ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

25 de janeiro de 2018

Cuidados com bebês e crianças no verão



Os bebês e crianças precisam de cuidados, sempre, é óbvio. Porém, no verão, devido às altas temperaturas, a atenção deve ser ainda maior para evitar problemas e idas à emergência dos hospitais. A atenção com alguns detalhes certamente irá garantir tranquilidade e diversão nas férias.


“A temperatura elevada e a forte intensidade da radiação solar podem ocasionar desidratação, insolação e queimaduras solares”, informa a dermatologista doutora Silmara Cestari, presidente do Departamento de Dermatologia da SPSP (Sociedade de Pediatria de São Paulo).


É necessário evitar que bebês e crianças fiquem expostos por muito tempo ao sol. Também nada de agasalhar os pequenos: eles devem vestir roupas frescas, usar bonés e/ou chapéus. Os pais precisam estar alertar ainda à qualidade da água do mar e não frequentar praias impróprias para o uso. Cuidado também com os mosquitos, pois nessa época proliferam e causam muitas doenças, como a dengue.


A boa alimentação também é importantíssima. Então, nada de comidas pesadas para as crianças.


“Os bebês requerem de uma boa hidratação, por meio de sucos, chás e, principalmente, água. As crianças maiores, além da hidratação com sucos, chás e água, devem consumir comidas leves e alimentos saudáveis como frutas, legumes e verduras”, ressalta a pediatra.


Os ambientes fechados e quentes também não são aconselháveis nessa época do ano. “Resfriar o local, quando está muito quente, é benéfico. Mas deve-se evitar a variação brusca de temperatura, para não expor o bebê a temperaturas quentes e frias sucessivamente. O ventilador e o ar condicionado não devem ser direcionados para o bebê. A manutenção e limpeza do ar condicionado são essenciais para evitar que o bebê respire os microrganismos que se acumulam nos aparelhos sem limpeza frequente”, explica a doutora Silmara.

Na praia e na piscina, os pais devem ter atenção com os horários, evitando a exposição solar entre 10h e 16h, quando a radiação solar que chega a terra é mais prejudicial para a saúde. Evitar também a exposição solar excessiva (muitas horas seguidas na praia ou piscina). “O filtro solar precisa ser aplicado 30 minutos antes de levar o bebê para esses locais e reaplicado a cada duas horas e após o banho de mar ou piscina. Lembrando sempre de oferecer água e outros líquidos com frequência”.

A doutora Silmara ressalta a relevância do uso do filtro solar. “É fundamental que os bebês utilizem a partir dos seis meses de idade. O produto deve ser apropriado para uso na infância. Há vários especializados para bebês no mercado.” 

Sempre que houver suspeita de desidratação, insolação ou queimadura solar, um medico deve ser consultado. Vomito, diarreia e febre são sintomas a serem avaliados pelo médico em quaisquer circunstâncias. 


“Varias doenças de pele ocorrem com maior frequência no verão, como a brotoeja, as micoses, o bicho geográfico, portanto qualquer lesão também deve ser avaliada por um médico”, conclui a doutora Silmara.
Alda Jesus

Sobre a autora

Alda Jesus - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Sem comentários:

Enviar um comentário

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES
clique na imagem para ver os perfis