Nem Onofre Varela nem Leonardo D'Avintes - Valeu-me Edvard Munch

Depois, tentei o meu amigo e portuguesíssimo Leonardo D'Avintes, mas o gajo, ocupado que sempre anda com a sua padeira de Avintes, nem sequer ainda leu a mensagem de e-mail que lhe mandei há mais de 2 anos, sendo que telefonar para o seu telemóvel está fora de questão pois anda sempre com o pincel numa mão e a outra a ajudar a sua mais que tudo padeira Elisinha, mais conhecida por Lisa, ou Mona Lisa, ou ainda Gioconda para os italianos que a conheceram quando ela teve que emigrar para Itália como padeira, levando para lá a fama da broa d'Avintes.


Por: Armindo Guimarães

Há tempos disse ao meu amigo caricaturista Onofre Varela, que eu era gajo para tomar um café com ele na baixa do Porto, se ele fizesse a minha caricatura. E o gajo, com aquele seu peculiar sorriso por baixo da sua hipótese de bigode daliano, mandou-me dar uma volta dizendo que eu era bonito demais para caricaturar.

Depois, tentei o meu amigo e portuguesíssimo Leonardo D'Avintes, mas o gajo, ocupado que sempre anda com a sua padeira de Avintes, nem sequer ainda leu a mensagem de e-mail que lhe mandei há mais de 2 anos, sendo que telefonar para o seu telemóvel está fora de questão pois anda sempre com o pincel numa mão e a outra a ajudar a sua mais que tudo padeira Elisinha, mais conhecida por Lisa, ou Mona Lisa, ou ainda Gioconda para os italianos que a conheceram quando ela teve que emigrar para Itália como padeira, levando para lá a fama da broa d'Avintes.

Por isso, tive que recorrer a um gajo estrangeiro, no caso, o holandês e por acaso também meu amigo, Edvard Munch, que me recebeu muito bem em sua casa com uma garrafa de Languedoc AOC Rouge de 2017 que acompanhou muito bem uns Bitterballen com mostarda que estavam de arrasar. Languedoc puxa conversa, quero dizer, conversa puxa conversa, e desabafei: "Ó Edu (é assim que eu trato o Edvard, enquanto ele a mim me trata por Mimi, coisa que detesto e que me leva sempre aos arames por insistir em dar diminutivo feminino a um macho latino que se preza), "Ó Edu, sabes que eu pedi ao Varela e depois ao D'Avintes para me retratarem, e que em resposta os gajos mandaram-me dar uma volta?" Perguntou-me o Edu: "E disseram-te que tinha que ser uma volta grande para teres que vir aos Países Baixos?". Não fosse por respeito aos Languedoc de 2017 e ao trabalho que imaginei ter dado a confecção dos espectaculares Bitterballen, e a coisa iria dar para o torto. Fui logo direto ao assunto: "Portanto, vê mas é se pões mãos à obra pois eu não vou ficar o tempo todo para me retratares". Olhou para mim com cara de palermóide, sem saber o que dizer, mas disse: "Logo agora que andei a partir cascalho no meu quintal, ficando com as mãos numa lástima que nem no pincel posso pegar para as necessidades primeiras..."

Nem o deixei terminar a frase. Desta vez, achei que já era demais e gritei: Ó pá não saio daqui enquanto não me pintares, carago!!!

E o grito foi de tal ordem que o Edu ficou tão atrapalhado, que, coitado, pintou-me logo de uma penada.

Parece que não ficou muito mal. Que acham? 

Há coisas do carago!!!

💢💢💢

NOTA DA REDAÇÃO:
Para ler mais artigos de Armindo Guimarães na rubrica "Há coisas do carago!", clique aqui.

Enviar um comentário

8 Comentários
* Gostou do que leu, viu e/ou ouviu? Então, para completar, só falta o seu comentário. Se não gostou, comente também. O autor agradece.
  1. Querido menino "Mimi", a pintura ficou sensacional, uma verdadeira "Obra de Arte".
    Parabéns ao "Edu", que mesmo estando com as mãos numa lástima que nem no pincel podia pegar para as necessidades primeiras...conseguiu pintar essa "Obra Prima".
    Eheheheheheheh...Há coisas do carago!!!
    Beijinhos! 👍👏😘😍😅🤣😂

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como se já não bastasse o meu amigo Edvard, também a menina Albinha me tratou por Mimi, sujeita a ser despida, digo, despedida, pelo patrãozinho do Splish, Depois não diga que eu não a avisei! Beijinho.

      Eliminar
  2. Nobre colega Armindo, na minha avaliação lúdica do desenho observei que, o cenário escolhido pelo caricaturista mostra algumas passagens do caricaturado. Primeiro de caminho ao atravessar a ponte. Segundo uma volta no tempo, promovendo o rejuvenescimento facial e o crescimento capilar com os efeitos de dois traços ao lado cabeça aparentando duas enormes tranças. Brincadeira! Ficou ótima!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso, amigo Marley! Os artistas plásticos conseguem fazer milagres quando têm o pincel na mão. Grande abraço. 😊

      Eliminar
  3. Ah ah ah!... Está do baril, carago!...
    Grande abraço
    (Onofre Varela)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó Varela, tudo és lixado, pá! Tive que recorrer ao Edu e tu ainda te ris? Grande abraço.

      Eliminar
  4. Armindo és lixado só pensas no portal e não apareces para comer uma francesinha .Grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem estou em mim! Com esta é que eu não esperava! Essa da francesinha é do baril! Ainda há dias etivemos no centro da Maia e eu até me queixei que já não iamos às francesinhas como antigamente há mais de 500 anos e tu, como o costume, dizes qualquer dia, mas esse dia bai sempre no Batalha! E eu é que sou lixado? Um xi. 😂👍

      Eliminar

buttons=(OK!) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !