ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

11/12/2020

Liderança servidora

Todos os acontecimentos, tanto bons quanto ruins, vêm em ciclos


Por Prof. Paulo Lopes


Acredito que todos os acontecimentos, tanto bons quanto ruins, vêm em ciclos. Passamos por ciclos de guerra e ciclos de paz, ciclos de alegrias e ciclos de tristezas… essa alternância de sentimentos é importante, pois faz com que os ciclos bons sejam valorizados e vividos em plenitude. Contudo, devemos utilizar as nossas energias para criarmos ciclos positivos.


Vejo a possível eleição de Joe Biden e Kamala Harris como o fim de um ciclo de ódio, intolerância, racismo, machismo e homofobismo. Acredito que o discurso de ódio e da segregação cederá espaço ao discurso da paz e da empatia. O fato de Biden convidar uma mulher, negra, com descendência asiática para governar ao seu lado, o maior número de votos da história, o peso decisivo que teve o voto dos negros (em consequência das mobilizações desde os protestos pela morte de Floyd), o apoio de Barack e Michele Obama entre outros, reforçam o pensamento acima.


Acredito que os líderes devam aderir a esse novo ciclo de gestão e seguir a nova tendência de liderar com empatia, compaixão e tolerância, buscando agregar pessoas com pensamentos diferentes, para que através das diferenças consigam encontrar caminhos diferentes para atingir os objetivos comuns.


Chegou o momento de colocarmos em prática a Liderança Servidora, sugerida por James Hunter, no livro O Monge e o Executivo (2006), onde o líder deve ter a habilidade de atender as necessidades e não os desejos da sua equipe, buscando estimular a motivação de todos para atingirem as metas, identificando-as como sendo para o bem comum, sempre com empatia e compaixão. Que nossa liderança se concretize através da autoridade que conquistamos com nossos exemplos e não através do poder que o cargo nos habilita.


Sigamos os exemplos de grandes líderes servidores: Jesus Cristo, Mahatma Gandhi, Martin Luther King, Barack Obama e Joe Biden para entrarmos nesse novo ciclo com menos ódio e mais amor.


“Eu decidi ficar com o amor. O ódio é um fardo muito grande para suportar” (Martin Luther King)


*Professor Esp. Paulo Lopes
- CREF:3080 G/RS
- Graduado em Educação Física (UFRGS 2001)
- MBA em Gerenciamento de Projetos (UNILASALLE 2015)
- Pós MBA em Inteligência Emocional nas Organizações (UNILASALLE 2019). Leia Mais sobre o autor...

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo