Urbanista do CEUB prevê ações de sensibilização para preservar os monumentos de Brasília

Do Texto: A cidade, que é tombada como patrimônio mundial e considerada uma grande galeria a céu aberto, deve ser preservada em sua integridade e tem que ser re
Brasília

Educação patrimonial e estímulo ao turismo são medidas para conscientizar a população

Gustavo Cantuária, Arquiteto e Urbanista do Centro Universitário de Brasília (CEUB), comenta as perdas ao patrimônio histórico brasileiro e sugere medidas de educação e preservação do patrimônio tombado de Brasília.

Confira a entrevista na íntegra:

Qual é a importância de se preservar uma cidade como Brasília?
GC: Os atos que ocorreram na Praça dos Três Poderes no último domingo deixam uma profunda cicatriz em Brasília, uma cidade de apenas 62 anos. Infelizmente essa mancha vai ficar na história da capital, o que não pode, de maneira alguma, se sobressair à cidade que é.

Brasília foi projetada de forma única e brilhante por Lúcio Costa para ser uma capital diferenciada, não apenas no Brasil, mas no mundo. A cidade, que é tombada como patrimônio mundial e considerada uma grande galeria a céu aberto, deve ser preservada em sua integridade e tem que ser respeitada.

Temos que pensar no Eixo Monumental com seu propósito inicial: para ser usufruído, no cotidiano, no trabalho e na vivência espacial da cidade, uso turístico e manifestações democráticas. O espaço é para ser usado para o bem. Essa é a beleza que tem que ser lembrada, elogiada preservada e até mesmo estimulada.

Qual alerta que depredações como essas acende?
GC: Os acontecimentos recentes precisam ser punidos com rigor e, consequentemente, a cidade precisa de um policiamento mais efetivo. A Praça dos Três Poderes é um espaço público, de manifestações pacíficas, e principalmente de interesse cultural para visitação e turismo. Não podemos deixar que esse evento macule as excepcionais intenções do projeto de Lúcio Costa. A questão da preservação e da segurança precisam ser reforçadas, mas de modo algum o espaço urbanístico deve ser alterado. O espaço tem que ser popular e essa galeria a céu aberto tem que ser preservada.

Qual é a importância da educação para evitar esse tipo de vandalismo?
As escolas precisam ensinar a noção de valorização do patrimônio cultural, a fim de despertar o pertencimento cultural e educacional entre as crianças. É preciso divulgar a importância da preservação e educar desde cedo, para que todo o brasileiro entenda a riqueza que existe em Brasília e em todo o país. Nesse sentido, a educação patrimonial é vital para a preservação cultural brasileira, preservação dos monumentos e beleza das cidades. Nomes como o de Lúcio Costa, Oscar Niemeyer, Burle Marx, Athos Bulcão, Bruno Giorgi, Marianne Peretti, Di Cavalcanti, Portinari devem estar na formação educacional de todos os brasileiros, para gerar o entendimento coletivo do nosso rico patrimônio cultural.

E em termos do potencial do turismo na cidade?
Outro ponto importante é o estímulo ao turismo, principalmente para mostrar a riqueza de Brasília, de forma que as pessoas conheçam essa maravilha que existe no centro do Brasil. Incentivos para que turistas brasileiros e de fora, visitas de escolas de vários estados devem ser revistos também, principalmente para quem visita levar essas informações de volta ao estado de origem, para que a população perceba a necessidade de preservar seus próprios movimentos e tentar ainda estimular a questão patrimonial como parte da educação da educação brasileira. 
Também pode ler:

Enviar um comentário

0 Comentários
* Gostou do que leu, viu e/ou ouviu? Então, para completar, só falta o seu comentário. Se não gostou, comente também. O autor agradece.

buttons=(OK!) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !