Inteligência Artificial brasileira é objeto de estudo publicado em revista científica internacional

Pioneira em digitalização de imagens radiológicas no setor odontológico, a empresa mineira Radio Memory passou pelo teste de fogo ao ter sua tecnologia de Inteligência Artificial (I.A) avaliada em uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Pesquisa da UFS, publicada na National Library of Medicine, analisa confiabilidade e eficiência do CEFBOT, componente que utiliza inteligência artificial para marcação de pontos cefalométricos, criado pela Radio Memory

Pioneira em digitalização de imagens radiológicas no setor odontológico, a empresa mineira Radio Memory passou pelo teste de fogo ao ter sua tecnologia de Inteligência Artificial (I.A) avaliada em uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Sergipe (UFS).

O software da empresa, batizado de CEFBOT, permite que diversas análises cefalométricas, de modelo e até cervicais, sejam feitas com apenas um clique, localizando os pontos cefalométricos em segundos nos exames de telerradiologia.

Para explicar melhor os termos acima, em bom português, o CEO da Radio Memory, Professor Fábio Matosinhos, conta que o exame de cefalometria é muito usado para estudar a colocação de aparelhos ortodônticos nos pacientes. “Fizemos uma revolução, porque antes o dentista fazia com régua as medidas do crânio radiografado e, em meados da década de 1990, passou a ser no computador. Depois disso, passamos a desenvolver outros programas para fazer outras medições do crânio. E então, em 2019, lançamos essas mesmas medições, mas com inteligência artificial, que encontra os pontos automaticamente. O que antes demorava cerca de 20 minutos de trabalho de marcações manuais com o mouse no computador, com a nossa inteligência artificial os pontos já são marcados e os resultados saem instantaneamente”, conta o professor.

Radio Memory chancelada por pesquisa publicada na National Library of Medicine

A Universidade Federal de Sergipe (UFS) testou a eficiência do software criado pela Radio Memory, o CEFBOT, para averiguar se ele conseguia ter a mesma precisão que a de uma pessoa em mapear os pontos do exame de cefalometria manualmente.

No estudo foram escolhidos 66 pontos de referência e as dez medidas lineares e angulares selecionadas da análise de Arnett foram identificadas em cada radiografia por um examinador humano treinado e pelo CEFBOT. Para ambos os métodos, as anotações e medições dos pontos de referência foram duplicadas com um intervalo de 15 dias entre as medições e o coeficiente de correlação intraclasse (ICC) foi calculado para determinar a confiabilidade.

As medições realizadas pelo examinador humano e pelo CEFBOT não foram estatisticamente diferentes. Como resultado, o CEFBOT foi reconhecido como uma ferramenta promissora para o aprimoramento das capacidades de radiologistas humanos, comprovando a sua eficácia.

O sucesso do resultado foi publicado na revista científica internacional National Library of Medicine – National Center of Biotechnology Information, em 21 de abril de 2021. Na conclusão do estudo consta tal informação: “...concluímos que a IA contida no software CEFBOT pode ser considerada uma ferramenta promissora para o aprimoramento das capacidades de Radiologistas humanos”.

Para a Dra. Luize Lança, cirurgiã-dentista especialista em radiologia odontológica e imaginologia, consultora científica da Radio Memory, “o CEFBOT possibilitou significativo ganho de escala na produção de análises cefalométricas. Agora só preciso conferir os pontos marcados pela I.A da ferramenta. Com o aprendizado da máquina, a cada novo exame realizado, os ajustes se tornam cada vez menos necessários. Também há um ganho expressivo de tempo com a utilização do classificador de imagens. Ajustes de imagem e recortes que não precisam mais serem feitos em programas de edição”, afirma.

Dados Protegidos e apoio acadêmico

Com dados coletados durante anos, o Módulo I.A foi pensado na morfologia da radiologia odontológica brasileira, respeitando as normas da LGPD e estando sempre em conformidade com os órgãos de vigilância sanitária.

Algumas das tecnologias desenvolvidas pela empresa, como o iDoc, o Studio 3 e seus componentes, que utilizam Inteligência Artificial, servem como objeto de estudo, sendo testadas e validadas por profissionais da área de Odontologia. Pesquise por “radiocef” ou “radio memory” no Google Acadêmico para encontrar dezenas de teses que referenciam as criações da empresa.

Alguns números expressivos sobre a Radio Memory

 - Possui um banco de dados com cerca de 40 milhões de pacientes e, por mês, entram quase 1 milhão de novos usuários;

 - O iDoc conta com o acesso de mais de 90 mil dentistas, o que faz com que o tratamento de cerca de 9 milhões de brasileiros trafegue através de seus programas, anualmente.

 - Mais de 150 mil dentistas registrados no iDoc, com cerca de mais de 100 mil acessos por mês. 

Enviar um comentário

0 Comentários
* Só falta o seu comentário! O autor agradece.

buttons=(OK) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !