24.ª MOSTRA DE TIRADENTES | Seleção de Curtas destaca pandemia e imaginação - Portal Splish Splash

quarta-feira, dezembro 30, 2020

24.ª MOSTRA DE TIRADENTES | Seleção de Curtas destaca pandemia e imaginação

Para sua 24a edição, a Mostra de Cinema de Tiradentes, a ser realizada entre 22 e 30 de janeiro de 2021, selecionou 79 curtas-metragens de 19 estados brasileiros para comporem as diferentes sessões que anualmente atraem centenas de espectadores interessados em conhecer os rumos do formato na produção brasileira. Por conta da pandemia, em 2021 a Mostra terá realização predominantemente remota, com ações pontuais na cidade de Tiradentes.



A diversidade da produção em curta-metragem poderá ser conferida em oito mostras temáticas durante a 24a Mostra Tiradentes que oferece programação gratuita e online pelo site mostratiradentes.com.br


Para sua 24.ª edição, a Mostra de Cinema de Tiradentes, a ser realizada entre 22 e 30 de janeiro de 2021, selecionou 79 curtas-metragens de 19 estados brasileiros para comporem as diferentes sessões que anualmente atraem centenas de espectadores interessados em conhecer os rumos do formato na produção brasileira. Por conta da pandemia, em 2021 a Mostra terá realização predominantemente remota, com ações pontuais na cidade de Tiradentes.

A curadoria de curta-metragem, composta por Camila Vieira, Tatiana Carvalho Costa e Felipe André Silva, recebeu 748 inscrições, de onde foram definidos os 79 títulos, distribuídos nas mostras Foco (11), Panorama (26), Foco Minas (9), Temática (3), Praça (13), Formação (9),
Jovem (3) e Mostrinha (5). Os estados de Minas Gerais e São Paulo aparecem com maior quantidade de trabalhos na seleção, com 16 filmes cada. Há ainda produções de Alagoas (1), Amazonas (4), Bahia (4), Ceará (4), Brasília (2), Espírito Santo (2), Goiás (1), Mato Grosso (1), Pará (3), Paraíba (1), Paraná (5), Pernambuco (4), Rio de Janeiro (8), Rio Grande do Norte (1), Rio Grande do Sul (5), Santa Catarina (2) e Sergipe (2).

“No processo de seleção, percebemos muitos curtas realizados durante o isolamento social devido à pandemia e selecionamos aqueles que conseguiram propor deslocamentos ao estado permanente de tristeza que nos imobiliza”, comenta Camila Vieira, uma das curadoras. “O que nos chamou atenção foram curtas feitos com as restrições do isolamento que buscaram formas inventivas de realização de cinema e processos de criação, como ‘República’, da Grace Passô, ou ‘Minha Bateria está Fraca e está Ficando Tarde’, de Rubiane Maia e Tom Nóbrega, entre outros”.

Para Felipe André Silva, que estreia na equipe de curadoria de curtas da Mostra de Tiradentes, a percepção foi de que especialmente a produção de classe média e seus “filmes de pandemia” encontrou dificuldades para se expandir além das temáticas sobre si mesma ou escapar das limitações espaciais impostas pelo isolamento. “Foi então um desafio que nós adotamos, o de encontrar trabalhos que quebrassem com essa lógica”, afirma Felipe. Ele chama atenção para títulos como “Drama Queen”, de Gabriela Luiza, “Levantado do Chão”, de Melissa Dulius e Gustavo Jahn, ou “Eu te Amo, Bressan”, como exemplares da liberdade estética e narrativa potencializadas pelo contexto - e não só para falar de pandemia.

Na edição desse ano da Mostra Foco, cujos filmes são avaliados pelo Júri Oficial, será possível, segundo a equipe de curadoria, perceber três linhas de aproximações entre os curtas, que vão desde propostas experimentais a construções ficcionais. A primeira é de curtas que pensam a catástrofe, a destruição e o colapso do mundo em que vivemos, tratando sobre em que medida isso se conecta a uma crise generalizada da política institucional e de um projeto de país; a segunda linha inclui curtas que borram fronteiras entre o real e o imaginário, o que existe de possível na concretude das vivências e o que há de criação do impossível no campo da imaginação; e a terceira linha são filmes de distopia, com alegorias que aludem ao presente, pensam os processos históricos e apontam possíveis futuros.

Já a Mostra Panorama contém curtas de realizadores com trajetórias já reconhecidas no cinema contemporâneo brasileiro, casos das duplas Gustavo Jahn & Melissa Dullius e Lucas Parente & Rodrigo Lima e de nomes como Julia Katharine e Ricardo Alves Jr., entre outros. “Mas também selecionamos na Panorama curtas de jovens realizadores que estão se aventurando nas ficções em diálogo com os códigos do cinema de gênero e outros que estão buscando diferentes processos de criação dentro do documentário”, destaca Camila Vieira.

Para Felipe André, será estimulante ao público se deparar com alguns voos criativos surpreendentes dentro da vasta seleção. “No meio de um mundo que está ruindo, foi importante atentarmos também para o que se apresentava como virtuosismo cinematográfico”, diz o curador. “A Mostra de Tiradentes é o espaço de celebração do cinema que olha para a frente e ainda aquele que está sendo feito nas condições permitidas pelo momento histórico. Assim como se anunciava em 2020, a imaginação prossegue sendo uma potência, e isso será reiterado dentro das propostas temáticas da edição de 2021”.

CONFIRA OS CURTAS-METRAGENS DA 24a MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES
MOSTRA FOCO

4 BILHÕES DE INFINITOS, Marco Antonio Pereira (MG)
A DESTRUIÇÃO DO PLANETA LIVE, Marcus Curvelo (BA)
ABJETAS 288, Júlia da Costa e Renata Mourão (SE)
DE COSTAS PRO RIO, Felipe Aufiero (AM / PR)
DRAMA QUEEN, Gabriela Luíza (MG)
EU TE AMO, BRESSAN, Gabriel Borges (PR)
LAMBADA ESTRANHA, Luisa Marques & Darks Miranda (RJ)
NOVO MUNDO, Natara Ney e Gilvan Barreto (RJ)
PRECES PRECIPITADAS DE UM LUGAR SAGRADO QUE NÃO EXISTE MAIS, Rafael Luan e Mike Dutra (CE)
CÉU DE AGOSTO, Jasmin Tenucci (SP)
RATOEIRA, Carlos Adelino (SC)
 
MOSTRA PANORAMA

À BEIRA DO PLANETA MAINHA SOPROU A GENTE, Bruna Barros e Bruna Castro (BA)
A PONTUALIDADE DOS TUBARÕES, Raysa Prado (PB)
ADELAIDE, AQUI NÃO HÁ SEGUNDA VEZ PARA O ERRO, Anna Zêpa (SP)
ANIMAIS NA PISTA, Otto Cabral (PB)
BABELON, Leon Barbero (SP)
CAMINHOS ENCOBERTOS, Beatriz Macruz e Maria Clara Guiral (SP)
CHOVEU HÁ POUCO NA MONTANHA DESERTA, Rei Souza (GO)
CONSTRUÇÃO, Leonardo da Rosa (RS)
ENTERRADO NO QUINTAL, Diego Bauer (AM)
FORA DE ÉPOCA, Drica Czech e Laís Catalano Aranha (SP)
ILHA DO SOL, Lucas Parente, Rodrigo Lima e Walter Reis (RJ)
LEVANTADO DO CHÃO, Melissa Dullius e Gustavo Jahn (SC / RS)
MANGUE-BRANCO, Flávia K. Ventura (SP)
MENARCA, Lillah Halla (SP)
MILTON FREIRE, UM GRITO ALÉM DA HISTÓRIA, Victor Abreu (RJ)
MINHA BATERIA ESTÁ FRACA E ESTÁ FICANDO TARDE, Rubiane Maia / Tom Nóbrega (SP)
O JARDIM FANTÁSTICO, Fábio Baldo, Tico Dias (SP)
OPY'I REGUA, Júlia Gimenes, Sérgio Guidoux (RS)
DE DORA, POR SARA, Sara Antunes (SP)
SEIVA BRUTA, Gustavo Milan (AM)
TRÊS GRAÇAS, Luana Laux (ES)
VAGALUMES, Léo Bittencourt (RJ)
VIDA DENTRO DE UM MELÃO, Helena Frade (MG)
VITÓRIA, RICARDO ALVES JR (MG)
VOCÊ JÁ TENTOU OLHAR NOS MEUS OLHOS?, Tiago Felipe (PR)
WON'T YOU COME OUT TO PLAY?, Julia Katharine (SP)
 
MOSTRA FORMAÇÃO

A VERDADE SAI DE SEU POÇO PARA ENVERGONHAR A HUMANIDADE, Matheus Strelow (RS)
CAMINHOS NA NOITE, Douglas Oliveira (SE)
COMBOIO PRA LUA, Rebeca Francoff (MG)
ELA VIU ARANHAS, Larissa Muniz (MG)
NOÇÕES DE CASA, Giulia Maria Reis (RJ)
O FILHO DO HOMEM, Fillipe Rodrigues (PA)
PARA TODES, Victor Hugo, Samara Garcia e equipe (RJ)
PÁTRIA, Lívia Costa e Sunny Maia (CE)
VANDER, Barbara Carmo (BA)
 
MOSTRA JOVEM

LETÍCIA, MONTE BONITO, 04, Julia Regis (RS)
POR OUTRAS PRIMAVERAS, Anna Carolina Moura Mol de Freitas (MG)
TRAÇADOS, Rudyeri Ribeiro (PA)
 
MOSTRA FOCO MINAS

23 MINUTOS, Rodrigo Beetz e Wesley Figueiredo (MG)
CRUA, Clara Vilas Boas e Emanuele Sales (MG)
LENÇOL BRANCO, Rebecca Moreno (MG)
MINEIROS, Amanda Dias (MG)
O MUNDO MINERAL, Guerreiro do Divino Amor (MG)
PIETÀ, Pink Molotov (MG)
SAPATÃO: UMA RACHA/DURA NO SISTEMA, Dévora mc (MG)
VIDEOMEMORIA, Aiano Bemfica, Pedro Maia de Brito (PE/MG)
VIGÍLIA, Rafael dos Santos Rocha (MG)
 
MOSTRA PRAÇA

5 FITAS, Heraldo de Deus e Vilma Martins (BA)
AINDA TE AMO DEMAIS, Flávia Correia (AL)
CASA COM PAREDE, Dênia Cruz (RN)
ELA QUE MORA NO ANDAR DE CIMA, Amarildo Martins (PR)
MAGNÉTICA, Marco Arruda (RS)
NOITE DE SERESTA, Sávio Fernandes e Muniz Filho (CE)
O BARCO E O RIO, Bernardo Ale Abinader (AM)
PEGA-SE FACÇÃO, Thaís Braga (PE)
PRIMEIRO CARNAVAL, Alan Medina (SP)
QUARTA: DIA DE JOGO, Clara Henriques e Luiza França (RJ)
RÁDIO CAPITAL ALVORADA, Rafael Stadniki (DF)
REBU, Mayara Santana (PE)
VOCÊ TEM OLHOS TRISTES, Diogo Leite (SP)
 
MOSTRINHA

FOGUETE, Pedro Henrique Chaves (DF)
MITOS INDÍGENAS EM TRAVESSIA, Julia Vellutni & Wesley Rodrigues (SP)
NAPO, Gustavo Ribeiro (PR)
O MENINO E O OVO, Juliana Capilé (MT)
VENTO VIAJANTE, Os Alunos / Analúcia Godoi (CE)
 
MOSTRA TEMÁTICA VERTENTES DA CRIAÇÃO

FILME DE DOMINGO, LINCOLN PÉRICLES (SP)
REPÚBLICA, Grace Passô (SÃO PAULO)
UMA NOITE SEM LUA, Castiel vitorino brasileiro (ES/SP)
 
SOBRE A 24ª MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES

PLATAFORMA DE LANÇAMENTO DO CINEMA BRASILEIRO
Considerada a maior manifestação do cinema brasileiro contemporâneo em formação, reflexão, exibição e difusão. Busca refletir e debater, em edições anuais, o que há de mais destacado e promissor na nova produção audiovisual brasileira, em longas e curtas, em qualquer gênero e em formato digital. A programação é oferecida gratuitamente ao público e inclui exibição de filmes brasileiros (longas e curtas), pré-estreias, homenagens, debates, encontros com a crítica, o diretor e o público, oficinas, seminário, mostrinha de Cinema, atrações artísticas.

TODA PROGRAMAÇÃO É OFERECIDA GRATUITAMENTE AO PÚBLICO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário