ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

10/28/2010

De que vale o céu azul…






Por: Armindo Guimarães
Diplomado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins
Facebook
https://www.facebook.com/armindo.guimaraes


De repente dei por mim a pensar por que motivo Roberto Carlos deixou de cantar “Quero que vá tudo pro Inferno”, uma música que gravou em 1965 e que foi um dos seus maiores sucessos aqui e além fronteiras.

Então, decidi telefonar para o Inferno convencido que de lá alguém me pudesse dar um esclarecimento sobre o assunto. Tentei, uma, duas, três, sei lá quantas vezes, sem sucesso, pois pelos vistos o Inferno anda muito concorrido, facto que nem é para admirar da forma como as coisas aqui na Terra estão correndo.

Mas não desisti e logo a seguir optei por telefonar para o Céu. Talvez lá houvesse alguém que de uma vez por todas acabasse com as minhas interrogações a respeito.

Eis a transcrição do telefonema:

28 de Outubro de 2010

Marco o número de telefone do Céu.

E do Céu atendem.

TELEFONISTA – Você ligou para o Céu. Se você pretende falar com o Gabinete de Relações Públicas para esclarecimentos de carácter geral, marque 3. Se você pretende falar com o Gabinete de Relações Públicas para esclarecimentos de carácter técnico, marque 4. Se você pretende falar com o Departamento de Marketing, marque 5. Se você pretende falar com o Porteiro-Mor, marque 6. Se você pretende falar com o Departamento de Reservas, marque 7. Se você pretende…

Marcação: tecla 6 – Porteiro-Mor.

Música de fundo: Aquarela do Brasil

Dez minutos depois…

PORTEIRO-MOR: Bom dia! Em que posso ser útil?
ARMINDO – Bom dia! Por acaso aqui neste momento chove pra carago, mas de qualquer forma, bom dia! Com quem tenho o prazer de falar?
PORTEIRO-MOR – Cê tá falando com o Porteiro-Mor. Seja breve em seu contato porque tem gente em fila de espera, viu?!
ARMINDO – Ó senhor Porteiro-Mor, isso são maneiras de falar?
PORTEIRO-MOR – Tenho aqui em sua ficha que você é brasileiro e então minha maneira de falar pra você tá sendo desse jeito. Seja breve, viu?!
ARMINDO – Brasileiro, eu?
PORTEIRO-MOR – Se deixe de entretantos e passe logo aos finalmente. Tem gente em fila de espera.
ARMINDO – Mas eu não sou brasileiro, carago?!
PORTEIRO-MOR – Cê se enganou na marcação do número, rapaz! Se você queria telefonar pro Inferno, errou no número.
ARMINDO – Não errei. Era para aí mesmo que eu queria falar. E quando eu perguntei se eram maneiras de falar, não me estava a referir ao facto de você estar a falar brasuca mas sim por você me ter dito para ser breve sem ao menos pedir por favor. Pensei que aí no Céu havia maneiras, carago!
PORTEIRO-MOR – Cê é que está falando sem maneiras, viu?! “Carago” é expressão inadequada.
ARMINDO – Peço desculpa, carago! Digo, caramba!
PORTEIRO-MOR – “Caramba” é a mesma coisa. Cê tem que falar educadamente se quiser entrar no Céu.
ARMINDO – Mas quem lhe disse que eu queria entrar no Céu?
PORTEIRO-MOR – Por isso é que eu disse pra você que errou no número.
ARMINDO – Já disse que não errei na marcação do número! É para aí mesmo que eu quero falar e já estou a ver que consigo não me entendo. Passe-me ao São Pedro se faz favor e já agora saiba que eu não sou brasileiro mas sim português. Porque raio é que na minha ficha eu consto como brasileiro?
PORTEIRO-MOR – “Raio” também é expressão inadequada. Repita a pergunta como deve ser.
ARMINDO – Ó senhor Porteiro-Mor, se não sabe fique agora a saber que no contexto “raio” é o mesmo que relâmpago que vocês aí em cima de vez em quando se lembram de mandar cá para baixo para a malta ter que se lembrar de São Jerónimo e de Santa Bárbara Virgem.
PORTEIRO-MOR – “Malta” também é termo inadequado e por isso…
ARMINDO – Por isso, mais uma vez lhe peço pra me passar a chamada ao São Pedro.
PORTEIRO-MOR – Não sei se São Pedro vai poder atender você, mas…
ARMINDO – Rápido!
PORTEIRO-MOR – Rápido? Tenha maneiras, cara! Aqui no Céu não há tempo para pressas. Cê tem que marcar a tecla 2 pra voltar a falar com a telefonista.
ARMINDO – Tudo bem. Vou marcar a tecla 2. Bom dia, senhor Porteiro-Mor. Passe bem!
PORTEIRO-MOR: Bom dia! Sempre ao seu dispor!

Marcação: tecla 2 – Telefonista.

TELEFONISTA – Você ligou para o Céu. Se você pretende falar com o Gabinete de Relações Públicas para esclarecimentos de carácter geral, marque 3. Se você pretende falar com...


Marcação: tecla 8 – São Pedro.

Música de fundo: Aquarela do Brasil
- Sua chamada se encontra em fila de espera. Aguarde um instante, por favor.

Vinte minutos depois…

SÃO PEDRO – Haja Deus! Estava a ver que nunca mais telefonavas, pá!
ARMINDO – É o São Pedro?
SÃO PEDRO – Sou, pá! Tá tudo bem contigo?
ARMINDO – Não deixa de ser caricato o São Pedro estar a perguntar a um mortal aquilo que já sabe. Eheheheheh
SÃO PEDRO – Isso é uma verdade, pá! Aqui no Céu sempre tivemos actualizadas as fichas de todos os mortais. E agora com esta coisa da informática ainda melhor. Eheheheheh
ARMINDO – Duvido que seja tanto assim. Ainda há pouco estive a falar com o Porteiro-Mor e o gajo disse-me que na minha ficha consto como brasuca quando eu sou portuga. O gajo como é brasileiro pensa que todos também o são. Ehehehehe
SÃO PEDRO – Ele não é brasileiro, pá!
ARMINDO – Mas ele falou-me brasuca.
SÃO PEDRO – Ele falou-te brasuca porque antes viu que na tua ficha estavas lá como brasuca, porque se estivesses lá como português ele ter-te-ia falado português. O pessoal quando vem aqui para o Céu deixa as coisas terrenas na Terra. Aqui ninguém é português, brasileiro ou chinês. Ninguém tem nacionalidade.
ARMINDO – Pois. Mas o gajo é um mal-encarado do carago! Sempre a chamar-me a atenção para a minha maneira de falar. Que eu não podia dizer “carago”, “raio” e outras frases do género. Que eu tinha que ser rápido no contacto…
SÃO PEDRO – Ó pá, tens que compreender que da maneira como as coisas estão a correr aí na Terra, o gajo não tem mãos a medir sempre a atender telefonemas de gajos que querem ir desta pra melhor e, como sabes, melhor só aqui no Céu.
ARMINDO – Ainda por cima, como se não bastasse o que acontece aqui na Terra que quando a gente telefona para qualquer sítio dão-nos sempre música, aí no Céu é a mesma coisa. Deram-me música até dizer chega!
SÃO PEDRO – Mas diz lá se não gostaste de ouvir uma musiquinha portuguesa vinda do Céu? Eheheheheh
ARMINDO – Por acaso até gostei da música, só que não era portuguesa.
SÃO PEDRO – Não te puseram música portuguesa?
ARMINDO – Não. Puseram a “Aquarela do Brasil”.
SÃO PEDRO – Pois. Tudo porque na tua ficha está lá escrito que tu és brasileiro. Espera aí um pouco que eu vou já tratar do assunto com o Porteiro-Mor. Mas tu continuas em linha para ouvir a conversa, está bem?
ARMINDO – Está bem.
PORTEIRO-MOR – Bom dia! Em que posso ser útil?
SÃO PEDRO – Bom dia! Olá, sou eu, o São Pedro!
PORTEIRO-MOR – Olá, São Pedro! Ainda bem que me telefonou! Você chegou a atender a chamada do Armindo do Brasil? Ele é muito mal educado. Espero que você não lhe abra as portas. O lugar dele não é aqui mas sim no…
SÃO PEDRO – Tem calma! Ele é um gajo, digo, uma pessoa que até nos interessa que venha o mais depressa possível e tu quase que punhas tudo a perder pois disseste-lhe que ele era brasileiro e ainda por cima demos-lhe música brasileira.
PORTEIRO-MOR – Mas, são Pedro, aqui na ficha dele diz que é brasileiro. Por isso…
SÃO PEDRO – Por isso temos que chamar a atenção do pessoal da informática para terem mais cuidado no que fazem. Antes, quando tudo era manual não aconteciam estas coisas, carago, digo, meu Deus! Quem é que está a chefiar o Departamento de Informática?
PORTEIRO-MOR – É o Anjo Gabriel.
SÃO PEDRO – Ponha-me esse gajo, digo, esse Anjo em contacto comigo, agora mesmo.
PORTEIRO-MOR – É já a seguir!
ANJO GABRIEL – Bom dia! Está a falar com o Anjo Gabriel. Tenha a bondade!
SÃO PEDRO – Olá, Gabriel! Sou o São Pedro.
ANJO GABRIEL – Olá, São Pedro! Há algum problema?
SÃO PEDRO – Há e não é pequeno! Então vocês aí no Departamento de Informática andam a trocar as nacionalidades do pessoal lá da Terra?
ANJO GABRIEL – Não é possível acontecer uma coisas dessas!
SÃO PEDRO – Mas o que é certo é que aconteceu e por causa disso corremos o risco de não termos aqui no Céu uma alma que nos interessa. Está registado nos nossos ficheiros como brasileiro, quando ele é português. Telefonou para cá, o Porteiro-Mor atendeu-o falando português/brasileiro em vez de português/português e ainda por cima demos-lhe música brasileira. Põe-te no lugar dele e imagina como ficavas!
ANJO GABRIEL – Estou aqui a ver a ficha dele e já vi o que se passa. Na verdade, a culpa não é nossa. Ele é que tem a culpa toda pois apesar de ser português mais parece um brasileiro e não é por acaso que o chamam Portuleiro. Duvido até que ele tenha ficado chateado connosco por o Porteiro-Mor ter falado com ele em brasuca e por lhe termos dado música brasileira pois temos aqui registado na sua ficha que para ele isso é o pão nosso de cada dia, caso contrário, a gente tinha-lhe dado música portuguesa, como por exemplo, uma música do Rui Veloso, do João Pedro Pais, da Dulce Pontes, do António Variações e até podíamos pô-lo a ouvir a “Gaivota” da Amália – Se uma gaivota viesse, Trazer-me o céu de Lisboa, No desenho que fizesse, Nesse céu onde o olhar, É uma asa que não voa, Esmorece e cai no mar. Que perfeito coração, No meu peito bateria, Meu amor na tua mão, Nessa mão onde cabia, Perfeito o meu coração. Se um português marinheiro, Dos sete mares andarilho, Fosse quem sabe o primeiro...
SÃO PEDRO – Ó Anjo Gabriel, a canção é linda mas essa tua voz estraga tudo. É melhor ficares por aí. eheheheheh
ANJO GABRIEL – Obrigado pelo elogio. Acho até que não é boa ideia abrirmos as portas ao Armindo pois temos aqui registado que onde ele entrar entra também a confusão e os maus exemplos. Temos o exemplo do Roberto Carlos que como o São Pedro sabe estava a andar direitinho até ao momento em que começou a bater papo telefónico com o Armindo. Desde então, temos aqui registado na ficha do Roberto que ele dia para dia está mais desinibido e não tarda nada até vai começar novamente a cantar aquela música que você sabe.
SÃO PEDRO – Ó Anjo Gabriel, nem me digas isso! Depois falamos melhor. Até logo!
ANJO GABRIEL – Até logo, São Pedro! Cuidado com esse Armindo!
SÃO PEDRO – Armindo, que tens a dizer a tudo isto, pá? Eu quero que tu venhas para aqui mas ao que consta a tua ficha é comprometedora. Ainda por cima andas a desencaminhar o Roberto Carlos que anda a mudar a olhos vistos e o pior é que eu desconfio que o mesmo se está a passar com o maestro Eduardo Lages. Isto já para não falar do pessoal que te acompanha lá no Portal Splish Splash que por este andar dificilmente terão as portas do Céu abertas.
ARMINDO – Mas, São Pedro, a razão do meu telefonema foi querer saber quais as condições para entrar aí no Céu. Se eu vir que me interessam, entrarei, caso contrário, irei contactar o Purgatório e o Inferno.
SÃO PEDRO – Eles estão em campanha com umas promoções bastante tentadoras, mas garanto-te que melhor do que as nossas não são e eu quero que tu venhas para cá dares continuidade ao Splish Splash aqui no Céu.
ARMINDO – Isso não vai ser preciso pois quando eu for desta para melhor tenho a certeza que o Splish Splash fica bem entregue à malta porreira que me tem acompanhado.
SÃO PEDRO – Isso nós sabemos. Mas aqui em cima não temos ninguém representando o Splish Splash. Por isso é que me lembrei de ti, pá! Ó Armindo, já viste como era fixe, pá? Depois, o Splish Splash, em vez de ser o blog mais melhor bom do mundo e arredores, passaria a ser mais melhor bom do Universo e arredores. Eheheheheh
ARMINDO – E quanto a músicas do Roberto, como é que estamos? É evidente que seria impensável eu ir para o Céu sabendo que aí não iria ouvir as músicas do Roberto.
SÃO PEDRO – Com certeza! Temos as músicas todas dele, pá! Olha, até temos aqui umas gravações de quando ele cantava na rádio de Cachoeiro de Itapemirim. Já viste tu aqui no Céu à frente do Splish Splash Blog a postares músicas do RC de quando ele era mocinho?
ARMINDO – Ena, pá! Isso era fantástico. Até me apetece ir já para aí só por causa disso. Eheheheheh
SÃO PEDRO – Era o delírio! Eheheheheh Só tem uma pequena coisa, pá! Há uma música que temos aqui mas que não está activada. Essa não vais poder ouvir nunca aqui no Céu. É a música “Quero que vá tudo pro Inferno”. Está fora do nosso âmbito. Por isso…
ARMINDO – Pois. Por isso é que o Roberto deixou de cantar essa música e estou a ver que foram vocês aí no Céu que influenciaram o gajo. Sendo assim, não contem comigo aí, pois eu conto ficar por aqui pelo menos o tempo suficiente para dar a volta à cabeça do Roberto no sentido de ele se deixar de coisinha e voltar a cantar essa música que foi um dos seus maiores sucessos, senão mesmo o maior.
SÃO PEDRO – Armindo, acalma-te, pá! Não há nada que não se resolva. Deixa isso comigo, está bem?
ARMINDO – Resolver como?
SÃO PEDRO – Deixa que ele te telefone. Fala-lhe no assunto. Depois, vais ver que ele passados uns tempos vai cantar de novo “Quero que vá tudo pro Inferno”. Depois, tu vais pensar que foi por causa do teu bate-papo com ele, mas logo a seguir vais-te lembrar desta nossa conversa e vais pensar para os teus botões: Hummm! Aqui houve mão do São Pedro!
ARMINDO – eheheheheh
SÃO PEDRO – Mas tens que prometer uma coisa.
ARMINDO – O quê, carago?
SÃO PEDRO – Que vens pro Céu!
ARMINDO – Claro! Com essas condições todas, como não iria?
SÃO PEDRO – Quem é amigo?! Eheheheheh
ARMINDO – eheheheheh
SÃO PEDRO – Como diria o nosso Roberto, me despeço de você com um abração.
Gudvai que eu gudfico! Eheheheheh
ARMINDO – Até um dia, São Pedro! Abraços robertocarlisticos! Eheheheheh
SÃO PEDRO – Armindo, tu vais publicar esta nossa conversa como costumas publicar os bate-papos que tens com o Roberto?
ARMINDO – Não tinha pensado nisso, mas é uma boa ideia. Eheheheheh
SÃO PEDRO – Não seria melhor no final, tal como também costumas fazer nos bate-papos com o Roberto, escreveres que tudo é ficção?
ARMINDO – Posso escrever isso no final, mas neste caso vai parecer ridículo porque mesmo sem essa frase quem iria acreditar que eu telefonei para o Céu e que ainda por cima estive a falar com o São Pedro? Impossível!
SÃO PEDRO – Pois. Mas tu sabes que o que era impossível ontem, hoje está na ordem do dia e por isso se tu à cautela não colocares aquela frase alertando que tudo não passa de ficção, pode acontecer que alguém fique acreditando na verdade da mentira. Eheheheheh
ARMINDO – eheheheheh
SÃO PEDRO – Para terminar: De que vale o céu azul e o sol sempre a brilhar…
ARMINDO – Se você não vem eu estou a lhe esperar…


AVISO:
O texto que acabaram de ler é fictício.
Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência.

“A ficção revela verdades que a realidade omite”
Jassemin West
Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

13 comentários:

  1. ahahahahahahahahah

    Simplesmente genial!

    Beijos lisboetas
    Julia Panagiotopoulos
    Alverca - Lisboa / Portugal

    ResponderEliminar
  2. Olá maninho!

    Com que então,resolveste agora ligar para o céu!Muito bom!
    Gostei muito da conversa.
    Pelo menos ficamos sabendo porque Roberto não canta mais Quero que vá tudo para o inferno...

    Maninho,você é mesmo fora de série.
    Essa sua cabecinha, funciona que é uma beleza.

    Parabéns pelo I Bate-Papo com São Pedro. Sim, porque outros virão com certeza.

    Beijos,
    Carmen Augusta

    ResponderEliminar
  3. Olá, Ju!

    Tu disseste: simplesmente genial!

    Contudo, tu sabes tão bem como eu que qualquer um que goste do NMQT tanto como eu e como tu, é fácil imaginar isto e aquilo, em especial nós portugas que desde 2006, que o mesmo é dizer há 4 anos (para nós 400 anos) estamos à espera dele,sendo certo que conforme diz o ditado "quem espera desespera".

    Abraços robertocarlisticos!

    ResponderEliminar
  4. Ola! Armindo,

    Conforme lhe disse anteriormente em outra matéria,eu sempre digo aos amigos quê, quando eu for dessa pra melhor, e diga-se de passagem significa ir direto para o Céu, sem passar pelo Purgatório, não adianta Ele manter a porta fechada para que eu tenha que bater e Ele perguntar quem é, pois vou dar um pontapé pra Ele abrir, Lhe dizendo: " Olha aqui Cara! Depois de tudo que passei lá embaixo, o Senhor ainda vem perguntar quem é? Abra logo esta porquera aí que quero é entrar e me descansar. Não tá escrito aí na minha ficha, não, que "comi o pão que o diabo amassou com o rabo", pô? Agora "eu quero é sombra e água fresca." eheheheh!!!!

    Ainda mais agora que Ele disse ao Armindo quê:
    " Isto já para não falar do pessoal que te acompanha lá no Splish Splash Blog que por este andar dificilmente terão as portas do Céu abertas."

    AAAAAhhhhhh!!! Carago! Eu só escrevi matérias porreiras, véi!

    Ele que não me venha com esta conversa, pois se for preciso reclamo ao Depertamento do Procon, que eu tenho a certeza de que lá também existe, pois, segundo o filme Nossolar, a Terra é uma cópia do que já existe lá, pá.

    Olha Armindo! Foi muito boa esta sua conversa que teve com o nosso Guardião São Pedro, pois ficarei de olhos abertos, quando estiver passando dessa pra melhor.

    Muitíssimo obrigado pelo alerta.

    Abraços!

    ResponderEliminar
  5. Olá, maninha!

    Sabes bem que eu pelo NMQT só não falei com o Inferno porque o telefone estava sempre ocupado. Ainda me lembrei de telefonar para o Purgatório mas depois decidi ligar para o Céu e acho que fiz bem, pois gostei muito da forma como o Pedro me atendeu. Muito melhor do que o Porteiro-Mor que até me fez ir aoa arames sempre me repreendendo por isto e por aquilo. Um gajo esquisito demais que não interessa nem ao Menino Jesus. eheheheheh

    Se eu fosse o São Pedro já o tinha despido, digo, despedido (engano-me sempre nesta palavra) eheheheheh

    Beijinhos do teu maninho
    PRA SEMPRE

    ResponderEliminar
  6. Amigo Bottary!

    Tu tens toda razão, pá!

    Por tudo quanto tens feito aqui no Splish Splash em prol do NMQT mereces ir direitinho pro céu sem dúvida alguma. Porém, temos sempre que contar com gajos que estão sempe alerta no sentido de arrepiar caminho aos gajos bons. E nesse aspecto, deixa que te diga que o Porteiro-Mor deve ser um deles. Ainda por cima o jeito de ele falar brasuca não é lá grande coisa. Eu era capaz de falar melhor do que ele.

    Abração

    ResponderEliminar
  7. Olá Armindo!

    Desta vez houve uma mudança no bate-papo pra inovar, né?

    Gostei dessa inovação, fruto de sua intligência e criarividade.

    Essa cabecinha pensante vai longe!!!!

    Parabéns, achei maravilhoso!

    Beijos!!!!

    Mazé Silva.

    ResponderEliminar
  8. Oi, priminha!

    Como cê tá?

    Cê disse:

    "Essa cabecinha pensante vai longe!!!!"

    E eu digo:

    A Fortaleza.

    :)

    Beijinhos e abraços

    ResponderEliminar
  9. Olà Mindo! foi mesmo exelente este teu bate papo là no Ceu pà!uma coisa que nao chegaste a dizer, é se a comunicaçao ficou cara!com certeza que devia ter ficado se nao toda a gente iria pro Ceu.Bom o que é certo, é que tu prometeste ir pro Ceu e assim Sao Pedro vai-se encarregar que o NMQT cante de novo Quero que va tudo pro inferno.Foi um exelente negocio que tu coseguiste pà!Olha pà, uma vez que te daz bem com Sao Pedro ve là se se pode arranjar um lugarzito para um Portugues que imigrou pra Françà e que gostaria de imigrar pra Ceu.Abraços

    ResponderEliminar
  10. Lol!:)))))
    Parabéns Armindo!
    Está o máximo, este bate-papo!
    Só tive pena que não soubesses que ,o Inferno já tem uma sucursal aqui na Terra!
    Por isso, é que a malta está a pedir reformas antecipadas, para poder fugir para o Céu!;))
    Abraços
    Miriam

    ResponderEliminar
  11. Olá, Miriamdomar!

    Sei onde fica essa sucursal. Infelizmente é aqui no nosso Portugal à beira-mar plantado.

    Tudo por causa dos políticos que temos que andaram a esbanjar o nosso dinheirinho a torto e a direito e agora vão pros jornais, rádio e TV armados em inocentes como se a culpa não fosse deles. São como se costuma dizer, o diabo em figura de gente.

    Ó menina tu tens andado fugida! Ainda há pouco acabei de dar um raspanete à nossa representante em Lisboa e agora chegou a tua vez como representante do Porto. Era para te promover a Miss Splash Splash e como tal passares a usar o nome de Miriamdosplishsplash em vez de Miriamdomar, mas estou a ver que tenho que adiar tal iniciativa.

    Vê mas é se começas a justificar, senão já sabes o que te espera!

    Abraços do patrãozinho

    Ah! Bibó Porto, carago!

    ResponderEliminar
  12. Armindo,
    você tem manhas, ou magia, para entrar directo no nosso coração!
    Gostei demais, é uma ternura*
    BEIJO
    Natália Pires (Lita)

    ResponderEliminar
  13. Alba Maria Fraga Bittencourt28 de janeiro de 2012 às 03:13

    Querido Armindo,
    Como sempre nos encantando com os teus textos....é fabulosa a tua criatividade e a maneira detalhada que narras os fatos.
    Legal é que o Nosso Rei Roberto Carlos sempre está envolvido em tuas façanhas.
    Parabéns! Sensacional o Bate-Papo telefônico com São Pedro.
    Adorei o título.."DE QUE VALE O CÉU AZUL...."
    Um grande abraço.
    Alba Maria

    ResponderEliminar

MÚSICA LUSÓFONA

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil