que, por hora, não sente saudades do trabalho de magistrado. "Como juiz a sua postura é muito mais passiva. Você decide as questões que as pessoas colocam perante o juiz. Como ministro eu posso ter iniciativa e coordenar políticas públicas mais abrangentes", explicou.

Impressões_Sergio_Moro_e_Roseann_Kennedy_Credito_Divulgacão_TV_Brasil

Na linha da proatividade, neste mês Sérgio Moro abriu uma conta no Twitter. Em quinze dias, já tem mais de 600 mil seguidores. Ele avaliou que é uma boa forma de ter uma comunicação direta com a população via rede social, sem a necessidade de intermediação da mídia tradicional.

"Veja que a imprensa tem um papel essencial. A imprensa livre é fundamental para uma democracia. Agora isso não impede que sejam adotadas outras formas de comunicação", concluiu.

Mas Sérgio Moro também sabe que as redes sociais, muitas vezes, têm um ambiente belicoso e aconselha: "Tem de tomar um pouco de cuidado. Não pode ter aquele duplo padrão de comportamento, em que você é um fora da rede social e dentro da rede social você se transforma. Tem que pensar assim: você falaria para aquela pessoa isso que você está escrevendo na rede social se estivesse frente a frente?"

Com os memes ele não se incomoda e até sorri das brincadeiras, desde que não sejam de mau gosto. "Aquela pessoa que não consegue rir de si mesmo tem algum problema", analisa.

Impressões_Sergio_Moro_e_Roseann_Kennedy_Credito_Divulgacão_TV_Brasil

Sobre a atração jornalística
Programa de entrevista em que o convidado manifesta seu ponto de vista sobre temas variados e sobre a própria vida, o Impressões é uma conversa franca e com linguagem informal. A jornalista Roseann Kennedy abre espaço para personalidades e autoridades de diversas áreas que têm o que acrescentar ao cotidiano brasileiro.

No ar às terças, às 23h, o programa Impressões tem horário alternativo na programação da TV Brasil aos sábados, às 20h30, e aos domingos, às 23h30.

SERVIÇO:
Impressões – terça-feira, dia 16/4, às 23h, na TV Brasil.
Impressões – sábado, dia 20/4, às 20h30, na TV Brasil.
Impressões – domingo, dia 21/4, às 23h30, na TV Brasil.
Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplicada e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Sem comentários:

Enviar um comentário

GALERIA DA LUSOFONIA

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil