Roberto Carlos e Cauby Peixoto – O Grande Encontro (3) - Portal Splish Splash

Recentes

sexta-feira, agosto 13, 2021

Roberto Carlos e Cauby Peixoto – O Grande Encontro (3)

A série “... O Grande Encontro” traz mais um ícone da era de ouro do rádio e intérprete inesquecível. Considerado por muitos artistas, entre eles Roberto Carlos, como o maior cantor do Brasil.



Por: Carlos Marley

https://www.portalsplishsplash.com/p/carlos-marley-artigos.html


A série “... O Grande Encontro” traz mais um ícone da era de ouro do rádio e intérprete inesquecível: Cauby Peixoto. Considerado por muitos artistas, entre eles Roberto Carlos, como o maior cantor do Brasil. 


Na pia batismal o astro recebeu o nome de Cauby Peixoto Barros, nasceu em Niterói, Rio de Janeiro, em 10 de fevereiro de 1931. Faleceu na cidade de São Paulo, em 15 de maio de 2016. 


No início dos anos cinquenta gravou nos Estados Unidos usando o pseudônimo de Ron Coby. “Professor” é assim que Cauby Peixoto é carinhosamente chamado no meio artístico.


O primeiro encontro musical entre Roberto Carlos e Cauby Peixoto ocorreu durante uma cena do filme “Minha Sogra é da Polícia”, lançado em 1958. Neste filme Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Carlos Imperial são os figurantes que acompanham o intérprete Cauby Peixoto, na canção “Let’s Rock”. Este encontro musical reuniu o ídolo já consagrado Cauby Peixoto e o ainda principiante em busca de visibilidade e futuro ídolo Roberto Carlos. 


A Som Livre em 1980 lançou o álbum “Cauby! Cauby!” um disco comemorativo por seus 25 anos de carreira. Neste álbum grandes nomes da MPB reverenciaram o “Professor” com canções feitas especialmente para ele. Entre as canções inseridas a intitulada “Brigas de Amor”, composta por Roberto Carlos e Erasmo Carlos. 

  

No Especial de Fim de Ano de 1981, Cauby Peixoto foi um dos convidados de Roberto Carlos. Diferente do primeiro encontro realizado em 1958. Desta vez o status dos personagens era outro. Roberto Carlos, agora era considerado um monstro sagrado da música brasileira e chamado de “rei”. Cauby Peixoto continuava a sua carreira brilhante, encantando os fãs com sua voz incomparável e suas vestimentas extravagantes. Os dois dividiram o palco em um show gravado no Arco da Lapa, no Rio de Janeiro. Neste show o “rei” e o “professor”  interpretaram duas canções de forma maravilhosa. Este Especial foi exibido na noite de 24 de dezembro. 


As canções escolhidas para os duetos foram: “Conceição” de Jair Amorim e Valdemar de Abeu, conhecido como Dunga (1956). A curiosidade desta canção foi que ela foi oferecida a Silvio Caldas, que recusou. Esta canção passou a ser marca registrada de Cauby. A outra canção foi “A Deusa da Minha Rua” de Newton Teixeira e Jorge Faraj (1939). O cantor Silvio Caldas foi quem primeiro gravou a linda seresta. Quase quatro décadas depois Roberto Carlos regravou para o seu álbum de 1974, tendo alterado algumas palavras da letra original. Veja na letra abaixo. 


Cauby Peixoto foi mais um cantor que gravou um disco dedicado a Roberto Carlos. O álbum foi lançado em 2009. O título do álbum seria “Cauby Canta Roberto”, que Roberto sugeriu que mudasse para “Cauby interpreta Roberto”. A outra mudança pedida pelo rei foi que substituísse a canção pré-selecionada “Você Não Sabe” para “Olha”. As doze canções que compõem o álbum foram extraídas de uma relação de quarenta músicas elaborada pelo produtor Thiago Marques Luiz, que levou para Cauby em um dia de sábado. O processo de  escolha das canções se deu assim: “Nessa eu não vou”, Cauby apontava para o computador sempre que encontrava algum verso com o qual não se identificava. E pulavam para a próxima. Assim, foram eliminadas "O Côncavo e o Convexo", "Sua Estupidez" e "Amada Amante", disse o produtor.


Quando Cauby Peixoto morreu Roberto Carlos, em sua conta oficial no Instagram, fez uma homenagem ao amigo e colega de tantos anos: “Eu sempre disse que Cauby é o maior cantor do Brasil. Querido e admirado por todos, não só por seu talento mas por suas qualidades como ser humano. Simpático, amável, cordial, sempre o admirei muito. Ele é realmente fantástico e eu tive a honra, o prazer de ter cantado junto com ele. Que nosso Deus de bondade o proteja e abençoe sempre” disse.


Relembre esses momentos nos vídeos abaixo.


A Deusa da Minha Rua

Newton Teixeira / Jorge Faraj (Versão do disco do Roberto 1974)


A deusa da minha rua

Tem os olhos onde a lua 

Costuma se embriagar

Nos seus olhos eu suponho

Que o sol num dourado sonho (gravação original Silvio Caldas -doirado)

Vai claridade buscar


Minha rua é sem graça

Mas quando por ela passa

Seu vulto que me seduz

A ruazinha modesta

É uma paisagem de festa

É uma cascata de luz


Na rua uma poça d'água

Espelho da minha mágoa (gravação original Silvio Caldas -espelhos - no plural)

Transporta o céu para o chão

Tal qual o chão da minha vida

A minha alma comovida

O meu pobre coração


Infeliz da minha mágoa (gravação original Silvio Caldas - espelhos) no dueto canta espelho)

Meus olhos são poças d'água

Sonhando com seu olhar           (Bis)

Ela é tão rica e eu tão pobre

Eu sou plebeu e ela é nobre

Não vale a pena sonhar


“Conceição”


“A deusa da minha rua”


*Carlos Marley - nasceu na cidade de Fortaleza, capital do estado do Ceará – Brasil, onde reside. Formado em Ciências Contábeis, pela Universidade Federal do Ceará, com especialização em Auditoria. Auditor Fiscal aposentado da Secretaria da Fazenda do Estado do Ceará. Leia Mais sobre o autor...

8 comentários:

  1. Respostas
    1. Nobre colega Fabiano, sem dúvida momentos que merecem ser revividos. Agradeço seu comentário.

      Excluir
  2. Que maravilha relembrar esses emocionantes momentos do encontro do “rei” e o “professor”. (Roberto Carlos e Cauby Peixoto)
    Parabéns pelo belo texto colega Marley!
    Parabéns, menino Armindo, pela linda foto de apresentação! Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nobre colega Alba, Agradeço o seu comentário e aproveito para parabenizar a arte produzida pelo criativo Armindo.

      Excluir
  3. Meu caro amigo Marley, como sempre um belo texto. Parabéns!
    Essas músicas mexeram comigo, ainda mais cantadas maravilhosamente pelo nosso Rei e pelo famoso Professor. O Cauby eu "conheci" bem antes do Roberto. Mas Conceição e Deusa da Minha Rua, ficaram gravadas na minha mente e coração desde os bons tempos de mocinha... Ver os dois juntos de novo cantando essas duas músicas foi muito bom, emocionante. Parabéns de novo! Aproveito para parabenizar meu querido maninho portuga por essa obra de arte feita por ele. Ficou muito linda, perfeita! Um forte abraço amigo Marley e até a próxima...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nobre colega Carmen, é muito agradável ouvir belas canções com interpretações impecáveis. Que bom que te remeteu a momentos inesquecíveis. Agradeço o seu comentário.

      Excluir
  4. Olá, Marley!
    Mais um excelente artigo a juntar a tantos outros que tens escrito sobre a obra de Roberto Carlos.
    Para criar a imagem para o teu texto tive que procurar na net uma foto do Cauby Peixoto e fiquei surpreendido que contam-se pelos dedos e ainda por cima com pouca ou até mesmo nenhuma qualidade. Mais surpreendido fiquei ainda pelo facto de fotos de Cauby com o Roberto só existe uma ou duas mas muito pequenas e sem qualidade nenhuma. Por isso, tive que inventar aquela fotocomposição para juntar os dois com alguma qualidade. Grande abraço,

    ResponderExcluir
  5. Nobre colega Armindo, fico feliz pelo seu comentário e o seu poder criativo. Obrigado!

    ResponderExcluir