ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

17 de junho de 2012

Almas Gémeas


Fotos: Armindo Guimarães



Por: Armindo Guimarães
Facebook


Hoje de manhã, no meu jardim, aconteceu um episódio bastante pitoresco que aqui vou contar.

Duas pequenas borboletas voavam uma atrás da outra, ora pousando numa flor, ora numa folha. Notei que se demoravam alguns segundos em cada poiso e cheguei a pensar se também eu não lhes iria servir de poiso.

Peguei na minha máquina fotográfica e registei os idílicos momentos da Sara e do Artur que foram os nomes que me surgiram de repente, talvez porque o meu subconsciente me dissesse que qualquer coisa deve ter um nome para, pelo menos para nós, não ser qualquer coisa.


Ao fim da tarde, quando regressava de um passeio, lembrei-me do simpático casal de borboletas que mais pareciam duas almas gémeas. Dei uma olhada ao jardim e qual não foi o meu espanto quando dou pelo Artur pousado numa flor. Pensei para os meus botões que a Sara estaria por perto. Olhei em redor, nesta e naquela flor, nesta e naquela folha e, depois de alguns minutos em que a Sara não dava sinal de si, eis que o Artur decide abandonar o jardim num rápido e elegante voo.

Deixei o jardim magicando para comigo que tratando-se de duas almas gémeas, que o mesmo é dizer a metade um do outro, qualquer separação será apenas um lapso de tempo e a confirmação de como dois são apenas um.

Eu sei que um dia a Sara e o Artur irão se encontrar e que aqueles suaves e delicados voos visitarão novamente o jardim do meu contentamento.
Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

11 comentários:

  1. Oi maninho!
    Lindo conto real,que nos relatou.
    Seu jardim deve ser lindo e imaculado,para as borboletas pousarem nele.
    Que bom é ter as almas gêmeas da Natureza, para observarmos.
    Parabéns!

    Beijos,
    Carmen Augusta

    ResponderEliminar
  2. Querido Armindo!

    Fiquei emocionada ao ler esse texto, pois poucas pessoas teriam a sensibilidade de parar para observar duas borboletas, ora voando, ora pousando nas flores e folhas de um jardim, tirar fotos e montar daí essa linda história.
    Com certeza a Sara e o Artur visitarão novamente o teu jardim, que deve ser um recanto abençoado e encantador.
    As fotos estão lindas!
    Parabéns Armindo!

    Beijos,
    Alba Maria

    ResponderEliminar
  3. Ola! Gandhi Poeta, Armindo!

    Depois sou eu o Sócrates nesta história!

    É isto mesmo, pois duas almas gêmeas, consideradas espiritualmente, é exatamente isto, qual seja, ambos os Espíritos são complementos um do outro, dado a elevação espiritual que ambos têm e sobretudo, de estarem sempre juntos na caminhada, comungando os mesmos ideais, com a mesma intensidade e, sendo assim, tendo a conquista de ao se separarem, será sim apenas um lapso de tempo, pois o ideal maior será sempre estarem juntos num mesmo ambiente tanto no Plano Espiritual, quanto no Plano Físico.

    "Eu sei que um dia a Sara e o Artur irão se encontrar e que aqueles suaves e delicados voos visitarão novamente o jardim do meu contentamento."

    Meu caro amigo, vc falou coisas que, se pensar bem, nos oferece credibilidade mais ainda, naquilo que comungamos.

    Obrigado pelo seu texto! Nos faz refletir acerca da vida e do nosso comportamento.

    Abraços Filosóficos!

    ResponderEliminar
  4. Olá, maninha!
    Eu nem sei se deva chamar jardim a uma pequena porção de terra, mas... :)
    O que conta é o que se passou.
    Beijinhos.
    :)

    ResponderEliminar
  5. Olá, Albinha!
    As pessoas não são tão poucas como isso. Muitas não terão é palavras para exprimirem o que sentem e isso também me acontece muitas vezes.
    Beijinhos.
    :)

    ResponderEliminar
  6. Olá, Grande Bottary!
    És e continuarás a ser o Sócrates, não desta história mas do Splish Splash.
    A ideia é precisamente reflectirmos acerca da vida e do nosso comportamento que muitas vezes complicamos demais.
    Beijinhos.
    :)
    Embalado com os beijinhos para a minha maninha e para a Albinha, também te mandei a ti. eheheheh

    ResponderEliminar
  7. Armindo
    Como fiquei feliz por visitar esse jardim do seu contentamento! É lindo esse recanto intimo que se permite ser visitado por almas gémeas, que voam direito ao infinito!! É gostoso entrar sem cerimónia nesse recanto que pretende ser só seu e usufruir da côr, paz, e silêncio que o habita!
    Que a Sara e o Artur se possam juntar de novo num vôo de beleza e carinho rumo ao mais fundo do seu coração!

    Beijo muito amigo da Lita (Natália Pires)

    ResponderEliminar
  8. Me emocionei com o comentário deste Anônimo. Você querido Armindo é tudo isto e muito mais, um artista, sensivel, simples e muito amigo e amado. Beijos para você. Letty Maria Impelizieri ou simplesmente letty Azevedo de BH

    ResponderEliminar
  9. Olá Amigo Querido Armindo Lindo seu conto bem expressado por TI E é realmente para pensarmos em Nossas próprias Vidas em observa a natureza como é Linda a Natureza este Casalzinho é Lindo seu jardim Também é Lindo e Você tem um Linda imaginação e Parabéns por Contar a nose Bj no coração

    ResponderEliminar
  10. Assinado Maria
    Aparecida Arf

    ResponderEliminar
  11. Igual á estas borboletas e o amor verdeiro e eterno de almas do nosso amado Rei Roberto Carlos pela sua doce Maria Rita. Um dia estarâo juntos do outro lado da vida. Letty Maria Impelizieri.

    ResponderEliminar

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES
clique na imagem para ver os perfis