ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

9/05/2013

20.º Bate-papo entre Roberto Carlos e eu – Roberto Carlos, Eduardo Lages & Cia.






Por: Armindo Guimarães
Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins



ROBERTO CARLOS, EDUARDO LAGES & CIA


Começo por dizer a todos os estimados leitores que a partir deste bate-papo a convicção que fiquei foi que nada é impossível acontecer desde que sejamos persistentes nos nossos desejos.

Com efeito, é sabido de todos o meu recente desânimo para com o NMQT - Nosso Mais Que Tudo pelo facto de ele tardar em me telefonar, tendo eu até ameaçado de desistir de ser seu fã (como se isso fosse possível), se ele não me telefonasse antes do Natal.

Ora, o que aconteceu é que o meu desejo não só se tornou realidade, como ainda por cima desta vez o bate-papo, para além de Roberto, teve também o maestro Eduardo Lages e seu neto Enrico.

Sei que neste momento todos devem estar incrédulos com esta notícia, pois eu próprio ainda não acordei para a realidade, julgando tudo não ter passado de um sonho.

Mas deixemo-nos de divagações e passemos já a contar como tudo se passou, neste bate-papo que irá ficar na história. Um bate-papo empolgante, onde se falou:

- Do facto de Roberto Carlos estar zangado comigo por causa de eu ter tido dois bate-papos com Eduardo Lages, sem ao menos o ter avisado com antecedência e de ainda por cima ter dado uma entrevista a um Blog Internacional, ganhando “cachet” às custas dele;

- Da diferença existente no português falado e escrito em Portugal e no Brasil e da novidade que finalmente teremos para vigorar a partir de 2008, no sentido de unificar a língua;

- Da malta do Portal e da célebre doença chamada “apaixonite aguda” que nos tempos actuais está estacionária;

- Da promoção do site oficial de Roberto Carlos, intitulada “Presenteie quem você ama” e dos amigos membros do Portal que participaram e foram premiados;

- Da surpresa que Roberto Carlos me fez ao desligarmos os nossos celulares para continuarmos o nosso bate-papo através do MSN, juntamente com Edu e Enrico;

- Do meu contentamento ao dar-me conta de que o meu fã Enrico tem aproveitado bem o meu Dicionário de termos e expressões populares portuguesas, que ele muito bem estudou, de tal maneira que agora até parece um portuga a falar, para espanto e confusão do seu vovô e até do próprio Roberto que até agora tinha a mania que só ele sabia falar à portuga;

- Da mania que o nosso mais que tudo agora tem de querer saber músicas de autores e cantores portugueses e de nos ter obrigado (é o termo), a cantarmos todos em coro “Um resto de tudo” do portuga João Pedro Pais;

- Das queixas e lamentos do Eduardo Lages por se ver metido numa de bate-papo que disse não desejar ao seu pior inimigo e das risadas que por vezes eu e Enrico demos durante o bate-papo no MSN pelo facto de o Roberto e o Edu pegarem um com o outro por dá cá aquela palha.

24 de Dezembro de 2007, Segunda-feira, 17,23h
O meu telemóvel toca.
Trrriiiimm, trrriiimmm, trrriiimmm. Chamada anónima.
E eu atendo.

ROBERTO – Oi, bicho! Como vai você?
ARMINDO – Agora que finalmente me telefonas, estou bem. E tu?
ROBERTO – Mal.
ARMINDO – Estás mau?
ROBERTO – Bicho, eu disse mal e não mau, viu?!
ARMINDO – Ó Berto eu não tenho culpa de vocês brasucas, a falarem, troquem o l pelo u, dizendo mau, em vez de mal, Brásiu, em vez de Brasil, Portugau, em vez de Portugal, etc.
ROBERTO – Se deixe dessa, Mindo! Se trata apenas de uma questão de pronúncia. E cê está se esquecendo que vocês portugas só complicam…
ARMINDO – Nós complicamos, pá? Em quê, carago?!
ROBERTO – Por quê vocês insistem em escrever acção, dizendo ação, arquitecto, dizendo arquiteto, colecção, dizendo coleção (que tá lá fazendo o c?), húmido, dizendo úmido, (que tá lá fazendo o h?), óptimo, dizendo ótimo (que tá lá fazendo o p?), etc.?
ARMINDO – Tens razão, Berto! Mas tenho uma novidade para ti, pá! Finalmente, a partir de Janeiro de 2008, a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste terão a ortografia unificada. Com as modificações propostas no acordo, calcula-se que 1,6% do vocabulário de Portugal seja modificado. No Brasil, a mudança será bem menor: 0,45% das palavras terão a escrita alterada. Mas apesar das mudanças ortográficas, serão conservadas as pronúncias típicas de cada país.
ROBERTO – Essa aí é de fato uma boa novidade. Faz tempo que estava esperando essa unificação, bicho!
ARMINDO – Pois é, Berto. E como estamos a poucos dias de 2008, o melhor é a malta começar já a praticar. eheheheheh São várias as modificações. Por exemplo, no Brasil o trema desaparece completamente. Estará correto escrever-se linguiça, sequência, frequência, ao invés de lingüiça, seqüencia, freqüencia. Em Portugal, desaparecem da língua escrita o “c” e o “p” nas palavras onde ele não é pronunciado, como em “acção, “acto”, adopção” e “baptismo”. O certo será ação, ato, adoção e batismo, como vocês brasileiros já escreviam. Mas, por exemplo, nós portugueses vamos continuar a usar o “c” na palavra facto porque o pronunciamos. Caso contrário, imagina como soaria eu dizer: de fato o fato que trago vestido foi caro mas fica-me bem. eheheheheh
ROBERTO – eheheheheh Porque vocês ao invés de fato, não dizem terno com nós, cara?
ARMINDO – E porque vocês não dizem camião, em vez de caminhão, camionista, em vez de caminhoneiro, aterragem, em vez de aterrissagem?
ROBERTO – É isso aí, bicho! Nossa língua portuguesa é uma língua rica. Cê nem imagina quantas palavras existem com a mesma grafia e a mesma pronúncia que me dão um jeitão em meus poemas…
ARMINDO – Isso é uma verdade, pá! Estou a lembrar-me destes exemplos: Morro de saudade daquele doce – O morro inteiro chorou de saudade. A manga ficou curta demais – A manga está madura demais.
ROBERTO – Olhe aí, cara! Bem que você é useiro e vezeiro em vir com seus trocadilhos desviando nosso assunto, mora!
ARMINDO – Useiro e vezeiro? Ó Berto, às vezes sais-te com cada uma do carago, pá!
ROBERTO – Lembro a você que estávamos falando de eu estar mal e cê logo mudou de assunto com essa da unificação da língua portuguesa.
ARMINDO – Ah! Tens razão, pá. Mas estás mal porquê? Estás doente?
ROBERTO – Qual doente qual quê, bicho! Tô é chateado com você batendo papo com Edu. Já não lhe chega nossos bate-papos, bicho?
ARMINDO – E aí então começou!
ROBERTO – E aí então começou?
ARMINDO – Sim, pá! É como diz o Vininius Faustini (Súdito), lá do Portal, quando alguém vai para o fórum atear fogo. eheheheheh
ROBERTO – Cê tá querendo dizer com isso que eu tô querendo atear fogo em nosso bate-papo, cara?
ARMINDO – Claro, pá! Tás sempre a dar-me cabo da cabeça por tudo e por nada… Até pareces a Isabel (Iatrever) do Peru, carago!
ROBERTO – Bicho! Às minhas custas cê anda por aí bancando uma de importante batendo papo com Eduardo Lages e dando até entrevista internacional a meu respeito, e quer que eu esteja bem com tudo isso que cê tá fazendo, cara? Bem que você ao menos me poderia ter avisado. E como não avisou, acontece que fiz figura de bobo diante de Edu. Ele me disse: “Roberto, cê já leu meus bate-papos entre eu e seu amigão lá de Portugal?”. E eu, incrédulo, perguntei pra ele: “Do que cê tá falando, Edu?”. Vendo que eu nada sabia, Edu coloca em minhas mãos o 1º e 2º bate-papo entre você e ele. O resto não preciso nem dizer.
ARMINDO – Ó Berto, tu és um gajo do carago que sempre te precipitas nos julgamentos, pá! O 1º. Bate-papo entre Eduardo Lages e eu, aconteceu precisamente como o nosso 1º. Bate-papo entre Roberto e eu, ou seja, foi o Eduardo que me telefonou e não eu. E o gajo, tal como tu, também me telefonou através do seu celular com o número privado, se calhar também, tal como tu, com receio que eu abrisse a boca e fosse logo pro fórum do Portal espalhar para a malta o seu número de celular. Além disso, se leste os bate-papos, duas coisas pudeste verificar: que a primeira vez que o Eduardo me telefonou, não foi por desejo dele, mas apenas para fazer a vontade ao seu netinho Enrico, e que a segunda vez foi apenas para me contar que a sua família transou a leitura do bate-papo e que para o ano esperava vir a Portugal, mais exactamente a Guimarães, Lisboa e Algarve.
ROBERTO – Se foi como cê diz, então porque você no final dos bate-papos botou lá que tudo era fictício, bicho? Desse jeito, não passa de uma cópia mal copiada de nossos bate-papos, né?
ARMINDO – Mais uma vez te enganas, Berto! Ao contrário de ti, o Eduardo não queria que eu publicasse os bate-papos que tive com ele. Mas depois, pensou melhor e disse-me que não havia nenhum mal nisso. Então, eu perguntei-lhe se queria que eu no final mencionasse que tudo era fictício e ele respondeu-me: “Que nada, Armindo! Pra quê esconder verdades? Que mal tem nosso bate-papo?”.
ROBERTO – Então não tô entendendo porque nos dois bate-papos tá lá escrito a frase: “O texto que acabaram de ler é fictício. Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência”…
ARMINDO – Ah! Isso foi porque o Eduardo pensou melhor e disse que talvez fosse conveniente mencionar que tudo era fictício.
ROBERTO – eheheheheh Edu pensou melhor, dando uma no cravo e outra na ferradura. Primeiro disse, “pra quê esconder verdades? Que mal tem nosso bate-papo?” e depois achou que seria conveniente mencionar que tudo era fictício. heheheheh Vai a gente entender o Edu!!!
ARMINDO – É fácil perceber o motivo, Berto! O motivo foi exactamente o mesmo que tu deste para os nossos bate-papos. Já te esqueceste, pá? Além disso, tu se calhar nem imaginas a legião de fãs do Eduardo Lages. Se tivessem o número de celular dele, o gajo estava tramado que passava a vida ao telefone. eheheheheh
ROBERTO – É isso aí, Mindo! Eu próprio sou fã dele, sabia? Edu é um barato, mora! Mas olhe aí, Mindo! Desculpa pros bate-papos com o Edu cê teve pra me dar, mas para aquela sua entrevista internacional falando de mim, ganhando de volta uma tremenda grana, você não vai ter, não!
ARMINDO – Ó Berto, vai-te lixar, pá! Tu é que és o responsável por eu andar metido nestas coisas todas. O Eduardo Lages telefonou-me por causa do seu netinho Enrico que diz que é meu fã e o Felipe Moura (Lipe), pediu-me uma entrevista* para o seu Blog El Rey Roberto Carlos. Mas não penses que eu ganhei algo com isso, pá!
ROBERTO – Então por que você foi pro fórum do Portal bancando uma de vítima do Felipe Moura, se queixando de ele não ter pago a você seu “cachet” pela entrevista que cê deu no seu blog?
ARMINDO – Ó pá, isso foi tudo numa de brincadeira pra pegar com o Lipe. ehehehehehe
ROBERTO – Cê sempre tem desculpa pra tudo, mora! Cê se mete nas coisas e depois bota culpa pra mim. eheheheheh Mindo, agora me conte aí como vai a galera lá no Portal, viu? Aquela doença que cê falou em nosso último bate-papo, a “apaixonite aguda”, ainda tá infestando a galera, bicho?
ARMINDO – eheheheheh Não te esqueceste, pá! Neste momento, não. Mas a equipa médica está sempre atenta para o que der e vier.
ROBERTO – Cê tá querendo dizer que já não existem apaixonados no Portal, Mindo?
ARMINDO – Claro que existem, Berto! Apaixonados por ti, são todos. Acontece que a malta agora está virada para outras coisas. Os gajos são como as faces da lua, ora estão virados para um lado, ora estão virados para outro. eheheheheh
ROBERTO – eheheheheh Como assim? Me diga, vai!
ARMINDO – Olha, neste momento a maior parte dos tópicos são de acordo com a época natalícia, mas há uns dias atrás os assuntos eram quentes pra carago, pá! Um deles teve a ver com o facto de pela primeira vez em mais de quarenta anos não haver um disco teu em Dezembro. Muitos ficaram lixados pra carago contigo mas outros preferiram não dar demasiada importância ao assunto, sabe Deus lá por dentro como se sentiam por saberem que este ano não iriam ter a tão costumada e bem vinda prenda de Natal. eheheheheh
ROBERTO – Bicho! De fato não deu pra sair em Dezembro, mas no início do próximo ano esse lançamento vai surgir. Cê sabe que depressa e bem há pouco quem, né!?
ARMINDO – Tens razão, pá!
ROBERTO – Olhe aí, cara! Me não sai da cabeça essa de você bater papo telefónico com Edu. Não demora e até de MSN você vai bater papo com ele.
ARMINDO – Ó Berto, ainda estás a pensar nisso, carago?! Até parece que estás com ciúmes, pá!
ROBERTO – Qual ciúme, cara! Apenas eu pensei que nossos bate-papos eram nosso exclusivo e você simplesmente acabou com essa exclusividade ao bater papo com Edu. Mas o melhor é esquecermos esse assunto e passar pra outro. E o outro assunto, como estamos no Natal, é para lhe dizer que tô querendo lhe dar uma prenda. Cê quer uma prenda minha, Mindo?
ARMINDO – Uma prenda tua? Nem se pergunta, pá!
ROBERTO – Cê tá em seu computador?
ARMINDO – Estou a dar uma olhada no site a ver quem foram os gajos que ganharam a “Promoção Presenteie quem você ama”. Entre eles estão o Carlos Marley, o Edson Alves e a Glória Guimarães, que são membros conhecidos do Portal e que, imagino, devem estar na lua por terem sido premiados e eu fico contente por eles.
ROBERTO – Eu também, Mindo. Se ligue agora no MSN, tá? Eu já tô ligado esperando você.
ARMINDO – OK, pá!

- Segundos depois, no MSN…

MINDO diz:
Ó Berto, tás aí, pá?!
ZUNGA diz:
Tô Mindo! Estava teclando com um cara que você conhece.
MINDO diz:
Que eu conheço! Quem é o gajo, carago? Não me digas que é o Tremendão, pá!
EDU diz:
Oi Armindo! Como vai você?
ZUNGA diz:
eheheheheh Mindo, com esta você não esperava, heim!
MINDO diz:
Olá, Eduardo! Mas que surpresa!
ZUNGA diz:
Quem é amigo que deu surpresa prós meninos?
EDU diz:
Sabe, Armindo? Roberto é assim, adora fazer surpresa quando a gente menos espera. Ele me telefonou dizendo que ia telefonar pra você e me pediu pra me conetar no MSN pra transarmos juntos um bate-papo.
MINDO diz:
Eduardo, o Roberto só me surpreende! E eu a pensar que ele estava zangado comigo por nós termos tido aqueles dois bate-papos, e afinal… eheheheheh
ZUNGA diz:
Edu, como você está vendo este nosso Mindo sempre se precipita em seus julgamentos.
EDU diz:
eheheheheh
EDU diz:
Oi, seu Armindo! Cê tá porreiro, pá?
EDU diz:
Armindo, Roberto lhe deu uma prenda e eu agora lhe estou dando a minha. Quem teclou foi seu fã Enrico que está aqui a meu lado. eheheheheh
ZUNGA diz:
Tá sendo demais pro Mindo! hehehehehe
ZUNGA diz:
Oi, Enrico! Tudo jóia, rapaz? Cê ao invés de estar perdendo tempo aprendendo gíria portuga, bem que devia era aprender cantando como Nathalie, que brilhou na gravação do programa de Natal do Raul Gil, todinha de branco cantando a musica "Como é grande o meu amor por você". Pensa nisso rapaz e deixe de passar bola pra esse portuga maluco, viu? eheheheheh
MINDO diz:
Olá, Enrico! Tás porreiro, pá! Não ligues para o que disse o Roberto que o gajo às vezes tem a mania de querer deixar-me ficar mal, pá!
EDU diz:
Seu Armindo, Roberto tá sempre pegando comigo, sabe? Obrigado pela mensagem que cê me mandou com aquele Dicionário de termos e expressões populares portuguesas. Foi um barato, digo, foi do baril. Agora toda a malta que eu conheço tá querendo falar numa de portuga como eu falo, me pedindo até fotocópia de seu dicionário e então…
ZUNGA diz:
Edu, o melhor é deixar eles batendo papo, pois tô vendo que eles começando nunca mais vão terminar. eheheheheh
EDU diz:
…e então eu aproveito pra mandar uns bitaites de portuga pra eles. eheheheheh
MINDO diz:
Que confusão do carago! Quem foi que escreveu agora? Foi o Eduardo ou o Enrico?
EDU diz:
Fui eu que escrevi, seu Armindo. Agora vou dar o lugar a meu vovô.
EDU diz:
Armindo, você arranjou a bonita com esse tal dicionário. Enrico passa a vida falando portuga e nem eu o entendo quando ele se sai com essas expressões esquisitas. Já não bastava eu as ouvir de Roberto, agora também tenho que ouvir de meu neto. eheheheheh
ZUNGA diz:
Edu, você fala assim porque só bateu papo com o Mindo por duas vezes, mas se você continuar batendo papo telefónico com ele, na certa que na terceira ou quarta vez bem que você também vai apanhar esse jeito, mora! eheheheheh
MINDO diz:
eheheheheh
ZUNGA diz:
Mindo, cê sabe o que eu estou me lembrando, cara?
MINDO diz:
Como é que sei se tu ainda não disseste, Berto? eheheheheh
EDU diz:
eheheheheh
ZUNGA diz:
Se recorda daquelas músicas portuguesas que cê me mandou, cara?
MINDO diz:
Recordo, pá! Uma delas até cantamos os dois. eheheheheh
ZUNGA diz:
Foi do baril, digo, foi legal, bicho! Me estava lembrando que cê podia mandar essas músicas pro Edu. Quem sabe ele transasse orquestra-las. Que cê acha, Mindo?
EDU diz:
Que músicas, carago, digo, caramba?
ZUNGA diz:
Mindo, cê já viu? Edu disse carago! eheheheheh
EDU diz:
Estando com vocês tudo é possível acontecer! eheheheheh
ZUNGA diz:
Edu, o Mindo me mandou músicas de artistas portugueses, bem legais. “O prometido é devido” de Rui Veloso, “Canção de Madrugar” de Hugo Maia de Loureiro” e “Telepatia” de Lara Li. Todas porreiras, digo, todas bem legais, mora!
EDU diz:
Vocês me desculpem mas aqui o Enrico está em cima de mim querendo à força que eu o deixe teclar com Armindo.
ZUNGA diz:
Chefe manda, né?! eheheheheh
MINDO diz:
Ó Berto, essa do chefe manda, foi boa, pá! eheheheheh
ZUNGA diz:
Edu, porque você não empresta pro Enrico seu portátil, bicho? Aí Enrico se liga no MSN e você não tem que aguentar com ele sempre lhe tirando o teclado das mãos.
EDU diz:
Boa ideia, Roberto! Tô já ligando meu portátil pro Enrico.
ZUNGA diz:
Mas ande rápido, Edu! Não dê música pra gente com sua demora!
MINDO diz:
Ó Berto, sais-te com cada uma do carago, pá! eheheheheh
ENRICO diz:
Seu Roberto! Meu vovô me disse que quando cês forem lá em Portugal eu também vou.
ZUNGA diz:
Cê vai pra quê, Enrico? Pra ir pra lá falando pra todo mundo bancando uma de portuga? eheheheheh Seu vovô é que tem culpa de meter você nestas coisas de bate-papo com o Mindo.
EDU diz:
Roberto, cê tá enganado. Não fui eu que meti Enrico batendo papo com o Armindo. Acontece que Enrico, por causa de ler seus bate-papos com o Armindo, há muito que andava me pedindo pra eu também telefonar pro Armindo, coisa que eu sempre fui adiando por achar ridículo essa coisa de bater papo com um portuga que nem sequer conhecia. Portanto, Roberto, você é que foi o culpado de Enrico ser fã de Armindo e querer bater papo com ele, viu?
ZUNGA diz:
Não disfarce pra mim, Edu! Cê apenas conseguiu arranjar um pretexto pra bater papo com o meu Amigo Mindo e agora se está valendo de Enrico!
ENRICO diz:
Seu Armindo! A coisa tá aquecendo pra carago, pá! Roberto e meu vovô já estão a ficar lixados por nossa causa. eheheheheh
MINDO diz:
eheheheheh Nem estou em mim!
ZUNGA diz:
Mindo se deixe de riso e vamos retomar nossa conversa sobre músicas portuguesas legais. Dá pra você mandar pro Edu aquelas músicas que mandou pra mim, bicho?
MINDO diz:
Se o Eduardo quiser, é claro que as mando.
EDU diz:
Se o Roberto gostou dessas músicas, é claro que eu também irei gostar. Se o Armindo me mandar eu ficarei agradecido a você.
MINDO diz:
Claro que as enviarei, Eduardo!
ZUNGA diz:
Mindo cê tem outra música porreira, digo, bacana?
MINDO diz:
Assim de repente não me estou a lembrar de nenhuma, pá! Estou tão emocionado com este bate-papo que tudo me parece surrealista.
EDU diz:
eheheheheh
MINDO diz:
Berto, por falar em surrealista, estou-me a lembrar de “Um resto de tudo” do João Pedro Pais. Depois mando-te a música por e-mail, tá?
ZUNGA diz:
Tudo bem, Mindo! Mas não dá pra você escrever aqui a letra pra nós lermos agora?
MINDO diz:
Espera aí um pouco enquanto a procuro nos meus arquivos.
EDU diz:
Roberto, ainda estou a pensar no que você me acusou. Não esperava isso de você, Roberto! Jamais eu iria perder meu tempo com um portuga lunático.
ZUNGA diz:
Olhe aí, Edu! Não admito que cê chama de…
MINDO diz:
Ó Berto, já tenho a letra da música, pá! Aqui vai ela!

UM RESTO DE TUDO
Composição: João Pedro Pais

Desce pela avenida a lua nua
Divagando à sorte, dormita nas ruas
Faz-se de esquecida, a minha e tua
Deixando um rasto, que nos apazigua
Sou um ser que odeias mas que gostas de amar
Como um barco perdido à deriva no mar
A vida que levas de novo outra vez
O mundo que gira sempre a teus pés
Sou a palavra amiga que gostas de ouvir
A sombra esquecida que te viu partir
A noite vadia que queres conhecer
Sou mais um dos homens que te nega e dá prazer
A voz da tua alma que te faz levitar
O átrio da escada para tu te sentares
Sou as cartas rasgadas que tu não lês
A tua verdade, mostrando quem és
Entra pela vitrina surrealista
Faz malabarismo a ilusionista
Ilumina o céu que nos devora
Já se sente o frio, está na hora de irmos embora
Sou um ser que odeias mas que gostas de amar
Como um barco perdido à deriva no mar
A vida que levas de novo outra vez
O mundo que gira sempre a teus pés
Sou a palavra amiga que gostas de ouvir
A sombra esquecida que te viu partir
A noite vadia que queres conhecer
Sou mais um dos homens que te nega e dá prazer
Sou a voz da tua alma que te faz levitar
O átrio da escada para tu te sentares
Sou as cartas rasgadas que tu não lês
A tua verdade, mostrando quem és
Sou um ser que odeias mas que gostas de amar
Um barco perdido à deriva no mar
A vida que levas de novo outra vez
O mundo que gira sempre a teus pés
Sou a palavra amiga que gostas de ouvir
A sombra esquecida que te viu partir
A noite vadia que queres conhecer
Sou mais um dos homens que te nega e dá prazer
A voz da tua alma que te faz levitar
O átrio da escada para tu te sentares
Sou as cartas rasgadas que tu não lês
A tua verdade, mostrando quem és
Um resto de tudo
Que possa existir
Mostrando quem és
Um resto de tudo.

ZUNGA diz:
Bicho! A letra é bastante interessante e imagino que a música também. Que cê diz, Edu?
EDU diz:
O que posso dizer é que a letra é linda de verdade. Agora só fica faltando ouvirmos a música e aí, confesso que estou com curiosidade em a ouvir.
ZUNGA diz:
Mindo, cante aí ela um pouco pra gente, bicho!
MINDO diz:
Ó Berto, tu lembras-te de cada uma do carago, pá!
ENRICO diz:
Seu Armindo, bem que a ideia de Roberto é bestial, pá! Cante aí a canção, carago!
EDU diz:
Armindo, o Enrico teve uma boa ideia. Cante aí um pouco, tá?
MINDO diz:
Ai meu Deus! Só queria falecer!!! Vou ligar o microfone.
MINDO diz:
Aí vai, mas depois não riam da minha voz. eheheheheh

Desce pela avenida a lua nua
Divagando à sorte, dormita nas ruas
Faz-se de esquecida, a minha e tua
Deixando um rasto, que nos apazigua
Sou um ser que odeias mas que gostas de amar
Como um barco perdido à deriva no mar
A vida que levas de novo outra vez
O mundo que gira sempre a teus pés

ZUNGA diz:
Mindo! Pére aí, pére aí, bicho! Edu, tive uma ideia! E se nós cantássemos os quatro? Vamos nessa?
ENRICO diz:
Boa ideia, seu Roberto! Vovô adora cantar, viu? E eu também!
EDU diz:
Isto só visto!!! Contando ninguém acredita. O Engomadinho aqui aturando Roberto, o netinho e um portuga maluco. Que mal fiz eu a Deus? Vamos lá então, gente! Hoje estou por tudo. Perdido por cem, perdido por mil!
ZUNGA diz:
Edu, se deixe de queixume e copie aí a letra, passando ela pro seu computador, tá legal?
EDU diz:
Tá tudo pronto, Roberto! Eu e Enrico já támos a fim de começar.
ZUNGA diz:
E você, Mindo?
MINDO diz:
Estou à espera, pá! Começa lá a contar, carago!
ZUNGA diz:
Começo a contar? O quê que você quer que eu conte pra você agora, cara?
EDU diz:
Se for uma anedota, tenho certeza que ela não fará tanto rir como a figura que estamos todos fazendo agora. eheheheheh Me meto em cada negócio!!!
ZUNGA diz:
Edu, acabe de uma vez com suas lamentações, viu? Pô! Que mania cê tem, mora!
MINDO diz:
Ó Berto, deixa-te de coisas e vê mas é se começas a contar até três pra começarmos todos a cantar, senão estamos lixados que nunca mais saímos desta, carago!
ZUNGA diz:
É isso, Mindo! Atenção, pessoal! Um… Dois…
EDU diz:
Roberto, espere aí um pouco. Enrico foi agora correndo pro banheiro.
ZUNGA diz:
Puxa vida! Isto tá sendo pior que em meus ensaios. Logo agora deu vontade a Enrico de ir no banheiro…
MINDO diz:
Ó Berto, eu até estou admirado de tu ainda não teres ido fazer xixi, pá!
EDU diz:
Mindo, cê tá chamando de mijão a Roberto? eheheheheh Pessoal, chegou nosso Enrico! Comece agora contando até três, Roberto!
ZUNGA diz:
Ufa! Um… Dois…
MINDO diz:
Ó Berto, desculpa lá, pá! Vamos cantar a canção toda ou só o refrão?
EDU diz:
eheheheheh
ZUNGA diz:
Mindo, cê fez de propósito pra interromper minha contagem, mora! Isso aí é gozação.
EDU diz:
Roberto, você me desculpe mas acho que o Armindo tem razão. A gente não tinha combinado como iríamos começar “Um resto de tudo” desse tal João Pedro Pais.
ZUNGA diz:
Que eu saiba o começo sempre é no princípio, né? Ou será que já mudou e eu não sabia?
ENRICO diz:
Oi, seu Roberto, se a malta não começa cantando agora mesmo, bem que eu dou de frosques e vou no banheiro outra vez, viu?
MINDO diz:
Ó Enrico, essa foi do baril, pá! eheheheheh
ZUNGA diz:
Dou de frosques? Essa aí eu não conhecia, não! Vamos lá, então, malta, digo, gente! Um… Dois…
EDU diz:
Mil perdões, Roberto! É que tô achando uma tremenda bolada a gente cantar toda a canção. Porque a gente não canta apenas o refrão, Roberto?
ZUNGA diz:
Não é possível!!! Porque você não sugeriu logo isso, Edu?
MINDO diz:
Ó Berto, o Eduardo até tem razão, pá! Tu não perguntaste à malta como é que havíamos de começar. Por isso…
ZUNGA diz:
Por isso, cantamos apenas o refrão, tá legal? E cantamos já, já, já, antes que Enrico se lembre de ir outra vez dar uma mija, digo, fazer xixi. Um… Dois… Três!!!

ZUNGA, EDU, ENRICO e MINDO, cantam:

Sou um ser que odeias mas que gostas de amar
Como um barco perdido à deriva no mar
A vida que levas de novo outra vez
O mundo que gira sempre a teus pés
Sou a palavra amiga que gostas de ouvir
A sombra esquecida que te viu partir
A noite vadia que queres conhecer
Sou mais um dos homens que te nega e dá prazer

ZUNGA diz:
Malta, digo, pessoal, estamos todos de parabéns. Foi jóia!
MINDO diz:
Ó Berto, a minha voz de portuga no meio de três vozes brasucas deu um toque sui generis ao coro, pá!
EDU diz:
Bem me parecia que havia algo destoando na banda…
MINDO diz:
??????????
ZUNGA diz:
Edu, essa sua saída pro nosso portuga foi na hora, bicho! Eheheheheh
ENRICO diz:
Seu Armindo, não faça caso pro que disse vovô, nem pro riso de Roberto, viu?
MINDO diz:
Não há problema, Enrico. Temos que respeitar os mais velhos, pá! eheheheheh
EDU diz:
Você já viu, Roberto! Armindo nos chamou de velhos.
ZUNGA diz:
E você que julga que é, Edu? Não esquente, não!
MINDO diz:
eheheheheh
EDU diz:
??????????
ZUNGA diz:
Pessoal! Tá na hora de darmos de froques, digo, de irmos embora!
ENRICO diz:
Seu Roberto, logo agora que estava aquecendo…
EDU diz:
Ufa! Já não é sem tempo! Com estes três qualquer cara fica biruta.
ZUNGA diz:
Edu, cê agora deu numa de chamar a nós de birutas, é?
ENRICO diz:
Seu Armindo, eles estão recomeçando e pegando um com o outro. eheheheheh
MINDO diz:
eheheheheh
MINDO diz:
Ó Berto, estou-me a lembrar que há dias o Carlos Marley, a propósito dos nossos bate-papos, tinha-me sugerido precisamente um bate-papo entre ti, eu e o Eduardo. Eheheheheh
ZUNGA diz:
E cê que disse a ele, bicho?
MINDO diz:
Disse-lhe que era mais fácil eu ir à lua do que tal bate-papo acontecer. Eheheheheh
EDU diz:
Quem é esse cara?
ZUNGA diz:
É aquele cara que acompanha Fabiano Cavalcante no programa radiofónico “Aplauso”. A galera lá do Portal chama a ele de Nobre por ter mania da nobreza. eheheheheh
EDU diz:
Se calhar o cara tem sangue azul. eheheheheh
MINDO diz:
Não me admirada nada que tivesse, pois há gajos lá no Portal que por causa do Roberto até eram capazes de ter o sangue azul em vez de vermelho. eheheheheh
ZUNGA diz:
Pessoal! Feliz Natal pra todos e que Papai Noel traga muitas prendinhas pra vocês. E para 2008, muita paz, muita saúde e sobretudo, muito amor.
ENRICO diz:
Seu Roberto e seu Armindo! Gostei pra carago deste bate-papo. Foi bestial! Estou esperando pelo próximo! Bom Natal pra vocês, viu?!
EDU diz:
Eu também desejo pra vocês um Santo Natal e que 2008 traga tudo de bom.
MINDO diz:
A mim o Pai Natal já me deu a melhor prenda que me podia ter dado que foi este bate-papo. Desejo ao Berto, ao Edu e ao Enrico, um Feliz Natal e um 2008 cheio de propriedades, digo, de prosperidades. eheheheheh
ZUNGA diz:
Estava faltando seus trocadilhos, mora! Olhe aí, Mindo! Eu, Edu e Enrico estamos querendo ver nosso bate-papo publicado amanhã Dia de Natal, lá no fórum do Portal, viu?
MINDO diz:
Ó Berto, nem penses nisso, carago! Este bate-papo vai dar pano pra mangas. Vão ser mais de dez folhas A4, pá! Como é que queres que eu tenha tempo para passar tudo para o computador a tempo de mandar para o fórum já amanhã?
EDU diz:
Roberto, não foi você que um dia me disse que o Armindo era mágico? Então ele que faça uma mágica botando amanhã nosso bate-papo lá no Portal. A gente tá querendo se rir de nós amanhã. eheheheheh
ENRICO diz:
É isso, seu Armindo! Faça aí uma mágica porreira, fazendo aparecer amanhã nosso bate-papo lá no Portal, viu?
ZUNGA diz:
Mindo, se você fizer isso, nós até lhe damos um doce, tá legal? eheheheheh
MINDO diz:
eheheheheh És do baril, pá!
MINDO diz:
Vou tentar! Uma coisa já posso antever, é que a malta lá no Portal não vai acreditar que tudo isto é verdade. Aliás, eu próprio julgo tudo não passar de um sonho.
ZUNGA diz:
A propósito, não esqueça de botar no final do bate-papo aquele aviso de que tudo é ficção, viu?
EDU diz:
Roberto, não sei por que você teima em se preocupar com esse pormenor. Ao que constato, já ninguém vai nessa conversa de ficção. As coisas são por demais evidentes e o pessoal não anda dormindo, viu?!
ZUNGA diz:
Edu, não enche o saco, tá? Porque então você, nos dois bate-papos que teve com o Mindo, pediu a ele pra botar no final que tudo era ficção, bicho?
ENRICO diz:
Essa foi na hora, seu Roberto! eheheheheh
EDU diz:
eheheheheh
ZUNGA diz:
Pessoal, vamos embora! Abração pra vocês.
ZUNGA diz:
Mindo, mande aquele abraço pra galera do Portal e diga que desejo pra eles um Feliz Natal e Feliz Ano Novo.
EDU diz:
Roberto e Armindo, um abração pra vocês. Armindo, manda também por mim aquele abraço pra galera.
ENRICO diz:
Seu Roberto e seu Armindo! Um abraço pra vocês, viu? Foi fixe este bate-papo, carago!
MINDO diz:
Roberto, Edu e Enrico, muito obrigado por este bate-papo que jamais esquecerei. Amanhã estejam atentos ao fórum do Portal Clube do Rei. Abraços!

* Entrevista para o Blog El Rey Roberto Carlos.


AVISO:

O texto que acabaram de ler é fictício.
Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência.

A ficção revela verdades que a realidade omite
Jassemin West
Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

1 comentário:

  1. Querido Armindo!

    Quando postaste o texto eu vim a "120, 150, 200Km por hora" para curtir esse bate-papo de arromba, que rola, com "Muito Amor e carinho" entre pessoas tão importantes como tu, o NMQT, o Nosso Maestro e o fantástico Enrico.
    Nesse "Encontro" vocês vivem "Momentos tão bonitos", tudo o que dizem "Da boca pra fora", nesse "Papo Firme", é "De coração pra coração".
    Esse texto é "Uma doce loucura", é "Uma simples mágica" e são tantas as "Emoções", que "Me vuelves Loca"!
    "Como é possível" ter tanta criatividade, tanta inspiração!?!?
    "Olha", e "Por isso estou aqui", para te agradecer "Do fundo do meu coração", e "Eu quero apenas te dizer":
    "Parabéns" Armindo!
    Cê é um cara do carago, pá!
    Tudo fixe, muito fixe, pá!
    Do baril, pá!

    Beijinhos,
    Alba Maria




    ResponderEliminar

MÚSICA LUSÓFONA

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil