LightBlog
>

ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

4/28/2010

Palavras e Expressões Populares Portuguesas




Por: Armindo Guimarães
https://www.portalsplishsplash.com/p/armindo-guimaraes.html

A pedido de algum amigos, eis um pequeno dicionário de palavras e expressões populares, frequentemente usadas na linguagem verbal e escrita dos portugueses, sendo que na escrita acontece apenas em ocasiões especiais como é o caso da comunicação familiar e amiga entre os habituais frequentadores do Splish Splash e, obviamente, durante os célebres bate-papos entre Roberto e eu, e entre Eduardo Lages e eu, bem como com todos aqueles que em tais bate-papos participam.

Espero que seja de alguma utilidade.

Abraços luso-brasileiros e, é claro, robertocarlisticos.

- Abade = homem gordo e pachorrento.
- Abadessa = mulher muito gorda e sem preocupações.
- Abafar = roubar; furtar.
- Abananado = aparvalhado; aturdido.
- Abelhudo = intrometido.
- Acordar com os pés de fora = estar mal disposto logo pela manhã.
- Acordar de cu pró ar = acordar mal disposto.
- Afanar = roubar.
- Alfacinha = alcunha dada aos lisboetas, habitantes da Cidade de Lisboa, por gostarem muito de alface.
- Ajuste de contas = ofensa física por ofensa anteriormente recebida.
- Aproveito a boleia = vou contigo; já que vais, eu também vou.
- Atarantado = atrapalhado; estonteado.
- Bacano/a = Um/a bacano/a, boa pessoa.
- Balda (À) = à vontade, à sorte.
- Baldas (dar umas) = normalmente aplica-se à mulher que se entrega facilmente.
- Balela = boato falso.
- Balúrdio = muito dinheiro (exemplo: aquilo custa um balúrdio, ele ganha um balúrdio).
- Baril = (Do) = incrível, fantástico.
- Barraca = escândalo, inconveniência.
- Barrete = enfiar o barrete, enganar ou ser enganado.
- Bater a bota = morrer.
- Bestial = óptimo.
- Bica = pequena chávena de café. Termo vulgarmente usado no sul de Portugal.
- Bico de obra = problema.
- Bode expiatório = aquele que suporta responsabilidades alheias.
- Bófia = polícia.
- Boleia = ir no carro de alguém. No Brasil = carona.
- Borracho = moça bonita; bêbado (“estar borracho”).
- Burrada = asneira; estupidez; burrice.
- Cabeça de alho chocho = distraído, esquecido.
- Cacau = dinheiro.
- Cachopo/a = rapaz, rapariga (termo antes muito usado e actualmente em vias de extinção).
- Calinada = pontapé na gramática; gafe; forma jocosa de se referir a um erro ortográfico.
- Cara de caso = estar preocupado; estar com ar comprometido.
- Carago = expressão de ânimo ou desânimo (expressão usada no norte de Portugal, em especial pelos portuenses (cidade do Porto).
- Caramba = expressão de ânimo ou desânimo.
- Cardina = bebedeira.
- Carioca = pequena chávena de água quente com uma pequena casca de limão.
- Carioca de café – pequena chávena de café, contendo mais água do que café.
- Carola = Aquele que se dedica a uma causa sem qualquer interesse material para ele próprio.
- Carolice = referente ao “carola”, que faz tudo por carolice.
- Cascalho = dinheiro em moedas.
- Catraio/a = rapaz, rapariga.
- Caso bicudo = assunto complicado, complexo.
- Chaço = automóvel velho e/ou fraco.
- Chavalo/a = rapaz, rapariga.
- Chui = polícia.
- Cimbalino = o mesmo que uma pequena chávena de café. (termo antes muito usado na cidade do Porto e actualmente em vias de extinção).
- Cinco estrelas = muito bom.
- Com conta, peso e medida = com moderação.
- Cusco = Cuscovilheiro. No Brasil = fofoqueiro.
- C’os diabos! = expressão de espanto. No Brasil = puxa vida!, minha nossa!
- Dar a mão à palmatória = quando alguém reconhece que está errado.
- Dar a palmada = roubar.

. Dar à sola - sair, fugir.
- Dar com a língua nos dentes = denunciar; revelar alguma coisa, algum segredo. No Brasil = pôr a boca no trombone.
- Dar o badagaio = cair para o lado; desmaiar; ter uma síncope.
- Dar o braço a torcer = o mesmo que ”dar a mão à palmatória".

- Dar o piro - sair, fugir.
- Dar um giro = dar um passeio, passear.
- Dar uma achega = contribuir; dizer mais qualquer coisa sobre algo.
- Dar uma no cravo e outra na ferradura = não tomar partido; estar ora dum lado de uma disputa ora do outro.
- Dar uma volta = dar um passeio, passear “dar um giro”.
- De fio a pavio = de uma ponta à outra; com todos os pormenores.
- É de gimbolo = incrível, fantástico “baril (é do)”.
- É muita areia para a minha camioneta = é demasiado para mim; é complicação a mais para mim.
- Emborcar uns canecos = beber uns copos.
- Endrominar = enganar.
- Enfiar a carapuça = sentirmo-nos atingido por uma alusão que nos é feita.
- Enfiar o barrete = enganar.
- Engatar = conquistar.
- Engraxar = elogiar alguém apenas para colher dividendos.
- Enquanto o diabo esfrega um olho = fazer qualquer coisa rapidamente.
- Entre a espada e a parede = em situação embaraçosa e sem saída.
- Escovar = o mesmo que “engraxar”.
- Estar bem com Deus e com o Diabo = não tomar partido; manter-se neutro.
- Estar metido num molho de brócolos = estar metido numa grande confusão.
- Estar pelos ajustes = concordar com ou em fazer alguma coisa.
- Estar-se marinbando = não se importar, não se preocupar.
- Estar-se nas tinhas = não se importar, não se preocupar.
- Estrangeirinha = problema; o mesmo que “bico de obra”.
- Fanar = roubar; o mesmo que “afanar”.
- Fino = copo alto com cerveja. Termo vulgarmente usado nos cafés e restaurantes do Porto e norte de Portugal. Em Lisboa e sul do país pede-se “Imperial”.
- Fixe (ou fiche) = óptimo.
- Foleiro = diz-se do que não presta.
- Gajo/a = rapaz, rapariga.
- Gamanço = roubo.
- Gamar = roubar.
- Garoto/a = rapaz, rapariga.
- Garoto = Termo vulgarmente usado nos cafés e restaurantes. Pequena chávena de café com um pouco de leite. No Porto pede-se um “pingo”.
- Giro/a = bonito/a, engraçado/a.
- Graveto = dinheiro.
- Gritar a plenos pulmões = gritar com toda a força.
- Imperial = copo com cerveja. Termo vulgarmente usado nos cafés e restaurantes de Lisboa e sul de Portugal. No Porto e norte do país pede-se “Fino”. Pede-se “Imperial” para um copo maior.
- Ir aos arames = enervar-se; irritar-se; ficar furioso.
- Ir desta pra melhor = morrer.
- Judite = Polícia Judiciária.
- Leva a bicicleta/taça = emprega-se quando, numa discussão, um dos intervenientes desiste, dando razão ao outro mesmo que a não tenha.
- Levar a cruz ao Calvário = fazer grandes sacrifícios na vida; ter uma vida de sofrimento.
- Levar a peito = levar a sério; transpor para o plano pessoal; ofender-se.
- Levar a sua conta = apanhar uma sova, uma tareia.
- Lixado/a = chateado/a, zangado/a.
- Malta = amigos, gente. No Brasil = turma, galera.
- Mãos-leves = aquele que rouba; carteirista.
- Maralha = amigos, gente; igual a "malta". No Brasil = turma, galera.
- Marimbar = não se importar, não se preocupar.
- Marmelada (fazer marmelada) = carícias amorosas.
- Massa = dinheiro.
- Meter a viola no saco = calar-se.
- Meter água = errar, dar escândalo.
- Meter macaquinhos na cabeça = confundir alguém.
- Meter o rabo entre as pernas = submeter-se, calar-se.
- Meter-se numa alhada = meter-se numa confusão.
- Moço/a = rapaz, rapariga.
- Muita parra pouca uva = muita palha; muita coisa inútil; (por ex: alguém que fala muito mas no fundo não diz nada que se aproveite)
- Música (Dar) = convencer, iludir, lisonjear.
- Nabo = pessoa inexperiente.
- Não há crise = não há problema.
- Nicado/a = chateado/a, zangado/a. O mesmo que “lixado”.
- Nicles = nada.
- Pá = rapaz ou rapariga.
- Papa-açorda = papa-mole, pessoa mole, sem iniciativa, indolente.
- Paleio = conversa.
- Palha = tudo o que se escreve num texto e não o valoriza, destinando-se apenas a ocupar espaço (o que se espera não ser o caso deste texto eheheheheh).
- Palmar = roubar.
- Parolo = pessoa rude, sem educação.
- Parvalhão = grande parvo. No Brasil = bobão, grande bobo.
- Pêta = mentira.
- Pilim = dinheiro.
- Pinga = Pouca quantidade de uma bebida.
- Pingo = pouco.
- Pingo = Termo vulgarmente usado nos cafés e restaurantes. Pequena chávena de café com um pouco de leite. Em Lisboa pede-se um “garoto”.

- Piro/Pirar = Sair, fugir. Vou dar o piro. Vou-me pirar.
- Pisgar = Sair, fugir. O mesmo que Piro/Pirar. Vou dar o pisga, vou-me pisgar.
- Pôr a cabeça em água = cansar; fazer perder a paciência.
- Pôr-se a pau = estar atento.
- Porreiro = óptimo.
- Prato (Um) = aquele que é folgazão, que tem piada.
- Puto = criança pequena. Usada no feminino, esta palavra apenas se aplica às mulheres que exercem aquela que dizem ser a mais antiga profissão do mundo.
- Rámôna = polícia (ver, também, “bófia”.
- Sair o tiro pela culatra = diz-se quando alguém arquitecta algo que inesperadamente lhe sai ao contrário e contra ele.
- Saloio = pessoa rude, sem educação
- Só enfia o barrete quem quer = só se deixa enganar quem quer.
- Ter um treco = ter um ataque de coração.
- Ter lata = ser descarado.
- Tirar uns nabos = carícias amorosas. Igual a “marmelada”.
- Tirar uns troços = carícias amorosas. Igual a “tirar uns nabos e a “marmelada”.
- Tripeiro = alcunha dada aos portuenses, nascidos na cidade do Porto, por, durante a saga das conquistas, terem oferecido a uma das expedições toda a carne existente na cidade, ficando apenas com as tripas com que se alimentaram. “Tripas à moda do Porto” é, desde então, o prato mais típico da Cidade do Porto. O autor deste texto é tripeiro de gema.
- Troca-tintas/Vira casaca = que muda de opinião ou ideologia facilmente; traidor;

- Um banana = uma pessoa mole, sem vontade, sem personalidade.

Brasil - Portugal

abridor de garrafas ------ abre-garrafas, abre-cápsulas
abridor de latas ------ abre-latas
água-viva ------ alforreca ou medusa
alho-poró ------ alho-porro
aquarela ------ aguarela
arquivo (de computador) ------ ficheiro
aterrissagem ------ aterragem
banheiro ------ casa de banho, quarto de banho
brócolis ------ brócolos
caminhão ------ camião
carona ------ boleia
carro conversível ------ carro descapotável
carteira de identidade/RG ------ bilhete de identidade/BI
carteira/carta de motorista ------ carta de condução
concreto ------ betão
diretor (de cinema) ------ realizador
esparadrapo, bandeide ------ penso, penso-rápido
fila de pessoas ------ fila, bicha
fones de ouvido ------ auscultadores, auriculares, fones
gol ------ golo
grampeador ------ agrafador
maiô ------ fato de banho
mamadeira ------ biberão
metrô ------ metro, metropolitano
nadadeiras, pé-de-pato ------ barbatanas
ônibus ------ autocarro
perua, van ------ carrinha
salva-vidas ------ nadador-salvador, banheiro
secretária eletrônica ------ atendedor de chamadas
sunga ------ calções de banho, calção de banho
(telefone) celular ------ telemóvel
terno ------ fato
trem ------ comboio

3 comentários:

  1. Oi, Mindo querido!!!

    Parabéns pelo post bastante significativo para todos, pois vai contribuir para termos oportunidade de conhecer muitas palavras portuguesas, que para nós o significado é diferente.

    Mas é claro que vai ter utilidade, pois já comecei a ver que balda = à Vontade. bestial é óptimo e eu pensei que tinha tudo a ver com besta! Rsrsrsrs.


    Valeu meu patrãozinho querido!!!!

    Espero que todos aproveitem bastante e divirtam´se também, pois tem cada palavra, que não dá nem pra imaginar!!!

    Beijos luso-brasileiros!!!

    Mazé Silva

    ResponderEliminar
  2. ajudou-nos bastante pois temos recolhidas cerca de duas mil entradas e adamos a nira para encaixarmos o significado

    ResponderEliminar
  3. Quanto a baldas, quando masculino (um gajo baldas) é um tipo que é meio calão e desleixado, um deixa andar. Não sabia que no caso da mulher ela era (sexualmente) fácil, mas agora que penso bem e não cingindo a qualquer dos géneros, ser baldas sugere que és ligeiramente porco/porca porque não tomas muito banhos e não mudas muito de roupa... excelente lista!

    ResponderEliminar

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo