Os santos que mandam na chuva

Do Texto:

Alice Inês Silva Merheb

Pesquisa em Ponte Nova


Três são os santos invocados para acalmar as tormentas: Santa Clara, Santa Bárbara e São Jerônimo, crenças herdadas dos portugueses.

Nada na história da vida de São Jerônimo parece ligá-lo à meteorologia. O motivo de sua invocação parece obscuro. Mas a tradição nos veio de Portugal e serviu para sincretizá-lo aos candomblés nagôs a Xangô, o mais poderoso dos orixás, senhor dos raios e dos trovões. Aparece sempre ligado a Santa Bárbara nas fórmulas propiciatórias.

Duas versões de seu martírio permitem ao povo conferir a Santa Bárbara poderes sobre os temporais. A primeira diz que a virgem foi degolada pelo próprio pai, o rei Dioscuro, pela obstinação em permanecer cristã. Tão logo o seu sacrifício, revoltava-se o céu e um raio fulmina de imediato aquele que a matara. Outra lenda fala-nos que Santa Bárbara teria sido obrigada pelo procônsul romano a mostrar-se despida em praça pública. Atendendo às suas preces, o céu corbriu-se de nuvens e o forte nevoeiro permitiu que sua nudez ficasse oculta aos olhos do povo. Câmara Cascudo ressalta entre os dados analógicos (raio, nevoeiro) o nome de seu pai, de expressiva sonoridade: Dio-Scuro. É sincretizada a Iansã, a temível iabá dos ventos e tempestades, esposa de Xangô.

Esta invocação tem poder sobre os relâmpagos:

"São Jerônimo, Santa Bárbara virgem!"

Uma variante nos foi ensinada assim:

"Eles têm muitos significados de vento, mas eu não sei. Agora do relampo eu sei as palavras: 'São Jerônimo, Santa Bárbara vigi!"

E completou: "'Eles que vigiam nós'.

Interessante é que, de pronto, pareceu-nos a mesma fórmula invocatória, até ser acrescentada a explicação adicional. Não se trata do substantivo "virgem", como aparece na primeira invocação. Aqui é o verbo vigia onde houver o deslocamento da sílaba tônica para a anterior (sístole). Observe-se também a forma "relampo", português arcaico e espanhol antigo, informa mestre Antenor Nascentes". (Câmara Cascudo)

E por causa do nome:

"Queimar capim santa bárbara faz parar de chover"

* * *

Santa Clara, na tradição portuguesa, tem poder de trazer bom tempo, por analogia de seu nome com o verbo clarear.

Santa Clara clareou
São Domingos iluminou

Pede-se a ela o fim das tormentas, fazendo-se oferendas. Esta oferenda pode ser um ovo, que se coloca no muro. Em Portugal, dissipam-se os nevoeiros expondo-se ao tempo objetos brancos. Poderíamos também observar a analogia Santa Clara - clara de ovo.

Outros substituem o ovo no muro por sabão que ofertam dizendo:

"Toma, Santa Clara, pra você lavar sua roupa."

Ou joga-se o sabão no telhado rezando:

Santa Clara traz o sol
Pra enxugar nosso lençol

A explicação para essa simpatia talvez esteja na lenda relatada por Hildegardes Viana (Festas se santos e santos festejados. Livraria Progresso) que é o corrente na Bahia:

"Nos meus velhos tempos de menina, ouvia contar que Santana era velhinha decrépita, tão decrépita que molhava os lençõis como qualquer neném. A santa fica enregelada, sem poder se levantar, tiritante, tentando se embiocar nas roupas úmidas. Ficava a pobrezinha mortinha de frio, esperando que Santa Clara chegasse em agosto e o tempo melhorasse. Quando a santa chegava, lhe dava um caldinho quente. Santana ganhava forças nas pernas e dependurava os lençóis ao vento. Então havia mais quentura. E quantos friorentos sofressem de decrepitude ou reumatismo rezavam para maior glória da caluniada mãe de Maria, para que tivesse força de se levantar e enxugar as panaradas molhadas, para que pondo a roupa a secar acabasse com aquele tormento."

Talvez seja por isso que Santa Clara ganhe tanto sabão: quem enxuga roupa deve forçosamente lavá-la também.

Não ouvimos aqui o povo explicar o frio úmido de julho pela velhice da Senhora Santana. Esquecida ou escoteira, da lenda persistiu apenas:

Santa Clara traz o sol
Pra enxugar nosso lençol

Fonte:
Jangada Brasil
Também pode ler:

Enviar um comentário

5 Comentários
* Gostou do que leu, viu e/ou ouviu? Então, para completar, só falta o seu comentário. Se não gostou, comente também. O autor agradece.
  1. Olá Armindo!

    Essa tradição dos santos que mandam na chuva, é muito conhecida no interior, mas não sabia que era herdada dos portugueses!

    No interior em que nasci, Limoeiro do Norte, o santo mais invicado era A Santa Bábara, pois, nos invernos rigorosos, em que aparecia trovões, relâmpagos e ventania, Santa Bárbara era pronunciada com fervor, na fé de que ela iria acalmar os temporais.

    Lembro que minha mãe colocava na porta da frente, um ramo que foi bento na Semana Santa no Domingo de Ramos, pois pela fé do sertenejo esse raminho ajudaria ou impediria que as tempestades viessem a tornar-se brandas e era envocado a expressão: Santa bárbara virgem. Vi muito isso quando menina em minha casa.

    Pelos poderes atribuidos à Santa Bárbara, muitas coisas são alcançadas pelos povos mais antigos seguindo essas tradições.

    Sobre São Jerônimo, não tinha conhecimento que também era evocado para abrandar os efeitos da natureza.

    A Santa Clara, era tão acreditada como uma forma de luz, um guia, que surgiu até canções falando dela.

    Vou deixar a letra da canção interpretada por Jorge Bem, Clara Nunes e não sei se mais alguém canta.

    Santa Clara Clareou

    Jorge Ben Jor

    Oh! Oh! Oh! Oh! Oh!
    Oh! Oh! Oh! Oh! Oh!
    Oh! Oh! Oh! Oh! Oh!
    Oh! Oh! Oh! Oh! Oh!
    -Hora de Santa Clara!

    Santa Clara Clareou
    Oh! Oh!
    E aqui quando chegar
    Vai clariar
    Ah! Ah! Ah!
    Santa Clara Clareou
    Oh! Oh!
    E aqui quando chegar
    Vai clariar
    Ah! Ah! Ah!
    Os meus caminhos
    Os meus caminhos...

    Salve Santa Clara
    Ah! Ah! Ah! Ah!...(2x)

    De manhã bem cedinho
    Com despertar alegre
    Do canto dos passarinhos
    Bonito como Deus gosta...

    O sol nasceu
    Para a vida e o amor
    Enxugando sereno
    Com seus raios solares
    Cheio de esplendor
    Com toda a beleza celestial
    Em homenagem a Santa Clara
    Santa Clara!...

    Santa Clara Clareou
    Oh! Oh!
    E aqui quando chegar
    Vai clariar
    Ah! Ah! Ah!
    Santa Clara Clareou
    Oh! Oh!
    E aqui quando chegar
    Vai clariar
    Ah! Ah! Ah!
    Os meus caminhos
    Os meus caminhos...

    Salve Santa Clara
    Ah! Ah! Ah! Ah!...(2x)

    De manhã bem cedinho
    Com despertar alegre
    Do canto dos passarinhos
    Bonito como Deus gosta...

    O sol nasceu
    Para a vida e o amor
    Enxugando sereno
    Com seus raios solares
    Cheio de esplendor
    Com toda a beleza celestial
    Em homenagem a Santa Clara
    Santa Clara!...

    Santa Clara Clareou
    Oh! Oh!
    E aqui quando chegar
    Vai clariar
    Ah! Ah! Ah!...(3x)

    Santa Clara! Ah! Ah!

    Legal foi esta matéria!

    Beijos!!!!

    Mazé Silva

    ResponderEliminar
  2. Ola! Armindo,

    " Terça-feira, 29 de junho de 2010
    dia de São Pedro e São Paulo

    SÃO PEDRO

    Além de padroeiro das festas juninas, o apóstolo-pescador tem muitas outras "funções": ele é o chaveiro do céu, é considerado o primeiro papa e é o protetor dos pescadores. As pessoas contam muitas histórias com o nome desse santo: se chove, é obra de São Pedro.

    Quando os trovões metem medo nas crianças, as mães as consolam: "é a barriga de São Pedro roncando" ou "São Pedro está mudando os móveis de lugar".

    Algumas pessoas que tem Pedro no nome acendem pequenas fogueiras nas portas de suas casas no dia 29 de junho para pedir a proteção do santo.

    Pedro foi um dos primeiros apóstolos de Cristo. Seu nome de nascimento era Simão, mas Jesus, no primeiro encontro com ele, mudou seu nome para Pedro, que significa pedra, rocha.

    http://quartaseriesj2010.blogspot.com/2010/06/dia-de-sao-pedro-alem-de-padroeiro-das.html

    Prezado e eclético Patrão!

    Muito me honra teclar com vsa. e os amigos(as) acerca de vários assuntos.

    Aliás, este é o propósito deste blog,não é mesmo? Intercambiar conhecimentos gerais e sobretudo, o dia-a-dia do grandioso cantor e Papa do Amor - Roberto Carlos.

    Com suas informações e de nossa amiga Mazé, aprendi mais ainda, mas ressalto que como está dizendo acima, confirma o que minha mãe sempre nos dizia.

    Quanto trovejava ela falava e a gente ficava escutando e imaginando: Ela dizia: "Oh! São Pedro tá bravo lá em cima. Vai chover e muito!"

    A gente olhava o céu e o mesmo carregado de nuvens negras e com muito relâmpagos. Daí a pouco um toró descia.

    Quanto a Santa Bárbara, aqui vai uma outra função, aliás, nobre função dela:

    http://www.operaprima.com.br/pdfs/MNBA_DJANIRA.pdf

    É por isso que acima do teto da rampa de acesso à mina de chumbo e zinco, na cidade de Paracatu/noroeste do Estado de Minas Gerais, onde trabalhei por 25 anos, temos lá um oratório e dentro, a Santa Bárbara - protetora dos mineiros.

    Uma vez, quando a mina estava parada, fui eu quem fiz a limpeza dela, uma vez que havia poucos mineiros ainda e eu me predispus a fazer também.

    É um sentimento interessante e gratificante, pois ela proteje mesmo, haja visto que a mina existe dese 1974 e somente agora, recentemente é que caiu um choco em um colaborador, sendo fatal a queda.

    Espero ter contribuído também para um assunto tão significante na vida das pessoas, não obstante ser ou não ser lendas.

    Um grandioso e sem tormentos e trovões, calorosos abraços!

    ResponderEliminar
  3. Ola! Armindo,

    Quanto ao São Pedro ser o guardião do Céu, eu sempre digo aos amigos que caso eu morra e vá para o Céu(?)rsrsrs!, não adianta Ele manter a porta fechada para que eu tenha que bater e Ele perguntar quem é, pois vou dar um pontapé pra Ele abrir Lhe dizendo: " Olha aqui Cara! Depois de tudo que passei lá embaixo, o Senhor ainda vem perguntar quem é? Abra logo esta porteira aí que quero é entrar e me descansar. Não tá escrito aí na sua ficha, não, que "comi o pão que o diabo amassou com o rabo", pô? Agora "eu quero é sombra e água fresca." eheheheh!!!!

    Abraços!

    ResponderEliminar
  4. BOA TARDE!
    GOSTARIA DE SABER SE QUANDO CHOVE NO DIA DE SANTA BÁRBARA,CHOVE TAMBÉM NO NATAL?
    MINHA MÃE CONTAVA TAL FATO,PORÉM NÃO ME RECORDO DIREITO.
    DESDE JÁ AGRADEÇO,
    ATT...

    CLAUDIA BATISTA.

    ResponderEliminar
  5. Cara amiga Cláudia Batista, não conheço esse ditado, mas trata-se disso mesmo, ou seja, de provérbios criados pelo povo de acordo com a experiência da vida. Por exemplo, existem muitos ditados baseados no clima, provavelmente com origem naqueles que trabalhavam a terra, como estes: "A Inverno chuvoso Verão abundoso", "A lavoura de Janeiro, não a troques por dinheiro" e muitos mais. Mas como sabemos, a ecologia anda pelas horas da morte, pois como disse um dia o Rei Roberto Carlos "diante da economia, quem pensa em ecologia?". Daí que até os ditados podem já nem ditar bem as coisas. :) Abraço.

    ResponderEliminar

buttons=(OK!) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !