ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

30 de outubro de 2018

Judith Owen, o seu brilhante novo álbum “Rediscovered” e a sua luta contra a depressão


Judith Owen, o seu brilhante novo álbum “Rediscovered”, uma digressão esgotada e a sua luta bem sucedida contra a depressão

Numa compilação virtuosa de covers realizada no seu estilo habitual de jazz, o novo álbum de Judith Owen “Rediscovered” mostra a voz impressionante da cantora do País de Gales. Um dos temas mais destacados é a sua interpretação do mega hit de Drake, "Hotline Bling", que foi sugerido a Owen pelo seu marido, Harry Shearer, a lenda dos Spinal Tap e dos Simpsons.

“Senti que precisava de mais uma música contemporânea para completar o álbum”, explica Judith Owen, sentada no lounge do hotel Morrison, em Dublin. “Perguntei a Harry porque ele é um fã de todas as músicas - tem o seu próprio programa de rádio e ouve coisas novas constantemente. Então, perguntei a Harry: "Qual seria a música mais chocante que eu poderia fazer uma versão?" Ele nem sequer pensou muito e mostrou-me logo o tema "Hotline Bling".

“Eu conhecia o tema, claro - é o tipo de música que ouvimos em todos os lugares, na rádio e no cabeleireiro! Mas no minuto em que ouvi a música com mais atenção, soube exatamente do que Harry estava a falar. Imediatamente ouvi o tema como uma peça com piano pseudo-clássico, e deu-me uma sensação cinematográfica - como se fosse de um filme francês ou algo assim. Estudei a letra e tornei-a autobiográfica."

Ao realizar a versão, Judith recorreu a algumas experiências passadas dolorosas.

"Percebi que é uma música sobre amor não correspondido", observa. “Todos nós sabemos o quanto isso pode ser doloroso. Pensei sobre o último relacionamento que tive antes de conhecer Harry. Foi nessa situação muito dolorosa que tive sentimentos por um homem que não estava interessado em mim. Ele costumava ir ver-me a cantar num clube com a sua mais recente conquista – imaginem como era difícil para mim!”.

A variedade de material que Owen aborda em “Rediscovered” é extraordinária, desde o tema principal de “Grease” – “Summer Nights” (em que Judith mina incrivelmente a melancolia da música) até à incrível meditação dos Soundgarden sobre depressão, "Black Hole Sun". Como alguém que falou corajosamente no passado sobre as suas próprias lutas de saúde mental, o assunto da obra-prima de Chris Cornell ressoou fortemente em Judith Owen.

“Decidi fazer a música em 5/4, o que é muito influenciado por Dave Brubeck”, diz Judith. “Há algo fora de ordem sobre isso. Quero dizer, quem poderia imaginar uma música maior sobre depressão do que "Black Hole Sun"? A forma como Chris Cornell escreveu e os Soundgarden gravaram, a música soa como a depressão realmente é. Como se estivesses a arrastar o teu corpo por um pântano - estás entorpecido e sem vida. E o vídeo da música é impressionante, com os rostos derretidos. Mas eu não sonharia em fazer isso no estilo original; ninguém poderia fazer isso melhor. Por isso, tomei esta abordagem ”.

Tendo emergido do pior da sua condição, Judith faz questão de enfatizar que há sempre esperança.

"Eu sou a prova de que há vida após esta doença, e durante e através dela. Temos que falar sobre depressão, é a conspiração do silêncio que é o assassino. A minha mãe morreu de suicídio e tive sempre medo de acabar assim. Mas acreditem, sou uma pessoa muito diferente de quem eu costumava ser - tinha um lado que era muito secreto, cheio de vergonha e silencioso.

“Encorajo as pessoas a falar e a encontrar uma paixão que dê sentido à sua vida, seja arte, música, desporto ou qualquer outra coisa. No minuto em que comecei a falar sobre isso e mostrar quem eu realmente era, descobri que as pessoas quase me amavam mais por isso."

Judith Owen ainda é um nome pouco conhecido em Portugal, mas a cantora-compositora e pianista do País de Gales, está atualmente num excelente momento, com concertos esgotados na Europa, e críticas de 5 estrelas na Imprensa internacional.

De destacar a colaboração com o músico português Pedro Segundo, um dos melhores percussionistas do mundo do jazz, que também partilha o palco com Judith Owen nos seus concertos.

CRÍTICAS:

★★★★★ The Times (UK) “…a stunning evening”
★★★★★ Artinfo (UK) "Extraordinary, frankly: must see, and hear
“an artist, who's hard to classify, but impossible not to love” Record Collector (UK)
★★★★★ Swedish Varberg Nyheter -“ Best Show in 20 years!"

Sofarecordings: Judith Owen - "Black Hole Sun"

JUDITH OWEN nas redes sociais

Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

Sem comentários:

Enviar um comentário

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES
clique na imagem para ver os perfis