ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

9/11/2013

32.º Bate-papo entre Roberto Carlos e eu – O manifesto






Por: Armindo Guimarães
Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins
Facebook
https://www.facebook.com/armindo.guimaraes



O MANIFESTO



Ninguém diga que está bem!

Imaginem que coloquei um comentário no blogue do maestro Eduardo Lages da parte da manhã e que logo ao início da tarde recebo uma chamada telefónica do Roberto Carlos insurgindo-se contra mim por causa do referido comentário. Não que o Roberto visite frequentemente o blogue do seu maestro e que por isso tenha lido imediatamente a matéria. Eu pensava que fora isso que tinha acontecido, mas não. Foi o próprio maestro Eduardo Lages que se apressou a avisar o Roberto que estando com toda a sua equipa, vai daí e logo me contacta no sentido de eu eliminar tal comentário coisa que eu obviamente não aceitei, assim como não aceitei outras ideias que entretanto foram surgindo para resolver o assunto.

Bom. Na verdade, acabei por aceitar uma ideia, mas isso só foi possível porque entretanto obtive garantias sem as quais o Roberto Carlos estaria tramado e isso nem eu nem ele queríamos.

Nem eu, é uma maneira de dizer, pois toda a gente sabe do que um fã é capaz de fazer para ver o seu ídolo e fazê-lo chegar a outros fãs para quem a sorte nunca sorri.

Eis o relato do bate-papo:

28 de Julho de 2009, Terça-feira, 13,25h
O meu telemóvel toca.
(música E por isso estou aqui do novo CD Inesquecível do maestro Eduardo Lages).
Chamada anónima.
E eu atendo.

ARMINDO – Estou, quem fala?
ROBERTO – Oi, Mindo! Tudo bem com você, cara?
ARMINDO – Olá, Berto! Estava mesmo agora a pensar em ti, pá! Tás porreiro?
ROBERTO – Depois daquele show do Maracanã eu só posso estar bem, né?! Mas me diga o que cê táva pensando de mim, mora!
ARMINDO – Ó pá, estava a pensar na manifestação que eu e toda a malta do blogue do maestro Eduardo Lages vamos fazer na próxima quinta-feira, às dezasseis horas, na Urca, frente à tua casa para…
ROBERTO – Bicho, é precisamente por causa dessa bobagem que eu tô telefonando pra você, viu?!
ARMINDO – O quê? Ainda há pouco coloquei essa notícia no blogue do Lages e tu já a leste? Nós, habituais frequentadores do blogue do Mestre Maestro, costumamos dizer que é a nossa segunda casa, mas pelo que estou a ver também acontece o mesmo contigo. Eheheheheh
ROBERTO – Se deixe de risinho que a coisa não tá dando pra rir, não! Cê sabe que meu tempo não dá pra essas coisas de bloguices e pra mais agora que ando numa roda viva por causa da agenda de meus shows que está sempre se alargando com extras e mais extras. Neste ritmo assim, nem sei onde vou parar, bicho!
ARMINDO – Sabes como é, pá! É o preço da fama, o Roberto Carlos em Ritmo de Aventura. Eheheheheh
ROBERTO – eheheheheh Eu me estou rindo mas cê nem imagina como eu tô aqui danado com você, viu?! Edu me avisou que você botou lá em seu blogue aquela notícia boba da manifestação diante de minha casa. Você escreveu:

“Amigos do blogue do Mestre Maestro:
Depois de consultadas as bases, informo que a MANIFESTAÇÃO pro GUTA NO CAMARIM DE RC e pro RC PORTUGAL 2009, foi marcada para o próximo dia 30 do corrente mês (Quinta-feira), pelas 16,00h, na Urca, frente à casa do NMQT-Nosso Mais Que Tudo.
Os cartazes devem ser alusivos às palavras de ordem acima referidas, além de outras como:

- ROBERTO, AMIGO, A GUTA QUER ESTAR CONTIGO!
- RC PORTUGAL – EM 2009 HÁ MAR E MAR HÁ IR E VOLTAR!

No dia 30 TODOS Á MANIF!
Abraços robertolageanos

P.S.: O manifesto que será entregue ao Roberto por uma fã representante da Comissão de Manifestação, já está elaborado e será publicado na integra, no dia seguinte à manifestação, no blogue Splish Splash que enviará para o local uma equipa de reportagem que cobrirá o evento com fotos e entrevistas a fãs que participarem na manifestação. As fotos e as entrevistas serão também publicadas no Splish Splash.”


ROBERTO – Mindo, cê já viu no que se meteu, cara? Incitando os fãs a se manifestarem reivindicando coisas ridículas?
ARMINDO – Coisas ridículas?
ROBERTO – Sim, cara! Onde já se viu… - se acalme, pôxa! Se não fosse seu blogue nada disto teria acontecido, mora! – Como eu táva dizendo, onde já se viu…
ARMINDO – Ó Berto, estavas a falar pra quem, pá?
ROBERTO – Pra você, né?!
ARMINDO – Pois, mas como de repente mudaste de discurso até pensei que estavas a falar para alguém que estivesse aí a teu lado.
ROBERTO – Que nada, cara! Foi impressão sua. Cê bancou uma de arruaceiro e agora vai ter que resolver o assunto rapidamente antes que os média façam disso notícia bombástica. E você sabe bem que eles gostam é de notícia explosiva, né?! Cê viu que – também você? Aguente aí um pouco que a gente já vai arrumar solução pra isso, mora! – aquela do livro tá dando pano pra mangas e com certeza dará sempre que não tenham mais nada que falar sobre mim e…
ARMINDO – Outra vez? Ó Berto, quem era agora?
ROBERTO – Quem era quem, bicho?
ARMINDO – A pessoa que estavas a falar agora mesmo, carago! Não me digas que agora tens a mania de falar para alguém e ao mesmo tempo para outro alguém imaginário! Eheheheheh
ROBERTO – Cê pensa que eu sou como você que passa sua vida imaginando coisas, cara?
ARMINDO – Com essa é que tu me lixaste! Eheheheheh
ROBERTO – Essa solução tá fora de questão, gente! – Mindo, aquilo que você escreveu lá no blogue do Edu foi a gota de água transbordando no copo e aí…
ARMINDO – Ó Berto, tem paciência mas tens alguém aí a teu lado, pá! Ainda agora ouvi-te dizer “Essa solução tá fora de questão, gente!”, por isso, não me venhas com rodeios e diz quem é que está aí contigo, pá!
ROBERTO – Tô com minha gente em meu estúdio mas todos estão proibidos de falar com você.
ARMINDO – Estão proibidos de falar comigo, porquê, carago? Que mal fiz eu?
ROBERTO – Cê se lembra daquele bate-papo em que eu e toda minha equipa ficamos presos no banheiro por causa de você?
ARMINDO – eheheheheh Por minha causa? Não tenho culpa de vocês se terem metido no banheiro e não poderem sair porque em vez de empurrar estiveram todo o tempo a puxar a porta. E cá para nós, Roberto, deixa que te diga que foi uma boa lição para vocês brasucas que passam a vida a contar anedotas sobre portugas. Eheheheheh
ROBERTO – Tudo por culpa de você que arrumou – hoje não vai dar pra falarem com o Mindo. E não precisam falar em coro, mora! -  toda a confusão nos fazendo cair no ridículo.
ARMINDO – Ó Berto, agora consegui aperceber-me com quem estavas a falar, pá! Era com a Ana Lúcia e a Jurema. Eheheheheh
ROBERTO – Como cê sabe, bicho?
ARMINDO – Só elas é que falam em coro. Eheheheheh
ROBERTO –Boa nota! Eheheheheh
ARMINDO – Estás a dever-me uma! Eheheheheh
ROBERTO – Se deixe de coisinha e me diga qual vai ser a solução pra arrumar essa manifestação, viu?!
ARMINDO – Ó pá, a solução é só uma: a Guta ir no teu camarim no show de São Paulo e tu dares a certeza que vens a Portugal para o ano. Fácil!
ROBERTO – Cê chama isso de fácil? – Carminha deixe ver no que isto vai dar, tá? Cê sabe que portuga é idiota, né? Eheheheheh – Você devia saber que…
ARMINDO – Ó Berto, chamaste-me idiota?
ROBERTO – Não foi você que um dia disse que idiota é aquele que tem ideias? Então aí eu apenas me limitei a empregar expressão sua, né? Eheheheheh Mas como eu táva dizendo, você devia saber que não dá pra abrimos excepção agora e muito menos se essa manifestação ridícula se realizasse.
ARMINDO – Se realizasse, não! Se não chegarmos aqui a um consenso garanto-te que ela vai mesmo realizar-se. Eu não posso trair a Gutinha nem a malta do blogue do Edu.
ROBERTO – Mas não se fica importando de me trair a mim, né?! Culpa tem Edu de ter criado um blogue que só serve pra arrumar estas complicações, mora! Por isso é que eu nunca quis ter meu blogue, viu?! Confusão não é pra mim.
ARMINDO – Ó Berto, não comeces a complicar o simples, pá! Tu é que fazes confusão por tudo e por nada, carago!
ROBERTO – Olhe aí, Mindo! Paulinho tá aqui dando a ideia de você ou Edu irem no blogue e eliminarem o que você escreveu sobre a manifestação. Desse jeito se cortava o mal pela raiz, né?!
ARMINDO – Eliminar o que eu escrevi sem ter garantias tuas? Nem penses!
ROBERTO – Edu também está aqui dizendo que isso nunca ele faria pois até hoje não houve censura em seu blogue. Minha Nossa Senhora! Me metem em cada situação…
ARMINDO – É mesmo como o Edu diz. Além disso, a esta hora já muita malta leu a notícia da manifestação e se a retirássemos do blogue ia dar bronca.
ROBERTO – Mindo, o Ismail deu agora uma ideia bem porreira, digo, bem bacana. Você ir já no blogue do Edu dizendo que tudo o que você escreveu foi numa de brincadeirinha. Que é que cê acha?
ARMINDO – Numa de brincadeirinha?
ROBERTO – Sim, bicho! O Wanderley está até se rindo da ideia do Ismail, pois na verdade essa todo mundo vai engolir fácil. Quem inventa bate-papos comigo que não existem, também inventa manifestações fictícias. Eheheheheh
ARMINDO – Ó Berto, vai-te lixar, pá! Obrigas-me a dizer a toda a gente que os nossos bate-papos são fictícios e ainda por cima gozas comigo, carago?!
ROBERTO – Essa foi mesmo pra pegar com você. Mas agora falando sério, que é que cê acha da ideia do Ismail?
ARMINDO – Má.
ROBERTO – Má? Que tem de mal, bicho?
ARMINDO – Ó pá, toda a gente que me conhece sabe ver quando eu estou a brincar e quando estou a falar a sério e olha que isso da manifestação é um assunto que está a ser levado muito a sério.
ROBERTO – Mindo, você me mete em cada uma, cara!
ARMINDO – Eu tenho sempre as costas largas, carago! Quem te disse que fui eu o autor da ideia?
ROBERTO – Bicho, eu estou lhe falando de acordo com o que me disse o Edu que está aqui a meu lado e não me deixa mentir, viu?! Ou você vai agora dizer que Edu mentiu pra mim dizendo que você é que foi o mentor de toda esta trapalhada?
ARMINDO – Ó Berto, não confundas as coisas, pá! O Edu disse-te que fui eu que coloquei no blogue dele a notícia sobre a manifestação, mas não te disse que fui eu o autor da ideia.
ROBERTO – Se não foi você, quem foi então que se lembrou de semelhante coisa, mora?
ARMINDO – Ó pá, foi a Lilian Rocha.
ROBERTO – Pois diga pra ela que jamais entrará em meu camarim. – Edu, não se meta, cara! Que mania cê tem sempre defendendo seus fãs, mora! – Mindo, pensando bem, é melhor você não dizer nada pra ela. Isso não iria resolver a situação e é para isso que nós estamos aqui falando com você.
ARMINDO – É isso, pá! Tu às vezes enervas-te e dizes coisas sem jeito, pá! E depois eu escrevo isso nos bate-papos e logo a seguir aparece sempre a Guta a dizer que tu nunca falarias assim, pois tu és um gajo do carago, muito calmo, muito simpático, muito isto, muito aquilo. Eheheheheh Mal ela sabe que na prática és como todos nós.
ROBERTO – É isso, Mindo. Não somos perfeitos, ainda! Eheheheheh Olhe aí, Mindo! Agora é Tutuca dando ideia. Tá dizendo que a solução seria você ir no blogue dizendo que essa da manifestação era só pra você ver até que ponto a galera estava a fim de um por todos, todos por um. Digamos que seria um teste seu à malta, digo, à galera do blogue do Edu. Essa aí você não vai dizer que não é uma ideia fixe, digo, legal!
ARMINDO – Ó Berto, eu prefiro nem responder acerca dessa ideia do Tutuca que é muito bom nos teclados mas nas ideias… eheheheheh
ROBERTO – Mindo, agora é o nosso homem das fitinhas que tá sugerindo a gente dizer que eu pro ano vou a Portugal se tudo correr bem e que no show de São Paulo a Guta irá em meu camarim se houver alguma desistência pois o número de visitas já está todo preenchido. Muito boa essa ideia, Mindo! Na volta eu não vou a Portugal por a coisa não correr bem e a Guta não vai em meu camarim por não haver desistências.
ARMINDO – O homem das fitinhas? Quem é o gajo que eu não conheço?
ROBERTO - Só mesmo o Guto como nosso homem que arruma as fitinhas pros visitantes em meu camarim é que iria arrumar uma solução pro nosso problema. Essa aí você vai até aplaudir, mora!
ARMINDO - ????????
ROBERTO – Mindo, você se foi, cara! Ou também não gostou da ideia do Guto?
ARMINDO – Ó Berto, por amor de Deus, pá! Já te disse que qualquer solução tem que passar por a Guta poder dar-te um abraço no teu camarim e tirar foto para a posteridade e tu prometeres vires a Portugal para o ano. Sem isso, nada feito! Vai haver manifestação à porta de tua casa.
ROBERTO – Bicho, você tá sendo intransigente demais, pôxa! Quem me mandou a mim passar bola a um portuga como você, mora! – Edu, você só fala pra defender seu sócio e ideia você não dá, porquê? – Mindo, e você tem alguma ideia para apresentar pra gente?
ARMINDO – Eu não, pá! Tu é que tens que resolver. Ou há Guta no teu camarim dando-te um beijo e um abraço com direito a foto e RC 2009 em Portugal ou há manifestação. Escolhe.
ROBERTO – Mindo, aguente aí um tempinho, viu? Clécio, Darcio, Dedé, Norival, Aristeu, Nahor, Jorge Beto e Walmir estiveram se reunindo pra achar solução e eles estão chegando aí. Vai ver que finalmente tudo vai ficar resolvido, mora!
ARMINDO – Espero que sim!
ROBERTO – Mindo, a ideia deles é você convencer a Guta a desistir de querer ir em meu camarim e quanto ao meu show em Portugal para o ano, eles não acharam nenhuma solução porque dizem que também eles querem ir à Terrinha. Puxa vida! Isto está ficando ruim demais. Ninguém tá dando solução de jeito, mora!
ARMINDO – Ó Berto, parece-me que faltou aí um gajo, pá!
ROBERTO – Como se todo mundo está aqui?
ARMINDO – O cientifico está aí?
ROBERTO – O cientifico? Quem é esse gajo, digo, esse cara que eu nunca ouvi falar?
ARMINDO – O Aurino, pá! Aquele que conseguiu  desvendar o mistério sobre a verdade da mentira naquele nosso bate-papo de 7 de Maio de 2008. Recordas?
ROBERTO – Rapaz, esse cara é o único que não está aqui presente, viu? Ele teve que tratar de uns assuntos particulares, logo agora que estamos precisando dele.
ARMINDO – Porque é que não telefonas pro gajo?
ROBERTO – É isso, aí, Mindo! GENIVALLLLLL! Bicho, por favor me arrume aí o número de celular do Aurino e.. quem está nesse celular querendo falar comigo? Aurino? Puxa vida! Como ele soube que eu queria falar com ele? Mindo, aguenta aí a barra, tá? Tenho Aurino em outro celular.
ARMINDO – Eu espero, pá! És tu que estás a pagar o telefonema e não eu. Eheheheheh
ROBERTO – Aurino, como você soube que eu queria urgentemente falar com você, bicho? Você não sabia e foi só pra dizer que amanhã vai estar doente e que por isso também não vai poder estar presente pro ensaio? Aurino, como cê sabe que amanhã você vai estar doente, cara? Cê agora é bruxo? Cê hoje está se sentido meio esquisito e que por isso tá prevendo que amanhã vai estar pior? Mas o que cê tem cara? Se você estiver precisando de alguma coisa, é só dizer, viu? É alguma coisa ruim? O médico aconselhou você a passar uns dais de férias no Gerês, lá em Portugal onde dizem que é terra milagrosa curando toda maleita vinda do stress e que por isso você tá pensando pro ano tirar sua férias na serra do Gerês? Bicho, acontece que nós estamos todos aqui reunidos precisamente por causa da Terrinha e não só. Imagine que aquele gajo, digo, aquele cara portuga, o Mindo, colocou uma notícia no blogue do Edu, incitando a malta, digo, a galera, a irem numa manifestação na Urca, frente a minha casa, exigindo que uma fã chamada Guta vá no meu camarim no final do show de São Paulo e nós irmos a Portugal pro ano. – Cê não acredita? Nem eu acreditava se não fosse o Edu vir correndo contar pra mim. Mas o que interessa é que agora temos que achar uma solução pro problema. Já tivemos várias hipóteses mas nenhuma serviu e então aí a gente se lembrou de você com seu jeito pra arrumar soluções fáceis pra problemas difíceis. Cê tem alguma ideia ou quer um tempo pra você pensar e mais logo eu volto a lhe telefonar? – Não é preciso? Como assim? Não diga que já tem a solução, mora! O que é que recebe em troca? Puxa vida, Aurino! Cê também tá bancando uma de Portuleiro fazendo chantagem pra mim? Eu não tô acreditando no que me está acontecendo, mora! Aurino, não esquente mais, bicho! Diga qual a solução, tá? Mas não precisa fazer discurso filosófico-cientifico como da outra vez, viu?! Deixe os entretantos e passe logo aos finalmente, tá legal? Depois eu dou um doce pra você, viu?! Quem é amigo?! Eheheheheh Seja pragmático e objectivo em sua ideia, como cê sempre é quando toca seu sax, viu?! A ideia é simples e está na cara? Então me diga logo, carago, digo, caramba! Sim. Pois, não! Ah! Bem pensado! Mas está claro que sim, bicho! Pois, não! Tô entendendo. Pére aí um pouco Aurino. Vou contar pro pessoal sua genial ideia, tá?
ROBERTO – Oi, Mindo, oi gente! Finalmente arrumamos uma solução. Aurino diz que o melhor é o Mindo voltar lá no blogue do Edu comentando que está doente, foi ao médico e vai ter que estar uns dias sem poder sair de casa e aí a manifestação vai ter que ficar adiada pra outro dia. Caramba! Como ninguém pensou nisso antes? O Mindo só tem que completar dizendo que faz questão de ir na manifestação e por isso o melhor será adiar ela pra outro dia. Entretanto, o tempo se vai passando e era uma vez uma manifestação. Eheheheheh Nem tô em mim com a ideia do Aurino!
ARMINDO – Ó Berto, tudo bem. Eu até alinho nessa saída, mas e a Guta, como é? E Portugal pro ano, como é?
ROBERTO – Bicho, quanto ao show em Portugal pro ano, bem que eu e todos nós desejaríamos que sucedesse e queremos acreditar que sim, mas não dá pra prometer o que ainda não tá definitivamente agendado, né?! Agora quanto à Guta, isso aí a gente resolve, mas não dá pra você ir correndo logo pro blogue do Edu dando a boa nova. Isso iria abrir um precedente que temos de evitar, né?!
ARMINDO – Tudo bem, Berto. Negócio fechado. Mas aviso-te que depois da Guta irás ter a Mazé que foi ao show de Fortaleza e ficou fraquinha demais do coração por não ter podido ir no teu camarim. O mesmo aconteceu com a Regina Márcia Leite de São Paulo que vai a todos, incluindo o do Maracanã e sempre fica a chuchar no dedo. E muitas outras e outros que agora nem me lembro.
ROBERTO – Cê sabe como é Mindo. Não é fácil gerir essa situação, mora! E nem sequer sou eu quem faz a selecção das pessoas que vão no meu camarim. Olhe aí, vá agora correndo pro blogue do Edu pra arrumar com o assunto, tá?
ARMINDO – Ó Berto, como posso ir a correr se eu estou doente, pá? Eheheheheh
ROBERTO – eheheheheh Cê é demais, cara!
ARMINDO – Mas olha que estou mesmo doente por pela primeira vez não me teres deixado bater papo com a malta que está aí contigo, pá!
ROBERTO – Fica combinado que na próxima você falará com todo mundo, viu?!
ARMINDO – Tudo bem, mas não te esqueças que o prometido é devido, pá!
ROBERTO – Olhe aí Mindo! Cê vai publicar este nosso bate-papo lá em seu blogue?
ARMINDO – Já sei. É para eu não me esquecer de dizer que tudo é ficção, etc.
ROBERTO – Se enganou, cara! Não era isso que eu ia dizer pra você. Como você falou que o prometido é devido, aí eu me lembrei que você quando publicar nosso bate-papo colocasse no final a música “O prometido é devido” do Rui Veloso.
ARMINDO – Boa ideia, pá!
ROBERTO – Mindo, agora vou me despir, digo, vou me despedir de você lhe mandando aquele abraço meu e de toda a equipe.
ARMINDO – Para ti e para toda a equipa mando também um abraço do tamanho do Atlântico que nos separa e muito nos une.

AVISO:

O texto que acabaram de ler é fictício.
Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência.

A ficção revela verdades que a realidade omite
Jassemin West

Rui Veloso - O prometido é devido
Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

Sem comentários:

Enviar um comentário

HOMENAGEM A ROBERTO LEAL

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil