ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

10/26/2012

Lapso de Tempo




Por: Armindo Guimarães
Facebook



Recordo aquele dia de Junho, ainda o verão dava timidamente os seus primeiros passos, quando de manhã deparei com os dois sempre juntos num vai e vem arrebatador. Para onde um fosse logo o outro o seguia como se de um só se tratasse. Isso foi de manhã, porque ao fim da tarde qualquer coisa aconteceu pois apenas vi o Artur que, quiçá sentido a ausência da Sara, abalou de repente sabe-se lá para onde.

Algo me dizia que o Artur iria encontrar a Sara mas interroguei-me se os voltaria ver.

Ontem, em pleno Outono e a poucos metros do mesmo local voltei a vê-los correndo atrás um do outro com aquele mesmo belo e gracioso bailado que, agora convenço-me, me tinha sido dado de presente quando pela primeira vez nos vimos.

E tal como da primeira vez foram embora sem se despedirem.

Li algures que a expetativa de vida de uma borboleta é de duas semanas a um mês, salvo algumas poucas excepções.

E isso é estranho porque tudo aconteceu quando faltavam dois dias para se completarem quatro meses do nosso primeiro encontro.

Talvez estejamos perante um lapso de tempo e a confirmação de como dois podem apenas ser um - almas gémeas.

Almas Gémeas
27-06-2012

Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

2 comentários:

  1. Sendo assim, Armindo,a Sara e o Artur sempre se juntaram de novo num vôo de beleza e carinho e voltaram rumo ao mais fundo do seu coração! Os olhos da alma podem ver o que os da cara não enxergam, penso que foi o que aconteceu ontem consigo.... de qualquer maneira talvez sejam mesmo almas gémeas porque;
    quando acontece serem almas gêmeas, sempre acabam juntas no final.
    Um abraço... com todas as nuances de um jardim de múltiplas fragrâncias

    Natália Pires (Lita)




    ResponderEliminar

  2. Querido Armindo!

    Já da primeira vez que escreveste contando o encontro que tiveste com a Sara e o Artur, eu achei lindo demais e me emocionei.
    Nunca os esqueci, seguidamente penso neles.
    Olha qual foi a minha alegria ao ver que a Sara e o Artur, com todo o seu encanto, voltaram a te visitar.
    Eles viram que eras uma pessoa especial e vieram para te alegrar com o seu belo e gracioso bailado.
    Sendo eles "Almas Gêmeas", jamais se separarão, pois o Amor que os une é um Amor puro, abrangente, inesgotável e eterno.
    Tenho certeza que voltarão muitas outras vezes.
    Imagino a tua felicidade ao revê-los.
    Obrigada Armindo, pois com a sensibilidade do teu lindo coração, me fizeste viver mais uma vez as emoções do encontro da Sara e do Artur.

    Beijinhos
    Alba Maria



    ResponderEliminar

MÚSICA LUSÓFONA

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil