Vídeo sobre vacinação estimula o interesse das crianças pela ciência

Uma competição de basquete entre coronavírus e anticorpos. É nesse clima de disputa pela saúde que a médica Camila Maciel mostra, em vídeo de animação, como a vacinação infantil é segura e fundam< explica, de maneira simples e leve, como age o imunizante dentro do organismo e como se dá a luta contra o vírus.  Com desenhos, cores e no formato de um jogo, a ideia é mostrar aos pequenos como a ciência faz parte do seu dia a dia, como as vacinas agem e como salvam vidas.

Criada pela médica brasileira Camila Maciel, animação mostra, de maneira divertida, como a vacinação infantil contra a Covid-19 funciona no organismo

Uma competição de basquete entre coronavírus e anticorpos. É nesse clima de disputa pela saúde que a médica Camila Maciel mostra, em vídeo de animação, como a vacinação infantil é segura e fundam< explica, de maneira simples e leve, como age o imunizante dentro do organismo e como se dá a luta contra o vírus.  Com desenhos, cores e no formato de um jogo, a ideia é mostrar aos pequenos como a ciência faz parte do seu dia a dia, como as vacinas agem e como salvam vidas.

Radicada no Vale do Silício (EUA), Camila Maciel é pesquisadora-visitante da Universidade de Stanford e pós-doutora em Epidemiologia e Medicina Preventiva pela Universidade de Boston. “Dia de Vacina” é o segundo vídeo da série “O Menino da Máscara Amarela”, que contém sete episódios com dicas de prevenção em saúde. Divididos em pílulas de 1 minuto, os vídeos buscam educar, entreter, combater fake news e aproximar a ciência das crianças. Na acirrada disputa de basquete do vídeo, o maior jogador da defesa é a vacina. Para Camila, a vacinação infantil é a melhor maneira de proteger todos das formas graves da Covid-19 e permitir um retorno mais seguro a muitas atividades da pré-pandemia, ajudando a conter a transmissão comunitária. As crianças são importantes vetores de contaminação, já que convivem com outras pessoas e crianças em escolas e creches e carregam o vírus para grupos vulneráveis dentro da própria família, como os avós. Segundo dados do Ministério da Saúde, desde o início da pandemia, ao menos 2500 crianças de zero a 19 anos morreram em decorrência da Covid-19 no Brasil. Destas, 324 mortes na faixa dos 5 aos 11 anos, segundo levantamento dos Cartórios de Registro Civil, incluindo a primeira semana deste ano. Mais de 1400 crianças foram diagnosticadas com a temida Síndrome Inflamatória Multissistêmica associada ao SARS-CoV-2. Dados que mostram que a Covid-19 é hoje a doença prevenível por vacinação que mais mata crianças e adolescentes no Brasil.

A chegada de uma nova variante como a ômicron, com maior transmissibilidade, faz das crianças um grupo com maior risco de infecção. “A vacinação infantil é fundamental e trará benefícios para toda a comunidade. No vídeo, mostramos, de forma leve e lúdica, como vacinas salvam vidas e como a criança pode aprender ciência brincando e desde cedo. Sempre fomos um exemplo para o mundo quando a questão é vacinação infantil, com a erradicação de poliomielite e o controle de doenças como sarampo, meningite, coqueluche. Agora, precisamos dar o exemplo também nesta pandemia”, destaca Camila Maciel, idealizadora do projeto. Endocrinologista pela Universidade de São Paulo, doutora em Cardiologia pelo Incor-USP, Camila é professora de universidades públicas e privadas e tem vários de seus projetos publicados em revistas acadêmicas sobre prevenção em saúde voltados para crianças, além de algumas premiações.

Para Camila, a imunização da população pediátrica também interferirá na proteção indireta da população, ao aumentar a cobertura vacinal e diminuir a circulação do SARS-CoV-2 e suas variantes. Por isso, o vídeo mostra o quanto a picada no braço é benéfica e ressalta a protagonista, uma menina, depois de imunizada, brincando com os amigos. A animação idealizada por Camila Maciel tem direção de arte de Gabriel Bitar e Nathalia C. Forte, locução de Mariana Elisabetsky, produção executiva de Reynaldo Marchesini e execução da Criatividade X, produtora educativa da qual Camila é sócia. O primeiro episódio da série falava sobre a importância de uso das máscaras e do distanciamento social de um jeito lúdico e divertido, com os vírus tentando escapulir da máscara e morrendo no meio do caminho graças ao distanciamento físico.

O público-alvo da série são as crianças, mas não só. Para Camila, as crianças são muito sensíveis ao trabalho educativo e acabam se tornando grandes influenciadoras na família, dando até bronca nos pais depois de verem os vídeos da série. Não à toa, cada episódio sempre tem uma criança como protagonista. “As crianças são agentes essenciais para a mudança de hábitos quando pensamos em educação em saúde: é mais barato e efetivo investir em prevenção. Nessa pandemia, vimos que o negacionismo dificulta a redução da mortalidade mesmo com a prevenção em mãos”, destaca Camila. No Brasil, a imunização de crianças de 5 a 11 anos com a vacina da Pfizer/BioNTech foi autorizada pela Anvisa em 16/dezembro/21 e, em 20/janeiro/22, com a Coronavac, na faixa de 6 a 17 anos e começou a ser aplicada no país neste mês. Em todo o mundo, as vacinas para crianças contra a Covid-19 têm se mostrado de enorme segurança, com 8,7 milhões de doses aplicadas só nos EUA. Como no vídeo de animação, que traz a ciência para o universo infantil, no “dream team” da vacina, a cesta é sempre de três pontos.

Assistir ao vídeo:


Ficha Técnica:
- Idealização: Camila Maciel
- Produção executiva: Reynaldo Marchesini   
- Produção e coordenação: Nana Lahóz e Nathalia C. Forte  
- Argumento: Camila Maciel
- Roteiro: Camila Maciel e Nathalia C. Forte  
- Direção, direção de arte e animação: Gabriel Bitar e Nathalia C. Forte  
- Edição: Renata Klaus
- Locução: Mariana Elisabetsky
- Detentora dos direitos: Criatividade X

Sobre a médica Camila Maciel:
Educação em saúde. Essa paixão é o que move a médica, pesquisadora, cientista e professora Camila Maciel e que a fez sair da pequena e rural Baependi, no Sul de Minas Gerais, para o mundo. Aos 39 anos, Camila não se contentou apenas com uma bem-sucedida carreira em seu consultório. Médica endocrinologista pela Universidade de São Paulo, doutora em Cardiologia pelo Incor-USP e pós-doutora em Epidemiologia e Medicina Preventiva pela Universidade de Boston, Camila já na graduação se interessou por ações comunitárias e fez teatro em escolas na zona rural da sua cidade natal sobre Medicina Preventiva. Nascia ali a semente para ações educativas em saúde e o desejo de popularizar o conhecimento médico. Sua tese de doutorado analisou os componentes hereditários de doenças como obesidade, diabetes e hipertensão pesquisando núcleos familiares de Baependi (MG). Camila, através do projeto “Corações de Baependi”, o primeiro estudo familiar do Brasil em doenças cardiovasculares, foi indicada ao prêmio de pesquisadora sênior, em 2014, no Congresso Brasileiro de Cardiologia.
A paixão por ações comunitárias sobre prevenção de doenças a levou a cruzar fronteiras, inclusive as da Medicina, concretizando o internacional “Little Hearts”.  Unindo arte, poesia e teatro de fantoches, o projeto levou conhecimentos sobre alimentação saudável e prevenção da obesidade a mais de 10 mil crianças de escolas públicas e privadas de Minas Gerais, do Paraná e até de Framingham, cidade com o maior número de imigrantes brasileiros nos EUA. Interessada em empreendedorismo social, Camila mora atualmente no Vale do Silício (EUA) e atua como pesquisadora-visitante da Universidade de Stanford. Colabora ainda com grupos das prestigiadas universidades Harvard e MIT, onde foi pesquisadora-visitante de 2018 a 2020. Atuou também como pesquisadora no Framingham Heart Study, um dos maiores centros de estudos na área da Cardiologia do mundo, pioneiro, desde 1950, na pesquisa epidemiológica de compreensão das doenças cardiovasculares e seus fatores de risco. Divulgadora científica incansável e multimídia, autora de iniciativas e poesias, montou a Criatividade X, produtora que desenvolve projetos de ciência com entretenimento. Com formatos como vídeos, animações e, em breve, ebooks, busca aliar saúde e diversão, para impactar um público cada vez maior e para além dos muros acadêmicos. Criatividade com tecnologia para popularizar a ciência e humanizar a medicina. Website - Facebook - Instagram - Youtube
Tags

Enviar um comentário

0 Comentários
* Gostou do que leu, viu e/ou ouviu? Então, para completar, só falta o seu comentário. Se não gostou, comente também. O autor agradece.

buttons=(OK!) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !