Agência de comunicação recebe prêmio do Governo do Reino Unido por campanha contra pirataria de vacinas e insumos médicos no Brasil - Portal Splish Splash

Recentes

segunda-feira, outubro 04, 2021

Agência de comunicação recebe prêmio do Governo do Reino Unido por campanha contra pirataria de vacinas e insumos médicos no Brasil

Nascida para informar os males da compra de produtos falsificados com foco na área de saúde, principalmente voltados ao enfrentamento da pandemia – vacinas e insumos médicos – a "Rede Antipirataria" foi financiada pelo órgão do Governo do Reino Unido Intellectual Property Office (IPO), em parceria no Brasil com o Conselho Nacional de Combate à Pirataria (CNCP), para auxiliar no enfrentamento do problema de falsificação.


Premiação de campanha inédita para enfrentar corrupção e riscos à saúde pública une órgãos brasileiros e internacionais em prol de um só objetivo


Nascida para informar os males da compra de produtos falsificados com foco na área de saúde, principalmente voltados ao enfrentamento da pandemia – vacinas e insumos médicos – a "Rede Antipirataria" foi financiada pelo órgão do Governo do Reino Unido Intellectual Property Office (IPO), em parceria no Brasil com o Conselho Nacional de Combate à Pirataria (CNCP), para auxiliar no enfrentamento do problema de falsificação.


Criada e operacionalizada pela C2L | Communication to Lead, agência de comunicação especializada em mercados de alta complexidade, a campanha foi lançada em maio de 2021 e conseguiu alcançar muitas pessoas pelo esforço conjunto dos órgãos presentes na ação: Ministério da Justiça, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Agência Nacional de Cinema (Ancine), Receita Federal, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e Cyber Gaeco – SP. A agência de comunicação C2L |Communication to Lead ficou responsável também pelo conteúdo da campanha, importante pilar para a educação do público sobre os perigos dos produtos falsificados.


A premiação da campanha foi publicada como estudo de caso de excelência no Relatório Anual de Crime e Fiscalização de Propriedade Intelectual "Annual IP Crime and Enforcement Report: 2020 to 2021" e está no site do governo do Reino Unido¹. Neste relatório internacional, foi reconhecido que a campanha atingiu excelência e realizou ações que foram essenciais para a contribuição à população brasileira no que tange o combate aos crimes relacionados à falsificação no último ano.


Dado que o país estava passando por uma mudança importante no setor da saúde por conta da pandemia de COVID-19, a fundadora e CEO da C2L | Communication to Lead, Camilla Covello, não imaginava que a campanha fosse ter um resultado tão bom quanto teve no Brasil. “Eu sabia que teria um grande impacto sim, mas nós nunca sabemos exatamente como a campanha vai repercutir e quantas pessoas vão aderir. Como a campanha contou com o auxílio do CNCP, Anvisa e vários outros órgãos brasileiros, isso foi muito importante para unir todo mundo. Quanto mais nós unirmos as pessoas e as instituições a favor do que é correto, mais nós conseguimos fazer com que todos entendam e saibam o que podem ou não comprar e consumir”, garante.


E essa união não foi só externa. Covello contou que, ao organizar a campanha, montou um verdadeiro “esquema de batalha” para que tudo fosse feito da melhor maneira possível. Com isso, o sentimento de reconhecimento quando o prêmio saiu foi enorme: “Eu fiquei muito orgulhosa. Senti um orgulho absurdo em saber que nós da C2L podemos mais, conseguimos fazer mais, nos conectar e alcançar mais pessoas. Eu tenho certeza de que cada um que colocou a mão nessa campanha está orgulhoso, então é positivo tanto para quem trabalhou diretamente nisso, quanto para a população brasileira, o que acabou repercutindo também lá no Governo Britânico”, apontou ela.


“O Reino Unido defende essa campanha, principalmente porque acreditamos que a falsificação de vacinas pode ter trágicas consequências globais. Se pessoas se vacinarem com produtos falsos, podem contrair a doença. Isso pode afetar a credibilidade das vacinas verdadeiras e, no limite, matar mais pessoas”, explica Angélica Garcia, representante do governo britânico na campanha.


E até as possíveis dificuldades que poderiam ser encontradas no caminho foram menores do que o imaginado. Houve um receio por parte da agência por envolver dois países diferentes com culturas diferentes, mas a parceria e a união foram essenciais para que a campanha saísse o mais rápido possível.


Covello ainda abordou o fato de essa premiação estimular a agência de comunicação a continuar trabalhando cases mais desafiadores sempre. “Para mim, o reconhecimento do Governo Britânico ter saído em uma revista científica como a melhor campanha feita pelo Governo Brasileiro, foi não só um estímulo para continuar, mas uma certeza de que nós fazemos a coisa certa”, finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário