Roberto Carlos canta Fora do Tom na sua primeira gravação

A carreira fonográfica de Roberto Carlos começou no ano de 1959, com a gravação de um compacto simples de 78 rpm, número B – 330, lançado pela gravadora Polydor. O lado A do disco traz a canção “João e Maria”, uma composição de dois cachoeirenses Roberto Carlos e Carlos Imperial (1935 – 1992), no lado B a canção “Fora do Tom” de autoria somente de Carlos Imperial.


 

Por: Carlos Marley*

A carreira fonográfica de Roberto Carlos começou no ano de 1959, com a gravação de um compacto simples de 78 rpm, número B – 330, lançado pela gravadora Polydor. O lado A do disco traz a canção “João e Maria”, uma composição de dois cachoeirenses Roberto Carlos e Carlos Imperial (1935 – 1992), no lado B a canção “Fora do Tom” de autoria somente de Carlos Imperial.

Um disco raro e fora de catálogo, tendo sido relançado em 1968, em uma edição para colecionadores com foto na capa. Já “João e Maria”, uma das canções do disco foi relançada em outros álbuns como os Lps das coleções A música de Roberto Carlos (1976); Nova História da Música Popular Brasileira – Roberto Carlos/ Erasmo Carlos (1978);  História da Música popular Brasileira – Série Grandes Compositores Roberto Carlos/ Erasmo Carlos (1983); O Passado no Presente – Nacional – Intérpretes Originais (1983).

O selo do disco traz a informação Roberto Carlos com conjunto - de estúdio, que contou com a participação do violonista Baden Powell (1937 -1994). A gravação ocorreu no mês de maio de 1959, sendo lançado no mês de agosto do mesmo ano. Foi o único disco que Roberto Carlos lançou pela gravadora Polydor. Antes, já havia sido recusado na Chantecler, na RCA, na Philips e na Odeon até chegar à CBS.


O então novato Roberto Carlos, ainda sem um estilo definido, marcou a sua interpretação nesse disco por cantar com a voz semelhante ao cantor João Gilberto (1931 – 2019), criador de uma nova batida de violão pra tocar samba, que virou moda e gênero musical (Bossa Nova) e cantar de forma suave. Roberto Carlos sempre admirou João Gilberto e até chegou a cogitar o encontro musical dos dois, o que nunca aconteceu.

Das duas musicas bossa-novistas do disco a que chama mais atenção é a canção “Fora do Tom”.  A letra de Carlos Imperial faz uma ironia ao gênero Bossa Nova com citações de trechos das canções de Tom Jobim.

Algumas décadas depois, a ironia do “Fora do Tom” e ao gênero Bossa Nova virou homenagem, que veio em forma de música e melodia. Roberto Carlos grava junto com Caetano Veloso um CD/DVD - Roberto Carlos e Caetano Veloso e a Música de Tom Jobim (2008). È um tributo a Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim – Tom Jobim (1927 – 1994), compositor, pianista, cantor, arranjador e violonista e um dos criadores da Bossa Nova.

Chega de saudade!

 

*Carlos Marley, nasceu na cidade de Fortaleza, capital do estado do Ceará – Brasil, onde reside. Formado em Ciências Contábeis, pela Universidade Federal do Ceará, com especialização em Auditoria. Auditor Fiscal aposentado da Secretaria da Fazenda do Estado do Ceará. Leia mais sobre o autor... 
 
Roberto Carlos - Fora do Tom

Enviar um comentário

0 Comentários
* Só falta o seu comentário! O autor agradece.

buttons=(OK) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !