ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

9/08/2013

25.º Bate-papo entre Roberto Carlos e eu - RC e sua equipa desvendando o mistério sobre a verdade da mentira




Por: Armindo Guimarães
Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins



RC E SUA EQUIPA DESVENDANDO O MISTÉRIO SOBRE A VERDADE DA MENTIRA


“Às vezes as mentiras também ajudam a viver”
Roberto Carlos Braga


Depois de eu, o Roberto Carlos e o Eduardo Lages termos conversado pelo telefone, no dia 5 de Maio, naquele que foi o 24º. Bate-papo entre Roberto e eu, publicado no fórum do Portal Clube do Rei, eis que, dois dias depois, recebo a maior surpresa e o maior susto da minha vida.

A maior surpresa, porque, para além de ter tido mais um bate-papo com o NMQT - Nosso Mais Que Tudo, tal bate-papo estendeu-se a toda a sua equipa e não só, pois por coincidência nele também entraram o Erasmo Carlos, o Dudu e Carminha.

O maior susto, porque, para meu desgosto e de todos os intervenientes neste longo bate-papo, digno de figurar no Guinness World Records por ter durado quase 5 horas (!!!), a série de bate-papos iniciada em 5 de Março de 2005 esteve em risco de ser interrompida, melhor dizendo, definitivamente cancelada a partir do seu 24º número.

Tudo porque, o NMQT se lembrou, e bem, de analisar os comentários dos fãs àquele bate-papo, constatando que, não obstante a menção final que sempre é postada nos bate-papos, de que tudo é ficção, todo mundo está convencido que tudo é verídico quando, na verdade, tudo não passa de imaginação minha porque não tenho mais o que fazer e por isso me entretenho a imaginar diálogos meus, do Roberto e de outros.

Aliás, fico até profundamente admirado como é possível ter passado pela cabeça da galera semelhante conclusão, como se fosse possível o Roberto Carlos andar agora a perder tempo com um cara que não conhece de lado nenhum e ainda por cima um portuga do outro lado do Atlântico, que não interessa nem ao Menino Jesus, como ele costuma dizer.

Mas, melhor do que eu possa dizer sobre o assunto, dirá a quem estiver interessado, o relato de como tudo se passou neste 25º. Bate-papo entre Roberto e eu, em que, como já disse, para além de Roberto, entraram os ilustríssimos:
 
- ERASMO CARLOS (o amigo de fé, irmão camarada)
- DUDU (o filho do Rei)
- CARMINHA (a secretária do Rei)
- EDUARDO LAGES (o maestro do Rei)
- TUTUCA (teclados)
- DEDÉ (percussão)
- WANDERLEY (piano)
- NORIVAL (bateria)
- DÁRCIO (baixo)
- ARISTEU (guitarra)
- PAULINHO (guitarra)
- NAHOR (trompete)
- WALMIR (trompete)
- JORGE (trombone)
- CLÉCIO (sax alto)
- DIRONIR (sax tenor)
- AURINO (sax barítono)
- ISMAIL (vocalista)
- JUREMA DE CÂNDIA (vocalista)
- ANA LÚCIA (vocalista)
- GENIVAL (o homem dos 7 ofícios)

7 de Maio de 2008, quarta-feira, 11,07h
O meu telemóvel vibra.
Trrrtrrr, trrrtrrr, trrrtrrr. Chamada anónima.
E eu atendo.

ARMINDO – Estou?
ROBERTO – Bicho! Eu sabia que algo não ia dar certo em nosso bate-papo anterior e estou lhe telefonando danado demais com você. Cê deitou por terra 3 anos de bate-papos inesquecíveis, indo escrever coisas que não devia, se esquecendo que eu preservo muito minha intimidade. Aí, não tá dando mais pra…
ARMINDO – Ó Berto, tem calma, pá! O que é que se passa, carago?!
ROBERTO – Bicho! Cê e Edu, aproveitando meu celular e minha breve ausência, bolaram conversas que você publica lá no fórum do Portal Clube do Rei, sem meu conhecimento, e ainda por cima você me pergunta o que se está passando, mora? Cê não sabe o que escreveu? Bem que eu desconfiei que aquele bate-papo iria dar o que falar…
ARMINDO – Ó Berto, mas eu continuo sem saber qual é o problema, pá!
ROBERTO – O problema é que se até agora muita gente estava pensando nossos bate-papos serem ficção, a partir daquele 24º. tudo mudou. Quem mandou pra você postar lá minhas análises aos comentários dos fãs sobre o bate-papo entre eu, você e Erasmo? Aí, se até agora a galera estava entre a dúvida e a certeza, agora passaram a ter só certeza e aí não dá mais, não!
ARMINDO – Ó Berto, eu tinha-te dito que não ia publicar essas tuas análises por causa do tom irónico com que as disseste, mas tu é que fizeste questão disso, respondendo-me: “Não se preocupe com isso, bicho! Interessa é você no final não esquecer de indicar que tudo é ficção. Desse jeito, para todos os efeitos eu nada analisei, né?! É tudo fruto de sua criatividade!” E a seguir até te ris-te e tudo. Por isso…
ROBERTO – Por isso, o quê, cara? Eu disse aquilo numa de brincadeirinha, convencido que você era minimamente inteligente pra separar trigo de joio e que teria o senso bastante pra ver que postando aquelas minhas análises a coisa iria ficar preta, mora!
ARMINDO – Ó Berto, acontece que mesmo depois daquelas tuas palavras que agora dizes que foram ditas numa de brincadeirinha, eu estava a fim de não publicar as tuas análises, mas falando com o Eduardo Lages sobre o assunto, ele disse-me pra eu as publicar, sem problema nenhum. Ate me disse que eu não devia levar tudo a sério, pois que a galera lendo as tuas análises logo iria ver que a tua ironia não era pejorativa mas sim numa de brincadeirinha.
ROBERTO – O quê, Mindo?! Você me está dizendo que foi o Edu que disse pra você publicar minhas análises? Eu não acredito! Eu tô aqui com minha equipe ensaiando pros shows de Sexta-feira e Sábado, em São Paulo e interrompi os trabalhos só pra telefonar pra você por causa deste gravíssimo problema que vai ter que ser resolvido agora sem falta nenhuma, pois está em causa minha intimidade. Vou chamar Edu pra esclarecermos tudo de uma vez.

ROBERTO, chamando pelo Eduardo Lages em voz alta:
- Edu! Edu! Edu! Puxa vida! Onde ele se meteu, agora? Tutuca! Chame aí o Edu, viu?

TUTUCA, respondendo a Roberto:
- Roberto, não tÔ vendo ele, não!

ROBERTO, impaciente:
- O cara se sumiu, é? Minha nossa! Tutuca, pegue aí em meu celular enquanto eu vou buscar uma coisa, tá? Se você quiser pode ir falando com ele.

TUTUCA, sem saber nada do que se estava a passar e muito menos quem estava em linha no celular:
- Roberto, pére aí! Como vou falar com ele se eu nem sei quem é o cara?

ROBERTO, que já tinha andado uns metros, exclama sem abrandar o passo:
- Se você me está vendo agitado demais, dá pra ver quem é o cara, né!

TUTUCA, desistindo de interrogar Roberto, com receio que sobrasse pra ele:
- Alô! Boa tarde! Eu sou o Tutuca e Roberto me pediu pra tar falando com você enquanto ele foi buscar uma coisa qualquer. Só que ele não me disse quem era você e aí eu nem sei o que dizer. Eheheheheh

ARMINDO, espantado com o rumo que as coisas estavam a levar e ao mesmo tempo contente por saber que tinha o Tutuca em linha:
- Olá, Tutuca! Eu sou o Armindo de Portugal, que costuma bater papo com o Roberto!

TUTUCA, já esclarecido sobre quem era o seu interlocutor, mas continuando intrigado:
- Ah! Tô vendo! Você é o tal cara que vem alegrando nosso Roberto, o pondo até transando uma de fala portuga. Eheheheheh Cê nem imagina a gozação quando Roberto se descuida e começa transando essas suas frases bem bacanas. A gente se ri demais, mas ele não gosta quando a gente topa ele falendo sem querer numa de portuga, sabia? Aí, a gente se ri mais ainda! Eheheheheh

ARMINDO, todo babado pelas palavras do Tutuca:
- Fico contente por saber que é assim, Tutuca. Mas ao mesmo tempo estou triste porque, contra o costume, o Roberto hoje telefonou-me numa de zangado comigo e estou a ver que isto vai dar pano pra mangas, carago!

TUTUCA, rindo:
- Eheheheheh Essa palavra “carago”, é uma das que Roberto costuma dizer sem querer. Essa e outras mais, que agora não lembro. Eheheheheh

TUTUCA, falando para Dedé:
- Dedé! Você nem imagina com quem tô falando agora! Tô com o tal portuga que passa a vida transando com Roberto numa de bate-papo! Eheheheheh

DEDÉ, duvidando de Tutuca:
- É mesmo? Como ele telefonou pra você?

TUTUCA, sem mais explicações:
- Arrume aí suas baquetas e fale com ele agora.

DEDÉ, falando a modos de quem está a ser vítima de alguma brincadeirinha:
- Alô! Boa tarde. Com quem estou falando?

ARMINDO, colocando o seu celular entre o ombro e a face, para poder esfregar as mãos de contente:
- Olá, Dedé! Sou o portuga Armindo, pá!

DEDÉ, agora mais à vontade:
- Pô! Como ia eu pensar que hoje iria ter o prazer de tar falando com você! Belo presente!

ARMINDO, rindo:
- Eheheheheh O prazer é todo meu, Dedé! E atenção que este presente não é um daqueles que o Roberto recebe nos palcos e que você sempre os guarda pra ele. Eheheheheh

DEDÉ, rindo:
- Eheheheheh E isso, aí, Armindo! Como se já não bastassem as prendas que tenho que guardar pra ele, ainda tenho a missão de lhe chegar as rosas pra ele distribuir pela galera.

ARMINDO, aproveitando pra mandar uma das suas:
- Isso é o que se chama um rosáceo-percussionista, eheheheheh

DEDÉ, rindo:
- Caramba! Me estou lembrando que há dias o Edu também me chamou esse nome, se rindo demais! Onde foi ele buscar esse termo de rosáceo-percussionista, Armindo?

ARMINDO, numa de disfarce, mentindo:
- Não sei, Dedé! Só sei que o Eduardo às vezes lembra-se de cada uma do carago, pá!

DEDÉ, lembrando-se de uma do Eduardo Lages:
- Há dias táva eu e Ismail falando sobre Edu e nos rimos pra burro por causa dele. Durante nossa digressão pela Argentina, Edu tinha mania que sabia dançar tango como ninguém e aí o pessoal começou a chamar ele de Tangueiro. Eheheheheh Armindo, espere aí um pouco, tá? Vou passar o celular pro homem que nos palcos passa a vida vivendo entre as mulheres. Ele vai adorar falar com você!

DEDÉ, para Ismail:
- Ismail, tenho uma surpresa pra você, cara! Cê sabe quem tá no celular?

ISMAIL, para Dedé:
- Pôxa! Cê não diga que agora celular também tem gente dentro! Eheheheheh

DEDÉ, rindo:
- Se deixe de gozação e fale com o tal portuga que revolucionou nosso Roberto.

ISMAIL, admirado:
- É ele mesmo? Que bacana! Faz tempo que eu táva esperando bater papo com esse cara! Dedé, enquanto eu falo com o Mindo, avise aí todo o pessoal que tamos batendo papo com o portuga amigo do Roberto, tá?

ISMAIL, para Armindo:
- Oi, Armindo! Tudo bem, com você? Eu sou seu fã de carteirinha, sabe? Sempre leio seus bate-papos e me rio demais. Eheheheheh

ARMINDO, emocionado com tanta coisa de uma vez só:
- Obrigado Ismail. Eu, sendo fã do Roberto, obviamente que também sou fã de todos vocês que com ele colaboram. Por isso, apesar de neste momento estar triste por causa dumas coisas que o Roberto há pouco me disse, não posso deixar de estar feliz por esta oportunidade que eu julguei impossível, que é o facto de estar a conversar com essa equipa maravilhosa que com arte e encanto, fazem dos shows de RC uma emoção contagiante.

ISMAIL, emocionado:
- Brigado, Armindo! Essas palavras ditas por você, são como música pra nossos ouvidos. Todo mundo está aqui me pedindo pra mandar pra você um grande abraço.

ARMINDO, agora emocionado ao quadrado:
- Obrigado a todos! A emoção é tanta que nem sei que dizer. Um abração luso-brasileiro para toda a malta!

PAULINHO, para Armindo:
- Oi, Armindo! Que bacana você estar batendo papo com a gente!

ARMINDO, satirizando:
- Olá, Paulinho! Tudo bem?

PAULINHO, com pressa:
Olhe aí, Armindo! Roberto tá aí chegando e vem com cara de poucos amigos, senão eu passava o celular do Ismail para as mãos do Roberto e aí vocês podiam bater mais um dos vossos famosos bate-papos. Mas do jeito que ele hoje está, vou ter que desligar o celular, viu?

ARMINDO, preocupado:
- Paulinho, não desligue, carago! O celular não é do Ismail, mas sim do próprio Roberto que me telefonou, pedindo-me pra esperar um pouco enquanto ele ia buscar uma coisa qualquer. Só que esse “pouco” demorou quase…

ROBERTO, falando pra Paulinho em tom de zangado:
- Paulinho! Que tá fazendo com meu celular? Quem deu pra você meu celular, bicho?!

PAULINHO, sem saber o que dizer e muito menos onde se meter:
- Roberto, foi Ismail que me chamou pra bater um papo com o Armindo lá de Portugal.

ROBERTO, atónito:
- E quem deu pro Ismail meu celular? O Mindo ainda está no telefone? Não é possível! Eu telefonei pra ele há mais de 30 minutos e vocês em vez de desligarem a chamada se aproveitaram pra bater papo às minhas custas? ME CHAMEM A CARMINHA!!! Fim do mês ela vai ter que descontar grana nos vossos salários, mora!

PAULINHO, preocupado:
- Roberto, eu quase que nem cheguei a falar com o Armindo…

ROBERTO, implacável:
- Paulinho, não tente se pôr de lado, viu?! O fato de você ser meu genro não vai impedir nada. Contas, são contas, e cê sabe que amigos, amigos, negócios à parte, né?! Segure aí nestas folhas, enquanto eu falo com o Mindo, tá?

ROBERTO, dando um suspiro:
- Mindo, cê desculpe a demora, bicho! Andei procurando as fotocópias que tirei do 24º. Bate-papo, pra mostrar que tenho razão em dizer que você desta vez ultrapassou os limites.

ROBERTO, dirigindo-se à sua equipa:
- Gente! Onde anda o Edu, caramba!?

ARISTEU, solicito:
- Roberto, como você interrompeu nosso ensaio pra telefonar pro Mindo, Edu e Wanderley aproveitaram pra ir tomar um cafezinho e disseram que logo, logo, estariam aqui pra retomar o ensaio.

ROBERTO, sem limite:
- “Logo, logo”, pra esses caras são mais de 30 minutos? Já não chega os altos papos que eles têm nas madrugadas das viagens de nossos shows e ainda estão batendo papo em tempo de ensaio!? ME CHAMEM A CARMINHA!!!

JUREMA e ANA LÚCIA, em coro:
- Roberto, Carminha saiu pra encomendar as rosas pros shows de Sexta e de Sábado.

ROBERTO, não conseguindo suster um breve sorriso:
- Meninas, não precisavam dizer isso em coro. A não ser que estejam aproveitado pra ensaiar, trabalhando, que é coisa que aqui ninguém faz. Eheheheheh

JUREMA e ANA LÚCIA, rindo em coro:
- Eheheheheh

ROBERTO, mudando de tom:
- Onde está Genival? Esse aí, eu sei que sempre está presente em todas dificuldades. GENIVAAAAAALLLLLL !

GENIVAL, aparecendo como um relâmpago, vindo do nada:
- Há algum problema Roberto?

ROBERTO, surpreendido:
- Puxa vida! Como você apareceu aqui tão de repente?

GENIVAL, com o seu sentido prático das coisas:
- Roberto, você sabe que eu sempre estou onde você está.

ROBERTO, vendo o tempo passar e Eduardo e Wanderley sem chegar:
- Genival, por favor me encontre aí Edu e Wanderley, viu?! Faz tempo que estou esperando por esses caras, mora!

GENIVAL, rápido a resolver:
- É só isso, Roberto? Então eles já estão aqui!

ROBERTO, intrigado:
- Já estão aqui? Genival, não me diga que você agora também deu em mágico como o netinho do Edu. Eheheheheh

GENIVAL, rindo:
- Eheheheheh Olhe aí, Roberto! Edu e Wanderley estão aí chegando!

ROBERTO, sorrindo mas logo a seguir pondo-se sério:
- Edu! Temos aqui um problema pra resolver, viu?! Tô falando com o Mindo sobre nosso último bate-papo…

EDUARDO, rindo:
- Eheheheheh Eu já li o bate-papo e achei um barato!

ROBERTO, replicando:
- Um barato que vai sair caro, Edu! Cê mandou o Mindo publicar no 24º. Bate-papo aquelas minhas análises aos comentários que os fãs fizeram ao 23º., e isso foi a ponta do iceberg, pois agora todo mundo ficou com a certeza que nossos bate-papos são verídicos.

NORIVAL, confuso:
- Roberto, eu pensava que seus bate-papos com esse portuga eram verdadeiros, mas estou vendo que afinal é tudo mentira e se calhar esse portuga nem existe…

ROBERTO, sorrindo para dentro:
- Norival, cê sabe que mentira não é comigo e porque vem agora dizendo bobagem? E como, o Mindo não existe, se eu tô falando agora mesmo com ele pelo celular, Norival? Minha nossa!

NORIVAL, ainda mais confuso:
- Mas…

ROBERTO, prosseguindo:
- Norival, deixe estar assim, tá? Não faça mais confusão, mora!

WANDERLEY, aproveitando para fazer um pedido:
- Roberto, eu e Edu, enquanto tomávamos café estávamos precisamente falando nesse assunto, sabia? Esses bate-papos bem que são um barato e eu até tinha ideia em pedir pra você que quando voltasse a bater um papo com o Mindo, me deixasse entrar também.

ROBERTO, nada interessado na ideia do Wanderley:
- Wanderley, esqueça essa sua ideia, tá legal? Tô mesmo imaginando você e Edu batendo papo com o Mindo, era um começar e nunca mais acabar. E eu ficando de fora, né?!

WANDERLEY, insistindo:
- Mas… Roberto, eu prometo não abusar do tempo, tá? Só queria falar com ele sobre umas coisas lá de Portugal.

ROBERTO, suspeitando das coisas de Portugal que interessam a Wanderley:
- Wanderley, não insista, bicho! Se forem as coisas que eu estou pensando, cê sabe que aqui no nosso Brasil há milhões a pegar, bem atraentes e duma beleza que dá gosto ver. São uma brasa, mora!

WANDERLEY, resignado:
- Cê tem razão, Roberto! Mas como a gente vai a Portugal em Julho, não sei se tá vendo…

AURINO, exclamando:
- Roberto, eu tenho uma…

ROBERTO, interrompendo a exclamação de Aurino, por lhe ter acontecido um incidente:
- Puxa vida! Eu tô vendo é que a bateria de meu celular tá pifando, mora! GENIVAAAAAALLLLLL !!!

GENIVAL, sempre presente.
- Qual é o problema agora, Roberto?

ROBERTO, ansioso:
- Genival, me faça um favor, bicho! Me arrume aí uma bateria, tá?

GENIVAL, rápido a resolver.
- É pra já, Roberto! Vou já correndo pegar na bateria do Norival.

ROBERTO, incrédulo:
- Genival! Onde cê vai, bicho? Não é essa bateria que eu quero. Eu quero bateria pro meu celular.

GENIVAL, justificando-se.
- Porque você não disse logo, Roberto!? Tem uma no bolso de seu casaco que você sempre coloca de reserva quando telefona pro Mindo.

ARMINDO, gritando do seu celular:
- Ó Berto, é só pra te dizer que além de te teres esquecido da bateria no bolso do casaco, também te esqueceste de mim, pá!

ROBERTO, acalmando Armindo:
- Mindo, você me desculpe mas aqui acontece tudo, menos organização. Imagine que até minha bateria pifou.

JUREMA e ANA LÚCIA, mais uma vez em coro:
- Roberto, podemos fazer uma pergunta pra você?

ROBERTO, atencioso pras meninas, como sempre, mas não conseguindo disfarçar uma certa dose de impertinência:
- Mas é claro que sim. Aliás, vocês ao me perguntarem se podiam me fazer uma pergunta, já estavam fazendo a pergunta eheheheheh. Ju e Lucinha, cês sabem bem que comigo podem sempre perguntar o que for, né?! Mas, por favor, falam uma de cada vez, tá? Não precisam de perguntar em coro, que me faz confusão, mora!

JUREMA, fazendo a Roberto uma pergunta que trazia água no bico:
- Roberto, a Carminha falou pra você sobre a equipe?

ROBERTO, pensativo.
- Não lembro que Carminha tivesse me dito algo…

JUREMA, indo direta ao assunto:
- É que a gente tava pensando em aumento de salário e aí…

ROBERTO, numa de Tio Patinhas:
- E aí, Ju, quando você falou em aumento, pensei até que ia falar em aumento de trabalho, pôxa! Mas ainda bem que a equipe só pensou em aumento de salário. Pior era se quisesse mesmo esse aumento.

ANA LÚCIA, substituindo Jurema que ficou afónica com a resposta do Roberto:
- Roberto, mas nós não tamos apenas pensando! Estamos mesmo querendo esse aumento de salário. A vida está cada vez mais difícil, sabe?

ROBERTO, com a sensação de quem já está mexendo no seu bolso:
- Lucinha, você vem dizer pra mim que a vida tá difícil, mora?! Você não tá vendo que tamos todos aqui reunidos pra resolver um problema bem difícil? ME CHAMEM A CARMINHA!!!

ROBERTO, falando com Armindo:
- Oi, Mindo! Cê tá vendo como aqui acontece de tudo? Agora, Jurema e Ana Lúcia, bancaram uma de sindicalistas representando a equipe pra reivindicarem aumento de salário. Isto só pra mim, Mindo! Não queira tar em minha pele, bicho!

ARMINDO, rindo:
- Eheheheheh Ó Berto, se não te pões a pau, tás lixado que o pessoal decreta greve.

EDUARDO, de mansinho, retomando a conversa sobre o assunto que preocupa Roberto:
- Roberto, você me desculpe, mas não tô vendo onde está o problema de o Mindo ter postado as análises que você fez aos comentários dos fãs.

DÁRCIO, falando para Norival:
- Norival, afinal o portuga existe! Eheheheheh

ROBERTO, zangado:
- Quem foi que se riu agora? O caso não é pra rir, mora!

NAHOR, tentando pôr água na fervura:
- Roberto, foi o Dárcio, esclarecendo o Norival sobre a existência do Mindo.

ROBERTO, armado em vitima:
- Nahor, o assunto está ardendo demais e você ainda vem esquentar pra mim, é?!

GENIVAL, aparece de repente com uma mangueira na mão armado em bombeiro:
- Onde é o incêndio que eu apago já ele!

ROBERTO, nos píncaros da lua:
- Genival, quem falou em incêndio, cara? Leve daqui a mangueira, pôxa!

ARMINDO, berrando ao celular:
- Ó Berto, não dizes nada, carago?! Tou a ouvir vocês todos numa cavaqueira do carago e eu aqui feito camelo!

ROBERTO, mordaz:
- Mindo, vá bebendo água e aguente mais um pouco, rapaz!

ROBERTO, para Dinorir:
- Dironir, me dê aí as folhas, tá?

AURINO, para Roberto:
- Roberto eu tenho uma…

ROBERTO, interrompendo Aurino:
- Aurino, eu tô pedindo minhas folhas pro Dironir e você vem interrompendo, mora! Espere aí um pouco, bicho!

DIRONIR, espantado com o pedido das folhas:
- Que folhas você tá falando, Roberto?

ROBERTO, tentando ser paciente:
- As folhas do 24º. Bate-papo, né!? Que folhas haviam de ser, Dironir?

DIRONIR, explicando:
- Pensei que você táva falando das Folhas de Outono. Essas que você falou, eu não tenho, não! Você as deu a Paulinho.

ROBERTO, vendo que meteu água mas não querendo reconhecer:
- Mas é claro que eu sei que dei as folhas pro Paulinho, mas eu só táva pedindo a você pra chamar ele. O cara sumiu daqui sem avisar. Onde se meteu ele, gente? GENIVAAAAAALLLLLL !!!

GENIVAL, mais uma vez aparecendo vindo do nada:
- Qual é o problema, Roberto? Me diga, que eu logo resolvo.

ROBERTO, apelando:
- Genival, você me desculpe, viu?! Me faça aparecer aí rapidamente o Paulinho, bicho!

GENIVAL, com o seu habitual sentido prático:
- Roberto, se em vez de chamar por mim, você chamasse por Paulinho, logo o teria. Ele está mesmo aí atrás de você, de celular na mão, contando pra Ana Paula o que se está passando aqui por causa desse tal bate-papo entre você, o Edu e o Mindo.

ROBERTO, virando-se para trás, exclama impertinente:
- Paulinho, deixe de fazer queixinha pra minha filha, tá legal? Me dê aí as folhas, mora!

ARMINDO, gritando a plenos pulmões:
- Ó Berto, já estou a ficar lixado pra carago, pá! Nunca mais me dizes nada!

EDUARDO, numa de oportunismo:
- Roberto, se você quiser eu pego aí no celular e vou falando com o Mindo, enquanto você dá uma olhada aí nas folhas.

ROBERTO, dando risada mordaz:
- Eheheheheh Edu, essa aí não pega, não! Você queria era aproveitar pra estar aí num alto bate-papo com o Mindo, né?! Eu não preciso dar uma olhada no que já li, viu? Eu só quero é que aqui todo o pessoal me diga se tenho ou não razão quando digo que essa sua ideia de dizer pro Mindo publicar no bate-papo minhas análises aos comentários dos fãs, é motivo de eles agora terem certeza do que antes apenas duvidavam. De 6 comentários postados até hoje ao 24º. Bate-papo, todos eles possuem teor categórico quanto à veracidade dos bate-papos. Senão, vejamos: a Cármen Augusta, de Sorocaba-SP, escreveu: “Meu amigo Armindo, que belo papo! Fiquei contente e emocionada em ser citada nele. Imagine o Roberto perguntando: Quem é a Guta? Nossa, só mesmo numa ficção tão bem bolada como essa! Mindo, você é mesmo um gajo do carago! Um grande abraço”.
Pessoal! Analisem bem só esta frase da Guta: “Fiquei contente e emocionada em ser citada nele.”
Tá na cara, né?! É lógico que se Guta não tivesse certeza que nossos bate-papos com o Mindo são verdadeiros, não iria ficar contente e emocionada. Não é preciso ser muito inteligente pra topar isso, gente!

DÁRCIO, intrigado, pergunta:
- Roberto, me diga uma coisa: Essa Guta…

AURINO, intervindo sobre o assunto:
- Eu entendo que…

DÁRCIO, aborrecido pelo facto do Aurino ter interrompido o seu argumento:
- Olhe aí, Aurino! Então eu tava argumentando sobre o assunto e você me interrompe?

AURINO, contrapondo:
- Dárcio, acontece que eu…

ROBERTO, intervindo:
- Aurino, se deixes de coisas, mora! Deixe Dárcio terminar seu raciocínio, e depois fala a seguir, tá?

DÁRCIO, prosseguindo com a sua intervenção:
- Eu tava perguntando a Roberto se a Guta também é portuga.

ROBERTO, intrigado pela pergunta, responde:
- Dárcio, a que propósito você se lembrou dessa?

DÁRCIO, explicando:
- É que a Guta nesse comentário falou à portuga, dizendo: “Mindo, você é mesmo um gajo do carago!”. Isso aí dá pra desconfiar, Roberto. Ela sendo portuga, o Mindo não se conteve e foi dizer pra ela toda verdade. Esta minha dedução foi bem bolada e aí eu mereço os parabéns por ter desvendado o enigma, né?

ROBERTO, nos limites da sua paciência:
- Dárcio! Por favor, bicho! Não complique mais as coisas, tá legal? Cê não sabe que esse cara do Mindo contagia todo mundo com seus ditos, mora?! Olhe aí, o Edu! Olhe aí, seu netinho Enrico! Olhe aí, sua filha, Camille, mãe de Enrico! Olhe aí, Erasmo! Olhe aí, tantos mais!

WANDERLEY, atento:
- Roberto, você se esqueceu de incluir um nome!

ROBERTO, surpreendido:
- Que nome eu esqueci, Wanderley?

WANDERLEY, numa de pegar com Roberto:
- Se esqueceu de seu nome! Eheheheheh

TODO O PESSOAL RINDO EM CORO:
- Eheheheheheheheh

ROBERTO, perplexo, vocifera.
- Vocês estão todos se rindo, do quê, carago, digo, caramba?! ME CHAMEM A CARMINHA!!!

TODO O PESSOAL, NÃO SE CONTENDO, VOLTA A RIR EM CORO:
- Eheheheheheheheh

JORGE BERTO, ainda a rir-se:
- Eheheheheh Roberto a gente se riu porque você disse carago como o portuga do Armindo costuma dizer. Eheheheheh

ROBERTO, não achando graça nenhuma à saída de Jorge Berto, desforra-se em Paulinho:
- Pôxa, Paulinho! Todo mundo tá aqui reunido pra resolvermos este importante assunto do bate-papo e você continua aí namorando Aninha pelo celular, cara?! Não tem tempo em casa pra isso, bicho? Que mania a sua! Até parece que ainda nem casou, mora!

ROBERTO, retomando o seu diálogo acerca dos comentários dos fãs ao 24º. Bate-papo:
- Como eu tava dizendo, todo comentário dos fãs é intencional. A seguir à Guta, veio a Mazé Silva, de Forteleza, que disse:
“Fico vislumbrada e emocionada quando leio os Bate-papos […] e (pessoal tomem nota desta sua saída) “Estou sentindo-me como a nossa amiga Guta, felicíssima por estar fazendo parte desse bate-papo descontraído com o Rei e com o maestro. Se fosse verdade, acho que morreria de tanta emoção!”.
Depois, pra disfarçar, se sai com esta:
“Parabéns, Mindo, pelo excelente poder que tens de criar esses papos através de telefonemas, envolvendo não só os assuntos relacionados aos membros do Clube do Rei, mas por teres envolvido também a trajetória percorrida pelo Rei e pelo Maestro em seus shows, sem esquecer de frisar as próximas apresentações do Rei em terras lusitanas. Um grande beijo da amiga que admira-te muito. Mazé Silva”.
Reparem que Mazé escreveu: “Parabéns, Mindo, pelo excelente poder que tens de criar esses bate-papos através de telefonemas […]”. Por isso, tá na cara que ela sabe que nosso Mindo não tem poder nenhum e que apenas se limita a transcrever os Bate-papos pro computador, após o que posta lá no fórum do Portal Clube do Rei.
Agora, finalmente, vamos dar a palavra a nosso amigo Aurino, tá? Aurino, diga então o que você pensa deste gravíssimo problema.

AURINO, não acreditando que finalmente iria usar da palavra:
- Puxa vida! Finalmente que eu tenho oportunidade de arrumar…

EDUARDO, de celular na mão, dirigindo-se a Roberto:
- Olhe aí, Roberto! Tem aqui em meu celular o Erasmo que diz que está há mais de 2 horas tentando ligar pro celular de você que tá sempre dando sinal de ocupado. Então, ele se lembrou de telefonar pra mim, imaginando que eu estava com você nos preparando pros shows em São Paulo. Diz que tem urgência em falar com você, Roberto!

ROBERTO, pensando em voz alta:
- Que mais irá acontecer?! Por favor, Edu, me passe aí seu celular.

ROBERTO, falando com o seu amigo de fé, seu irmão, camarada:
- Oi, bicho! Como vai você, cara?! Faz tempo que a gente não bate um papo, mora! É mesmo como cê diz. A última vez que batemos um papo foi com o Edu e o Mindo. Que bom que cê telefonou, bicho! Tamos todos aqui reunidos (o Mindo incluído), pra resolver um assunto muito importante, que tem a ver com os bate-papos que nós temos com o Mindo. O último, o 24º., foi comigo, com o Edu e com o Mindo, mas acontece que deu problema pois os fãs que antes acreditavam tudo ser ficção do Mindo, ou, quando muito, apenas suspeitavam, agora todos tem a certeza que tudo é verdade. Já viu isso, Erasmo? Cê diz, que tem isso de mal? Cê já imaginou nossos fãs exigindo que também eles tenham direito a bate-papo telefónico e até de Messenger, como nós temos com o Mindo? Isso mesmo, como cê tá dizendo, Erasmo! Se disséssemos pra eles que só o Mindo tinha exclusivo, nos soltavam os cães, mora! Cê sabe tão bem como eu, que os fãs são capazes de tudo, né?! Como cê disse, que não ouvi? Ah! Sim, claro! Esses que você diz que são doentes, são os chamados robertodependentes como diz o Mindo eheheheheh. Pois, não! No caso de você serão os erasmodependentes. Eheheheheh

ARMINDO, atento ao bate-papo entre Roberto e Erasmo:
- Ó Berto, diz ó Erasmo que eu lhe mando um grande abraço, pá!

ROBERTO, para Armindo:
- Eu direi pra ele, Mindo. Descanse em paz! Eheheheheh

ARMINDO, respondendo:
- Ámen!

ROBERTO, continuando a falar com o Tremendão:
- Se você pode contar comigo pro seu novo disco? Mas é claro que sim, bicho! Essa aí é que não, cara! Cê ainda é pior do que Edu que começando a bater papo com o Mindo nunca mais acaba eheheheheh. Além disso, como é que você podia bater um papo com o Mindo agora, se ele não está aqui? Sim, eu disse que tavamos aqui todos reunidos, incluindo ele, mas ele não está aqui, não! Ele está batendo papo com a gente pelo celular. Já tamos aqui batendo papo há mais de duas horas e até já tive que trocar de bateria, viu!? E do jeito que as coisas estão correndo, imagine você a grana que vai bolar este meu telefonema pro Mindo. Eheheheheh Olhe aí, Erasmo! Você já arrumou um título pro seu livro, cara? Ainda não? Puxa vida! Você é ao contrário do Mindo que tem aquele título “A vingança da mulher dos tremoços”, só lhe faltando a história para o livro eheheheheh. Quando vou dar shows em Portugal? É em Julho, Erasmo! Mas porque você pergunta isso, bicho? Ah! Tô entendendo. Pois, não. É isso aí! Sim. Mas é claro que sim, bicho! Nem precisa pedir. Cê só diz, mora! Os dias ainda não posso lhe dizer ao certo, mas uma vez sabendo eu logo digo pra você, tá legal? Sim, ele está aqui. Vou então passar o celular pra ele. Mas não demore muito, tá? Temos que prosseguir nossa reunião. Wanderley, fale aqui com Erasmo, viu?! Abração, bicho! Xau!

WANDERLEY, para Erasmo:
- Oi, Tremendão! Tudo legal com você? Brigado. Aqui o pessoal também tá mandando pra você um grande abraço. Pois, não! E era isso que eu queria fazer, Erasmo. Uma vez que o Mindo tá em linha com Roberto, eu podia aproveitar e perguntar pra ele sobre aquelas coisas que a gente sabe lá de Portugal. Acontece que Roberto não deixou eu falar pro Mindo, me pedindo pra não insistir e dizendo que aqui no Brasil havia milhões a pegar, bem atraentes e duma beleza que dá gosto ver. E que eram uma brasa, mora! Eu também não entendi. Não se preocupe, Erasmo. Eu depois falo com o Edu e a gente se arranja, tá? eheheheheh Abração!

ROBERTO, para Wanderley:
- Wanderley, era preciso você ir fazer queixinha de mim pro Erasmo, cara?!

WANDERLEY, justificando:
- Roberto, eu só tava dando uma satisfação pro Erasmo.

EDUARDO, numa de detetive:
- Roberto, me passe aí seu celular pra eu interrogar o Armindo sobre uma questão importante que lembrei agora.

ROBERTO, desconfiado:
Seja breve, Edu! Seja breve e não se aproveite, tá?

EDUARDO, interrogando Armindo:
Oi, sócio! Como vai você? Eu quero lhe perguntar uma coisa importante a você, mas antes queria lhe dizer que já comecei a gravar o meu novo CD. Se você der uma olhada em meu blog…

ROBERTO, interrompendo:
Edu, você é incrível, cara! Cê batendo papo com o Mindo, não se contém, bicho! Deixe esses entretantos e passe logo aos finalmente, carago, digo, caramba!

EDUARDO, atrapalhado com a admoestação de Roberto, optando agora por ir direto à questão:
- Armindo, alguma vez você disse para alguém que os bate-papos eram verídicos?

ARMINDO, cansado de há muito tempo estar a ouvir sem poder falar, aproveita pra bater um papo com Edu:
- Olá, Eduardo! Tá tudo fixe? Como é que vai o meu sobrinho Enrico? Ah! Quando puder vou dar uma olhada no seu blog pra saber mais coisas sobre a boa notícia de já estar a gravar o novo CD. Quanto à pergunta que me fez, é evidente que eu nunca disse a ninguém que os bate-papos são verdadeiros. Por isso é que eu penso que o Roberto está a ser um exagerado do carago!

ARISTEU, intrigado:
- Roberto, o Mindo é sócio do Edu e tio do neto dele?

ROBERTO, despachando:
- Aristeu, eu sei tanto como você, bicho! Aquele gajo, digo, aquele cara do Mindo, é sócio, é primo, é tio, é padrinho, é tudo! Se não fosse inventado, ele tinha que existir, mora!

AURINO, aproveitando a deixa:
Olhe aí, Roberto, eu…

ARISTEU, cortando sem querer a palavra a Aurino:
- Aurino, não diga que você vai dizer pro Roberto a mesma coisa que eu: se o Mindo foi inventado, então quer dizer que os bate-papos que todos andamos lendo é tudo invenção do Roberto. Porque nós não vimos logo isso, caramba?!

AURINO, chateado com Aristeu por lhe ter cortado a palavra:
- Não era nada disso que eu ia…

ROBERTO, vendo o tempo passar sem nada falar:
- Aurino, tenha paciência, cara! Me deixe continuar meu raciocínio e depois você tem todo o tempo do mundo pra falar, tá?

DEDÉ, lembrando-se de Armindo:
- Roberto, tudo isto está sendo uma chatice pra você, pra nós e pro Mindo!

ROBERTO, contrapondo:
- Dedé, não se preocupe com o Mindo, tá? Esse gajo, digo, esse cara, o único problema que terá é se rir de nós por estarmos todos aqui reunidos por causa dos bate-papos que tenho com ele e que ele logo manda pro fórum do Portal Clube do Rei, sem antes pensar no que escreve.

ARMINDO, gritando no seu celular:
- Ó Berto, tu és lixado, pá! Sabes bem que se eu publico os bate-papos é porque tu sempre fazes questão disso, e que apenas te preocupas em que eu no final mencione que tudo é fictício. E também sabes bem que eu nunca me esqueci de postar esse aviso.

EDUARDO, apoiando Armindo:
- Roberto, bem que o Armindo tem razão!

ROBERTO, ripostando:
- Edu, não se meta defendendo seu primo e sócio, tá?! Não esqueça que antes de ele ser seu primo e sócio, já era meu amigo e você é que se meteu pelo meio, tá? Que mania!

EDUARDO, contemporizando:
- Tudo bem, Roberto! Leve a bicicleta!

.ROBERTO, respondendo ao gracejo de Edu:
- Até isso você aprendeu com o Mindo, mora! Me deixe continuar, tá?

ROBERTO, retomando o estudo do problema:
- A seguir a Mazé Silva, comentou a Isabel Trevejo, do Peru, afirmando categoricamente: “Eu sou uma das que tem a certeza que estes bate-papos são mesmo verdadeiros. Ninguém teria a paciência nem a plasticidade de criar um diálogo onde cada personagem que participa tem suas próprias características pessoais, é dizer, nota-se quando é o RC quem está falando, ou é o Mindo, ou o Mestre Lages […]”.
Malta, digo, gente: cês estão topando tanta certeza de Isabel, se justificando com argumentos mais do que convincentes?

ARISTEU, dirigindo-se a Roberto:
- Roberto, cê tem razão! Se não foi o Mindo nem o Edu, alguém andou aí divulgando uma coisa que deveria estar no segredo dos deuses. Eu não fui, não! Eu até bem que pensava que esses bate-papos eram verdadeiros, viu? Agora que tô vendo que afinal é tudo ficção, lamento que andem por aí espalhando boato prejudicando sua reputação moral, civil e profissional.

ROBERTO, irritado:
- Aristeu, cê sabe o que está dizendo? Tô vendo é que você não está atento a esta reunião de trabalho e está misturando tudo, mora! ME CHAMEM A CARMINHA!!!

ROBERTO, prosseguindo:
- Mas há mais dessa fã Isabel Trevejo, do Peru! Esta que a seguir vou ler, é o golpe final da razão de sua certeza. Gente! Ouçam e se pasmem com o que ela escreveu a propósito de fãs que suspeitam ou que têm a certeza, e me digam se tenho ou não razão para estar super preocupado com este assunto: “Já disse eu sou uma dessas [que têm a certeza], e tenho provas que podem ratificar minha certeza, embora ninguém tenha a péssima ideia de pedir-me essas provas porque não penso mostrar”.
Ufa!!! Como vamos sair desta, pessoal?

WALMIR, metendo colherada:
- Roberto, me diga uma coisa: essa Isabel aí não é a tal Inca do Mindo?

ARMINDO, atento aos diálogos, ouve o nome dele e berra ao celular:
- Ó Berto, quem é que está aí a falar de mim, carago?!

ROBERTO, respondendo:
- Mindo, se acalme, cara! É o Walmir, bicho!

ROBERTO, surpreendido com a interrogação de Walmir, exclama:
- Walmir, nem estou em mim, carago! Como cê sabe disso?

WALMIR, explicando:
- Roberto, cê sabe que quem como eu acompanha a leitura de seus bate-papos com o Mindo, tá sempre bem informado de tudo.

CLÉCIO, reforçando a tese de Walmir.
- Roberto, eu também acompanho atentamente a leitura dos bate-papos desde o número 1 e sempre notei uma cumplicidade entre essa Inca e o Mindo. Por isso, não admira ela saber demais.

ARMINDO, berrando mais uma vez:
- Ó Berto, falaram outra vez em mim, que eu ouvi, pá!

ROBERTO, pacientemente:
- E o que tem isso, Mindo? Foi o Clécio, dizendo que lê nossos bate-papos desde o número 1. Se calhar até faz coleção. Eheheheheh

ROBERTO, respondendo a Clécio;
- Clécio pra que você tá falando numa questão que há muito tá fora de hipótese, bicho? Se todos aqui concluímos que nem o Mindo, nem o Edu, nem nenhum de nós andou divulgando a veracidade dos bate-papos, porque você está batendo na mesma tecla?

NAHOR, na sequência do que disse Clécio:
- Roberto, de fato dá pra estranhar essa Isabel, viu?! Repare que ela mal começa seu comentário, a primeira coisa que diz é que é uma das pessoas que tem a certeza que os bate-papos são verdadeiros. Por isso, existe algo de enigmático que necessita ser desvendado.

EDUARDO, pegando no enigma de Nahor:
- Só se forem as Pistas de Nazca e outros mistérios Incas. Eheheheheh

WANDERLEY, gostando da piada:
- Eheheheheh Ó Roberto, quer ver que agora na terra dos mil enigmas passou a haver mais outro, com o nome “Os mistérios dos bate-papos”. Eheheheheh

WALMIR, completando a piada:
- Olhe aí um título pro livro do Erasmo! Eheheheheh

ROBERTO, rindo-se mas logo a seguir determinante:
- Eheheheheh Pessoal, vou prosseguir com minha reflexão sobre este importante caso que a todos diz respeito. Por isso, a partir de agora peço que ninguém interrompa, tá legal?

AURINO, sentindo-se marginalizado:
- Roberto, você me desculpe mas de todos, eu sou o único que ainda não falei, caramba!

ROBERTO, quase que abatido:
- Aurino, você ao dizer que não falou, já falou, né?! Ai, minha Nossa Senhora!

TUTUCA, perguntando aflito:
- Que tem “Nossa senhora”, Roberto? Você quer que eu faça novo arranjo pra ela, é?

ROBERTO, desesperado, desabafa:
- Tutuca, qual arranjo, qual quê, bicho! Eu é que tô bem arranjado com vocês todos, mora!

ROBERTO, prosseguindo na sua determinação:
- Onde é que eu ia, gente?

JORGE BERTO, numa de querer ajudar, só complicando:
- Roberto, que eu saiba você hoje não ia a sítio nenhum. Só vamos ter shows em São Paulo na Sexta e no Sábado.

ROBERTO, pedindo socorro:
- GENIVAAAAAALLLLLL !!!

GENIVAL, acudindo:
- Roberto, se acalme. Tá comigo, tá com Deus!

ROBERTO, implorando:
- Genival, me ajude, por favor, viu?! Mantenha ordem nesta casa, carago, digo, caramba!

ARMINDO, aflito:
- Ó Berto, aconteceu-te alguma coisa, pá!

ROBERTO, supercansado de aturar o pessoal:
- Mindo, não foi nada, pá, digo, cara! Tá tudo jóia!

ARMINDO, com ironia:
- Nota-se! eheheheheh

GENIVAL, transando uma de moderador:
- Pessoal, vamos lá a ter calma e prestar atenção a nosso Roberto, pôxa! Deixem ele falar.

AURINO, reivindicando mais uma vez o seu direito de falar:
- Genival, mas eu sou o único que ainda não falei, pôxa!

GENIVAL, sem meias medidas:
- Aurino, não amole, tá? Se não falou, falasse! Deixemos agora Roberto prosseguir, de uma vez por todas!

ROBERTO, prosseguindo:
- Depois da Inca, digo, da Isabel, comentou o Severo Gonçalves, escrevendo: “Amigo Armindo: Esse novo bate-papo está muito bom, bem escrito, e muito bem-humorado. Tu sempre te superas. E o poder de criação não tem limites para quem tem talento. Uma coisa que precisa ser dita: estás muito bem informado sobre o Rei e seu maestro. Valeu! Um grande abraço”.
Pessoal! Mais um que não engana ninguém.

DEDÉ, analisando:
- Roberto, de fato há nesse comentário uma certa dose de suspeita. O Severo, ao escrever esse comentário, quis ser inflexível no pouco que redigiu. Aquela sua frase “Tu sempre te superas”, diz tudo. Na certa ele quis dizer que só mesmo quem bate-papo na realidade consegue se superar escrevendo o que conversou. Tô ajuizando bem, gente?

ROBERTO, satisfeito com a análise do Dedé:
- Ora aí está uma observação digna de nota! É assim que eu quero que todo mundo faça e não cada qual falando besteiras que só complicam o achamento de uma solução. E já que o Dedé interrompeu, e muito bem, pra dar seu comentário, vamos aproveitar para, de uma vez por todas, dar a palavra ao Aurino que está há um tempão sem lhe darmos hipóteses de participar nesta importante reunião. Aurino, faça o favor, cara!

AURINO, sem reagir ao convite de Roberto.

ROBERTO, intrigado por o Aurino não dizer nada:
- Então, Aurino?! Você sempre reclamando por não poder participar de nossas reflexões, e agora não tem nada pra dizer, mora?!

AURINO, reagindo:
- Eu só estava fazendo um compasso de espera pra ver se alguém ia me interromper como das outras vezes. Mas agora que passaram estes segundos, tô vendo que desta vez vou poder dar minha importante…

CARMINHA, vindo ao encontro de Roberto com um celular na mão:
- Roberto, desculpe interromper, mas acontece que o Dudu ligou pra meu celular, dizendo que tinha urgência em falar com você e que está há um tempão tentando ligar pro seu celular que sempre dá sinal de ocupado. Fale com ele, tá?

AURINO, mais uma vez pensando em voz alta:
- Não é possível!!!

ROBERTO atendendo telefonema de Dudu:
- Oi, filhote! Tudo bem? Que é que cê tem pra me dizer, rapaz?

DUDU, respondendo:
- Papai, desculpe interromper seu ensaio, mas era só pra perguntar quando você vai a Portugal, pois Edu me falou há um tempo que não sabia se era em Junho ou Julho. E como eu, Edu, Erasmo e Wanderley queríamos ver lá umas coisas bem bacanas, aí eu só queria saber o mês certinho pra anotar em minha agenda.

ROBERTO, remoendo sobre o assunto:
- Dudu, meus shows em Portugal é no mês de Julho, viu?! Fico contente por saber que você também pensa em ir. Mas me diga uma coisa, filhote: você se vai meter nessas coisas lá em Portugal, rapaz? Eu nunca pensei isso de você, mora! Cê aqui é sempre direitinho e vai pra lá transando? Culpa tem Edu, Wanderley e Erasmo de o desencaminharem pra essas coisas!

ARMINDO, berrando do seu celular:
- Ó Berto, é o Dudu que está a falar contigo, pá?!

ROBERTO, respondendo a Armindo:
- Oi, Mindo! Tô falando com Dudu, sim! Ele tá pensando ir aí a Portugal, viu?

ARMINDO, para Roberto:
- Isso eu já sabia, pá! O Erasmo, o Wanderley e o Edu, estão a preparar um esquema pra quando aqui estiverem. Vai ser o delírio! Eheheheheh

ROBERTO, continuando a conversa com Dudu:
- Dudu, quando você tentou me telefonar, meu celular dava sinal de ocupado porque eu tô ligando pro Mindo há mais de 3 horas, pois interrompemos nosso ensaio pra tratarmos de um assunto importante que tem a ver com os bate-papos. É que agora os fãs tem todos a certeza, viu? E você sabe como isso é ruim pra burro! Por isso temos que achar uma solução.

DUDU, tentando dar a solução:
- Papai, termine essa reunião sem jeito e continue seu ensaio. Não se preocupe com problema que não existe. Na certa os fãs acreditam que os bate-papos que você tem com o Mindo são pura ficção. Isso eu garanto!

ROBERTO, admirado com a forte convicção do Dudu:
- Dudu, não tô entendendo essa sua convicção, mora! Como você tem tanta certeza assim? Se explique, viu?

DUDU, peremptório:
- Papai, quem pode acreditar que você tem papo com um portuga que toma leite no supermercado, só porque no pacote está escrito: “ABRIR AQUI”?!

ROBERTO, dando gargalhada:
- Eheheheheh Meu filho, essa aí foi demais, mora! Eheheheheh

ARMINDO, berrando no seu celular:
- Ó Berto, o que é que se passa, pá? Estás a rir-te pra carago, de quê?!

ROBERTO, ainda a rir, responde a Armindo:
- Eheheheh Armindo, eu me estou rindo muito porque Dudu me disse que não acredita que nossos bate-papos são verdadeiros e que você é que é um portuga genial inventando tudo. E que por isso, eu devia não me preocupar pois conforme ele não acredita, também nenhum fã acreditará. Eheheheheh

ARMINDO, contente com a solução do Dudu:
- Ó Berto, fico contente por, finalmente, já estar tudo resolvido. Estava a ver que nunca mais nos livrávamos desta!

DUDU, para Roberto:
- Papai! Ainda falando naquelas coisas lá de Portugal, da forma como você reagiu pra mim me deu a sensação que você tá achando uma péssima ideia e eu fico admirado porque você próprio me disse que há muitos anos, você foi a Portugal e também transou nas casas de fado de Lisboa e nas caves de Vinho do Porto. E agora você vem se insurgindo contra minha ideia e a ideia de Erasmo, do Edu e do Wanderley? Não tô entendendo, papai!

ROBERTO, surpreendido:
- Puxa vida! Isso me faz lembrar quando a saudosa Amália Rodrigues me convidou para assistir a uns fados. Foi bem bacana essa noite, ouvindo fados, petiscando e tomando vinho. Cê sabe que eu tenho uma foto com Amália?

DUDU, para Roberto:
- Me lembro de um dia o papai me mostrar essa foto. Agora tenho que ir, viu?! Abraço pra você e pra todo mundo aí!

ROBERTO, para Dudu:
- Xau, filhote! Depois a gente se fala. Abraços mil!

EDUARDO, para Roberto:
- Roberto, não seria melhor a gente fazer um pequeno intervalo pra tomarmos um cafezinho?

ROBERTO, respondendo:
- Edu, agora que nós tamos acabando nossa reunião é que você lembra de intervalo pra cafezinho? Certamente você queria era aproveitar pra continuar seu alto bate-papo com Wanderley. Eheheheheh Vamos continuar, gente!

ROBERTO, prosseguindo com o assunto:
- Onde é que nós íamos, gente?

WANDERLEY, respondendo:
- Roberto, íamos tomar um cafezinho se houvesse intervalo, mas como não há, vamos continuar analisando os comentários que os fãs deram ao 24º Bate-papo. Só falta analisarmos os comentários da Conceição Oliveira e do Sandro Rogério.

ROBERTO, surpreso pelo ponto da situação dado por Wanderley:
- Pôxa, Wanderley! Isso prova que você está atento e isso muito me satisfaz, pois se vê que você está dando a importância que o assunto merece. Brigado, viu?!

WANDERLEY, estragando o elogio:
- É que se não andamos rápido com isto, estamos tramados que só saímos daqui amanhã. Ainda por cima sem intervalo nem nada!

PAULINHO, intervindo:
- Vamos fazer intervalo, é?

ROBERTO, lixado com a intervenção do Paulinho:
- Puxa vida, meu! Onde cê esteve tanto tempo sem aparecer aqui na reunião, bicho?

PAULINHO, justificando-se:
- Roberto, estive no celular falando com Ana Paula.

ROBERTO, incrédulo:
- Mas como é possível você estar no celular falando com Ana Paula mais de 4 horas? Melhor era você ter ido pra casa, bicho! Nós aqui tentando resolver um grave problema e você namorando por celular. Onde já se viu igual? Agora veja se fica atento ao assunto, dando sua opinião, tá legal?

ROBERTO, prosseguindo:
- A seguir ao Severo Gonçalves, comentou a Conceição Oliveira, de Sabará-MG, que escreveu o seguinte: “Padrinho Mindo, você está sendo seriamente disputado, hein?! E eu que pensava que o Roberto tinha ciúmes apenas de mim… Mas por falar em ciúmes, estou roxa! Você nunca fala de mim pro meu Rei… Fala, fala, fala, mas de mim, nadinha… Da próxima vez que você estiver a falar com Roberto, diga a ele que não estou gostando nada deste interesse dele pelas meninas aqui do Portal. Já basta as outras! Padrinho… Adorei, rsrsrsr. Beijos azuis.”
Sem dúvida, que este é outro comentário que não engana ninguém, na medida em que se verifica por parte da fã, uma certeza absoluta na veracidade dos bate-papos e…

PAULINHO, interessado no assunto, intervém:
- De fato cê tem razão Roberto. O comentário da Conceição é preciso quanto à certeza que ela tem, o que até nem é pra admirar, atendendo que é afilhada do Mindo que, imagino que sem querer, lhe terá dito alguma vez que os bate-papos eram verídicos.

ROBERTO, satisfeito pela análise do Paulinho, exclama:
- Grande Paulinho, carago, digo, caramba! Essa foi bem vista, bicho! Só tem aí uma coisa que devo esclarecer pra você e pra quem não saiba. É que o Mindo não é padrinho da Conceição.

PAULINHO, intrigado:
- Então como ela chama ele de “Padrinho Mindo”?

ROBERTO, explicando:
- Bicho! Já disse que esse cara é tudo, pôxa! É sócio, é primo, é tio, é padrinho, e eu sei lá que mais, mora! Por causa dele e do Edu que o mandou publicar no bate-papo coisas que eu analisei dos fãs mas que não eram pra serem postadas, é que estamos todos aqui nesta situação, sem saber o que resolver.

EDUARDO, completando o raciocínio de Roberto:
- É mesmo como você diz, Roberto. A coisa tá ficando marrom, digo, ficando preta. A gente tem que dar um jeito pra convencer o pessoal de que os bate-papos são fictícios.

ROBERTO, contrapondo:
- Isso já não vai com convencimentos, Edu! A gente tem que pura e simplesmente terminar com esses bate-papos e assunto arrumado, até porque…

AURINO, interrompendo:
- Roberto, eu tenho uma…

ROBERTO, interrompendo a interrupção:
- Aurino, tenha paciência, bicho! Cê não vê que eu e Edu tamos falando? Não corte o fio à meada, tá?

ROBERTO, continuando:
- Até porque, Edu, não esqueça que o problema começou a surgir desde que além de mim outros entraram nos bate-papos, como foi o seu caso. E aí, eu até começo desconfiando que o autor da revelação foi você.

EDUARDO, indignado:
- Roberto, essa aí eu não contava de você. Cê sabe que eu jamais faria uma coisa dessas. Até porque se fosse assim, não seria só você mas eu também, que teria milhares de fãs exigindo que entrasse numa de bate-papo com eles, se sentindo com o mesmo direito que o Mindo…

ROBERTO, condescendendo:
- Me desculpe, Edu! Cê tem razão. Eu me precipitei. Mas tem que concordar comigo que a solução é terminar com essa coisa dos bate-papos, né?! A não ser que alguém encontre melhor solução pra resolver o problema.

GENIVAL, sempre atento aos problemas:
- Roberto, lamento, mas esse problema aí, eu não sei como resolver, não!

EDUARDO, rindo:
- eheheheheh É a primeira vez que vejo o Genival a não conseguir resolver um problema!

ROBERTO, tentando voltar ao assunto dos comentários dos fãs:
- Genival, por favor, mantenha a ordem na sala pra prosseguirmos nosso estudo, viu?!

GENIVAL, moderando a assembleia:
- Pessoal, chega de conversa e vamos continuar com nosso estudo, tá? Roberto vai prosseguir.

ROBERTO, prosseguindo:
- Pessoal, depois do comentário da Conceição Oliveira, vamos agora analisar o último comentário que o fã Sandro Rogério, de Paulo Afonso-BA, fez ao 24º. Bate-papo.
Esse fã aí, escreveu pouco, mas disse muito. Ouçam o que ele escreveu: “Amigo Armindo, ler os seus bate-papos com o Roberto é realmente muito legal, mas depois da requisição de créditos por parte do rei quanto à criação dos mesmos, vou deixar um abraço para os dois”.
E pronto! Esse gajo, digo, esse cara, não disse mais nada, mas foi o suficiente pra me arrepiar com seu jeito incisivo de dizer muito em tão pouco.

CLÉCIO, aproveitando para deixar o Roberto ainda mais arrepiado:
- É mesmo como cê diz, Roberto! Até eu que não é nada comigo, fiquei todo arrepiado com essas palavras penetrantes. Tô como disse Edu: a coisa está marrom, digo, está preta!

PAULINHO, ajudando à missa:
- Na verdade, é assim. O comentário desse fã, é a gota que fez transbordar o cálice!

ROBERTO, irritado com a análise do Paulinho:
- Paulinho, tô vendo que esse namoro telefónico de 4 horas com a Ana Paula, lhe deu inspiração filosófica, mora! Pena que não tivesse dado inspiração pra resolver este problema em vez de estar criando suspense.

CARMINHA, chegando na reunião e intercedendo junto de Roberto:
- Roberto, cê tá querendo resolver um problema e me parece que sem querer está criando outro, viu?!

ROBERTO, aflito com a intercessão de Carminha:
Oi, Carminha! Que bom que você chegou! Que problema eu estou criando sem querer?

CARMINHA, explicando:
- De todo o pessoal, existe um elemento que ainda não falou e que se continuarem a não o deixarem falar, isso poderá lhe trazer um problema psicológico.

ROBERTO, de imediato:
- Carminha, se você se está referindo ao Mindo, esqueça isso, tá? O Mindo está com seu celular acompanhando nossa reunião tomando nota de tudo. Além disso mais do que falar ele gosta é de escrever. Eheheheheh

ARMINDO, rindo no seu celular:
- eheheheheh

CARMINHA, continuando;
- Acontece, Roberto, que não estava me referindo ao Mindo, mas sim a Aurino que veio desabafar comigo se sentindo vítima de marginalização de todo pessoal, em especial de você.

ROBERTO, preocupado com mais este problema:
- Pô, Carminha! Ninguém marginalizou o Aurino, mora! Onde ele está agora? Foi embora?

CARMINHA, respondendo:
Não foi embora, não, Roberto! Foi apenas fazer xixi e logo volta.

ROBERTO, dirigindo-se a todos:
- Agora ninguém vai poder falar sobre o assunto enquanto Aurino não regressar do banheiro. Vamos todos esperar por ele, tá legal?

CARMINHA, avisando Roberto da chegada de Aurino:
- Roberto, Aurino tá chegando!

ROBERTO, dirigindo-se a Aurino:
- Oi, Aurino! Você quase que nos causava um problema de consciência, bicho! Porque você não interveio na matéria, cara?

AURINO, respondendo a Roberto:
- Roberto, não me lembro quantas vezes tentei falar sem nunca conseguir.

ROBERTO, insistindo:
- Mas porquê, Aurino? Cê sempre que ia pra falar ficava afónico, era?

AURINO, explicando:
- Nada disso, Roberto! Simplesmente minha intervenção sempre era interrompida por qualquer motivo. Eu sei que não era de propósito, mas você entende que o que é demais é erro, né?! E neste momento até tô admirado de não haver nenhuma interrupção. Eheheheheh

TODO O PESSOAL RINDO EM CORO:
- Eheheheheheheheh

ROBERTO, numa de afeto para com Aurino:
- Olhe aí, Aurino! E o que você queria dizer? Era algo sobre o problema que estamos tratando? Não vai me falar de aumento de salário, não?!

AURINO, respondendo:
- Logo desde o início eu achei solução pro problema, Roberto!

ROBERTO, expectante:
- Achou solução, Aurino? Me diga qual é essa solução, já!

JUREMA e ANA LÚCIA, em coro:
- Aurino, se sua solução for a de terminar com os bate-papos, esqueça a ideia sem graça. Nós somos fãs do Mindo, viu?

ROBERTO, chamando a atenção de Jurema e Ana Lúcia:
- Puxa vida! Eu disse pra ninguém mais falar e vocês se meteram, mora! E ainda pra mais falando em coro. Parem de falar em coro, mora! Que mania!

ROBERTO, para Aurino:
- Aurino, conte então pra nós qual é a sua solução, tá?

AURINO, dando a solução:
- Minha solução não é terminar com os bate-papos, pois eu também sou um fã do Mindo, não perdendo a leitura de um bate-papo. Minha solução creio ser a mais simples e eficaz.

ROBERTO, impaciente:
- Aurino, diga logo qual é a solução, mora! Não deixe a gente na expectativa. Neste momento tá todo mundo centrado em você, esperando saber qual a solução. Você é agora a pessoa mais importante desta reunião, mora!

AURINO, fazendo render o peixe, por ver que estava a ser o alvo das atenções:
- Muitas vezes nós é que complicamos o simples. E coisas simples requerem soluções simples. Por isso, nestas circunstâncias o que todos devemos fazer é chegar ao âmago do problema, tentar decifrá-lo e…

ROBERTO, já sem paciência para tanta expectativa:
- Aurino, por amor de Deus, cara! Cê agora vai fazer aí um discurso científico sobre a problemática do problema? ME CHAMEM A CARMINHA!!!

CARMINHA, respondendo a Roberto:
- Roberto, não precisa gritar, não! Eu tô aqui. O que você precisa?

ROBERTO, para Carminha:
- Me desculpe, Carminha. Eu não preciso de nada. Chamar por você já vem sendo um hábito meu aqui nesta reunião que, na certa, ainda vai parar ao Guinness.

CARMINHA, rindo da saída do Roberto:
- eheheheheh Tudo bem, Roberto!

ROBERTO, respondendo:
- Tudo bem, não, Carminha! Todos ainda estamos esperando que Aurino diga de uma vez por todas sua grande solução para nosso grande problema!

AURINO, rematando:
- Disse bem, Roberto! Para um grande problema, uma grande solução! Eu explico: como sabem, todo bate-papo termina com o habitual aviso “O texto que acabaram de ler é fictício. Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência”. Acontece que o Mindo, logo a seguir a essa frase acrescenta sempre uma outra que diz: “A ficção revela verdades que a realidade omite”…

ROBERTO, completando:
- A tal frase que o Mindo diz que é da Jasmim Best.

ARMINDO, berrando do celular:
- Ó Berto, não é Jasmim Best, mas sim Jassemin West, pá!

ROBERTO, para Armindo:
- Armindo, se deixe de me corrigir, mora! Cê já sabe que para mim é sempre Jasmim Best, tá legal?!

TODO O PESSOAL RINDO EM CORO:
- Eheheheheheheheheh

CARMINHA, para Roberto Carlos:
- Roberto, estou aqui!

ROBERTO, para Carminha:
- Carminha, mas eu não chamei você…

CARMINHA, explicando:
- Como todo mundo se riu por causa de você chamar de Jasmim Best a Jassemin West, logo pensei que você iria gritar: ME CHAMEM A CARMINHA!!!

TODO O PESSOAL, NÃO SE CONTENDO, VOLTA A RIR EM CORO:
- Eheheheheheheheheh

ROBERTO, rindo também:
- Eheheheheh Vocês são demais! Pessoal, vamos continuar ouvindo Aurino na sua solução científica, tá?

AURINO, parando de rir para prosseguir com a explanação da sua solução cientifica:
- Ora, o busílis da questão está precisamente nessa segunda frase que contraria a primeira e que, obviamente, deixa todo mundo na dúvida, incluindo aqueles que duvidam da duvida.

ROBERTO, intrigado com a explicação de Aurino:
- Caramba, Aurino! Você parece mesmo um cientista falando. Nem estou em mim, mora! Eheheheheh

AURINO, continuando:
- Daí que não seja de admirar que com o passar do tempo muitos deixem de ser adeptos da dúvida aderindo à certeza.

ROBERTO, perguntando:
- Então cê quer dizer que a solução passa por pura e simplesmente passarmos a excluir essa frase do JB, e está feito!

TODO O PESSOAL RINDO EM CORO:
- Eheheheheheheheheh

ROBERTO, lixado com o pessoal:
- Eu não pronunciei o nome do cara de propósito pra vocês não desatarem a rir de mim, e mesmo assim vocês não se contiveram. Ai, meu Deus do céu! Continue, Aurino!

AURINO, parando de rir para continuar a sua explanação:
- A solução também não é essa. Isso seria até prejudicial para os fins que temos em vista, ou seja, se nós pura e simplesmente deixássemos de postar esse apoftegma do Jassemin West ou Jasmim Best como diz nosso Roberto eheheheheh, aí os fãs logo iriam ver que estávamos tentando tornear uma constatação.

ISMAIL – Puxa vida, Aurino! Há caras que tem nome esquisito demais! Quem é esse Apoftegma?

ROBERTO, adiantando-se à pergunta de Ismail:
- Ismail, qual cara, qual quê, bicho! Apoftegma é uma palavra que significa uma máxima, ou seja, um dito sentencioso de personagem célebre, como é o caso do Jasmim Best. Eheheheheh É que eu também ando lendo o Dicionário, como o Mindo. Só com uma diferença; o Mindo ainda vai na letra b e eu já tô mais adiantado.

TODO O PESSOAL RINDO EM CORO:
- Eheheheheheheh
ROBERTO, surpreendido pela risada geral:
- Porque vocês estão se rindo, desta vez, mora?! Disse alguma coisa de errado?

JUREMA E ANA LÚCIA, em coro:
- Roberto, todo mundo se riu porque o normal é pegar dicionário pra consulta e você anda lendo ele como se fosse um romance. Eheheheheh

ROBERTO, indignado com a explicação de Jurema e Ana Lúcia:
- Eu já não suporto as meninas sempre falarem em coro, mora! Se o Mindo anda lendo o dicionário, não sei por que razão eu não possa ler, né?! Aurino, continue sua explanação, por favor, tá legal?

AURINO, continuando sua explanação:
- Então, eu penso que a solução seria incluir nos bate-papos mais um dito sentencioso de outro personagem, bem mais célebre que o tal Jassemin West.

ROBERTO, para Aurino:
- Puxa vida, Aurino! Porque você esperou mais de 4 horas pra nos dizer essa solução bem bacana, bicho?

AURINO, respondendo a Roberto:
- Roberto, me desculpe mas eu prefiro nem comentar essa sua pergunta.

EDUARDO, intervindo sobre a solução de Aurino:
- Na verdade, essa é a solução mais científica que eu ouvi até hoje. Mas ela própria nos traz outro problema, que é saber que máxima havemos de arrumar pros bate-papos…

ROBERTO, respondendo a Edu:
- Edu, tá na cara que o nosso cientifico, se arrumou solução pra uma coisa, também arrumou solução pra outra, né?! Deixemos Aurino continuar explanando sua tese.

AURINO, continuando:
- É isso, Roberto! A frase que eu proponho é uma bem legal por se coadunar com os bate-papos. Uma frase que até já foi motivo de o Mindo ter sido vencedor de uma promoção que lhe deu direito a ser premiado com um DVD Duetos, aqui do nosso mais que tudo.

ROBERTO, boquiaberto:
- Puxa vida, cara! Que frase foi essa que eu não lembro? E quem foi esse personagem célebre que o Mindo citou?

AURINO, satisfazendo a curiosidade de Roberto e de toda a equipa, numa de orador:
- Minhas Senhoras e meus Senhores, Meninas e Meninos: tenho a honra e o grato prazer de apresentar pra todo mundo a frase que doravante constará dos famosos bate-papos: “Às vezes as mentiras também ajudam a viver”. Essa é uma máxima da autoria do mundialmente consagrado Roberto Carlos Braga, para quem eu peço uma grande salva de palmas!

-------------------
(Na impossibilidade de reproduzir por escrito tamanha ovação, o autor deste texto deixa isso à imaginação dos estimados leitores)
-------------------

ROBERTO, emocionado, falando para Armindo:
- Oi, Mindo! Cê ouviu a solução de Aurino? Eu acho ela bem legal e você, cara?

ARMINDO, também emocionado:
- Claro que acho que foi encontrada a melhor solução e que o Aurino está de parabéns. Se não fosse ele, se calhar amanhã por esta hora ainda estaríamos aqui discutindo o sexo dos anjos. Eheheheheh Grande Aurino, carago!!!

EDUARDO, comentando a máxima:
- Roberto, a máxima, apesar de falar em mentira, é realmente real!

ROBERTO, intrigado:
- Mentira realmente real? Edu, você agora também tá dando numa de filosofia, é? Se explique, mora!

EDUARDO, explicando:
- Ela é uma máxima realmente real por ser da autoria do nosso Rei. Eheheheheh

ARMINDO, berrando no seu celular:
- Ó Eduardo, essa foi porreira! Eheheheheh

ROBERTO, rindo:
- eheheheheh Vocês são demais!

WANDERLEY, intervindo sobre a máxima:
- Roberto, essa máxima está bem legal, mas tem um senão. Como é o Mindo que publica os bate-papos, todo mundo o vai considerar de mentiroso, né?

- ROBERTO, ripostando:
- Wanderley, você parece que não tem pressa que esta reunião acabe, bicho! Depois, dá pra ver que você tá feito com o Edu, numa de estarem sempre protegendo o Mindo, e isso eu não tô gostando, não! É que para isso estou eu, né?! Além do mais, se chamarem o Mindo de mentiroso, pra quem já é chamado de tanta coisa, como primo, tio, sócio, etc., bem que mais essa de mentiroso não o afeta em nada, tá legal? Eheheheheh

ARMINDO, para Roberto:
- Ó Berto, é mesmo como tu dizes, pá! Essa de mentiroso é subjetivo. Por exemplo, se tu agora disseres: “todos os que estão nesta sala, são mentirosos!”, isso significa que tu também és mentiroso pois que também estás na sala. Certo?

ROBERTO, confuso:
- Mindo, você vai buscar cada uma do carago, digo, do caramba! Cê tá me chamando de mentiroso?

ARMINDO, responde:
- Claro que não, Berto! Se todos os que estão nessa sala são mentirosos e se tu também és mentiroso por fazeres parte desses todos que estão na sala, então, significa que quando disseste aquela frase estavas a mentir. Portanto, se estavas a mentir, conclui-se que tu, e todos os que estão nessa sala, falam verdade.

AURINO, cientificamente ouvindo o paradoxo:
- Isso é uma verdade, mas se afinal o Roberto fala verdade, então estava falando verdade quando disse que todos os que estão nesta sala são mentirosos. Por isso…

TODO O PESSOAL RINDO EM CORO:
- Eheheheheheheheh

ROBERTO, querendo arrumar com o assunto:
- Pessoal, agora, para finalizarmos nossa reunião, só temos que perguntar ao Mindo como ele vai fazer pra escrever estas quase 5 horas de bate-papo, pois penso que quanto mais depressa ele for publicado, mais depressa os fãs irão ver que afinal esta coisa dos bate-papos é mesmo tudo fruto de sua imaginação.

PAULINHO, para Roberto:
- Roberto, era precisamente isso que eu tava pensando, sabia? Vai ser difícil pra burro o Mindo escrever tudo o que se passou em nossa reunião. Ele está em seu celular ouvindo tudo, mas na certa muita coisa ele não vai recordar, né?!

ROBERTO, pensativo:
- É mesmo como cê diz, Paulinho! Devíamos ter gravado esta reunião, mora!

ARMINDO, berrando ao celular:
- Ó Berto, não te preocupes, pá! Eu tenho um GBP conetado ao meu celular.

ROBERTO, admirado:
- Cê tem um GBP? Que é isso, cara?!

ARMINDO, satisfazendo a curiosidade do Roberto:
- Ó pá, GBP significa Gravador de Bate-papos! Como a necessidade aguça o engenho, foi fácil para mim inventar o GBP. Eheheheheh

ROBERTO, exclamando:
- Puxa, vida! Só mesmo você, mora! Mindo, vamos terminar nossa reunião, viu?! Escreva tudo rapidinho pra logo publicar. Minha ansiedade é demais, bicho! Grande abraço pra você e até nosso próximo bate-papo, tá? Aqui o pessoal está lhe mandando abraços mil! Ah! Veja se escreve uma introdução bem convincente de modo a que a galera mude de ideia, tá? E não esqueça da máxima “Às vezes as mentiras também ajudam a viver”. Eheheheheh Vai dar um resultadão, mora! Fico feliz por acharmos essa solução bem legal! Xau, bicho!

ARMINDO, despedindo-se de Roberto e de toda a equipa:
- Vou tentar ser rápido a escrever e a publicar este bate-papo. Um grande abraço pra toda a malta e pra ti também. Ufa! Nem estou em mim, carago! Xau, pá! Xau, malta! Até ao próximo bate-papo!

AVISO:

O texto que acabaram de ler é fictício.
Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência.

A ficção revela verdades que a realidade omite
Jassemin West
Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

Sem comentários:

Enviar um comentário

HOMENAGEM A ROBERTO LEAL

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil