LightBlog
>

ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

6/01/2020

Costureiros, estilistas, criadores, e designer criam modas, mas algumas podem fazer mal à coisa do Homem e da Mulher



Costureiros, estilistas, criadores, e designer de moda, sabem que é importante que quem usa as suas obras se sinta confortável, mas…


Por: Armindo Guimarães

No ano passado publiquei um artigo intitulado "A maioria dos homens usa a coisa para o lado esquerdo, porquê?", que de acordo com o Google Analytics foi o mais lido em 2019 no luso-brasileiro Portal Splish Splash, facto que não é de estranhar atendendo à importância do assunto não só para os detentores da coisa tratada no artigo, mas também para as mulheres que, curiosamente, foram as que mais comentaram sobre a coisa, quero dizer, sobre o artigo. Artigo que obteve 6 comentários para os exatos 4.812 leitores do artigo. Dá a ideia de serem muito poucos comentários para tantos leitores, mas não. Acontece que muitos entenderam, e bem, que matéria tão importante devia ser partilhada com os amigos, pelo que no Facebook e Twitter a coisa só não foi lida por quem estava distraído ou não dá o devido valor à coisa. E foi por isso que comentários que deveriam ter sido colocados no Portal Splish Splash, foram colocados no Twitter, em especial no Facebook em páginas e grupos, o que é bom, diga-se, mas melhor seria que ao mesmo tempo fosse comentado o artigo na sua fonte, pois somos de opinião que os comentários completam o artigo, desde que eles se encontrem onde o mesmo foi publicado.

COMENTÁRIOS SOBRE A COISA

Como é natural, comentários houveram que foram feitos através de mensagem enviada ao autor. De tantos, para terminar esta introdução que já vai longa, pois ainda não passamos ao assunto que nos trouxe aqui, transcrevo apenas dois comentários sem identificar os seus autores uma vez que se trataram de mensagens particulares:

- Olá, Mindo! Eu desde muito novo sempre gostei de andar ao contrário da maioria das pessoas e partilho dos gostos do Rei Roberto Carlos porque também uso a coisa para a direita e se experimentares vais gostar e chegar à conclusão que é mais prático. Faz-me lembrar quando me criticavam há muitos anos atrás por usar calças de ganga com blazer e hoje é mato. Lembro que na altura o Paulo de Carvalho, mais ou menos da minha idade e no ativo dos palcos, usava também a coisa para o lado direito. Aquele cara sou eu! Forte abraço.

Amigo de longa data, era realmente como diz, ou seja, sempre à frente do seu tempo. Por onde passava, o seu jeito à James Dean atraía a atenção da mulherada. É claro que eu não quis experimentar a coisa para o lado direito como ele me tinha sugerido, pois penso que iria contrariar a ordem natural das coisas, digo, da coisa, sendo que como disse o Dr. Ricardo de La Roca, a tentativa de redirecionar para outro lado não surte efeito, já que a natureza impôs esta situação. Portanto, cada qual deve usar a coisa para o lado que lhe der mais jeito e assunto arrumado.

- Você falou dos homens que usam a coisa pro lado esquerdo e direito mas não falou daqueles que usam no meio virada pra cima e eu estou falando disso porque meu namorado usa ela desse jeito e eu gostava que você me dissesse se também é normal pois lendo sua matéria vi que você só falou que se usava mais pra esquerda, mas que muitos homens usavam ela pra direita. E homem que usa ela no meio virada pra cima é defeito? Se você poder me esclarecer eu agradeço. Bjs.

Para quem não é especialista no assunto, como é o meu caso, esta pergunta pôs-me a pensar como foi que eu me fui esquecer de mais esta posição em que o homem pode colocar a coisa. Vendo bem, trata-se de mais duas posições, pois se o namorado da minha amiga usa a coisa para cima, também deve haver os que a usam para baixo, o que muito me interrogou, já que ia contra o argumento do especialista Dr. Ricardo de La Roca que deu como justificação para a postura da coisa no lado direito ou esquerdo consoante a leve curvatura que toda a coisa tem para um ou outro lado, ainda que a maioria fosse para o lado esquerdo, nada referindo sobre qualquer outra posição, designadamente para aqueles cuja coisa não tinha a referida leve curvatura, caso em que o homem teria tendência em a colocar para cima ou para baixo. Contudo, pensando ainda melhor, o especialista não referiu tais posições porque estariam fora de questão dado que fisiologicamente a coisa precisa de estar em repouso e como tal na melhor posição de descanso durante todo o dia, pelo que outras posições para além da esquerda e da direita não teriam cabimento.

EM SERVIÇO, MODELOS USAM A COISA PARA CIMA

O remédio foi ter que voltar a pesquisar sobre a coisa e quando já estava prestes a desistir, eis que no Google Imagens, deparo com a foto de um homem em cueca, usando a coisa no meio e para cima. Imediatamente clico na foto, indo parar a um site de roupa interior masculina, onde, além daquela foto, pude ver outras de vários homens modelo, sendo que todos eles, sem exceção, tinham a coisa no meio apontada para cima. Pesquisei noutros sites e, caso curioso, todas as fotos que permitiam aquilatar do lado da coisa, eram sempre na mesma direção, ou seja, no meio a apontar para cima, e nem uma a apontar para baixo e muito menos para o lado esquerdo ou direito, contrariando todas as teorias, ou seria eu que já não estava a ver coisa com coisa?

Não conheço pessoalmente o Dr. Ricardo de La Roca, senão era menino para lhe telefonar e perguntar: "Ó Dr. La Roca, você disse no seu artigo sobre a coisa que a maioria dos homens a usavam para a esquerda, como é por exemplo o meu caso, mas andei na internet a ver fotos de homens em cueca e todos eles, sem excepção, usam a coisa no meio e para cima. Então, em que é que ficamos?" 

E foi quando eu estava a divagar com uma hipotética conversa com o Dr. La Roca, que me deu um clique e respondi à mensagem da leitora, nestes termos: "Já estou a pesquisar sobre o que a preocupa relativamente à posição da coisa do seu namorado e creio que estou perto de lhe poder responder com toda a certeza, mas para isso gostaria de saber qual é a profissão dele." Resposta da leitora: "O meu namorado é modelo numa grande empresa de confeções aqui em São Paulo. Mas por que você me está perguntando isso? Que tem a ver a profissão de um homem com o sítio onde ele fica usando a coisa todo o dia?" Ao que eu respondi: "De facto, a profissão nada tem a ver com a posição da coisa, mas pode por vezes acontecer que em determinadas alturas do dia a profissão influencie o homem a, sem querer, colocar a coisa em determinada posição, no caso, no meio e para cima, se exercer a profissão de modelo, onde os fotógrafos de moda, por uma questão de estética, pedem aos modelos que coloquem a coisa não em descanso, mas em sentido e por isso é que nas fotos todos eles aparecem com a coisa colocada para o mesmo sítio. 


MODA SAGGER OU SAGGING

Enfim, coisas de costureiros, estilistas, criadores, e designer de moda, que não raro vão buscar coisas inimagináveis que para nosso espanto passam a moda, como é exemplo a moda sagger ou sagging, do inglês, "arqueado", "bambeando", deixando à mostra quase toda a cueca. Ao que parece, o criador de tal moda foi um estilista que por certo cumpriu pena numa cadeia estadunidense onde o costume é fornecer aos presidiários calças de apenas dois ou três números grandes que dê para todos poderem usar, ainda que lhes fiquem grandes demais e sem cintos para que não os possam utilizar para outros fins, como por exemplo, o suicídio, facto que dava origem a que muitos presidiários andassem com as calças a cair e como tal com a cueca à mostra. A moda pegou, como sabemos e eu estou a pensar muito seriamente em aderir a tal moda pois nela as calças permitem que a coisa ande sempre à vontade, além de rapidamente a podermos tirar do sítio para fazer xixi.



CALÇAS DE CINTURA BAIXA

Ao contrário das calças “Sagger” que ficam a matar e deixam a coisa à vontade, as calças de cintura baixa pegou moda há muitos anos e ao que parece é como aquele célebre slogan publicitário da Toytota, veio para ficar, de tal maneira que alguns pensam que a cintura baixa das calças é a cintura normal e com razão pois há muito que numa qualquer loja de roupa para homem, calças de cintura normal nem vê-las e de cintura alta nem vale a pena falar. E por isso, há muito que não compro calças, usando há anos as 10 que tenho de cintura normal que vou alternando entre as diferentes estações do ano. Não estou para andar com a coisa apertada demais e nem quero ver-me aflito para a conseguir tirar do sítio quando quiser fazer xixi. E, é claro, não quero andar por aí a mostrar o rego do meu traseiro sempre que tiver que me baixar para apanhar qualquer coisa do chão.



Mas não pensem que sou eu a armar-me em esquisito ou numa de anti modernismo. Nada disso. Os costureiros, estilistas, criadores, e designer de moda, sabem bem que é importante que quem usa as suas obras se sinta confortável. Acontece que por vezes a moda pega tanto que até os profissionais da arte sentem sérias dificuldades para preverem quando uma irá dar lugar a outra, como foi o caso do conceituado estilista brasileiro, Xico Gonçalves, que no seu site, em junho de 2016 anuncia "Cintura alta masculina. Será que pega?". Como tal moda não pegou, Xico Gonçalves volta a insistir em 2018 com a mesma moda que, passados que já foram 4 anos da sua interrogação, continua a não pegar.  Nas nossas pesquisas sobre a coisa demos com o site de Xico Gonçalves e ainda bem pois permitiu-nos dar com um vídeo onde o humorista Jô Soares entrevista o estilista, com humor, já se vê, acerca de moda, e que por vir muito a propósito deste texto, sugerimos aos nossos estimados leitores: Xico Gonçalves fala sobre tendências de moda no Programa do Jô, assim como o interessante texto publicado por Xico Gonçalves no seu site em dezembro de 2015, mas muito atual, sob o título “Perigos da Moda Passarela”.

MENINAS DEVEM TER MAIS ATENÇÃO À COISA DELAS

E quando ia dar por terminado este assunto, mais um clique me surgiu. Na certa, se publicar apenas assim, tal qual está, vai haver comentários de meninas perguntando porque é que eu só falo da coisa dos meninos e nunca falo da coisa das meninas. Uma pergunta que não se justifica muito tendo em conta que eu, além de não ser especialista em moda, não sou especialista na coisa, digo, nas coisas, e se falei na coisa do homem é porque eu próprio sou homem, diria mesmo, muito homem, pelo que seria incapaz de terminar este texto deixando as meninas de fora. Por isso, em vez de dar por terminado este texto, decidi prosseguir com a minha pesquisa, desta vez sobre os problemas que podem advir para a coisa das meninas no uso de determinado tipo de roupa, entre elas as calças de cintura baixa apertada que podem ser a causa de problemas com varizes, respiração, celulite, dores nas costas, má digestão e outros, conforme artigos publicados no site Gaúchazh, sob os títulos “Confira cinco problemas de saúde causados pelo uso de roupa apertada” e “Descubra mitos e verdades sobre a saúde íntima da mulher”

2 comentários:

  1. Parabéns, menino Armindo!
    Uma matéria muito interessante, pois é um assunto que muitos pensem, têm curiosidade de saber, mas que ninguém fala e muito menos escreve e aqui colocaste de forma esclarecedora e muito bem humorada.
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  2. Obrigado, menina Alba Bittencourt. Gostei de saber que gostou do texto. Essa foi a conclusão a que eu também cheguei, ou seja, que todo a malta pensa no assunto mas ninguém fala nele, não sei porquê pois se formos em algumas modas só porque é moda, o corpo é que paga. E a menina costuma ter cuidado com a sua coisa ou como muitas meninas usa calças apertadas de cinta baixa? Depois não diga que eu não a avisei! Beijinho.

    ResponderEliminar

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo