Júlio Resende e Júlio Machado Vaz juntos em palco no Fusos - Festival de Fusões Artísticas - 3 a 5 de junho

Depois da interrupção de 2020 e de uma edição adaptada em 2021, o Fusos - Festival de Fusões Artísticas - está de regresso ao formato normal, de 3 a 5 de Junho.


O Fusos vai ocupar toda a aldeia de Alte, baralhar as artes, e confundir o público


Depois da interrupção de 2020 e de uma edição adaptada em 2021, o Fusos - Festival de Fusões Artísticas - está de regresso ao formato normal, de 3 a 5 de Junho.

Esta 5ª edição promete, como sempre, muitas fusões e confusões artísticas, num total de duas dezenas de espectáculos, em 10 palcos espalhados pela belíssima aldeia de Alte, no concelho de Loulé. A Fonte Grande, a Fonte Pequena, a Igreja Matriz ou a cascata da Queda do Vigário, são alguns dos palcos onde se vão cruzar música, teatro, pintura, dança, literatura, sonoplastia e novo circo.

O Fusos arranca na sexta dia 3 junho, com um espectáculo de música e luz no cerro da Galvana, visível e audível em toda a aldeia, seguido de um espectáculo que junta Júlio Resende e Júlio Machado Vaz, numa fusão entre música e palavra em “A Vida é a Arte do Encontro”, provavelmente no palco mais bonito do mundo. Pelo meio ficou a fusão de gaita de foles e acordeão de “Alma Menor” e uma instalação sonora na paisagem “Caminhos de Água”.

As manhãs no Fusos são para aproveitar para uns banhos na Fonte Grande, Fonte Pequena ou na Queda do Vigário e para desfrutar da aldeia.

A partir da tarde de sábado, a aldeia acolhe a fusão entre música e literatura de “A Língua no Ouvido”, a Igreja Matriz mistura o violoncelo de Sandra Martins com sonoplastia de ASPA, acrobacia e teatro de “I See You”, “Sopas de Pão” que funde música, teatro e novo circo e música e paisagem com “Naomi & the Raposeira Dub Collective”. À noite, “Asas de Sonho” junta dança com pintura, e a terminar, concerto com os algarvios “Marenostrum”, mais uma vez, provavelmente no palco mais bonito do mundo, situado na Fonte Grande.

Após passeios de canoas nas Fontes e de experimentar os restaurantes locais, a tarde de domingo começa com “Alte e Siga o Baile” - uma oficina de danças do rancho folclórico local - seguido de uma inédita oficina e concerto para danças tradicionais da Cornualha por “Davey&Dyer”. A habitual Fusada, este ano com Mata Bicho, leva o público até à deslumbrante Queda do Vigário para encerrar o Fusos ao som de “Bicho Carpinteiro”.

O Fusos mantém-se assim como um festival de aldeia para todas as idades, com um cartaz cheio de ofertas culturais diferenciadoras, numa aldeia repleta de recantos encantadores.

Todos os eventos têm entrada livre. O Fusos é uma organização da associação cultural Fungo Azul, com o apoio da Junta de Freguesia de Alte, da Câmara Municipal de Loulé e da Antena 1.

Programa
Dia 3 junho

18:30 Alma Menor
21:30 Inauguração na Bandeira por Sickonce + Ricardo Vieira (música / luz)
21:50 Percurso sonoro "Caminhos de água" (sonoplastia / paisagem)
22:15 Júlio Resende com Júlio Machado Vaz (música / poesia)
23:45 Músicas do Mundo com DJ António Pires

Dia 4 junho

14:30 A Língua no Ouvido (música / literatura)
15:20 Sandra Martins + ASPA (música / sonoplastia)
16:00 Alte Buskers (música / artes de rua)
16:30 I See U (malabarismo / teatro)
17:45 Sopas de Pão (novo circo / teatro / música)
19:00 Maestro de Água - Naomi and the Raposeira Dub Collective (música / paisagem)

21:30 Asas de Sonho (dança / pintura)
22:00 Marenostrum
23:30 Músicas do Mundo com DJ António Pires

Dia 5 Junho

14:30 Alte e Siga o Baile - Danças tradicionais de Alte 
16:00 Davey&Dyer - Danças tradicionais da Cornualha
17:30 Fusada com Mata Bicho
18:00 Bicho Carpinteiro

FUSOS na web
Tags

Enviar um comentário

0 Comentários
* Gostou do que leu, viu e/ou ouviu? Então, para completar, só falta o seu comentário. Se não gostou, comente também. O autor agradece.

buttons=(OK!) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !