CCB | Bochecha — sementes para um futuro > Miguel Filipe em estreia absoluta | 7 e 8/10

Do Texto: Como concretizar as nossas vontades, se as mesmas estão bloqueadas pela constante atividade mental?
Em palco, cena de "Bochecha  – sementes para um futuro.



Bochecha — sementes para um futuro
Miguel Filipe
ESTREIA ABSOLUTA


CCB . 7 e 8 outubro . sexta às 21h . sábado às 19h . Pequeno Auditório

Conceito e criação Miguel Filipe
Interpretação Eva Aubigny, Miguel Filipe e Océane Crouzier
Desenho de luz André Calado
Desenho de Som Tiago Cerqueira
Espaço e cenografia André Calado e Miguel Filipe
Figurinos Miguel Filipe
Sonoplastia e Composição Miguel Filipe e Tiago Cerqueira
Música de Bruno Mantovani, Iánnis Xenákis, Miguel Filipe e Óscar Escudero-Belenish-Moreno-Gil

Bochecha – sementes para um futuro é um espetáculo musical e coreográfico para um trio de performers. Como concretizar as nossas vontades, se as mesmas estão bloqueadas pela constante atividade mental? Quase sem nos deixar um passo, mexer, concretizar algo... Ou estagnamos, ou explodimos de tanta frenética atividade. Tornamo-nos então seres polirrítmicos, pois vivemos em dualidade, entre sonho e decisão, entre possibilidade e realidade. Não passa só por duvidar destas dualidades, mas sobretudo por aceitá-las, afirmando-as ou exaltando-as. Toda a música tocada ao vivo é inscrita no repertório erudito contemporâneo para percussão solo. Inspirado livremente da história de vida e poesia de Stella do Patrocínio.
Miguel Filipe

Natural de Santo Isidoro, Mafra, Miguel Filipe divide a sua atividade artística pela música, performance e criação/composição. Estudou em Lisboa, Lyon e Paris. Enquanto percussionista colaborou com diversos agrupamentos de música erudita, clássica e contemporânea. Enquanto performer colaborou com a coreógrafa Marlene Monteiro Freitas em três peças: De Marfim e Carne — As Estátuas Também Sofrem (2014), Bacantes — Prelúdio para uma purga (2017) e Mal — Embriaguez Divina (2020); com a companhia Aniki Vóvó (FR) e o Ballet Du Nord (FR). Foi Bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, da Fundação GDA e Fondation ADAMI. Dos projetos futuros destacam-se a estreia de Bochecha — sementes para um futuro no CCB; e a estreia da peça de teatro musical Lino Gris de François Sarhan com o ensemble Lucilin (LUX). 
Também pode ler:
Tags

Enviar um comentário

0 Comentários
* Gostou do que leu, viu e/ou ouviu? Então, para completar, só falta o seu comentário. Se não gostou, comente também. O autor agradece.

buttons=(OK!) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !